O Que é Sistema Imunológico Baixo?

A imunidade se tornou um termo comum para proteção contra infecção, mas envolve bem mais que isso. A imunidade está ligada ao sistema imunológico. Você descobrirá a seguir o que é sistema imunológico baixo, como funciona o sistema de proteção de nosso corpo e o que você pode fazer no seu dia a dia para aumentar seu sistema imune e ganhar proteção contra doenças e infecções.

O sistema imunológico é um conjunto de órgãos e células que protege nosso organismo contra diversas invasões externas, bem como regula diversas respostas internas. De uma maneira geral, nosso sistema imunológico pode estar forte ou fraco e, com isso, estaremos mais ou menos propensos a ficarmos doentes.

Vale a pena conferir os 16 alimentos incríveis que aumentam a imunidade e que podem te ajudar a evitar problemas seríssimos decorrentes da baixa imunidade. Não deixe de conferir.

O que é o Sistema Imunológico?

O sistema imunológico é um sistema do nosso organismo composto por diversas células, órgãos e que compõe a imunidade, ou seja, é o sistema responsável por defender o organismo de vírus, bactérias e outros patógenos.

Células do Sistema Imunológico

1. Leucócitos

São as chamadas células brancas do sangue. Elas ficam circulando no sangue e também são armazenadas em diferentes órgãos, como timo, baço e nos linfonodos.

Essas células são específicas e quando encontram algum patógeno, elas começam a se multiplicar. Existem diferentes tipos de leucócitos. Vamos ver os principais:

2. Fagócitos

São as células que quando encontram um patógeno literalmente absorve e o engole. Os principais fagócitos do sistema imunológico são neutrófilos, monócitos e macrófagos.

3. Linfócitos

São as células que relembram o organismo como ele deve agir ao entrar em contato com um mesmo patógeno novamente.

Os linfócitos são produzidos na medula óssea e existem dois tipos: linfócito B (que permanecem na medula e depois vão para a corrente sanguínea) e linfócito T (que vão para o timo). Cada um tem uma função específica.

Os linfócitos B são responsáveis pela produção dos anticorpos e os linfócitos T destroem células comprometidas e avisam os outros leucócitos, podendo ser linfócitos T ajudantes (do inglês, helper – LTh), ou matadores (LT killer). .

4. Anticorpos

Os anticorpos são proteínas que se ligam às estruturas a serem eliminadas denominada antígenos. As células ligadas à sua produção são os linfócitos B.

Cada linfócito B produz um tipo específico de anticorpo.

Os anticorpos são estruturas denominadas imunoglobulinas, responsáveis pela resposta imunológica que o organismo terá mediante um invasor.

Existem diferentes tipos de imunoglobulinas, conforme sua função.

  • Ig M: anticorpos ligados em eliminar bactérias;
  • Ig G: marca estruturas e invasores para que outras células os identifiquem;
  • IgE: ligado às reações alérgicas;
  • IgA: presente na saliva e outros fluidos, responde pela imunidade desses fluidos.

A Imunidade

Quando nascemos, já estamos com algum tipo de imunidade contra vírus e bactérias. Um pouco pela nossa estrutura, outra pela imunidade vinda de nossa mãe e ainda há a imunidade que vem das primeiras vacinas.

Como são esses tipos diferentes de imunidade?

– Imunidade inata

É aquela que já faz parte do nosso organismo. Por exemplo, a pele é o maior órgão que temos e serve como uma barreira física contra a entrada de microrganismos. A pele é um exemplo de imunidade inata.

A imunidade inata é geral, não é específica contra um tipo de vírus ou bactéria.

– Imunidade adquirida

Como o próprio nome indica, esse tipo de imunidade é adquirida no decorrer da vida. É a imunidade vinda das vacinas, por exemplo, ou quando já fomos expostos a um determinado tipo de doença, ficando na “memória” do sistema imunológico.

Mas quais são as condições de imunidade baixa? Quando e por que ela ocorre?

Causas do Sistema Imunológico Baixo

Algumas condições do organismo predispõe uma imunidade baixa, ou seja, são situações que afetam o sistema imunológico e, por isso, ele não consegue desempenhar seu papel adequadamente.

Essas condições podem ser chamadas de desordens do sistema imunológico. Elas podem ser primárias (quando estão ligadas ao aspecto genético) ou secundárias (como consequência de outras doenças).

O diagnóstico médico é sempre importante e fundamental para o acompanhamento de desordens do sistema imunológico.

– Imunodeficiências

Nutrição inadequada, faltando nutrientes específicos é uma das causas de do sistema imunológico baixo em países em desenvolvimento.

Outras imunodeficiências fazem com que o sistema imunológico não funcione adequadamente. É o caso de infeções por HIV, que irão afetar os linfócitos T.

Algumas outras situações, como câncer, também afetam a imunidade do organismo, fazendo que essa pessoa fique mais propensa a desenvolver outras doenças.

– Doenças autoimunes

Doenças autoimunes fazem com que o próprio sistema imunológico ataque células saudáveis. É o caso do diabetes tipo 1, artrite e uma série de doenças consideradas autoimunes.

Como o organismo está atacando células saudáveis, a resposta imunológica para outras doenças fica prejudicada, podendo esse indivíduo ficar mais propenso a outras infecções.

Sintomas do Sistema Imunológico Baixo

Uma pessoa com imunidade baixa geralmente acaba ficando doente repetidas vezes.

Algumas vezes, uma infecção comum, como uma gripe, evolui para uma pneumonia em questão de pouco tempo.

Alguns dos sintomas de uma pessoa com imunidade baixa inclui:

  • Resfriados e infecções repetidas do sistema respiratório;
  • Infecções de pele;
  • Evolução negativa da doença, com piora do quadro em pouco tempo.

Imunidade Baixa – O que fazer?

Existem diversas ações que você pode fazer para melhorar sua imunidade.

1. Boas práticas de higiene

Hábitos simples como lavar as mãos sempre antes das refeições ou ao chegar em casa, ter cuidado no manejo dos alimentos, lavar muito bem frutas e verduras, preferindo versões cozidas dos alimentos, ajudam.

As mãos devem ser lavadas sempre que entramos em contato com animais e também ao trocar fraldas de crianças.

Parecem medidas simples, mas são muito eficazes. De acordo com o Center of Desease Control (CDC), dos Estados Unidos, que é o maior centro de estudo e pesquisa sobre infeções e doenças no mundo, o simples hábito de lavar as mãos diminui em 58% casos de diarreia em pessoas com sistema imunológico baixo.

2. Evite contato com pessoas doentes

Parece bobo, mas não é. A transmissão de uma doença de uma pessoa pra outra pode ocorrer por meio de beijo ou abraço, quando gotículas de saliva podem ir de uma pessoa para outra. Assim, sempre que possível, evite locais de grande aglomeração e se você estiver resfriado, não saia abraçando e beijando por aí.

3. Reduza o estresse

O estresse causa diminuição da efetividade do sistema imunológico, uma vez que faz com que haja liberação de mediadores químicos, como o cortisol, que deprimem a resposta imunológica.

Portanto, pessoas que vivem constantemente sob estresse tem maiores chances de ficarem doentes mais vezes.

O que fazer para reduzir o estresse?

Busque a prática de atividades que reduzam o estresse, como corrida, natação, bem como adquira hobbies, como leitura, prática de yoga e meditação.

4. Vacine-se

Ao contrário do que textos desinformados afirmam, as vacinas protegem nosso sistema imunológico.

Há diversos estudos mostrando como o sistema imunológico é fortalecido em um indivíduo vacinado.

Não há razão lógica nem nenhum bom senso em não se vacinar contra as infecções para as quais já há vacinação disponível.

5. Durma bem

O sono é fundamental para o equilíbrio e recuperação do corpo. Se seu organismo não tem horas necessárias de sono reparador, certamente seu sistema imunológico vai acabar sentindo.

De acordo com a National Sleep Foundation, uma fundação norte-americana que estuda o sono, a privação do sono em adultos tem efeito semelhante ao estresse constante para o sistema imunológico.

6. Faça exercícios físicos regularmente

A prática de exercícios físicos promove a melhora da saúde no geral. Além disso, a prática de exercícios físicos leva a liberação de endorfina, que reduz o estresse.

7. Tenha uma dieta equilibrada

Todos os nutrientes que necessitamos para nosso organismo vêm de uma dieta equilibrada.

O consumo constante de vegetais, grãos e proteína deve ser feito de maneira equilibrada com o consumo de carboidratos e gordura.

No entanto, em virtude da correria do dia-a-dia, nem sempre ingerimos todos os nutrientes necessários.

Além disso, o consumo de muitos alimentos industrializados, ricos em aditivos químicos, não ajuda a saúde de maneira geral.

Portanto, muitas vezes, a suplementação com vitaminas ou com nutrientes pode ser muito benéfica ao organismo, dependendo do seu quadro clínico e da sua necessidade.

8. Suplementação

A suplementação pode melhorar a imunidade, uma vez que repõe na quantidade certa os nutrientes necessários que o organismo perdeu ou complementa a quantidade insuficiente que o indivíduo está ingerindo.

De maneira geral, a suplementação mais comum é realizada com os seguintes nutrientes:

  • Vitamina A;
  • Vitamina E;
  • Vitamina C;
  • Ácido Fólico;
  • Ferro;
  • Vitamina D.

As vitaminas A, E, C e D atuam diretamente na redução de radicais livres do sistema, impulsionando o sistema imunológico. Além disso, são cofatores fundamentais para a produção de determinados mediadores químicos essenciais para o organismo.

O ácido fólico entra na proteção contra a depressão e é fundamental para gestantes.

O ferro atua diretamente no tratamento da anemia.

Conclusão

O sistema imunológico baixo pode estar presente em virtude de uma doença preexistente. Porém, além do tratamento médico, algumas ações como uma dieta equilibrada, prática de exercícios físicos constantes, manejo do estresse e suplementação podem melhorar muito a resposta imunológica do organismo.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências adicionais:

Você já foi diagnosticado com o sistema imunológico baixo? Conhece alguém que já passou por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário