Qual é o Melhor Protetor Hepático Natural?

Especialista:
atualizado em 06/04/2020

O fígado pode ser protegido de forma natural com a ajuda de alguns compostos e, devido a isso, é importante saber como escolher o melhor protetor hepático natural.

O fígado é considerado um dos órgãos mais vitais que funciona como um centro de metabolismo de nutrientes como carboidratos, proteínas e lipídios e excreção de metabólitos residuais.

Em uma pessoa adulta este órgão pesa cerca de 1,4 kg e cerca de 1,4 litros de sangue é bombeado pelo fígado a cada minuto contendo cerca de 10% do sangue de todo o seu corpo.

Como a maior glândula do corpo, o fígado tem muitos trabalhos vitais para mantê-lo vivo e saudável. Entre todas as 500 funções que o fígado desempenha, é importante observar que o papel do fígado é:

  • Armazenar ferro e vitaminas.
  • Converter carboidratos em glicose.
  • Converter o açúcar armazenado em açúcar utilizável quando os níveis de açúcar do corpo caírem abaixo do normal.
  • Neutralizar toxinas nocivas no sangue
  • Destruir os glóbulos vermelhos antigos.
  • Fabricar hormônios e proteínas.
  • Produzir bile para quebrar e digerir gorduras.

Além disso, também está lidando com o metabolismo e a excreção de drogas e outros xenobióticos do corpo, proporcionando proteção contra substâncias estranhas, desintoxicando e eliminando-as.

A bile secretada pelo fígado tem, entre outras coisas, um papel importante na digestão.

Muitas coisas podem fazer mal para o fígado, como por exemplo alguns alimentos, bebidas alcoólicas, remédios entre outras coisas, e por isso é muito importante fazer exames regulares bem como se alimentar de maneira saudável.

Além disso existem algumas outras maneiras de proteger o seu fígado, como por exemplo com um protetor hepático natural.

Protetor hepático natural

Muitos dos suplementos para o fígado presentes no mercado contêm uma combinação de três ingredientes à base de plantas:

  • Folha de alcachofra
  • Cardo de leite
  • Raiz de dente de leão

Além desses ingredientes existem outros que atuam como protetor hepático natural, veja quais são e como funcionam.

Folha de alcachofra

As folhas de alcachofras têm propriedades antioxidantes e estudos sugerem que elas podem proteger o fígado.

Pesquisas feitas em animais mostram que elas podem ajudar a regenerar as células do fígado.

A folha de alcachofra contém cynarin, que segundo estudos pode aumentar a produção de bile no fígado tornando os processos de desintoxicação no corpo mais eficientes, ajudando vários órgãos a eliminar toxinas nocivas, como álcool e outros produtos químicos.

Assim como o cardo de leite, a folha de alcachofra contém a importante silimarina flavonóide que é conhecida por suas habilidades em proteger o fígado.

A folha de alcachofra também contribui para a saúde e o bem-estar geral, ajudando a manter níveis saudáveis de colesterol em pessoas com risco de doença cardíaca coronária.

Em estudos realizados em 2016 e 2018 com pessoas com doença hepática gordurosa não alcoólica, a folha de alcachofra reduziu os marcadores de danos no fígado em comparação com o placebo.

No entanto, os benefícios clínicos da suplementação com folhas de alcachofra ainda não foram observados.

Cardo de leite

O cardo de leite ou como também é conhecido cardo Mariano, tem sido usado para tratar doenças do fígado há mais de 2.000 anos. Isso acontece porque a substância ativa do cardo de leite é a silimarina que é composta por vários produtos químicos vegetais naturais.

Pesquisas sugerem que a silimarina ajuda a regenerar o tecido hepático, reduzir a inflamação e proteger as células hepáticas dos danos atuando como antioxidante.

Estudos realizados em humanos obtiveram resultados controversos.

Um estudo analisou crianças que estavam sendo tratadas com quimioterapia para tratar leucemia. Após 28 dias, as crianças que receberam suplementos de cardo de leite apresentaram menos sinais de danos ao fígado.

Muitos dos estudos sobre silimarina envolveram pessoas com cirrose, hepatite B ou hepatite C. Outra pesquisa avaliou 18 estudos sobre o cardo de leite, incluindo pessoas com essas condições.

Como resultado, o suplemento não teve muito efeito sobre complicações ou mortes por doença hepática em comparação com o tratamento com placebo (inativo). Muitos dos estudos incluídos na revisão eram de baixa qualidade.

Uma análise de estudos de 2017 descobriu que a silimarina reduziu levemente certas enzimas hepáticas, marcadores de lesão hepática, em pessoas com doença hepática.

Ainda são necessárias mais pesquisas para saber quão bem o cardo de leite pode funcionar, mas o cardo de leite parece seguro, porém algumas pessoas relataram sentir sintomas gastrointestinais ou reações alérgicas após tomá-lo.

Como este suplemento pode diminuir os níveis de açúcar no sangue, as pessoas com diabetes devem consultar o médico antes de tomá-lo.

Raiz-leão

A raiz do dente-de-leão ajuda a função hepática melhorando a capacidade do corpo de remover toxinas e, ao mesmo tempo, aumentar a produção de bile.

Um estudo coreano em ratos descobriu que a raiz do dente de leão ajudou a evitar danos ao fígado causados ​​por toxinas ambientais, como álcool e produtos químicos.

Os pesquisadores descobriram que a alta concentração de antioxidantes presentes na raiz do dente de leão pode proteger as células do fígado bem como afastar os radicais livres que podem prejudicar as células.

Quando testado em coelhos com uma dieta rica em colesterol, verificou-se que o tratamento com raiz de dente de leão melhora as atividades das enzimas antioxidantes plasmáticas e o perfil lipídico.

Portanto, o dente-de-leão foi classificado como um protetor hepático natural devidos aos seus muitos efeitos hipolipidêmicos e antioxidantes em potencial.

Como um bônus adicional, essa planta também ajuda a proteger contra o estresse oxidativo associado à aterosclerose e contém uma variedade de vitaminas e nutrientes que ajudam a limpar o fígado e mantê-lo funcionando corretamente.

Raiz de cúrcuma

Esta raiz é um anti-inflamatório e antioxidante bem conhecido. Os polifenóis presentes na raiz de cúrcuma ou açafrão também demonstram ser benéficos na redução do risco de doença hepática gordurosa causada pelo estresse.

Estudos realizados em vacas descobriram que condições estressantes podem levar a alterações fisiológicas no fígado, o que afeta o retículo endoplasmático e contribui para o desenvolvimento da gordura no fígado.

As potentes propriedades antioxidantes da cúrcuma também ajudam a defender o fígado dos radicais livres nocivos e podem até ajudar a reduzir o risco de formação de células causadoras de câncer no corpo

Raiz da doca amarela

Esta é uma erva incrível para desintoxicação já que ajuda a limpar o fígado e o sistema linfático de toxinas.

Pesquisas sugerem que isso ajuda a estimular a ação do sistema linfático em todo o corpo aumentando a taxa na qual os poluentes nocivos são liberados.

A raiz da doca amarela é frequentemente incluída em muitas fórmulas tradicionais de limpeza de sangue, incluindo o chá Essiac. Ela atua como diurético aumentando a frequência da micção para ajudar na eliminação de toxinas.

Também ajuda a estimular o peristaltismo e aumentar a secreção de muco e água no cólon, melhorando a taxa com que os resíduos são removidos do corpo.

Como uma fonte importante de antraquinonas, a raiz da doca amarela também é útil para regular os movimentos intestinais e prevenir a constipação.

Dessa forma, ela é ótima para pessoas que têm um sistema digestivo lento, pois ajuda a estimular os intestinos e acelerar o tempo de trânsito intestinal.

Gengibre

Conhecido em todo o mundo por suas propriedades anti-inflamatórias, o gengibre é vital para a saúde do fígado além de oferecer vários benefícios para a saúde.

Constatou-se que os constituintes terapêuticos do gengibre, como o gingerol e o shogaol, inibem substâncias químicas pró-inflamatórias no corpo, como as prostaglandinas e citocinas.

A inflamação desempenha um papel importante na patogênese da doença hepática gordurosa não alcoólica e alguns estudos mostraram que em pacientes com esta condição, a citocina inflamatória TNF-a é uma característica importante tanto na resistência à insulina quanto na fibrose hepática.

O TNF-a também aumenta a oxidação dos ácidos graxos.

No entanto, verificou-se que a suplementação de gengibre reduz significativamente os níveis de TNF-a no organismo, reduzindo posteriormente o risco de desenvolver a doença hepática gordurosa não alcoólica.

Pesquisadores que usam ensaios clínicos controlados randomizados encontraram evidências de que a suplementação com gengibre pode aumentar a eficácia de intervenções no estilo de vida, como dieta saudável e exercícios físicos relacionados ao tratamento da doença hepática gordurosa não alcoólica.

Beterraba

Essa raiz conhecida por sua cor roxa brilhante e excepcional conteúdo nutricional não é apenas uma excelente fonte de fibra, mas também de potássio, ácido fólico e manganês e apresenta vários benefícios para a saúde.

A beterraba é cultivada em todo o mundo e agora é usada em muitos suplementos de saúde como tônico nutritivo e desintoxicante.

Para o fígado, o alto teor de fibras de beterraba é uma parte importante do processo de desintoxicação pois ajuda a mover os resíduos pelo trato digestivo.

Uma das fibras da beterraba é a pectina, que é considerada um estimulante da ação de limpeza do fígado e ajuda na remoção de toxinas.

O suco de beterraba também é usado como tratamento para uma série de doenças crônicas associadas ao estresse oxidativo e à inflamação.

A beterraba contém importantes compostos antioxidantes, como os pigmentos betalain, que foram encontrados para eliminar os radicais livres e reduzir a inflamação em todo o corpo.

Selênio

Trata-se de um mineral importante que é encontrado naturalmente no solo e em alguns alimentos e apresenta inúmeros benefícios à saúde.

É necessário que o corpo forme glutationa peroxidase e tioredoxina redutase, duas enzimas necessárias para reduzir indiretamente certas moléculas oxidadas.

Como a oxidação está ligada a danos no fígado, antioxidantes como o selênio são vitais para a preservação do tecido hepático.

Um estudo publicado na revista Acta Biochemical Polonica mostrou que pacientes com infecção crônica como hepatite B ou C ou com doença hepática crônica alcoólica, autoimune ou criptogênica tinham significativamente menos selênio no sangue do que pessoas saudáveis.

O selênio também é necessário para manter a elasticidade do tecido no fígado, principalmente naqueles com doença hepática crônica.

Muitas doenças do fígado podem levar à rigidez dos tecidos e dos vasos sanguíneos locais e o selênio ajuda a preservar e reter a elasticidade, além de apoiar a circulação hepática saudável.

Outros ingredientes

Além dos ingredientes citados acima os suplementos com efeito protetor hepático natural, se diferenciam adicionando uma mistura de outros ingredientes.

Isso pode incluir coisas como:

  • Yam mexicano (Inhame selvagem)
  • Baga espinheiro
  • Chanca piedra

Ainda estão faltando estudos bem projetados em humanos mostrando que essas ervas funcionam.

Algumas plantas podem ser muito benéficas como um protetor hepático natural devido a algumas substâncias.

Ervas para o fígado, como alcachofra, cardo de leite, raiz de leite entre outras são úteis para o fígado devido seus mecanismos como o aumento da produção biliar, melhora da atividade hepática e também melhora do fluxo sanguíneo no fígado que são benéficos para este órgão.

Além disso, os suplementos destinados para a saúde do fígado, como um protetor hepático natural, são produzidos pelo uso de ingredientes ativos dessas ervas.

Esses suplementos também podem ser eficazes para a limpeza do fígado.

Como escolher o melhor protetor hepático natural

A melhor maneira de escolher o melhor protetor hepático natural é fazendo uma pesquisa sobre o fabricante do produto para saber se ele é de confiança.

Veja se ele está de acordo com o CRF (Conselho Regional da Farmácia), como as pessoas avaliam esse produto e leia a fórmula e procure pelos compostos citados acima.

Embora o efeito terapêutico da medicação natural seja benéfico, os efeitos colaterais devem ser tratados com o maior cuidado possível.

A melhor maneira de evitar as complicações é garantir que esses medicamentos sejam administrados apenas por médicos licenciados e certificados.

Os médicos naturopatas devem seguir os princípios subjacentes e determinados pela prática da medicina natural.

Para os pacientes, é necessário seguir as orientações do médico quando os medicamentos naturais são usados no tratamento de doenças hepáticas.

Fontes e Referências adicionais:

Você já sabia qual é o melhor protetor hepático natural? Pretende experimentar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário

2 comentários em “Qual é o Melhor Protetor Hepático Natural?”

  1. Preventivamente ,faço uso diariamente de uma grande quantidade dessas plantas
    Hoje por exemplo, em gejum, consumi em água morna; raiz de açafrão com gengibre e limão. Sou praticamente vegetariamo. Não consumo em hipótese alguma “carne vermelha e derivados . Pratico atividades fisicas, todos os dias. Hoje, já corri 6km em 24mimutos, com 72 anos de idade. Abraços

  2. Preventivamente ,faço uso diariamente de uma grande quantidade dessas plantas
    Hoje por exemplo, em gejum, consumi em água morna; raiz de açafrão com gengibre e limão. Sou praticamente vegetariamo. Não consumo em hipótese alguma “carne vermelha e derivados .