Sinais da angústia: causas e como aliviar

Especialista da área:
atualizado em 07/07/2022

Com a pandemia e o isolamento social, boa parte da população começou a apresentar sinais de angústia. 

O sentimento de angústia provoca uma sensação de sufocamento e aperto no peito. Pessoas nessa situação tendem a querer sair do ambiente que estão e ir em direção a um lugar específico que transmita calma, ou até mesmo saem sem ter direção alguma, para tentar esquecer dos problemas.

  Continua Depois da Publicidade  

A angústia não é um sentimento mensurável e pode ser sentida de formas diferentes entre pessoas e dependendo das situações. Ela pode vir acompanhada de um transtorno pós-traumático, ansiedade, síndrome de pânico, depressão ou medo. 

Muitas pessoas que se sentem angustiadas por um longo período enxergam uma associação com a depressão e, realmente, se caracteriza como um dos sintomas dela. Entretanto, na busca por se livrar do aperto e sufocamento, recorrem a medicamentos como primeira alternativa antes de tentar entender conscientemente a causa da angústia.

É comum da natureza humana usar dos artifícios da negação e evitação para lidar com sentimentos e situações negativas. No entanto, entender as origens da angústia e tentar enfrentar os problemas, buscando o lado positivo da situação, pode ser uma alternativa benéfica.

Sinais da angústia

Angústia
É importante ficar alerta aos sinas da angústia

Para conseguir reconhecer um sentimento de angústia em si mesmo ou de alguém próximo, você deve se atentar a esses sinais:

  • Mudança repentina de personalidade e na forma como a pessoa geralmente se comporta
  • Dificuldade de manter um autocuidado, onde a pessoa muitas vezes acaba se colocando em situações de risco
  • Muita agitação, raiva e ansiedade 
  • Isolamento
  • Falta de expectativas e de esperança sobre o futuro 
  • Não conseguir comer ou comer demais usando a comida como um refúgio
  • Ter dores frequentes no estômago, ou dores de cabeça, sem uma causa aparente

Principais causas

A angústia pode ter causas diferentes e todas são válidas em diferentes faixas etárias, desde a infância até a idade adulta. 

  Continua Depois da Publicidade  

As causas mais comuns são associadas à exposição a traumas, viver com doenças crônicas, problemas psicológicos, pobreza, discriminação, falta de moradia, perda de um familiar ou amigo querido e instabilidade econômica.

Esse sofrimento emocional pode ser paralisante e envolve muitos fatores pessoais, tornando a solução mais ou menos complexa. No entanto, existem muitas terapias que visam melhorar sentimentos de estresse, ansiedade e angústia, e todas funcionam de formas diferentes para cada pessoa.

Entre as terapias utilizadas está a cognitivo-comportamental (TCC), que aborda e identifica a origem do sofrimento emocional e ajuda no enfrentamento. Outras estratégias incluem técnicas de relaxamento, respiração, meditação guiada e mudanças no estilo de vida.

Então, como aliviar a sensação de angústia? 

Foco no presente

Tente se manter consciente do que está acontecendo ao seu redor no momento presente. Você pode se guiar através dessas três perguntas: 

  1. O que estou vendo? Observe tudo o que está ao alcance da sua visão.
  2. O que estou sentindo fisicamente? Observe o que está sentindo com a temperatura do ambiente, se está sentindo calor ou frio. Sinta o toque da roupa na pele, o assento se estiver sentado ou o apoio dos pés no solo. Que cheiros você consegue sentir?
  3. O que estou ouvindo? Depois aguce seus sentidos para conseguir identificar o que está ouvindo, os sons do trânsito externo, a música do ambiente ou conversas.

Esse exercício irá lhe ajudar a treinar sua mente para sensações reais e práticas sobre o que pode fazer agora e evitar dispersões sobre momentos do passado ou futuro ligados à angústia e ansiedade.

  Continua Depois da Publicidade  

Os cuidados básicos são essenciais

Amigos fazendo exercícios
A socialização e a prática de exercícios podem ajudar

Lembre-se que o básico pode fazer toda diferença na sua saúde física e mental, tal como:

  • Ter uma boa alimentação
  • Fazer exercícios físicos diariamente
  • Dormir bem
  • Se divertir e socializar
  • Ter um equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

O prazer de uma boa alimentação, saudável e saborosa, tem o poder de liberar hormônios como a dopamina e endorfina, relacionados a sensação de bem-estar. Compartilhar a refeição com alguém também faz parte do processo humano de socialização, o que pode ajudar na liberação de ocitocina, um hormônio relacionado à sensação de segurança, afeto e confiança, que pode ser um ótimo remédio para momentos de angústia.

O poder da endorfina liberada durante os exercícios físicos já vem sendo muito comentado nos últimos anos. Para muitas pessoas, durante o isolamento social e a pandemia, criar um hábito de treinos diário foi um refúgio contra a ansiedade e sentimentos de angústia.

Enquanto que priorizar uma noite de sono de 7 a 9 horas por dia é essencial para manter um equilíbrio de hormônios, como a dopamina, essencial para provocar a sensação de bem-estar.

Já sair ao ar livre e se expor à luz do sol também são formas de aumentar a produção de endorfinas e serotoninas.

Fazendo da rotina sua aliada

A sensação de angústia, na maioria das vezes, é resultado do sentimento de impotência sobre determinadas situações durante a vida e, na verdade, grande parte dela é mesmo imprevisível.

  Continua Depois da Publicidade  

No entanto, tentar planejar rotinas diárias e semanais é essencial para nos dar uma noção do que esperar no dia a dia. Seguir uma  rotina pode ser sua maior aliada para manter um equilíbrio e dar uma sensação de controle pessoal e previsibilidade.

Com uma rotina, você pode estar mais consciente sobre o seu presente e poderá colocar em prática os cuidados essenciais citados anteriormente. 

Procure ajuda

Consulta com psicólogo
A ajuda profissional é essencial para aprender a lidar com a angústia

Independente do motivo da sua angústia, é sempre válido procurar ajuda. Converse com alguém próximo que te deixe confortável para falar o que sente. 

Peça conselhos se for o caso e, se não for, você pode comunicar que apenas precisa ser ouvido. Verbalizar o que sente pode trazer alívio e clareza sobre o sentimento de angústia e a situação que a gerou.

Entretanto, é válido lembrar que, apesar de trazer alívio, conversar com pessoas próximas não substitui uma conversa com um psicólogo. É sempre aconselhável procurar ajuda profissional para entender e acolher melhor suas emoções.

Por fim, se identificar alguém próximo nessa situação, você pode ouvi-lo sem julgamentos e tentar apresentá-lo formas de se sentir melhor, lembrando de que pode recorrer à psicoterapia.

Fontes e referências adicionais

O que você faz para aliviar a angústia quando ela aparece? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Rafael Ferreira

Dr. Rafael Ferreira de Moraes é Psiquiatria - CRM 52.98866-9. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy em 2013. Pós-graduado em Psiquiatria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde atuou nos atendimentos ambulatoriais da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e Casa de Medicina da PUC-Rio. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@rafafmoraes)

Deixe um comentário