3 causas de dor na bexiga e como tratar

Especialista da área:
atualizado em 22/01/2021

Sente dor na bexiga com frequência? Confira então quais são as possíveis causas e como tratar esse desconforto.

  Continua Depois da Publicidade  

A saber, uma infecção urinária não é a única causa de dor na bexiga. Existem outras inflamações e até problemas mais sérios por trás dessa dor.

Aliás, em alguns casos, a dor na bexiga pode até ser indicativo de pedra nos rins. Veja então abaixo o que pode ser a dor na bexiga e o que fazer.

Causas de dor na bexiga

infecção urinária

Antes de encontrar a causa, é importante prestar atenção se existem outros sintomas, como por exemplo:

  • Dor para urinar;
  • Febre;
  • Sangue na urina;
  • Corrimento no órgão genital.

De fato, a identificação desses sinais é fundamental para o diagnóstico correto e para tratar a causa da dor, que pode ser:

1. Infecção do trato urinário

A infecção urinária é causada por bactérias. Aliás, esse tipo de infecção pode afetar qualquer parte do trato urinário, inclusive a bexiga, a uretra e os rins.

Mais comum em mulheres do que em homens, os sintomas podem ser:

  • Ardência ao urinar;
  • Necessidade urgente ou frequente de urinar;
  • Dor pélvica;
  • Urina turva;
  • Sangue na urina;
  • Pressão na bexiga.

Como tratar

Logo após analisar os sintomas e pedir um exame de urina, o médico vai fechar o diagnóstico. Em seguida, ele pode indicar o uso de antibióticos para tratar a infecção.

É essencial tomar o antibiótico pelo tempo indicado pelo médico a fim de evitar a resistência bacteriana, que dificulta o tratamento de infecções futuras.

Além disso, um analgésico ou anti-inflamatório – como o ibuprofeno – também é útil para aliviar a dor e a ardência ao urinar.

  Continua Depois da Publicidade  

2. Síndrome da bexiga dolorosa

A síndrome da bexiga dolorosa ou cistite intersticial é também uma inflamação que afeta mais as mulheres do que os homens.

A saber, alguns dos sintomas podem incluir:

  • Dor ou dificuldade para urinar;
  • Dor pélvica;
  • Sensação de pressão na bexiga;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Queimação ao urinar;
  • Micção frequente ou urgente.

Não se sabe a causa da cistite, mas infelizmente ela é uma condição crônica. Ainda assim, ela pode ser controlada com o auxílio de um médico.

Como tratar

Antes de mais nada, o médico pode solicitar uma série de exames para descartar outros problemas de saúde.

Caso a cistite intersticial seja detectada, o tratamento consiste em um conjunto de mudanças de estilo de vida e de remédios para aliviar os sintomas.

Por se tratar de uma doença crônica e com causa inespecífica, o tratamento é sintomático. Sendo assim, as estratégias terapêuticas variam de pessoa para pessoa e podem incluir:

  • Alterações na dieta;
  • Analgésicos;
  • Treinamento da bexiga;
  • Fisioterapia;
  • Alongamento da bexiga;
  • Instilação da bexiga;
  • Estimulação magnética transcraniana;
  • Cirurgia.

Todas as medidas acima visam o alívio da dor e um melhor controle sobre o funcionamento da bexiga.

Ou seja, em caso de dúvida, procure o seu médico para entender melhor cada tipo de tratamento disponível e qual pode funcionar para você.

  Continua Depois da Publicidade  

3. Câncer de bexiga

Raramente a dor na bexiga é um indicativo de câncer, mas é importante ligar o sinal de alerta – principalmente se você notar a presença de sangue na urina e de outros sintomas como por exemplo:

  • Incapacidade de urinar ou jato fraco de urina;
  • Dor lombar apenas de um lado;
  • Inchaço nos pés;
  • Dor nos ossos;
  • Cansaço e fraqueza;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso inexplicável.

O câncer de bexiga afeta mais os fumantes, os homens e as pessoas acima de 55 anos de idade.

Como tratar

Para que o médico identifique o câncer de bexiga, vários exames podem ser solicitados – inclusive testes de urina, exames de imagem e biópsia, por exemplo.

O tratamento depende do tipo de câncer, do estágio e da saúde geral do paciente. No entanto, ele geralmente consiste em um ou mais dos passos abaixo:

  • Cirurgia para remoção do tumor;
  • Radioterapia que envolve radiação para destruir células cancerosas;
  • Quimioterapia com remédios para tratar o câncer;
  • Imunoterapia para auxiliar o sistema imune a reconhecer e eliminar células cancerosas.

Mais causas possíveis

Certamente, existem outras causas de dor na bexiga. Às vezes, as pedras nos rins podem causar dores na bexiga. Isso geralmente acontece quando uma pedra viaja para a bexiga e é eliminada pela urina. 

Por fim, outras causas de desconforto ou dor na bexiga podem ser:

  • Bexiga neurogênica;
  • Inflamação;
  • Gravidez;
  • Endometriose;
  • Cólicas abdominais;
  • Doença inflamatória pélvica;
  • Doença intestinal;
  • Inflamação no músculo ou na articulação.

Dicas para aliviar a dor na bexiga

suco de cranberry

Já que a grande maioria dos casos de dor na bexiga indicam uma infecção urinária, algumas dicas que podem te ajudar a se recuperar da infecção mais rapidamente são:

  • Tomar suco de cranberry;
  • Incluir mais probióticos na dieta para repor a flora intestinal e minimizar o efeito do antibiótico no seu organismo.
  • Tomar mais água;
  • Evitar bebidas diuréticas como o café e o álcool;
  • Ingerir mais alimentos com vitamina C.

Além de ajudar no tratamento, essas medidas ajudam a prevenir a infecção urinária recorrente.

Embora exista a possibilidade de um câncer de bexiga, é pouco provável que essa seja a causa da dor na bexiga.

Assim, procure um médico para ter certeza de que não é nada muito grave e trate de acordo com as orientações dele.

Fontes e Referências Adicionais

Você sente dor na bexiga? Já descobriu a causa e tratou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário