Home » Dieta » Alimentos Para Dieta » Café Faz Mal Para os Rins?
Café

Café Faz Mal Para os Rins?

Já parou para refletir sobre como os seus rins são importantes para você? De fato, eles atuam na produção de hormônios, na absorção de minerais, na filtragem do sangue e na produção de urina.

  Continua Depois da Publicidade  

O órgão também trabalha na excreção de resíduos como as toxinas, os excessos de sais e a ureia, no controle do nível de água no organismo e na regulação da pressão arterial, dos glóbulos vermelhos (hemácias) e de ácido no corpo humano.

O café faz mal para os rins? 

Em frente a todas essas funções que os rins exercem dentro do nosso organismo, fica fácil concluir como é importante tomar conta deles corretamente. Isso inclui evitar ingerir substâncias que façam mal ao órgão, principalmente nos casos em que ele já sofre com alguma condição, dano ou doença.

Assim, vale a pena conhecer o que pode prejudicar o seu bom estado e funcionamento. Por exemplo, você saberia dizer se o café faz mal para os rins?

O café atua como um diurético dentro do corpo humano. Isso significa que a bebida estimula os rins a eliminarem mais fluidos, fazendo com que o consumidor precise ir ao banheiro de maneira mais frequente.

  Continua Depois da Publicidade  

O consultor em urologia do Hospital Royal Surrey County, que fica em Guildford, na Inglaterra, Chris Eden, explicou que isso acontece porque a cafeína interfere com a forma pela qual o fluido é reabsorvido pelo sangue.

Chris Eden também explicou que isso não é necessariamente um problema para as pessoas que apresentam uma função renal normal. Por outro lado, ele afirmou que estudos mostram que a ingestão em longo prazo de café faz mal para os rins de quem já possui um quadro de doença renal.

Cálculos renais

O café é rico nos chamados oxalatos, compostos que se ligam ao cálcio para formar o oxalato de cálcio, que é um componente principal dos cálculos renais.

Uma pesquisa realizada no ano de 2004, nos Estados Unidos, identificou que pessoas com histórico de cálculos renais apresentaram níveis elevados de cálcio em sua urina depois de tomar dois copos de café diariamente.

Pesquisadores explicaram como a cafeína está associada à desidratação: o livro Nutritional Supplements in Sports and Exercise (Suplementos Nutricionais para Esportes e Exercícios, tradução livre) afirmou que a substância aumenta o risco da desidratação e o National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse (Centro Coordenador Nacional de Informações Renais e Urológicas, tradução livre), dos Estados Unidos, alertou que tomar mais do que um ou dois copos de café por dia eleva esse risco porque faz com que o corpo perca água muito rapidamente.

O que isso tem a ver com os cálculos renais? De acordo com a The National Library of Medicine (Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos), a desidratação é o maior fator de risco que contribui para a formação de cálculos renais.

  Continua Depois da Publicidade  

Taxa de filtração glomerular (TFG) 

O TFG é um exame que mede o nível da função renal e determina se o paciente apresenta doenças nos rins e em que estágio sua condição se encontra, sendo que um TFG alto está associado a um risco maior para a doença renal.

Uma pesquisa publicada no ano de 2010 no British Journal of Nutrition (Jornal Britânico de Nutrição, tradução livre) identificou que o consumo de uma ou mais xícaras de café por dia estava associado com a elevação dos níveis do TFG. Entretanto, os cientistas não foram capazes de determinar uma ligação definitiva entre a ingestão da bebida e a doença renal, e recomendaram que sejam realizadas mais pesquisas para entender como a relação funciona e se de fato o consumo de café faz mal para os rins.

Doença renal policística (DRP) 

Trata-se de uma condição que pode causar a pressão arterial alta e a falência renal. Uma pesquisa realizada com ratos de laboratório, que foi publicada no ano de 2001 no American Journal of Kidney Diseases (Jornal Americano de Doenças dos Rins, tradução livre), indicou que a cafeína acentuou a pressão alta nos animais diagnosticados com DRP.

  Continua Depois da Publicidade  

Com isso, os cientistas responsáveis pelo estudo recomendaram que as pessoas que têm DRP limitem o seu consumo diário de café.

Falência renal 

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, também avaliaram a relação entre a ingestão de café em longo prazo e a falência renal em ratos.

O trabalho, que foi divulgado no ano de 2002 no Kidney International Journal (Jornal Internacional dos Rins, tradução livre), identificou que o consumo de cafeína por parte de ratos obesos e diabéticos acentuou a falência renal nos animais.

O mestre em fisiologia do exercício Joe King escreveu que pesquisadores já afirmaram que o consumo da cafeína em longo prazo pode aumentar o risco de falência renal. Isso acontece por meio da interferência na habilidade dos rins de filtrar a insulina presente na corrente sanguínea.

Estresse renal

O mestre Joe King também relatou que a cafeína liga os receptores da adenosina e da adenina no cérebro, o que resulta no crescimento da produção de hormônios adrenais. Esses hormônios, por sua vez, aumentam a frequência cardíaca, o fluxo sanguíneo e o diâmetro dos vasos sanguíneos.

Por meio do estímulo ao fluxo sanguíneo aos rins, a cafeína pode aumentar o estresse em cima de todo o sistema renal.

Menos chance de câncer nos rins

Por outro lado, uma outra pesquisa vai contra a ideia de que o café faz mal para os rins. Estamos falando de uma revisão de 13 estudos realizados com aproximadamente 800 mil adultos e que investigou a existência de associações entre o consumo de café, chá, leite, refrigerante ou frutas e o câncer nos rins.

Em relação ao café, os estudiosos, que publicaram o seu trabalho no International Journal of Cancer (Jornal Internacional do Câncer, tradução livre) no ano de 2007, concluíram que as pessoas que ingeriram três ou mais xícaras de 230 ml de café por dia apresentaram uma propensão 16% mais baixa de desenvolver o câncer nos rins do que os indivíduos que tomaram menos de uma xícara da bebida a cada dia.

Considerações finais 

Para quem já sofre com algum tipo de condição que afeta os rins, o ideal é conversar com o médico que cuida do caso para saber se pode consumir café e em que quantidade e frequência.

Já para quem não sofre com esse tipo de problema, no entanto, deseja preservar o bom estado dos seus rins, a chave é ingerir a bebida com moderação. A Universidade de Michigan, por meio do seu serviço de saúde, afirma que a ingestão de até 200 mg de cafeína ou uma xícara grande de café é relativamente inofensiva.

Por outro lado, o consumo em doses maiores de café faz mal para os rins e traz o risco de efeitos colaterais como ansiedade, irritabilidade, insônia, desconforto intestinal e dor de cabeça. O consumo em longo prazo de mais três xícaras ou mais diariamente pode aumentar de maneira significativa o desenvolvimento de cálculos renais e outros problemas nos rins.

Você já sabia que o consumo em excesso de café faz mal para os rins a longo prazo? Você costuma tomar bastante café diariamente? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (13 votos, média: 4,08 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

4 comentários

  1. Eu bebo café umas 5 ou 6 vezes mas se parar sinto muita falta . Não sei o que fazer gostaria de minuir muito ou trocar por algum chá saudável

  2. Ótimo post esse! Falou claramente sobre muitas dúvidas, que não achei em outros sites.

  3. eu tomo um termogenico que contém 420 mg de cafeína e ja tive cálculo renal, tem algum problema?

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*