Cateterismo cardíaco: o que é, para que serve, como é feito e riscos

Especialista da área:
atualizado em 13/01/2022

Ao ouvir que algum familiar precisa fazer um cateterismo cardíaco, a reação pode ser de susto, por envolver o coração. Mas, o cateterismo nada mais é do que um procedimento de rotina, muito importante para detectar e resolver problemas que trazem riscos à saúde do coração.

O cateterismo cardíaco é um procedimento, no qual é inserido um tubo flexível e bem fino, o cateter, na artéria do braço, coxa ou pescoço, por onde percorre até chegar ao coração. Ele é usado tanto para o diagnóstico, quanto para o tratamento de doenças cardíacas

  Continua Depois da Publicidade  

Problemas cardíacos que causam fortes dores e sensação de aperto no peito, como o infarto e a angina, podem ser diagnosticados e tratados com esse procedimento. 

Veja, com mais detalhes, o que é o cateterismo cardíaco, para que serve, como é feito e quais são os possíveis riscos envolvidos no procedimento. 

O que é cateterismo cardíaco?

O sistema circulatório, cujo protagonista é o coração, é composto por várias estruturas importantes para o bom funcionamento desse órgão vital. 

Essas estruturas, que são as veias e artérias, formam como se fossem vias bem distribuídas pelo corpo. Por elas, circula o sangue do coração para o corpo e do corpo para o coração.

Também existem válvulas, que fecham e abrem entradas, organizando a direção do fluxo sanguíneo. O sangue trafega normalmente, quando não há obstáculos no caminho. 

  Continua Depois da Publicidade  

Os obstáculos mais comuns são placas de gordura, coágulos e lesões nas artérias ou válvulas. Eles prejudicam o fluxo sanguíneo, tornando-o lento ou bloqueado. Quando isso acontece, a pessoa sente fortes dores no peito ou uma sensação de aperto e pressão. 

Nesse cenário, o cateterismo cardíaco é o procedimento médico usado para investigar a situação das artérias e do coração, analisando se há obstrução em algum ponto. Identificado um problema, esse procedimento pode ser combinado com outras técnicas para tratar, ou seja, eliminar a obstrução. 

Para que serve o cateterismo cardíaco?

Saúde do coração
O cateterismo cardíaco é usado para o diagnóstico e tratamento de diversos problemas cardíacos.

Diagnóstico

  • Infarto do miocárdio: quando uma pessoa sofre de infarto do miocárdio, que é o músculo do coração, significa que alguma artéria está entupida. O cateterismo cardíaco permite identificar o local da obstrução, necessário para guiar o tratamento feito para restabelecer o fluxo sanguíneo. 
  • Funcionamento das válvulas e do miocárdio: a microcâmera presente na extremidade do cateter também permite visualizar o funcionamento das válvulas, que se abrem e fecham no fluxo sanguíneo. O funcionamento do miocárdio também é avaliado, pois se ele não estiver recebendo a quantidade adequada de sangue, devido a uma obstrução, seu funcionamento fica prejudicado.
  • Alterações na anatomia do coração: o cateterismo também pode ser usado para avaliar se há alterações na anatomia do coração, em casos que não puderam ser diagnosticados com outros exames mais indicados para isso, como a ecocardiografia ou ecocardiograma.   
  • Malformação congênita em recém-nascidos ou crianças: serve para diagnosticar e tratar diversos tipos de defeitos no desenvolvimento do coração em bebês. 

Tratamento

  • Angioplastia: após a identificação do local da obstrução, o médico pode usar o cateter para levar um balão e/ou stent até a artéria bloqueada. O balão infla no local, resolvendo o problema de estreitamento ou obstrução. Geralmente, após o balão, é colocado um stent, que é uma rede de metal que mantém a artéria aberta, prevenindo o seu estreitamento.
  • Valvuloplastia: se um problema for identificado no funcionamento de alguma válvula do coração, causando estenose ou insuficiências mitral e aórtica, a valvuloplastia pode ser feita com um cateter, o que torna o procedimento menos invasivo. 

Como é o procedimento de cateterismo cardíaco?

Cirurgia
O procedimento do cateterismo costuma durar entre 15 e 30 minutos

Um cateter, que geralmente tem 1 metro de comprimento e 2,5 mm de diâmetro, é inserido em uma artéria do antebraço ou punho, virilha ou pescoço, através de uma punção, sem cortes. O procedimento é feito com anestesia local em adultos, e geral em crianças, que tendem a ficar mais agitadas. 

Durante o cateterismo, é injetado um contraste iodado que permite a visualização das artérias, válvulas e do coração no equipamento de raio-X. O ultrassom também pode ser usado para visualizar essas estruturas durante o procedimento. As imagens geradas no procedimento são disponibilizadas em filmes e fotos para os pacientes. 

O procedimento normalmente causa pouca dor no vaso sanguíneo onde o cateter foi inserido, mas algumas pessoas não sentem nenhuma dor. Alguns pacientes também sentem um calor no peito, comum por causa da injeção de contraste. 

Normalmente, o procedimento dura entre 15 e 30 minutos. Se for feita alguma intervenção terapêutica, o procedimento pode ser mais longo. No caso de cateterismo apenas para diagnóstico, não há necessidade de internação, apenas algumas horas de observação, de 2 a 6, com repouso absoluto. 

  Continua Depois da Publicidade  

Nos dois dias posteriores ao procedimento, deve-se evitar esforços físicos, principalmente com o membro por onde o cateter foi inserido. É importante não esquecer de beber água após o procedimento, para ajudar na eliminação do contraste. 

Antes do cateterismo

Alguns medicamentos precisam ser interrompidos alguns dias antes do procedimento, como os anticoagulantes e hipoglicemiantes com metformina. 

Quem tem insuficiência renal ou diabetes e os idosos precisam ser hidratados algumas horas antes de realizar o cateterismo, para que os efeitos que o contraste pode trazer aos rins seja minimizado, por meio de uma boa hidratação.

Todos necessitam estar em jejum de 4 a 6 horas antes do procedimento, conforme indicação médica. 

Quais são os riscos do cateterismo cardíaco?

O risco de complicações graves é bem baixo, menor que 1%, sendo elas: 

  • Infarto
  • Acidente vascular cerebral (AVC)
  • Sangramento no local da punção

Outras complicações, relacionadas com o uso de contraste, podem envolver alergia e insuficiência renal. 

  Continua Depois da Publicidade  

Essas complicações são raras, por isso é importante comunicar ao médico se sentir dor ou aparecerem hematomas nos dias seguintes ao procedimento. 

Fontes e referências adicionais

Você já conhecia a importância do cateterismo cardíaco para o diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas? Conhece alguém que passou pelo procedimento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela UFRJ em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento em transplantes no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela UFRJ em 2010. Dr. Lucio Pacheco é autor de diversos livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D'Or e do Hospital Copa D'Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Para mais informações, entre em contato.

Deixe um comentário