Cateterismo Cardíaco é Perigoso? O Que é, Para Que Serve e Riscos

As doenças cardiovasculares são consideradas crônico-degenerativas e causam grande preocupação no Brasil e ao redor do mundo em função da alta incidência em diversas faixas etárias. No Brasil, estudos mostram que cerca de 30% dos óbitos ocorrem devido às doenças cardiovasculares. Com o desenvolvimento de novas técnicas para realização de diagnósticos, a taxa de mortalidade vem diminuindo de forma expressiva.

Entenda abaixo se o cateterismo cardíaco é perigoso, conhecendo o que é e para que serve o procedimento, além de um pouco mais sobre os riscos envolvidos neste exame.

O que é cateterismo cardíaco?

O cateterismo cardíaco é um exame diagnóstico invasivo, também conhecido como angiografia coronária, que avalia as condições do coração em relação à irrigação e também ao funcionamento do mesmo. A partir deste exame, os médicos podem avaliar os problemas cardíacos presentes e também definir o melhor tratamento para cada caso.

Através do cateterismo cardíaco é possível visualizar o coração e todo o trajeto das artérias coronárias, avaliando-se a presença ou não de estreitamentos nas artérias, além do funcionamento das válvulas e do músculo cardíaco.

O cateterismo cardíaco é, atualmente, a técnica mais realizada no mundo para diagnósticos. O exame é realizado com a introdução de um tubo longo e flexível, chamado de catéter, pelo braço, pela virilha ou pelo pescoço e este é levado até a aorta e o ventrículo esquerdo, sendo possível realizar este caminho através do uso de raio X. A aplicação do cateter é feita com anestesia local e com um furo pequeno em alguma artéria braquial ou femoral.

Após a entrada do catéter no coração, um líquido à base de iodo, chamado de contraste, é utilizado para facilitar a visualização do trajeto completo das artérias coronárias e do funcionamento geral do coração. Este procedimento é indicado para avaliação diagnóstica quando há necessidade de confirmação ou demarcação da extensão da cardiopatia, facilitando também a definição da gravidade do problema.

Através deste exame, é possível avaliar, por exemplo, se as placas estreitaram ou bloquearam as artérias coronárias. Estas placas são formadas de gordura, colesterol, cálcio e outras substâncias encontradas no sangue. O acúmulo de placas estreita o interior das artérias e pode restringir o fluxo de sangue no coração. Este problema pode gerar uma doença da artéria coronariana.

Os cardiologistas geralmente fazem o cateterismo no hospital com a pessoa acordada durante o procedimento.

O paciente deve se preparar para o exame mantendo jejum total, de alimentos e líquidos, de 8 a 12 horas antes da realização do exame. O período de jejum é ajustado conforme cada caso, como, por exemplo, para pessoas que tenham diabetes ou que utilizem medicamentos específicos. Antes da realização do exame, também é realizada uma breve entrevista para verificar o histórico do paciente como o uso de medicamentos ou a presença de algum tipo de alergia.

Para que serve o cateterismo cardíaco?

O exame do cateterismo cardíaco é indicado para o diagnóstico e tratamento do infarto ou da angina, pois examina o interior dos vasos sanguíneos e do coração. Além disso, ele também auxilia na avaliação se as artérias coronárias estão irrigando a musculatura do coração corretamente, na verificação sobre a presença de lesões nas válvulas e do músculo cardíaco, na verificação de possíveis alterações na anatomia do coração que não foram verificadas em outros exames, entre outros.

O cateterismo cardíaco pode ser utilizado em conjunto com outras técnicas como a angioplastia coronariana, que é utilizada para desobstruir o vaso coronariano e pode ser realizada com um implante de uma prótese metálica, ou apenas com o uso de um balão que empurra as placas, abrindo o vaso em elevadas pressões.

Quais os riscos de realizar o cateterismo cardíaco?

Mesmo sendo um exame médico comum, muitas pessoas questionam se o cateterismo cardíaco é perigoso. Este exame normalmente não apresenta problemas sérios, porém podem surgir algumas complicações durante o mesmo.

Entre os possíveis problemas que podem acontecer estão sangramento, infecção, dor na região onde o cateter é inserido, dano aos vasos sanguíneos, reação alérgica ao pigmento que está sendo usado, entre outros.

Em situações mais raras, podem aparecer coágulos sanguíneos que podem causar um derrame, um ataque cardíaco ou outros problemas mais sérios, baixa pressão sanguínea, acúmulo de sangue ou fluido no saco que envolve o coração, impedindo o coração de bater corretamente. O cateterismo cardíaco é perigoso para pessoas que possuem algum problema de diabetes ou doença renal, assim como para os casos de pessoas acima de 75 anos de idade.

Alguns cuidados pós-cirúrgicos devem ser observados para evitar complicações neste procedimento. É importante observar os locais de punção para verificar a presença de sangramentos ou a formação de hematomas, realizar uma avaliação do pulso periférico na extremidade afetada para verificar a estabilidade do mesmo, verificar a temperatura e coloração na área afetada, assim como verificar a presença de dor, adormecimento ou sensação de formigamento.

Em geral, o cateterismo leva menos do que 30 minutos, dependendo de cada caso. Após o procedimento o paciente precisará permanecer em observação no hospital por 2 a 6 horas de forma a se verificar todos estes itens. Este também precisa evitar qualquer esforço nos dois a três dias seguintes. Recomenda-se também a ingestão de líquidos para auxiliar na eliminação do contraste pelo organismo.

Conclusão

O cateterismo cardíaco é um exame diagnóstico invasivo que avalia as condições do coração em relação à irrigação e também ao funcionamento do mesmo. A partir deste exame, é possível se avaliar os problemas cardíacos presentes e também definir o melhor tratamento para cada caso.

Apesar de este procedimento ser um dos mais usados para diagnóstico e no tratamento das doenças cardíacas, o cateterismo cardíaco é perigoso em alguns casos e apresenta potenciais complicações, devendo ser realizado com cuidado pelos profissionais da saúde.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Você já tinha ouvido falar que o cateterismo cardíaco é perigoso para algumas pessoas, dependendo das condições do procedimento? Conhece alguém que realizou este exame? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (91 votos, média: 3,96 de 5)
Loading...

16 comentários em “Cateterismo Cardíaco é Perigoso? O Que é, Para Que Serve e Riscos”

  1. Deveria ter um novo procedimentos assim menos riscos de vida, porque é muito ruim perder a pessoa por um simples procedimento.

    • Meu sogro fez o procedimento cateterismo sábado dia 19/10 porém teve parada cardíaca e faleceu 1 hora após

  2. Minha irmã tem 63 anos, diabética usa metformina e passou mal dia 11/04/2019 O médico indicou o cateterismo Estou muito preocupada com este exame..

  3. Tenho 50 anos , faz 8 anos que válvula está ruim, e agora começou ter fibrilação atrial ,
    Ha 4 Dias atriz fiz uma Terapia eletrocautério de ablação por cateter, estou bem , e até me liberaram um vida normal até posso voltar trabalhar

  4. Minha mãe tá com 82 anos está com coração dilatado e a válvula ruim estamos com medo d fazer o cateterismo, se não fizer tem pouco tempo e se fizer tb pode morrer?sem saber oq fazer

  5. Fiz cateterismo não deu nada mas não guardei repouso fiquei fazendo serviço estou cm dor o que pode ser

  6. Meu Deus meu irmão está com o coração fraco demais
    Usando oxigênio maior parte do tempo dele …vai fazer uma cirurgia de auto risco …pois o coração dele está batendo menos de 28% .
    E amanhã vai submeter a um cateterismo.
    Estou morrendo de medo dele não aguentar.
    Que Deus proteja ele.???

  7. Um amigo fez cateterismo em 02/08/2018 no HUB de Brasilia, e faleceu em 06/08/2018. Como sou leigo, não sei se pode ter relação. Segundo os médicos foi infarto fulminante.

  8. sim minha tia foi fazer o cateterismo em RIO CLARO ela faleceu ela tinha diabete e 61 anos foi feito 10/04/2018 e foi o enterro no dia 11 as 13;30

  9. BOAS explicações..
    Minha mãe têm 80 anos e é diabética mesmo assim vão submetê-la ao procedimento.. ela foi internada para colocar marca passo. creio que querem matar ela.. pra evitar mais trabalhos.. seria melhor colocar o marca passo que é menos perigoso.. que fazer o procedimento que não oferece cura apenas uma avaliação mais completa..sendo que ela foi atendida por mais de seis cardiologistas e todos indicaram o marca passo depois de avaliarem inúmeros exames..segundo as explicações o procedimento oferece muitos riscos pela idade e pelo diabetes.

Deixe um comentário