Cicatriz de mastopexia – Cuidados e como retirar

Especialista da área:
atualizado em 23/04/2021

A mastopexia é o procedimento cirúrgico para elevar as mamas que tem se tornado o tipo de cirurgia plástica mais procurada, mas que necessita de um certo cuidado com a cicatriz. 

  Continua Depois da Publicidade  

E assim como outras cirurgias, existem técnicas que podem melhorar a cicatrização, contribuindo para o melhor resultado possível.

Mas, você só verá mesmo os resultados da mastopexia após 30 dias de sua realização, que é quando o inchaço terá acabado e a cicatrização já estará mais adiantada.

Por isso, a seguir iremos entender melhor o que é a mastopexia e o que fazer no pós-operatório para evitar o surgimento de cicatrizes visíveis.

Veja também: Queloide – o que é, tipos e melhor tratamento

O que é a mastopexia?

Chamada também de elevação de mamas ou “breastlift”, a mastopexia é uma cirurgia estética muito procurada por mulheres que, por algum motivo, querem reduzir o volume dos seios ou deixá-los mais elevados.

O procedimento pode ser feito através de diferentes técnicas, que irão determinar o tipo de cicatriz. As principais são: 

  • Âncora;
  • T invertido;
  • Peri areolar.

Mas, independentemente do tipo de técnica, a cirurgia consiste em remover tecidos gordurosos e pele em excesso das mamas, e remodelá-las através da sua elevação.

mastopexia

Indicações da mastopexia

Esse procedimento é comumente procurado por mulheres que desejam que seus seios fiquem mais firmes e simétricos. 

Então, o procedimento normalmente é indicado para aquelas que passaram por gestação, amamentação, ganho ou perda de peso, ocasionando o excesso de pele e flacidez das mamas.

  Continua Depois da Publicidade  

Mas não se trata apenas de uma mudança estética, mas sim de um aumento significativo da autoestima e da autoconfiança, que pode refletir na saúde em geral.

O processo de cicatrização

A cicatriz nada mais é do que o resultado de um processo de cura da nossa pele. Ela surge quando a pele é lesionada e um novo tecido precisa ser formado para fechar o ferimento, o que é chamado de processo de cicatrização. 

Entretanto, algumas pessoas têm tendência a ter cicatrizes mais visíveis, enquanto outras ficam com marcas muito discretas na pele.

Veja também: Alimentos que prejudicam a cicatrização de feridas, tatuagem, piercing ou cirurgia

A cicatriz da mastopexia

Normalmente as incisões realizadas na mastopexia são feitas em locais de pouca visibilidade, como na base das mamas ou ao redor das aréolas, o que deixa a cicatriz bem “escondida”. 

Porém, em alguns casos há muito tecido para remover, e os cortes precisam ser um pouco maiores, resultando em cicatrizes mais perceptíveis. 

Mas, mesmo quando os cortes são maiores, existem maneiras de minimizar a cicatriz de mastopexia e deixá-la praticamente invisível.

Antes de tudo, é importante procurar um cirurgião plástico habilitado e competente para realizar o seu procedimento. Ele será essencial para aplicar técnicas pouco invasivas e minimizar ao máximo as incisões que precisarão ser feitas. 

  Continua Depois da Publicidade  

Além disso, um médico experiente torna o procedimento mais seguro, reduzindo drasticamente o risco de complicações durante a operação.

Cicatrizes de mastopexia tendem a ser bem finas, mas após a cicatrização, é normal que a cicatriz fique avermelhada e um pouco elevada em relação à pele ao redor. Mas, ao longo do tempo, a cor vai clareando, ficando rosa e depois branca, e a elevação também diminui aos poucos.

Cuidados com a cicatrização

Há alguns cuidados simples que podem ser tomados durante a cicatrização, e que já ajudam a suavizar as cicatrizes sem a necessidade usar produtos cosméticos ou recorrer a técnicas de remoção.

Por isso, para evitar problemas durante a cicatrização, é importante evitar:

  • Esfoliar ou esfregar a região;
  • Levantar peso durante pelo menos 6 semanas após a cirurgia;
  • Bronzear-se, pois isso escurece o tecido cicatricial e deixa a cicatriz mais visível;
  • Fumar, para evitar complicações de saúde e porque o cigarro prejudica a cicatrização normal;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Uso de roupas apertadas e desconfortáveis;
  • Tocar com frequência o local da cirurgia.

Além disso, é essencial seguir as orientações médicas no pós-operatório, para evitar complicações e promover uma boa cicatrização.

Mas, além desses cuidados básicos, existem algumas técnicas que servem tanto para diminuir o risco de uma cicatriz grande, quanto para reduzi-las:

1. Massagem

Massagear a cicatriz pode ajudar a reduzir a inflamação e a dor. Além disso, isso pode estimular a produção de fibras de colágeno que auxiliam no achatamento das cicatrizes. 

Mas é importante conversar com seu médico sobre a melhor forma de massagear a região, para evitar que a pele fique irritada.

2. Folhas de silicone

As folhas de silicone são um tipo de cobertura que contêm silicone, e ajudam a prevenir o ressecamento excessivo da pele, evitando também o excesso de tecido cicatricial. O uso dessas folhas pode ser iniciado logo após o procedimento, pois também ajudam a reduzir a coceira e a dor.

3. Géis para cicatriz

Os géis para cicatriz são produtos parecidos com as folhas de silicone, e devem ser aplicados topicamente na pele apenas depois da cicatrização inicial ter se completado. Ou seja, somente após a retirada dos pontos, que ocorre normalmente em 15 dias. 

O uso desse tipo de gel é eficaz na redução do tamanho e também na suavização da cor das cicatrizes.

4. Curativos de cicatriz

Estes curativos também são similares às folhas de silicone, e podem ser aplicados logo após o fechamento dos cortes nas mamas. 

Eles agem pressionando as bordas das incisões, minimizando o acúmulo de tecido cicatricial e deixando as cicatrizes mais suaves.

Além disso, eles podem ser usados diariamente por até 12 meses, caso o seu cirurgião julgar necessário.

5. Protetor solar

Um grande erro das pessoas em geral é não usar protetor solar nas mamas, porque acreditam que o local está protegido do sol com o uso de biquínis ou roupas. 

Mas a verdade é que, a menos que o tecido do seu biquíni ou da sua camisa tenha um fator de proteção solar, os raios solares são capazes de atravessar o tecido. 

Assim, é indispensável usar o filtro solar nas cicatrizes para evitar que elas fiquem mais escuras quando expostas aos raios solares.

Como tirar uma cicatriz de mastopexia permanentemente?

corte abaixo dos seios mastopexia

Apesar dos métodos acima suavizarem a aparência das cicatrizes, elas não desaparecem por completo. Assim, para que uma cicatriz de mastopexia seja removida de forma permanente, é preciso se submeter a um tratamento específico de remoção de cicatrizes. 

No entanto, eles ainda não são garantia de que você não terá nenhuma marca, e geralmente, o que acontece é a substituição de uma cicatriz por uma marca menor ou imperceptível.

Algumas dessas técnicas são:

  • Enxerto de pele: Essa técnica envolve a remoção de uma parte da pele (enxerto) de outra região do corpo para inserir no lugar da cicatriz. Entretanto, há o risco de se criar uma nova cicatriz, mas que geralmente é bem menos perceptível do que a anterior.
  • Expansão tecidual: Nesse caso, a pele é esticada ao redor da cicatriz. Então, a cicatriz é retirada cirurgicamente, e essa pele “expandida” é usada para cobrir o local.

Além disso, existem outros procedimentos que também podem ser eficazes, mas podem aumentar a sensibilidade da pele ao sol, podendo deixar a pele mais suscetível a problemas como a hiperpigmentação se não for devidamente protegida do sol. 

As técnicas são:

  • Peeling químico: Essa técnica utiliza alguns tipos de ácidos que promovem a descamação e estimulam a produção de novas células epiteliais e colágeno, regenerando a pele e suavizando a cicatriz. Mas, como os seios são uma região bem sensível, é preciso tomar muito cuidado com peelings químicos;
  • Dermoabrasão: A dermoabrasão é uma técnica de esfoliação com uma espécie de “lixa”, que causa a descamação da pele por meio do atrito, e assim estimula a produção de novas células epiteliais;
  • Microdermoabrasão: Esta técnica segue o mesmo princípio da dermoabrasão, mas nesse caso são usados microcristais para esfoliar a pele seguido da aplicação de um ácido. Entretanto, ela é um pouco mais agressiva que a dermoabrasão e é capaz de atingir as camadas mais profundas da pele, o que traz resultados melhores;
  • Terapia com laser: Terapias com laser podem ser usadas após a cicatrização das incisões, para diminuir a pigmentação na região. Esse método é útil porque é capaz de atingir tanto a camada superior quanto a mais interna da pele. Mas ela possui como desvantagem a necessidade de várias sessões para se alcançar bons resultados;
  • Produtos clareadores: O uso de produtos contendo corticoides pode ajudar a reduzir cicatrizes elevadas sobre a pele, embora não as elimine por completo.

Dicas e cuidados

  • Antes de tentar qualquer um desses métodos, é importante confirmar com seu cirurgião se as técnicas podem ser aplicadas ao seu caso. Assim, ele pode te orientar e te dar dicas para otimizar ainda mais os resultados;
  • O uso de sutiãs de compressão pode ajudar a reduzir o inchaço e promover um fluxo sanguíneo adequado para a região das mamas, o que permite que a pele se recupere mais rapidamente;
  • É indispensável procurar um cirurgião renomado e uma boa clínica para realizar o procedimento, para assim diminuir o risco de complicações cirúrgicas;
  • Por fim, ter em mente que a cicatrização não acontece de um dia para o outro é essencial para se obter bons resultados. Então, tenha paciência e siga corretamente as instruções do seu médico.

Veja também: Mamoplastia de aumento – como funciona, antes e depois, preço e cuidados

Fontes e referências adicionais     

Você se incomodou muito com a cicatriz de mastopexia após a realização do procedimento? Se ainda não fez, preocupa-se com isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média 4,33)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário