Clareamento dental faz mal para os dentes?

Especialista da área:
atualizado em 15/01/2022

Dentes branquinhos deixam qualquer sorriso mais bonito e são capazes de elevar a autoestima. Não é à toa que muitos procuram procedimentos de clareamento. Mas, no meio dessa busca, uma dúvida pode surgir: será que o clareamento dental faz mal para os dentes?

  Continua Depois da Publicidade  

A resposta para a pergunta depende do tipo de clareamento dental que estivermos falando. Uma coisa é o procedimento realizado por um bom profissional, que saberá minimizar, controlar e até evitar possíveis efeitos colaterais.

Outra, bem diferente é o clareamento dental caseiro, feito sem supervisão ou orientação profissional, que pode trazer riscos.

As técnicas de clareamento dental

mulher antes e depois do clareamento dental
Existem várias técnicas diferentes de clareamento dental

O primeiro passo para entendermos se e quando o clareamento dental faz mal é conhecer algumas técnicas do procedimento.

Clareamento caseiro

O clareamento caseiro é feito através de moldeiras personalizadas para cada paciente. Geralmente, o agente clareador utilizado é o peróxido de carbamida em concentração de 10 a 16%.

O procedimento é aplicado pelo próprio paciente ao longo de duas semanas, durante seis a oito horas por noite ou duas horas por dia. Mas, ele deve seguir todas as orientações que o seu dentista passou para evitar problemas.

Além disso, existem as técnicas caseiras, feitas sem qualquer tipo de supervisão, com produtos como bicarbonato de sódio, açafrão e até suco de limão. Além de não ter garantia que dão certo, elas têm mais risco de causar problemas aos dentes.

  Continua Depois da Publicidade  

Clareamento no consultório

O clareamento no consultório é feito com o peróxido de carbamida ou peróxido de hidrogênio em uma concentração de 30 a 35%.

O resultado é mais rápido justamente porque se usa uma concentração mais alta. Em apenas uma sessão no consultório é possível chegar ao clareamento desejado.

Clareamento interno

O clareamento interno é uma técnica mais conservadora, que preserva a estrutura dentária. Entretanto, ela também é mais invasiva e pode ser utilizada nos casos em que tratamentos de canal são a causa do escurecimento.

A técnica é feita por meio da aplicação de ácido fosfórico a 37% por 15 segundos em toda a câmara pulpar, ou seja, na área interna que abriga a polpa do dente.

Quais podem ser os perigos do clareamento dental?

clareamento dental medindo cores

Os agentes clareadores como o peróxido de carbamida e o peróxido de hidrogênio têm um ponto de saturação. Quando passam desse ponto, eles começam a quebrar moléculas estruturais do dente, o que pode deixá-lo mais frágil.

Por isso, é muito importante que o procedimento seja feito no tempo correto, quer ocorra no consultório, quer o paciente realize em casa, conforme as orientações do seu dentista.

  Continua Depois da Publicidade  

O aumento da sensibilidade dentária é um dos principais efeitos colaterais do clareamento dental e pode durar quatro dias ou mais.

Dor, irritação, inflamação gengival, toxicidade, sensibilidade gástrica, alterações do pH dental, aumento de trincas no esmalte do dente e desmineralização da estrutura dentária também podem ocorrer.

Outro risco do clareamento de consultório e caseiro é quando o agente clareador não é totalmente removido. Assim, o paciente pode ingerir o produto, o que pode causar queimação na língua e garganta e irritação no estômago e intestino

No caso do clareamento interno, o principal risco é a reabsorção dentária externa, devido ao vazamento do agente clareador, causando ferimento no tecido que apoia e envolve o dente.

Vale destacar ainda que repetidos clareamentos modificam a estrutura do esmalte do dente. Se feitos de forma incorreta, eles podem levar a alterações irreversíveis na estrutura dental.

É importante lembrar que o esmalte é a camada mais externa e dura do dente e funciona como uma barreira protetora de estruturas mais sensíveis do dente.

  Continua Depois da Publicidade  

Entretanto, mesmo com esses possíveis efeitos colaterais, o clareamento dental é minimamente invasivo e seguro. Isto é, quando feito por um bom profissional e desde que o paciente siga todas as recomendações do dentista para o clareamento caseiro e não faça o procedimento por conta própria.

Além disso, há como amenizar alguns efeitos do procedimento. Por exemplo, agentes dessensibilizadores à base de nitrato de potássio (5%) ou fluoreto de sódio neutro a 2% (o famoso “flúor” dos dentistas) podem reverter a sensibilidade dental.

Já analgésicos e anti-inflamatórios como o ibuprofeno podem ser prescritos em casos extremos de dor.

O clareamento caseiro sem supervisão

moldeira usada para fazer o clareamento caseiro
Moldeira usada para fazer o clareamento caseiro

Na internet é comum encontrar dicas de como clarear os dentes em casa, com produtos que encontramos com facilidade na cozinha. Mas, não há garantias de que isso traga bons resultados.

Por exemplo, um dos tutoriais ensina a utilizar uma moldeira de clareamento com duas partes de bicarbonato de sódio e uma de peróxido de hidrogênio.

Mas, segundo o dentista e especialista em medicina dentária Hans Malmstrom, da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, usar uma moldeira de clareamento que não foi especialmente ajustada para a sua boca pode fazer com que o peróxido de hidrogênio irrite as gengivas.

  Continua Depois da Publicidade  

Pior ainda se houver uma retração gengival e o peróxido de hidrogênio atingir uma superfície da raiz do dente que estiver exposta.

Outro perigo é a quantidade de peróxido de hidrogênio usada em um tratamento caseiro sem supervisão profissional. Isso porque é muito difícil conseguir medir com precisão uma quantia segura quando se usa o produto por conta própria.

O dentista também alertou contra o uso do suco de limão nos clareamentos caseiros. Isso porque ele é ácido e pode corroer parte do esmalte dentário.

Ao mesmo tempo, Malmstrom não recomenda usar o açafrão para clarear os dentes devido à falta de pesquisas que mostre que o ingrediente é um bom clareador dental.

O mesmo serve para o óleo de coco, pois também não há estudos que demonstrem que ele é eficiente para clarear os dentes.

Cuidados importantes

Antes de iniciar o clareamento dental, o dentista deve realizar um rigoroso exame clínico, Isso é necessário para checar se não há trincas no esmalte do dente, erosão, dentina exposta, entre outros problemas.

Se o paciente tiver alguma dessas complicações, o profissional deverá tratá-las primeiro e só depois poderá seguir em frente com o clareamento dental.

Além disso, para não haver formação de úlcera devido ao contato do agente clareador com a gengiva, o dentista deve sempre verificar se há sinais de vazamento nos protetores gengivais.

O profissional também deve pedir que o paciente o avise caso sinta dor ou queimação.

Fontes e referências adicionais

Você já fez algum tipo de clareamento dental? Se ainda não, pretende futuramente fazer um caseiro ou no consultório? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas, sabemos que a sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso, contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso, todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário