Especialista da Área:

Como é um Teste Ergométrico

O teste ergométrico, também chamado de teste da esteira pelos mais íntimos, é um exame realizado por alguns pacientes para avaliar a saúde do coração. Ele deve ser realizado quando orientado por algum médico em casos específicos ou uma vez ao ano para um check up completo da saúde. Ele pode vir acompanhado do exame de eletrocardiograma basal, que é realizado no consultório para verificar o traçado da atividade elétrica cardíaca.

A realização desse teste é importante, pois determinados problemas podem ficar mais escondidos, sendo evidenciados após um esforço físico maior. Durante e após a realização do teste ergométrico realiza-se a medição da pressão arterial, os batimentos cardíacos e a atividade elétrica durante cada etapa de exercícios. Assim, o médico pode avaliar da melhor forma o desempenho e a saúde do seu coração.

Como é feito?

O teste ergométrico consiste em uma caminhada leve na esteira que vai aumentando o grau de dificuldade, podendo chegar a uma corrida mais pesada como se estivesse subindo uma ladeira, por exemplo. Também pode ser realizado em bicicleta, dependendo do consultório. O teste exige disposição e deve ser realizado até mesmo por aqueles considerados sedentários.

O exame pode durar até uma hora, contando o preparo, o durante e o depois. Primeiro, mede-se a pressão e os batimentos cardíacos, depois são colocados eletrodos ligados a um eletrocardiograma. O teste de esforço para quando o paciente atinge 85% da frequência cardíaca máxima prevista para a idade do paciente.

Qual o objetivo?

A intenção é investigar a presença de obstruções nas artérias coronárias que podem levar ao infarto agudo no miocárdio, anormalidades nos batimentos que pode ser diagnosticada como arritmia, alteração de pressão arterial e dor no peito decorrentes do esforço físico. Se o coração estiver forte e saudável, você irá aguentar os exercícios sem muitos problemas; caso contrário, é bom ficar atento.

O teste ergométrico também é utilizado para avaliação funcional de alguma doença cardíaca já diagnosticada e para orientar uma prescrição correta de exercícios físicos para determinado paciente.

Preparação do paciente

O paciente deve levar uma roupa adequada para o exame, geralmente alguma roupa confortável que utiliza para a prática de atividades físicas. O paciente é orientado também a não realizar nenhum tipo de esforço pesado antes do teste, para que não fique cansado antes da hora e atrapalhe o andamento do exame.

Proíbe-se também fumar cigarro ou consumir substâncias com cafeína duas horas antes do teste. O paciente pode alimentar-se normalmente, sendo terminantemente proibido o jejum. A suspensão de alguns medicamentos consumidos de forma contínua ficará a critério de cada médico. Para melhor aderência dos eletrodos no tórax do homem, o ideal é raspar os pelos. 

Especialidade

O teste ergométrico deve ser realizado, obrigatoriamente, por um médico cardiologista capacitado que poderá ter o aval de avaliar com certeza os traçados eletrocardiográficos durante o exame sem erros. Ao final do exame, é emitido um laudo médico com as variáveis e as impressões devidamente diagnosticadas, bem como possíveis prescrições de medicamentos e exercícios.

Como a frequência cardíaca máxima (FCM) é obtida? 

A FCM é obtida pela fórmula “220 – a idade do paciente”. Por exemplo: um paciente de 40 anos terá uma FCM de 180 (teoricamente), que corresponde a 220 – 40 = 180 batimentos por minuto. Durante o teste ergométrico o paciente atingirá cerca de 153 batimentos por minuto, ou seja, exatamente 85% da FCM.

Recomendações gerais

  • O paciente deve realizar uma refeição duas horas antes do exame;
  • Comparecer com uma roupa apropriada para a prática de exercício físico (short, tênis, blusa fresca, etc.);
  • Mulheres devem usar sutiã;
  • Homens devem raspar os pelos do tórax;
  • Os medicamentos de uso contínuo poderão ou não ser suspensos para a realização do teste ergométrico. Obs: caso seja suspenso, o período de suspensão dos medicamentos pode variar de 1 a 30 dias;
  • É essencial a presença de um médico treinado, equipamento adequado e material de emergência contendo desfibrilador em caso de parada cardiorrespiratória;
  • O equipamento utilizado no exame poderá ser uma esteira ou uma bicicleta ergométrica;
  • Antes do exame é preciso realizar um eletrocardiograma de repouso e a medida da pressão arterial;
  • Durante a realização do exame serão perguntado os sintomas ao paciente, como cansaço, que deverá ser qualificado de 1 a 10, falta de ar, dor no peito, tonturas, fadiga nas pernas, dor no diafragma, sensação de desmaio, dentre outros;
  • Após a finalização do exame nos próximos cinco minutos de recuperação também são tomados novos registros eletrocardiográficos e medidas da pressão arterial;
  • O paciente deve atingir 85% de frequência cardíaca máxima (FCM);
  • O exame poderá ser interrompido dependendo do nível da exaustão física, problemas no eletrocardiograma, surgimento de angina no peito, elevação excessiva da pressão arterial, queda excessiva da pressão arterial ou outras situações associadas ao esforço físico.

Quando e quem deve realizar o teste ergométrico

  • Pode ser realizado em pacientes com dor torácica ou que haja suspeita de doença arterial coroniana. O teste ergométrico apresenta limitações para o diagnóstico dessa doença, pois a sensibilidade e a especificidade são inferiores a 70% e 80% respectivamente;
  • Avaliação de risco de complicações futuras em pessoas com doença coroniana já conhecida;
  • Após infarto do miocárdio para avaliar as melhores condições de atividades físicas;
  • Pessoas diabéticas que desejam iniciar atividades físicas ou que tenham profissões que coloquem outras pessoas em risco;
  • Pessoas assintomáticas que querem realizar atividades intensas;
  • Pessoas assintomáticas que queiram realizar atividades físicas e que tenham fatores de risco da doença como fumantes, pessoas com colesterol ou histórico familiar da doença;
  • Avaliação das condições cardíacas de pessoas com doenças das válvulas cardíacas;
  • Avaliar as condições de pacientes submetidos a uma angioplastia coronariana ou cirurgia de ponte de safena;
  • Avaliar pacientes com arritmia, distúrbios de condução elétrica do coração ou que tenham marcapasso artificial.
  • Exames relacionados a cintilografia de perfusão miocáridica, escocardigrama de estresse e ergoespirometria.

Você já realizou um teste ergométrico alguma vez? Como se saiu nele? Está precisando realizar um atualmente? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 4,33 de 5)
Loading...

Deixe um comentário