Dicas para ensinar bons hábitos alimentares a crianças

Especialista:
atualizado em 20/10/2020

Uma dieta de boa qualidade é fundamental para que as crianças cresçam saudáveis e bem nutridas. Além disso, ensinar bons hábitos alimentares a uma criança é uma forma de prepará-la para ser um adulto que segue um estilo de vida saudável.

De acordo com a nutricionista pediátrica Diana Schnee, nunca é cedo demais para começar a ensinar hábitos de alimentação saudável para as crianças. Entretanto, quem tem filhos pequenos sabe como pode ser difícil convencê-los a comer um legume.

Por isso, trazemos abaixo algumas dicas que podem ajudar a ensinar bons hábitos alimentares para as crianças:

1. Reunir toda a família para as refeições

As crianças vão aprender a fazer escolhas alimentares saudáveis, assim como a dominar as boas maneiras à mesa ao se sentar para fazer as refeições com toda a família.

Mesmo que os pequenos ainda não estejam prontos para comida sólida ou se recusem a comer, apenas ao se sentar com o resto da família eles começarão a aprender as regras das refeições.

Aqui entra um importante ponto: a liderança pelo exemplo. Ao ver os pais comendo alimentos saudáveis e experimentando diferentes comidas nutritivas, as crianças terão um bom exemplo para copiar.

Por exemplo, uma estratégia é comer legumes e verduras quando quiser que os pequenos façam o mesmo. Da mesma forma, ter bons modos e educação à mesa deixará um exemplo de como as crianças também devem se comportar na hora das refeições.

2. Limitar o tempo das refeições

Família no almoço

Outra dica é determinar um tempo específico de duração para as refeições. Recomenda-se que elas não durem mais de 30 minutos, para ajudar as crianças a permanecerem focadas enquanto comem.

3. Ter um cronograma para as refeições

Isso significa ter um horário específico para as grandes refeições, assim como para os lanchinhos ao longo do dia. Por exemplo, o almoço pode ser todo dia às 12:45 e o lanche da tarde às 16h. Enfim, veja os horários que funcionam melhor para a sua família.

Mas por que toda essa disciplina? Isso fará com que as crianças tenham uma rotina, um período determinado para fazer refeições saudáveis em vez de beliscarem guloseimas e salgadinhos ao longo do dia.

4. Aceitar que a recepção aos alimentos pode variar

Outro conselho é aceitar que os pequenos vão devorar algumas refeições e mal tocar em outras. As crianças geralmente comem conforme os sinais de fome de que seu corpo sente. Mas isso não quer dizer que você deva simplesmente desistir após oferecer comida uma única vez.

Recomenda-se continuar a oferecer uma variedade de alimentos durante as refeições, até para incentivar que elas explorem novos alimentos e sejam expostas a diferentes opções.

5. Entender que elas não vão comer tanto

Uma criança não come a mesma quantidade que um adulto, portanto, o seu filho pequeno não vai comer a mesma porção que você. Os tamanhos das porções dos pequenos serão proporcionais à idade deles.

6. Não desistir tão rápido de um alimento

As crianças precisam ser expostas a entre 10 e 20 vezes a uma comida antes de decidir experimentá-la. Além disso, pode demorar mais 10 a 20 tentativas antes que elas decidam que gostam do alimento.

Portanto, de o seu filho rejeitar algum alimento, não desista: tenta oferecê-lo novamente em algumas semanas.

7. Deixar que as crianças participem da escolha do cardápio

Cozinhar

De vez em quando, deixe que os pequenos escolham os legumes e verduras do almoço ou jantar. Se possível e se eles tiverem idade suficiente, vale até colocá-los para auxiliar na preparação do alimento.

O orgulho por participar do momento poderá aumentar a vontade deles de comer a comida em questão, afirmou a nutricionista.

8. Oferecer alimentos variados

Montar um prato com variadas texturas e cores é importante, especialmente com frutas e vegetais. Mesmo que não aceite comer alguma coisa, apenas ter um novo alimento no prato ajudará a criança a ficar mais confortável com ele.

Entretanto, ofereça apenas um novo alimento de cada vez para que a criança não fique saturada.

9. Não proibir

Especialmente para os pais de crianças com sobrepeso ou obesidade, proibir guloseimas e junk food pode ser tentador. Mas fazer isso pode ser um tiro no pé e fazer com que os pequenos abusem desses alimentos, quando um amigo ou parente oferecer e você não estiver por perto.

No lugar disso, a recomendação é ensinar a consumir porções menores e a escolher versões saudáveis dessas comidas. Por exemplo, o sorvete deve ser em uma porção pequena, correspondente a uma criança.

Ou então dá para trocar o sorvete tradicional por um doce saudável como iogurte natural ao lado de frutinhas vermelhas ou lasquinhas de chocolate meio amargo. Assim, a criança não abusa, mas também não passa vontade.

Fontes e Referências Adicionais

Seus filhos se alimentam de maneira saudável? Ou é difícil que eles comam uma fruta ou legume? Conte para nós nos comentários abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

1 comentário em “Dicas para ensinar bons hábitos alimentares a crianças”

  1. Uma atitude que funcionou bem com meus filhos, foi evitar falar que não gostamos de determinado alimento. E pedimos para que os avós e tios tivessem o mesmo comportamento.
    Hine sao adultos e nunca tivemos problemas com aceitação ou experimentação de alimentos.