Criança que não dorme

Células de Crianças que Dormem Menos Podem Envelhecer Mais Rapidamente

As crianças que dormem menos do que as horas recomendadas (de 9-11 horas de sono por noite) mostram sinais de envelhecimento mais rápido a nível celular, de acordo com uma nova pesquisa, destacando o quão importante é que as crianças (e qualquer pessoa) tenham a quantidade certa de horas dormidas por noite.

Os pesquisadores analisaram atentamente os telômeros, as tampas nas extremidades dos cromossomos que são conhecidas por sinalizar o envelhecimento das células, e o comprimento do telômero calculado era 1,5% menor a cada hora que as crianças dormiam a menor por noite.

O estudo, com 1.567 crianças, todas aos 9 anos de idade, não prevê como esse comprimento de telômero mais curto pode influenciar na vida adulta, mas a equipe da Universidade de Princeton disse ao New Scientist que “suscita preocupações” sobre como a privação de sono poderia prejudicar a saúde dessas crianças enquanto crescem.

Os telômeros curtos foram ligados no passado ao câncer, doenças cardíacas e declínio cognitivo, e apesar dessas crianças não terem apresentado sinais desses problemas de saúde maiores, os pesquisadores querem ver estudos de longo prazo realizados para identificar quaisquer relações.

“Este achado, juntamente com uma literatura mais ampla, pode indicar que a menor duração do sono aumenta o risco do estresse fisiológico e problemas de saúde”, escrevem os pesquisadores.

Não foram encontradas diferenças no comprimento dos telômeros com base na etnia, sexo ou status socioeconômico das crianças.

Parte do papel dos telômeros é proteger nosso código de DNA e ajudar a dividir células – crucial para o crescimento e reparação do corpo. Estas “tampas cromossômicas” ficam cada vez mais curtas a cada vez que as células se dividem, dando-lhes uma vida útil finita.

Quando as células ficam sem telômeros, elas se tornam inativas ou morrem, um processo ligado ao envelhecimento e a vários problemas de saúde – embora ainda não tenhamos certeza se os telômeros encurtados são uma causa ou um sinal de envelhecimento (como cabelos grisalhos).

Algumas células especiais, incluindo células estaminais, podem regenerar telômeros através de uma enzima chamada telomerase, mas, em termos gerais, você pode pensar em telômeros como pequenos relógios biológicos.

Vale ressaltar que essa pesquisa não destacou nenhum problema médico mais relevante nas crianças que dormiam menos, mas devido ao vínculo entre telômeros curtos e certas doenças, é improvável que começar a vida desta forma seja uma boa notícia.

Os pesquisadores também observam que algum fator não aferido na pesquisa pode afetar o tempo de sono e o comprimento dos telômeros das crianças do estudo, e que os tempos de sono foram baseados em relatórios das mães, em vez de medidas diretas – então, trate essas descobertas como preliminares, por enquanto.

Teremos que aguardar novos estudos para obter uma visão mais ampla, mas até então você pode ensinar seus filhos sobre os telômeros na próxima vez que eles não quiserem ir para a cama.

E isso está acima de todas as outras razões pelas quais as crianças devem priorizar o sono: a sua privação foi associada a obesidade e distúrbios emocionais na vida adulta.

“Estudar o comprimento dos telômeros pode ser promissor para entender como as disparidades de saúde são desenvolvidas, mantidas ou exacerbadas durante o curso da vida”, concluem os pesquisadores.

A pesquisa foi publicada no The Journal of Pediatrics.

Os seus filhos têm muita dificuldade para dormir as horas recomendadas para crianças? Tem receio dos problemas que a falta de sono pode acarretar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*