Diferenças Entre Pisada Pronada, Neutra e Supinada

Especialista:
atualizado em 16/01/2020

Cada pessoa anda de uma maneira diferente e, portanto, possui um tipo de pisada. É importante identificar qual o seu tipo de pisada para escolher o modelo adequado de calçado, principalmente o tênis para quem pratica corrida, e evitar problemas como lesões nos tornozelos, nos joelhos e nas colunas e posturas incorretas e/ou desalinhadas.

Existem três tipos principais e diferentes de pisadas: a pisada pronada, a pisada neutra e a pisada supinada, e é justamente sobre elas e suas diferenças que nós vamos falar no artigo de hoje.

A pisada pronada

A pisada pronada acontece quando a parte de fora do calcanhar toca o chão e o pé gira demais para dentro. Esta pisada é iniciada com o lado esquerdo do calcanhar e finalizada com as áreas localizadas perto ao dedão. Além de girar para a parte de dentro, a pisada pronada também pode ser caracterizada por uma rotação em direção à parte interna, que é seguida pelo giro excessivo para a parte de dentro e encerrada com uma passada próxima às pontas dos dedos.

Estima-se que 50% das pessoas em todo o mundo tenham a passada pronada, que é mais comum em mulheres. O tênis ideal para quem pisa desse jeito é um modelo que ofereça controle de estabilidade e amortecimento.

O modo de pisar pronado pode criar problemas em relação ao alinhamento das pernas. Se a pisada causar dificuldades e houver a necessidade de adaptá-la, podem ser usados calçados de apoio moderado ou máximo, que mudam a pisada para a neutra, ou sapatos de controle de movimentos nos níveis moderado e máximo que controlam o jeito como o pé se movimenta.

A pisada neutra

Entre a pronada e a supinada, encontra-se a pisada neutra, que é considerada a ideal. A diferença dela para a pronada é que a rotação em direção ao interior do pé é ligeira, e não excessiva. Ela também começa com a parte de fora do calcanhar e é seguida de uma rotação leve para a parte de dentro do pé. Sua passada é impulsionada por meio da parte da frente do pé.

Depois que do giro ligeiro para o interior do pé, a passada é finalizada na parte central da planta do pé. Acredita-se que 45% das pessoas tenham este tipo de pisada, que exige somente o uso de um tênis de amortecimento leve ou de sapatos de apoio leve ou neutros.

Quem pisa desta maneira pode considerar-se um sortudo porque a pisada neutra é a que oferece menos riscos de sofrer lesões durante a caminhada ou corrida.

A pisada supinada

Ao contrário da neutra e da pronada, a pisada supinada não realiza uma rotação para a parte interna do pé. Este tipo de pisada também não gira para o lado de fora e começa com a parte de fora do calcanhar e continua até o fim na área externa do pé.

Uma pisada supinada é impulsionada pela parte externa do pé, principalmente pela região do dedo mínimo. Ela começa com o calcanhar, no meio da pisada o pé continua em contato com o solo pelo lado externo e a finaliza na altura do dedo mínimo. A transição do calcanhar para os dedos acontece de modo rápido.

A estimativa é que somente 5% da população seja dona de uma pisada supinada, que é vista principalmente em pessoas que possuem o pé cavo. Esse grupo de pessoas necessita de sapatos com flexibilidade, apoio mínimo a moderado, amortecimento reforçado e controle de estabilidade. Seus pés costumam ser mais rígidos e a passada supinada bloqueia a absorção de forças da terra por parte do pé.

Em resumo…

pisadas-resumo

Foto: Via Space Tennis

De maneira resumida, a pisada pronada é caracterizada pela rotação excessiva para a parte interna do pé. Já a neutra faz um giro ligeiro na mesma direção, enquanto a supinada não gira nem para o lado de fora e nem para o lado de dentro do pé.

Como descobrir qual tipo de pisada eu tenho?

O tipo de pisada de uma pessoa é determinado por fatores relacionados às suas características anatômicas como seu tipo de pé, de joelhos e a flexibilidade que ela possui em suas articulações.

Para descobrir com certeza qual é o seu tipo de pisada, a recomendação é que você procure um ortopedista, que provavelmente indicará uma análise de marcha, feita por um fisioterapeuta, e/ou um exame biomecânico realizado em laboratórios com câmeras de duas e três dimensões e marcadores em diferentes posições dos pés.

Entretanto, como nem todo mundo tem a possibilidade de se consultar com um especialista e realizar todos esses testes, existem algumas evidências que podem indicar o tipo de pisada.

Desgaste do solado do tênis

Sabe aquele seu tênis velho, neutro e com o solado já bem desgastado? Ele tem uma serventia: a de mostrar qual é o seu tipo de pisada. Se o desgaste for uniforme, ou seja, no solado todo, a sua pisada a neutra.

Por outro lado, se o desgaste estiver mais na parte interna, a sua pisada é pronada. Já se o desgaste tiver destacado mais a parte externa, a pisada é supinada.

Quebras na entressola

A entressola é o acessório que fica entre a palmilha e a sola do sapatos, e as quebras ou ranhuras encontradas nela também podem te ajudar a descobrir qual o seu tipo de pisada. Enquanto o teste não pode ser realizado com calçados que tenham sola de poliuretano, os produzidos com espuma de EVA indicam como é a passada.

Dá para fazer a avaliação com sapatos velhos ou novos. Porém, quem for testar com os novos terá que apertá-los bem com as mãos, para exercer uma carga e exibir as tais quebras.

Se as ranhuras se concentrarem na parte centro-lateral e médio-frontal da entressola, a pisada é neutra. Já se as dobras estiverem localizadas na região médio-lateral, a pisada é supinada. E um grande número de quebras em qualquer área central são evidência de pisada pronada.

Arco do pé

O arco do pé também pode sugerir como é a pisada de uma pessoa, mas este teste não é considerado exato. A ideia aqui é que quanto maior for o arco, menos chances a pisada tem de ser pronada. E quanto menor ele for, maiores as chances o indivíduo tem de apresentar uma pisada pronada.

Este teste não é exato porque existem pessoas com arcos altos com pisada pronada e gente sem arco com pisada supinada.

Teste caseiro

Além de observar as marcas nos calçados, dá para fazer um teste caseiro com um papel ou jornal antigo para identificar o tipo de pisada. Funciona da seguinte maneira: você molha a sola do pé e caminha em cima do papel ou jornal.

Se todo o seu pé aparecer marcado no papel, sua pisada é pronada. Já se as regiões mais molhadas forem o calcanhar e a ponta do pé, sua pisada é supinada. Por outro lado, se a sua pisada for neutra, haverá uniformidade na parte do seu pé que aparecer molhada. As imagens abaixo mostram melhor como isso funciona:

pe1

Pisada supinada

pe2

Pisada neutra

pe3

Pisada pronada

Fontes e Referências Adicionais:
  1. McWhorter, J., et al. “The effects of walking, running, and shoe size on foot volumetrics.” Physical Therapy in sport 4.2 (2003): 87-92.
  2. Mickle, Karen Julie, et al. “Foot shape of older people: implications for shoe design.” Footwear Science 2.3 (2010): 131-139.
  3. Daoud, Adam I., et al. “Foot strike and injury rates in endurance runners: a retrospective study.” Med Sci Sports Exerc 44.7 (2012): 1325-34.
  4. Shojaedin, Sadredin, and Hadi Akbari. “The Peak Vertical Ground Reaction Forces Differences between Foot Types During Landing.” (2013).
  5. Golightly, Yvonne M., et al. “Foot Disorders Associated with Over-Pronated and Over-Supinated Foot Types: The Johnston County Osteoarthritis Project.” Osteoarthritis Cartilage 20.10 (2012): 1059-74.

Você conseguiu fazer algum teste para determinar o seu tipo de movimento dos pés? Acredita que tem uma pisada pronada, supinada ou neutra? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Francisco Santana

Francisco José Santana é personal trainer, formado pela Univer Cidade RJ 2007, com certificação CORE360º treinamento funcional, Certificação Internacional FNS I e II em avaliação funcional, especializações em suplementação nutricional esportiva, Crosstraining - Scientific Sport, Cineantropometria aplicada, Primeiras ações em emergência, Prevenção de Doenças Laborais, Musculação, Ginástica Corretiva, Spinning (Johnny G), Técnica de Tecidos Moles - Miofacial, e Inteligência Emocional - ASICC

Deixe um comentário