Lipase alta – O que é, causas e tratamento

Especialista da área:
atualizado em 06/12/2021

A lipase é uma enzima digestiva produzida principalmente no pâncreas que, quando está alta, pode indicar a presença de algumas doenças.

Mas, assim como a maioria dos exames, não basta notar uma alteração para diagnosticar um problema de saúde. Mas sim analisar os resultados com a presença de sintomas.

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, a seguir vamos entender o que é a lipase, quais as suas funções no organismo e o que pode causar a sua elevação.

Veja também: Exame de sangue de rotina – O que deve conter?

O que a lipase faz no organismo?

A lipase participa do metabolismo das gorduras, uma vez que ela quebra as moléculas de ácidos graxos, separando o glicerol. Assim, ela é liberada regularmente pelo pâncreas, e sempre temos uma quantidade desta enzima circulando no sangue.

Valores de referência

Os valores de referência da lipase variam com a idade e com a condição clínica da pessoa. Mas de forma geral, os laboratórios seguem os seguintes valores:

  • Bebês de 0 a 1 ano: 0 a 29 U/L;
  • Crianças de 1 a 12 anos: 10 a 37 U/L;
  • Adolescentes de 13 a 18 anos: 11 a 46 U/L;
  • Adultos: 13 a 60 U/L.

Em casos de pancreatite aguda, os níveis de lipase costumam ficar de 5 a 10 vezes mais altos que o normal, e costumam continuar altos até 14 dias após a crise.

  Continua Depois da Publicidade  

Teste do nível de lipase

exame de sangue

Um teste para medir o nível de lipase na corrente sanguínea é feito através de um exame de sangue, feito em jejum.

Entretanto, é comum que a medição da lipase seja feita juntamente com a de outra enzima, a amilase. Isso acontece porque quando há um problema que atinge o pâncreas, a quantidade das duas enzimas se eleva.

Assim, esses exames são utilizados no diagnóstico de algumas doenças que afetam o sistema digestivo, como:

  • Pancreatite aguda
  • Pancreatite crônica
  • Doença celíaca
  • Doença de Crohn
  • Fibrose cística (apesar de ser uma doença pulmonar, a FC também afeta o funcionamento do pâncreas)
  • Câncer no pâncreas.

Outros fatores que alteram o teste de lipase

Além dos problemas de saúde citados anteriormente, outros fatores podem levar ao aumento dos níveis de lipase, e devem ser investigados pelo médico. São eles:

  • Uso de medicamentos, como anticoagulantes, colinérgicos e opiáceos
  • Abuso de álcool ou drogas
  • Problemas com a vesícula biliar, como cálculos biliares e inflamações (colecistite)
  • Cirrose biliar primária, uma condição grave que danifica o fígado e evita que ele funcione da maneira que deveria
  • Problemas com os intestinos, como obstrução intestinal ou morte no tecido
  • Algumas doenças, como doença renal crônica e colesterol alto
  • Estar grávida
  • Realizar um teste de glicopirreitografia retrógrada endoscópica de colangiopancreatografia (CPRE) antes do teste de lipase.

Problemas no pâncreas

Pâncreas

A pancreatite é a causa mais comum de elevação da lipase, e é caracterizada por uma inflamação no pâncreas, que pode ser aguda ou crônica. Por sua vez, essa inflamação pode ter diversas causas, como:

  • Consumo excessivo de álcool
  • Formação de cálculos biliares
  • Uso de medicamentos, como anticoncepcionais, furosemida e alguns anticonvulsivantes
  • Infecções virais.

Episódios recorrentes de pancreatite aguda, aliado ao uso de substâncias que agridam o órgão, podem provocar a pancreatite crônica, aumentando consideravelmente a gravidade do quadro. Além disso, tumores e traumas no pâncreas, seja por lesão ou por procedimento cirúrgico, também podem elevar as taxas dessa enzima. 

  Continua Depois da Publicidade  

Veja também: Dieta para pancreatite – alimentos e dicas

Vesícula biliar e problemas intestinais

Outra causa para o aumento dos níveis de lipase é a colecistite, uma inflamação da vesícula normalmente provocada pela obstrução do ducto biliar por um cálculo.

Por fim, pessoas que sofrem de doença celíaca e brida abdominal (membranas ou cordões de tecido cicatricial que, geralmente, se formam após uma cirurgia ou inflamação abdominal), também podem apresentar altos níveis de lipase no sangue.

Veja também: 11 sintomas de problemas na vesícula biliar – pedra, inflamada, câncer, etc

Sintomas da lipase alta

Pancriatite

Como se trata de uma enzima que participa da digestão, problemas que levem ao aumento da lipase geralmente causam problemas, como:

  • Dor abdominal intensa
  • Presença de gordura nas fezes
  • Perda de peso
  • Náuseas
  • Vômitos.

Além disso, outros sintomas menos específicos podem aparecer, como:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Febre
  • Sede excessiva
  • Micção frequente
  • Fadiga
  • Transpiração excessiva
  • Fraqueza
  • Dor no meio do peito, que pode se mover ou irradiar para as costas.

Por fim, como o pâncreas também é o local de produção da insulina, uma inflamação pode afetar a produção do hormônio, o que, em alguns casos mais graves, leva a sintomas temporários de diabetes.

Tratamento

comprimidos de medicamentos diversos separados por dias da semana

Se você tiver níveis elevados de lipase no sangue, mas não apresentar sintomas, o médico pode recomendar que você evite o uso de álcool e outras substâncias, e que repita o exame de sangue para lipase e amilase com frequência.

É possível também substituir medicamentos que possam ser a causa do aumento da lipase, no caso de pancreatite medicamentosa.

Já nos casos onde há o aparecimento de sintomas associados ao aumento da lipase, o tratamento é clínico e requer internação hospitalar. Além disso, possivelmente a pessoa com pancreatite poderá ficar um período em jejum, para dar um “descanso” ao pâncreas. 

Durante o internamento o médico também pode prescrever medicamentos para o controle da dor, como analgésicos e anti-inflamatórios. Mas é importante ressaltar que não existe nenhum medicamento específico para desinflamar o pâncreas, e é necessário deixá-lo em repouso até que a inflamação melhore, o que acontece em 80% dos casos.

Depois da pancreatite

A maioria das pessoas diagnosticadas com pancreatite se recupera, mas deve manter a atenção para detectar possíveis novos episódios de inflamação, além de evitar o agente causador, como o álcool.

Mas, em alguns casos, o pâncreas pode não ser mais capaz de produzir as enzimas necessárias para a digestão de gordura, seja devido a alguma cirurgia, câncer ou pancreatite. Quando isso ocorre, o médico pode receitar enzimas complementares na forma de pílulas como a pancrease, que facilitam a digestão.

Quando procurar um médico

Caso apresente um ou mais sintomas destes relacionados abaixo, procure a orientação de um profissional da saúde:

  • Náusea que interfere na capacidade de se alimentar e não é aliviada com o uso de medicação
  • Diarreia de 4 a 6 episódios em um período de até 24 horas que não é aliviada com medicação nem com alteração da dieta
  • Dor abdominal de grande intensidade, transpiração e/ou febre
  • Qualquer tipo de erupção cutânea

Dicas e cuidados

  • Sempre siga as orientações de uso de medicamentos prescritos pelo médico, e entre em contato com ele caso note alguma alteração significativa, como problemas gástricos
  • Além disso, evite a automedicação, para não sobrecarregar órgãos como fígado, rins e pâncreas
  • Se possível, adote uma alimentação balanceada, com  baixo teor de gorduras e rica em fibras, para facilitar o processo de digestão e diminuir os níveis de colesterol
  • Por fim, procure reduzir o consumo de álcool, pois o mesmo pode irritar o pâncreas e o fígado, além de interagir medicamentos.
Fontes e referências adicionais

Você já foi diagnosticado com lipase alta? Qual foi o tratamento recomendado pelo seu médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (50 votos, média 3,70)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

Deixe um comentário

9 comentários em “Lipase alta – O que é, causas e tratamento”

  1. Sou transplantado a 06 meses de Pâncreas e nos 02 últimos meses minha lipase está alta, já tratamos com corticoide e com antibiótico atravéz de um acesso central.

    Responder
  2. A lipase de meu esposo está em 1.650 e a amilase 590, os demais exames estão todos bons, não sei o que fazer…. qual medicamento que é indicado??

    Responder
  3. Parabéns, doutora, pelo texto didático e esclarecedor.

    Há um mês, minha mãe, 78a, 55kg, 1.61m e hipertensa, pré-diabética e proinúria,, foi diagnosticada com chinkungunya e está intrnada no HSVP, no Rio/RJ, mas sem processo inflamatório. Únicos sinais foram forte coceira com sucessivas trocas de camadas superficiais da pelee e LIPASE batendo entre 600 e 1800. Os médicos já tentaram dieta zero, antibióticos e, agora, testes com suspensão de medicacão em rodízio. Ajude-me, por favor!

    Responder
  4. E quando os niveis da lipase chegam a 3.200 e todos os exames foram feitos e estão normais? o paciente foi internado noi samaritano da barra com dores na altura do diafragma e diagnosticado como pancreatite mas nenhum exame detectou absolutamente nada? o medico considerado o “papa” da pancreatite em SP disse que todos os exames bons e normais não há nada o que fazer. como assim

    Responder