Ferritina Alta ou Baixa – Sintomas, causas, como tratar, dieta e dicas

Especialista da área:
atualizado em 09/03/2021

A ferritina é uma molécula responsável pelo armazenamento de ferro no organismo, e quando está alta ou baixa demais, pode significar algum problema de saúde.

  Continua Depois da Publicidade  

Então, a seguir iremos conhecer um pouco mais sobre a função da ferritina, além de descobrir quais as causas das mudanças nos seu níveis, e formas de prevenir e tratar esses problemas.

O que é a ferritina?

A ferritina é uma estrutura formada basicamente por proteínas e que, dentre outras funções, armazenam e transportam o ferro através do sangue.

Por isso, além de níveis adequados de ferro, é importante dispor de uma boa quantidade de ferritina no organismo, para que o corpo tenha um reserva de ferro quando precisar.

E como tudo no nosso corpo precisa estar em equilíbrio, qualquer alteração, seja para mais ou para menos, pode indicar que algo está errado.

Como é feito o teste de ferritina?

O teste de ferritina é feito a partir da coleta de uma pequena amostra de sangue para análise. E embora o jejum não seja obrigatório, ele é geralmente solicitado, para melhorar a precisão do resultado do exame.

Para complementar o diagnóstico, outros exames podem ser pedidos em conjunto, como o hemograma, o nível de ferro e de transferrina.

Importância do exame de ferritina

O nosso corpo depende da presença de ferro para a produção dos glóbulos vermelhos e o transporte de oxigênio para as células.

Por isso, é importante estar atento aos níveis de ferritina, de ferro e de glóbulos vermelhos no sangue, além de saber reconhecer os sintomas do excesso e da falta desses componentes.

exame de sangue

Valor de referência

Os valores de referência para ferritina no sangue variam de acordo com a idade. São eles:

  Continua Depois da Publicidade  

Crianças de 0 a 15 anos:

  • Recém-nascidos: de 25 a 200 ng/ml.
  • Bebês de 1 mês: de 200 a 600 ng/ml
  • Bebês de 2 a 5 meses: de 50 a 200 ng/ml;
  • Crianças de 6 meses a 15 anos: de 7 a 140 ng/ml.

Acima de 15 anos:

  • Homens: de 30 a 322 ng/ml;
  • Mulheres: de 10 a 291 ng/ml.

Ferritina Baixa

Quando o exame de ferritina mostra um resultado abaixo do normal, normalmente significa que a pessoa está com algum tipo de anemia.

Mas, existem outras condições de saúde que estão associadas à ferritina baixa, como veremos a seguir.

Sintomas de ferritina baixa

Nem sempre a ferritina baixa causa sintomas, mas quando ocorre, os principais são:

  • Fadiga;
  • Queda de cabelo;
  • Ansiedade;
  • Tontura;
  • Palidez;
  • Pulsação rápida;
  • Dor de cabeça crônica;
  • Fraqueza e cansaço muscular sem motivo aparente;
  • Irritabilidade;
  • Zumbido no ouvido;
  • Dor nas pernas;
  • Falta de ar.

Causas de ferritina baixa

As causas da ferritina baixa são muitas, e incluem condições que diminuam a absorção de ferro pelo organismo, ou que levem à perda de sangue, como problemas hemorrágicos.

Assim, as causas mais comuns são:

Tratamento para aumentar a ferritina baixa

O Tratamento para ferritina baixa vai depender das causas do problema, que podem variar desde uma deficiência nutricional, até doenças mais graves, como alguns tipos de câncer.

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, o acompanhamento médico é de extrema importância, tanto para o diagnóstico quanto para a definição do tratamento.

1. Suplementos de ferro

O principal tratamento para aumentar os níveis de ferritina é a suplementação de ferro, e o medicamento mais comum é o sulfato ferroso.

2. Vitamina C

A vitamina C é muito importante para aumentar a absorção do ferro através da alimentação.

Além disso, o consumo de vitamina C induz a produção de ferritina no organismo mesmo que o indivíduo não tenha ingerido alimentos ricos em ferro.

3. Outros tratamentos

Além dos tratamentos que tem como objetivo aumentar o estoque de ferro no organismo, muitas vezes a ferritina baixa é causada por outros problemas de saúde, que precisam de tratamentos específicos.

Alguns exemplos de tratamentos são:

  • Dieta livre de glúten, para pessoas com doença celíaca
  • Tratamentos hormonais, para casos de hipotireoidismo ou mesmo do excesso de perda de sangue durante o período menstrual;
  • Tratamento das doenças inflamatórias que possam estar associadas.

E existem ainda outros tratamentos ainda em estudo. São eles:

  • Suplementação e vitamina A e betacaroteno: O uso simultâneo de suplementos de ferro com vitamina A e betacaroteno parece contribuir para a prevenção da anemia por deficiência de ferro, uma vez que ajudam na absorção do mineral;
  • Frutose: Há evidências científicas de que açúcares simples como a glicose e especialmente a frutose podem aumentar a biodisponibilidade do ferro no organismo. No entanto, mais estudos ainda são necessários para afirmar que tomar suplementos de ferro com uma fruta, por exemplo, pode ser mais eficaz.

O que comer quando a ferritina está baixa?

carne vermelha
Carnes são fontes de ferro heme

Uma das melhores formas de aumentar o estoque de ferro e ferritina no organismo é através da dieta.

O ferro na dieta pode ser obtido em 2 formas:

  • Ferro heme, abundante em carnes, aves e peixes;
  • Ferro não-heme, encontrado principalmente em vegetais.

Além disso, é importante incluir alimentos que contenham vitamina C, vitamina A, betacaroteno, frutose, cobre e alanina em quantidades balanceadas dentro de um plano alimentar saudável.

Ferritina alta

Quando no exame os níveis de ferritina estão aumentados, pode ser que exista um excesso de ferro no organismo, ou uma reação inflamatória em curso.

Nesses casos, o médico pode solicitar outros exames, para definir a causa exata do aumento da ferritina no sangue, e assim poder tratar o problema de forma adequada.

Sintomas de ferritina alta

Assim como nos casos de ferritina baixa, o aumento dos níveis sanguíneos da ferritina não costuma causar muitos sintomas, e eles geralmente só aparecem quando as taxas estão muito acima do normal.

Os principais são:

  • Desconforto gástrico;
  • Fraqueza sem motivo aparente;
  • Dor nas articulações;
  • Palpitações;
  • Dores no peito.

Causas de ferritina alta

As principais causas de ferritina alta no sangue são condições inflamatórias e infecciosas, além de problemas genéticos, como a hemocromatose.

Algumas das causas incluem:

  • Doenças hepáticas: As células do fígado armazenam ferritina. Desta forma, quando o fígado está danificado por algum motivo, a ferritina armazenada no órgão pode escapar, levando ao aumento dos seus níveis no sangue;
  • Abuso de álcool: A ingestão exagerada de bebidas alcoólicas está relacionada ao aumento dos níveis de ferritina, e os níveis tendem a cair bastante quando o consumo cessa;
  • Doenças inflamatórias: As doenças inflamatórias, sejam elas agudas ou crônicas, estão entre as principais causas do aumento da ferritina;
  • Hemocromatose: A hemocromatose é uma doença genética em que há uma sobrecarga de ferro no organismo, e esse excesso pode causar problemas em vários órgãos devido ao acúmulo do mineral em locais como o fígado, o coração, as articulações e os testículos.

Outras possíveis causas de ferritina alta no sangue são:

  • Obesidade;
  • Doença renal crônica;
  • Artrite reumatoide e outras doenças autoimunes;
  • Alguns tipos de câncer;
  • Infecções;
  • Porfiria;
  • Diabetes do tipo 2;
  • Síndrome metabólica;
  • Hipertireoidismo;
  • Múltiplas transfusões de sangue.
O abuso no consumo do álcool está relacionado ao aumento da ferritina

Tratamento para reduzir a ferritina alta

O tratamento para reduzir a ferritina vai depender da causa do problema. Por isso, qualquer recomendação deve ser feita apenas depois de um diagnóstico.

A seguir veremos as principais formas de tratamento:

1. Tratamentos específicos

  • Quelantes: Medicamentos quelantes são aqueles que se ligam ao ferro em excesso e ajudam a eliminá-los do organismo. No entanto, uma série de efeitos adversos podem ocorrer durante o tratamento e nem sempre ele é a melhor opção;
  • Sangria: esse procedimento é bastante semelhante à doação de sangue, mas pode ser feito com maior frequência. Nele são retirados cerca de 500 ml de sangue, ajudando assim a reduzir os estoques de ferro do organismo.

2. Mudanças de estilo de vida

  • Exercício físico: A prática regular de exercícios ajuda a reduzir os níveis de ferritina, além de contribuir para a melhora de fatores de risco para o problema, como a obesidade e a síndrome metabólica;
  • Mudanças na alimentação: Em alguns casos a adoção de uma dieta equilibrada pode ajudar a controlar os níveis de ferritina no sangue, além de contribuir para a melhora da saúde como um todo.

3. Outros tratamentos

Além dos tratamentos específicos para a redução da ferritina, existem outras formas de manejar o problema, a depender da sua causa. Entre eles, podemos citar:

  • Terapias hormonais, quando a causa está relacionada à menopausa ou a outros problemas relacionados aos níveis de hormônios;
  • Redução do consumo de álcool, quando esta substância é a causadora do aumento da ferritina;
  • Tratamentos de tumores e infecções que estejam afetando as taxas de ferritina.

O que comer quando a ferritina está alta?

café

Como dito anteriormente, uma dieta equilibrada pode contribuir para a redução dos níveis sanguíneos de ferritina. Então, separamos alguns alimentos que podem ajudar a controlar o problema. São eles:

1. Café

Alguns estudos mostram que o consumo regular de café pode afetar as quantidades de ferro no organismo, uma vez que a bebida pode diminuir a absorção do ferro.

2. Chás ricos em polifenóis

Os polifenóis presentes em alguns chás podem ajudar a reduzir a absorção de ferro. Assim, eles podem contribuir para o controle dos níveis de ferritina no sangue.

3. Alimentos ricos em fibras

As fibras alimentares também prejudicam a absorção de ferro. A ingestão de alimentos ricos em fibras deve ser priorizada para ajudar a reduzir os níveis altos de ferritina no sangue.

4. Grãos integrais

Os grãos integrais são ricos em ácido fítico, um potente inibidor da absorção de ferro. Por isso, eles podem ajudar a controlar os níveis de ferritina no sangue, desde que se observe também a quantidade de ferro nesses alimentos.

5. Cálcio

Alimentos que contêm cálcio, como os produtos lácteos, também podem ajudar a reduzir a absorção de ferro pelo organismo.

6. Outros minerais

Existem vários outros minerais que podem prejudicar a absorção de ferro e ajudar a reduzir a concentração de ferritina no sangue.

Mas é preciso ter cuidado, para não acabar causando um excesso dos níveis desses outros minerais, na tentativa de reduzir o da ferritina.

7. Curcumina

Alguns estudos indicam que a curcumina, um polifenol encontrado na cúrcuma, pode se ligar ao ferro no organismo, ajudando a reduzir os níveis do mineral no sangue.

Veja no vídeo abaixo as causas e sintomas da ferritina alta, como tratar e a dieta recomendada.

Gostou das dicas?

Fontes e referências adicionais

Você já foi diagnosticado com ferritina alta ou baixa? Que tipo de tratamento foi prescrito pelo seu médico? O que precisa mudar nos hábitos e dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (20 votos, média 3,85)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

3 comentários em “Ferritina Alta ou Baixa – Sintomas, causas, como tratar, dieta e dicas”

  1. Dra.Patricia parabens , adorei este video , sobre ferritina alta. pra mim foi otimo esclareceu muitas duvidas que eu tinha .principalmente sobre o que comer.Tenho ferritina alta.cada 3 meses faço exame ja esteve bem mais alta . hoje esta em 673 que esta alta tento controlar bastante a minha alimentaçao.tenho controle de medico. Evito muitos alimentos.gostaria de saber se o Cancer de pele pode aumentar a taxa de ferritina. pois tenho cancer de pele mas controlada com medico sou muito cuidadosa com minha saude.obrigada gostaria que postase mais videos.sou idosa tenho 72 anos.

    Responder