Estalar os Dedos Faz Mal?

Especialista:
atualizado em 14/01/2020

Quem não tem algum tipo de mania? Ainda que você afirme que não possua ao menos uma, apostamos que você conhece alguma pessoa que a tenha.

Algumas das manias mais comuns são a de limpeza, de precisão ou organização, de repetição de tarefas, de acumular objetos velhos, de roer as unhas, de arrancar os pelos e os cabelos e de achar que está doente.

Entretanto, é sobre outra mania que nós vamos conversar abaixo – a de estalar os dedos. Para algumas pessoas, é incômodo e irritante quando os outros fazem isso. Mas será que além disso, o hábito de estalar os dedos faz mal? Que problemas ele pode trazer?

Conhecendo mais o hábito de estalar os dedos 

Antes de entendermos se estalar os dedos faz mal, que tal conhecermos melhor sobre o ato? Estalar os dedos é classificado como um tique nervoso ou um hábito.

Ele acontece quando os ossos de uma articulação são separados por serem submetidos a posicionamentos extremos como uma flexão forçada ou uma hiperextensão.

E sabe o barulho que acontece quando você estala os dedos? De acordo com o ortopedista e membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia do Rio de Janeiro (SBOT-RJ), Luis Marcelo Malta, a explicação mais aceita para o surgimento do ruído é a chamada teoria da cavitação.

O que acontece é que quando é forçada uma extensão ou flexão na articulação dos dedos, um ambiente de pressão negativa é estabelecido dentro das juntas. Então, os gases dissolvidos no líquido que fica no interior das articulações formam bolhas.

E é justamente quando essas bolhas são estouradas que o famoso barulho do estalar dos dedos acontece.

Estalar os dedos faz mal?

Agora que já entendemos o que é, vamos à resposta: estalar os dedos faz mal ou não? Nos últimos 50 anos, muitos pesquisadores acreditavam que sim, que o barulho que é feito quando os dedos são estalados era um indicativo de que partes dos dedos estavam sendo separadas.

Entretanto, uma pesquisa divulgada no ano de 2015 na publicação PLOS ONE desbancou essa ideia. O experimento realizou um exame de ressonância magnética e descobriu que na realidade o barulho do estouro das bolhas acontece quando o líquido vai para as cavidades dos dedos.

Um estudo de 1990 até chegou a associar o estalo a longo prazo ao inchaço nas mãos e menor fortalecimento na pegada. No entanto, não existem outros experimentos que possam dar suporte a essa tese.

O chefe de cirurgia de mão e pulso do Instituto Rothman, que fica na Filadélfia, nos Estados Unidos, Pedro Beredjiklian, explica que quanto mais uma pessoa estala os seus dedos, mais alongados e soltos ficam as cápsulas e os ligamentos localizados ao redor dos dedos.

Ainda de acordo com Beredjiklian, quanto mais soltos os ligamentos e as cápsulas ficam, mais fácil fica para que aconteça o estalo nas articulações.

Entretanto, o médico garante que não é verdade que estalar os dedos faz mal ou cause prejuízos às articulações. Isso porque diversos estudos já avaliaram a relação entre o hábito de estalar os dedos e a existência de um quadro de osteoartrite, e o resultado foi que não foram encontradas evidências de que pessoas que possuem a mania apresentam maiores chances de desenvolver a condição do que aqueles que não têm esse hábito.

Há ainda um experimento em particular em que um pesquisador, que tinha o hábito de estalar os dedos, resolveu estudar a si próprio.

Depois de aproximadamente seis décadas – isso mesmo, 60 anos – causando os estouros em suas articulações por meio do estalar dos dedos de uma das mãos, foi identificado que ele não mostrou aumento da presença de artrite na mão em que o ato era executado em comparação à outra mão.

Além disso, a publicação também afirmou que pelo menos um estudo já identificou que o estalar dos dedos libera uma espécie de sensação terapêutica de liberação.

Médico não conseguiu provar à enfermeira que estalar os dedos faz mal 

O site CNN contou uma história curiosa a respeito da irritação do cirurgião de mão Robert Szabo, que já foi presidente da Sociedade Americana de Cirurgia de Mão, em relação ao hábito de estalar os dedos da enfermeira Tanya Johnson.

O médico tentava convencer a enfermeira a parar com a mania ao dizer que isso faria mal a ela, porém, ela pediu que ele provasse que o hábito era realmente maléfico. Então, quando seu colega e médico radiologista Robert Bouting o chamou para fazer um estudo sobre o estalar dos dedos, Szabo aceitou.

Juntos, eles examinaram por meio de um ultrassom diversas pessoas que tinham a mania, inclusive a enfermeira Johnson, antes e depois de estalarem os dedos. Ao contrário do que Szabo esperava, os participantes não apresentaram problemas.

Pelo contrário, os pesquisadores descobriram que eles apresentavam uma amplitude de movimento maior do que as pessoas que não costumam estalar os dedos. A pesquisa foi apresentada em dezembro de 2015 em um encontro da Sociedade Radiológica da América do Norte, conforme informou a CNN.

Atenção: nem todo barulho de estouro é inocente

O médico Beredjiklian também alertou que nem todo barulho de estouro ou de estalo deve ser ignorado. Segundo ele, o ruído também pode ser observado quando os tendões se prendem em formações irregulares de ossos ou articulações.

Isso é observado principalmente no pescoço e pode causar malefícios dependendo da pessoa e de sua anatomia. Assim, o seu conselho é que, ao perceber que um barulho esquisito apareceu nos seus ombros ou no pescoço quando eles são flexionados, você não estale a região em questão. Procure o médico para verificar do que se trata e se a condição pode trazer problemas para a sua saúde.

Você acreditava que o hábito de estalar os dedos faz mal? O que achou dos resultados destas pesquisas? Você tem essa mania? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 4,80 de 5)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é médico ortopedista formado pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

Deixe um comentário