Ginkgo Biloba – Para Que Serve, Benefícios, Efeitos Colaterais e Indicações

Especialista:
atualizado em 01/08/2020

O Ginkgo biloba é uma planta medicinal com benefícios incríveis que você precisa conferir, como o combate ao estresse, a depressão, os desconfortos da TPM, a impotência e muito mais.

Você aprenderá a seguir as propriedades dessa planta incrível, quais os seus benefícios para saúde, como ela funciona no organismo, a sua relação de folhas com sementes e muito mais.

Propriedades

Considerado quase que um fóssil vivo – por se tratar de uma das árvores mais antigas do mundo, que já existia no tempo dos dinossauros – a ginkgo biloba tem sido amplamente estudada por apresentar em suas folhas compostos benéficos à saúde.

Pesquisadores já sabem que as folhas de ginkgo biloba contêm flavonoides e terpenóides – ambos antioxidantes – que lutam contra os radicais livres, e impedem que estas moléculas causem danos às células.

Um estudo de 2001 publicado no Journal of Molecular Neuroscience, por exemplo, indica que o extrato de ginkgo biloba protege o organismo contra o estresse oxidativo e danos às mitocôndrias das células.

As propriedades antioxidantes do ginkgo biloba são as mais relevantes, já que são elas as responsáveis por grande parte de seus benefícios.

A capacidade de aumentar a dilatação dos vasos sanguíneos também é uma ótima propriedade da ginkgo biloba já que isso pode melhorar a atividade cerebral, a desintoxicar o corpo através do sangue e até a estimular a função imunológica.

Para Que Serve

De acordo com a Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, a ginkgo biloba serve para tratar complicações do sistema circulatório, prevenir e tratar doenças neurodegenerativas além melhorar a visão, reduzir as dores menstruais e melhorar a função cerebral.

Mas as pesquisas atuais sobre o ginkbo biloba focam nos efeitos do suplemento no alívio de sintomas relacionados à demência, a problemas de memória e a dor ou desconforto causados pelo fluxo sanguíneo reduzido.

Não é à toa que – segundo uma publicação do International Journal of Phytotherapy and Phytopharmacology de 2014 – a ginkgo biloba é um dos remédios herbais mais investigados no que diz respeito aos seus efeitos benéficos para tratar distúrbios cognitivos e alguns tipos de demência como a doença de Alzheimer.

Também há quem procure o ginkgo biloba para tratar, de forma natural, doenças como transtornos de ansiedade e depressão, mas é preciso ter muita cautela e consultar um médico antes de aderir a esse tipo de tratamento devido à escassez de estudos sobre o tema.

Além de ser muito usada para melhorar funções cognitivas e a função cerebral em geral, alguns relatos também indicam que a ginkgo biloba pode ser usada para ajudar a regular a pressão arterial e os níveis de glicose no sangue, além de também tratar zumbidos nos ouvidos.

Como Funciona?

Estudos têm demonstrado que a ginkgo biloba estimula a produção de óxido nítrico, um gás que relaxa a parede das artérias, dilata os vasos e melhora o fluxo sanguíneo.

Essas propriedades da ginkgo biloba melhoram a circulação, efeito que por sua vez ajuda com o funcionamento cerebral, a visão e o sistema auditivo.

De acordo com um estudo publicado na revista Alternative Medicine Review em 2004, esse mesmo efeito de elevar a produção de óxido nítrico melhora a função sexual já que esse gás também aumenta o fluxo sanguíneo que vai para o pênis.

No caso específico de doenças como o Alzheimer, a planta pode interferir com mecanismos cerebrais que atrapalham o pensamento e prejudicam a formação e preservação das memórias.

Além disso, há uma teoria de que a ginkgo biloba pode aumentar a captação de glicose pelo cérebro, o que se traduz em uma melhora na transmissão de sinais nervosos relacionados a funções como o humor, a memória, a conclusão de tarefas, a saúde dos olhos e a regulação dos batimentos cardíacos, por exemplo.

Folha x Sementes

Durante todo o artigo, quando nos referirmos às propriedades da ginkgo biloba, estaremos na verdade falando das folhas da planta, uma vez que é nela que se concentram seus principais benefícios.

Além disso, as sementes de ginkgo biloba são tóxicas, e não são utilizadas na fabricação dos suplementos encontrados tradicionalmente à venda, mas nem sempre foi assim.

Antigamente, as sementes secas da ginkgo biloba eram usadas tanto quantos as folhas da planta. Mas hoje em dia, os estudos vêm focando no extrato de ginkgo biloba obtido a partir das folhas verdes secas da planta que são mais seguros para a saúde.

As sementes nunca devem ser ingeridas sem antes serem processadas já que quando cruas elas são muito prejudiciais para a saúde.

Benefícios do Ginkgo Biloba

Veja a seguir como as propriedades da ginkgo biloba proporcionam benefícios para saúde e boa forma. Então, para que serve afinal?

1. É aliado da luta contra o estresse e a depressão

A recomendação mais comum para quem está estressado é exatamente reduzir o estresse. Sim, parece lógico, não é mesmo? Mas já sabemos que nem sempre é fácil deixar todas as preocupações de lado e colocar a mente em estado quase permanente de repouso.

Em estudos controlados, cientistas observaram que voluntários que haviam recebido uma suplementação de ginkgo biloba conseguiam lidar melhor com o estresse.

Em uma pesquisa publicada em 2007 no Journal of Psychiatric Research, 170 pessoas que sofriam de transtorno de ansiedade generalizada foram tratadas com doses de 240 ou 480 mg de ginkbo biloba ou com um placebo.

Os resultados atestaram que o grupo de pessoas que foi tratada com a dose mais alta de ginkgo biloba apresentou uma diminuição dos sintomas de ansiedade estimada em 45% mais alta do que naqueles que tomaram um placebo.

Ginkgo biloba é uma planta adaptógena

Uma maneira natural de relaxar e reduzir as variações de humor características da depressão é o uso diário de ginkgo biloba. Em estudos controlados, cientistas observaram que voluntários que haviam recebido uma suplementação de ginkgo biloba conseguiam lidar melhor com o estresse.

Esse resultado se deve muito provavelmente à ação de ginkgo biloba sobre os hormônios do estresse – em especial o cortisol e a adrenalina.

É por isso, aliás, que os pesquisadores classificaram a ginkgo biloba como uma planta adaptógena: ela eleva de maneira natural a capacidade do organismo de suportar as situações que trazem problemas e causam preocupações.

Um outro estudo publicado em 2015 no periódico científico CNS Neurological Disorders Drug Targets mostrou que ratos submetidos a situações de estresse que tomaram ginkgo biloba foram menos afetados emocionalmente do que os animais que não receberam o suplemento.

É claro que mais estudos em seres humanos ainda são necessários, mas ainda assim (sempre com orientação médica), a ginkgo biloba pode ser bastante útil no tratamento de pessoas com transtorno de ansiedade generalizada, depressão, ataques de pânico ou mesmo fobia social.

2. Alivia os desconfortos da TPM

Mulheres que sofrem com cólicas, alterações de humor e inchaço durante o ciclo menstrual podem se beneficiar do uso de ginkgo biloba.

De acordo com um estudo publicado em 2009 no Journal of Alternative and Complementary Medicine, mulheres que tomaram o suplemento três vezes ao dia do 16º dia do ciclo em que estavam até o 5º dia do ciclo seguinte relataram alívio dos sintomas da tensão pré-menstrual.

3. Pode ter efeito sobre a impotência

Não podemos dizer que a ginkgo biloba substitui a famosa pílula azul, mas pesquisadores já sabem que a planta pode ser utilizada no tratamento da impotência.

Isso porque a principal causa do problema é a baixa circulação de sangue através do pênis – que pode ser inclusive resultante de uma arteriosclerose.

E, como já vimos, a ginkgo biloba aumenta o fluxo sanguíneo, efeito esse que pode melhorar não apenas a duração como a qualidade das ereções.

Testes clínicos mostraram que a suplementação por seis meses com ginkgo biloba foi responsável por uma melhora nos quadros de impotência de até metade dos participantes do estudo.

4. Traz alívio para a Claudicação Intermitente

Condição que se caracteriza pela dor e sensação de câimbras nas pernas – que pioram com a prática de atividades como a caminhada e a corrida – a claudicação intermitente é causada por uma interrupção do fluxo de sangue para as artérias dos membros inferiores.

Assim, as células musculares de quem sofre com o problema recebem menos oxigênio, e passa a haver acúmulo de ácido lático nas pernas (causando dor).

Sendo um estimulante da circulação, a ginkgo biloba é indicada no tratamento da claudicação intermitente porque pode desbloquear possíveis pontos com arteriosclerose nas pernas.

Publicada em 2000 no American Journal of Medicine, uma metanálise de oito estudos avaliou os efeitos do extrato de ginkgo biloba em pessoas com claudicação intermitente.

Sete deles demonstraram que a planta foi mais eficiente que um placebo em promover um aumento da distância que pacientes com a condição eram capazes de caminhar sem dor.

De maneira simplificada, podemos dizer que a ginkgo biloba melhora as dores nas pernas porque aumenta o fluxo de sangue nos vasos sanguíneos, e assim reduz o acúmulo de compostos que podem causar dor durante o caminhar.

5. Parkinson

A ciência ainda não bateu o martelo, mas acredita-se que a falta de dopamina no cérebro seja a responsável pelos tremores, falta de coordenação muscular e o enrijecimento característicos da doença de Parkinson.

É possível que, em conjunto com outros tratamentos, a ginkgo biloba seja útil na redução dos sintomas do Parkinson porque aumenta a circulação de sangue no cérebro, o que por sua vez permite que mais dopamina circule pelas áreas que mais necessitam do neurotransmissor.

6. Visão

Ainda que em fase inicial, alguns testes clínicos têm demonstrado que ginkgo biloba pode trazer benefícios à saúde ocular. Além de aumentar o fluxo de sangue para os olhos, a planta também reduz o dano oxidativo causado à mácula, córnea e à retina.

Em um estudo italiano com 27 participantes, portadores de glaucoma que haviam recebido 120 mg de ginkgo biloba ao dia durante oito semanas apresentaram uma melhora na visão.

7. Perda de Peso

Ainda não há estudos que comprovem que ginkgo biloba emagrece, mas muitos defensores da teoria acreditam que algumas das propriedades da planta podem ser auxiliares da dieta.

Uma delas seria o alto teor de flavonoides, que também estão presentes no chá verde e que comprovadamente aumentam o metabolismo.

O ginkgo biloba também poderia ajudar a emagrecer porque contém terpenoides, substâncias naturais que aumentam o fluxo sanguíneo.

Como a elevação do fluxo de sangue é exatamente um dos benefícios dos exercícios aeróbicos, pesquisadores teorizam que os terpenoides poderiam também promover a aceleração do metabolismo.

8. Melhora a memória e a função cognitiva

Estes são alguns dos benefícios da ginkgo biloba mais estudados pelos pesquisadores, uma vez que a ciência já demonstrou que a planta melhora o fluxo de sangue no cérebro.

Dezenas de estudos têm encontrado uma relação direta entre o uso de ginkgo biloba e uma melhora na concentração e na capacidade cognitiva. O suplemento também reduz a fadiga mental e melhora o desempenho do órgão como um todo.

Mas não é apenas através de sua atuação na circulação que o ginkgo beneficia o cérebro. Muitas das propriedades neuroestimulantes do composto se devem à presença dos antioxidantes, que reduzem inflamações e combatem o estresse oxidativo causado pelo envelhecimento ou por doenças degenerativas.

Pesquisadores da Universidade de Munique, na Alemanha, observaram que adultos saudáveis apresentaram melhoras significativas no funcionamento cerebral (medido através de autoavaliação) e na qualidade de vida após utilizarem ginkgo biloba por um período de quatro semanas.

Quando comparados ao grupo placebo, os participantes que receberam ginkgo biloba também exibiram melhor desempenho motor e estabilidade emocional.

Em outros estudos, uma dosagem de 240 mg ao dia trouxe benefícios não apenas à memória mas também pôde auxiliar no tratamento de sintomas da TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade).

9. Alzheimer

A acetilcolina é um neurotransmissor que atua principalmente no hipocampo, uma pequena estrutura localizada nos lombos temporais do cérebro, considerada a principal “sede” da nossa memória.

É função da acetilcolina permitir a comunicação entre os neurônios e auxiliar na formação da memória. Baixos níveis do neurotransmissor no cérebro têm sido associados ao Alzheimer.

Testes demonstraram que a ginkgo biloba aumenta a capacidade da acetilcolina de se ligar a um receptor, aumentando sua atuação cerebral.

Assim, tomar ginkgo biloba diariamente pode fazer com que o cérebro absorva mais acetilcolina, e fique de certa maneira mais protegido contra o Alzheimer e outras doenças relacionadas ao declínio da função neurológica, como a demência.

Em um estudo duplo-cego (ou seja, nem os participantes ou os autores da pesquisa tinham conhecimento de quem estava recebendo o suplemento ou o placebo) publicado no Human Psychopharmacology, pessoas com demência ou Alzheimer que utilizaram extrato de ginkgo biloba durante três meses apresentaram uma melhora significativa em seus níveis de atenção, função cognitiva e memória.

Indicações de Ginko Biloba

O uso de gingko biloba é indicado para pessoas de todas as idades que queiram melhorar as funções neurológicas, aprimorar a memória, aumentar o desempenho cerebral em tarefas cognitivas ou então melhorar a circulação sanguínea nos membros inferiores.

A planta também é indicada para quem sofre com hemorroidas, asma, fibromialgia, dores de cabeça, impotência, falta de libido, má circulação e outras condições relacionadas a alterações do fluxo sanguíneo.

Exemplos de problemas de saúde em que o Ginkgo Biloba pode ser um bom aliado no tratamento são:

  • Esquizofrenia;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Neuropatias;
  • Problemas de pressão arterial;
  • Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade;
  • Degeneração macular ou outros problemas de saúde ocular como o glaucoma;
  • Dificuldade para controlar a pressão arterial.

No entanto, é preciso lembrar que como o Ginkgo Biloba é considerado um suplemento ou remédio natural, não existem muitos estudos específicos sobre os usos potenciais da substância. Então é importante estar atento aos possíveis efeitos colaterais e desconfortos causados pelo Ginkgo Biloba, e nunca consumi-lo sem a prescrição e acompanhamento médico.

Efeitos Colaterais

De acordo com a Mayo Clinic, o uso de ginkgo biloba por um período de até seis meses parece não trazer maiores riscos à saúde. Algumas pessoas podem sofrer com efeitos colaterais menos severos, como dores de estômago, coceira na pele, tontura e dores de cabeça.

Por outro lado, de acordo com a Universidade de Maryland, existem relatos (conflitantes, já que não estabelecem relação de causa e efeito, mas apenas uma correlação) de hemorragia interna em pessoas que estavam fazendo uso do suplemento.

Outros possíveis efeitos colaterais do ginkgo biloba:

  • Queda na pressão arterial;
  • Diminuição dos níveis de insulina no sangue;
  • Palpitações cardíacas;
  • Náusea e vômito;
  • Constipação ou diarreia;

Como afina o sangue e reduz a capacidade de coagulação do organismo, a ginkgo biloba deve ser evitada por pessoas que estejam tomando medicamentos anticoagulantes, como a varfarina.

Outras contraindicações de ginkgo biloba:

  • Hipertensão;
  • Histórico de câncer;
  • Histórico de doenças cardíacas;
  • Uso de medicamentos antidepressivos;
  • Utilização de anticonvulsivantes;
  • Uso de outros medicamentos que sejam metabolizados no fígado.

Como tomar

Atualmente a orientação é tomar de 80 a no máximo 240 mg de ginkgo biloba ao dia. Em geral, os principais estudos sobre o ginkgo biloba utilizam as doses maiores para avaliação dos benefícios da planta.

Isso porque determinadas propriedades de ginkgo biloba só se manifestam quando o produto é utilizado em concentrações elevadas (acima de 120 mg ao dia).

Assim, caso pense em utilizar o suplemento para uma condição específica, converse com seu médico sobre a possibilidade de tomar ginkgo biloba três vezes ao dia (3 cápsulas de 80 mg cada).

Para evitar desconfortos gástricos, tome o suplemento durante as principais refeições.

Preço e onde comprar

O preço do ginkgo biloba varia bastante de acordo com a apresentação e a concentração, portanto antes de comprá-lo vale a pena fazer uma pesquisa de mercado. Em média podemos verificar que um frasco de 30 cápsulas de 80mg é vendido por 20 a 30 reais.

Vale lembrar que no Brasil o ginkgo biloba é um medicamento de venda sob prescrição médica, diferentemente de outros países como os Estados Unidos por exemplo, onde a sua venda é liberada como suplemento nutricional.

Dessa maneira a forma de comprar o ginkgo biloba é nas farmácias ou nos sites estrangeiros que entregam no Brasil.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já conhecia a Ginkgo Biloba e para que serve ao nosso organismo? Tem vontade de experimentar esta suplementação, por que propósito? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (171 votos, média: 4,04 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

73 comentários em “Ginkgo Biloba – Para Que Serve, Benefícios, Efeitos Colaterais e Indicações”

  1. Gostaria de saber se posso fazer uso de Ginkgo Biloba. Tenho depressão e ansiedade. Também sou diabética. E tenho perca do equilíbrio, mais não sei se é labirintite! Também estou com a memória muito fraca, e perturbações na mente. Será que o uso poderia me ajudar? Gostaria muito de saber. Grata!

  2. Gostaria de saber se posso fazer uso de Ginkgo Biloba. Tenho depressão e ansiedade. Também sou diabética. E tenho perca do equilíbrio, mais não sei se é labirintite! Também estou com a memória muito fraca, e perturbações na mente. Será que o uso poderia me ajudar? Gostaria muito de saber. Obrigada!

    • Boa noite, para saber se é Labirintite tem que passar no Otorrino, às vezes o Neuro também indica o exame Otoneurologico, eu tomo Gingko porque tive crises de tontura e era da parte hormonal, estou fazendo reposição e não tive mais crises, passe num especialista.

  3. Eu sofro muito com as domencias nos pés, e estou tendo câimbras, então me falaram do ginkgo biloba, estou pesquisando sobre este assunto,

    • Bom dia, Kely!

      Recomendo procurar um médico para investigar a causa de sua tontura, pois o sintoma é comum em muitas patologias. E fazer uso de medicamentos sem orientação médica pode não ter o efeito desejado, agravar ou piorar. Mesmo se tratando de um fitoterapico precisa de muito cuidado.

  4. olá sou Osmir Ribeiro costa,faço uso do labirim 240mg para zumbido e tonturas mas não vejo nem uma melhora .Pode me indicar algum produto melhor para meu tratamento.

  5. Uma amiga foi a um especialista em tonturas, e ele informou que ela estava com problema nos cristais, localizado entre o cérebro e o ouvido, recomendou e exercícios específicos e uso do ginkgo biloba, acho que é o meu caso, alguém já ouviu falar?

  6. Vou começar a usar o ginkgo bolo na pra melhora a minha memória pois ando muito esquecida e desconcentração, apesar de ter hipotireoidismo. Confiante na melhora. Obg e boa noite!

  7. Ola
    gostaria de saber se alguém aqui saberia me responder,tenho pedra na vesícula estou a qualquer momento pra ser chamada para operar,quero saber se existe alguam contra indicação nesse sentido?

  8. inicie com ginkgo biloba, são 03dias e dois comprimidos por dia de 80mg, estou me sentido um pouco aereo, mas a minha tontura melhorou 95%, apenas inseguro por estar com a cabeça meia esquisita e o braço ainda um pouco formigando, fui no neuro e o mesmo disse que é psicologico, mas estou enfrentando para sair logo desta, sou anti remedio, mas estou esperansoço com este que iniciei.
    se tem alguem com a experiencia referente ao mesmo efeito por motivo que estou tomando, ou seja, ansiedade, tontura e formigamento. Favor ajudar.