Furosemida – Para Que Serve, Efeitos Colaterais, Indicação e Como Tomar

Especialista:
atualizado em 26/01/2018

Furosemida é um medicamento muito utilizado como diurético e que também pode ser usado para tratar a pressão arterial elevada, por exemplo, agindo também na prevenção de complicações como acidentes vasculares cerebrais, ataques cardíacos e problemas renais.

Vamos explorar os principais usos da furosemida, qual a sua indicação e para que serve, além de seus efeitos colaterais e como tomar o medicamento.

Para que Serve?

A furosemida pertence a uma classe de medicamentos chamada de diuréticos. Assim, a furosemida é usada principalmente para tratar a retenção de líquidos e reduzir a presença de fluidos extras no corpo. Essa retenção de fluidos também é conhecida como edema, que pode ser causado por condições como problemas no coração como insuficiência cardíaca, problemas no fígado como doença hepática e problemas nos rins como doença renal, por exemplo.

Pessoas que sofrem com edemas podem apresentar sintomas desagradáveis e preocupantes como falta de ar e inchaço na região dos braços, pernas e abdômen.

Como Funciona?

Como mencionado anteriormente, a furosemida é uma “pílula de água”, ou seja, tem ação diurética que faz com que você urine mais e, por consequência, ajuda seu organismo a se livrar de fluidos extras e sal em excesso no corpo.

Basicamente, a furosemida atua nos rins aumentando o seu fluxo de urina e diminuindo a retenção de líquidos.

O mecanismo de ação consiste na ação diurética do medicamento, que faz aumentar a excreção de sódio e fluidos através da urina.

Efeitos Colaterais

Os possíveis efeitos colaterais relacionados à ingestão de furosemida são:

  • Tontura;
  • Sensibilidade à luz;
  • Dor de cabeça;
  • Visão embaçada.

Na maioria dos casos, tratam-se de sintomas que desaparecem nos primeiros dias após o primeiro uso. Se tais efeitos colaterais persistirem ou piorarem, é indispensável consultar um médico e informá-lo do problema.

Para reduzir o risco de tonturas e vertigens, uma dica é evitar se levantar bruscamente quando estiver deitado ou sentado.

Se usada em excesso ou sem orientação médica adequada, a furosemida pode causar uma desidratação séria além de perda de sais e minerais importantes para o metabolismo humano. Quando isso ocorre, efeitos colaterais mais graves decorrentes da desidratação são observados, tais como:

  • Cãibras musculares;
  • Fraqueza;
  • Cansaço;
  • Confusão mental;
  • Tonturas severas;
  • Desmaio;
  • Sonolência;
  • Boca seca ou sede excessiva;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Batimentos cardíacos acelerados ou irregulares.

Efeitos adversos ainda mais graves e raros que requerem cuidados médicos imediatos incluem:

  • Alteração na quantidade e coloração da urina, que indica problemas nos rins;
  • Dormência;
  • Formigamento;
  • Inchaço nos braços e pernas;
  • Alterações auditivas como perda de audição ou surdez prolongada ou permanente;
  • Dor estomacal ou abdominal;
  • Olhos e pele amarelados indicando problemas no fígado.

Esses últimos efeitos colaterais listados são muito raros, mas podem ocorrer e a ajuda médica imediata é essencial nesses casos. Além disso, ao detectar qualquer sinal de reação alérgica à substância (condição também muito rara) como erupções cutâneas, coceiras e inchaços nas regiões do rosto, língua e garganta, tonturas severas ou dificuldade de respirar, é necessário buscar assistência médica imediatamente.

Indicação

A furosemida pode ser indicada em casos de:

– Retenção de líquidos

Por ser um diurético, a furosemida pode ser indicada nos casos de retenção de fluidos provenientes de qualquer causa.

– Pressão arterial elevada

A furosemida também pode ser indicada sozinha ou em conjunto com outros medicamentos no tratamento da hipertensão, pois ela também ajuda a melhorar a circulação sanguínea. Isso porque a pressão arterial elevada é responsável por aumentar a carga de trabalho do coração e das suas artérias. E se essa alta carga persiste por muito tempo, pode ocorrer mau funcionamento desse órgão, danificando os vasos sanguíneos do coração e também do cérebro e rins, podendo resultar em um acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca ou insuficiência renal e maior risco de ataques cardíacos.

  • Acúmulo de fluidos devido à insuficiência cardíaca crônica;
  • Presença de fluidos nos pulmões devido à insuficiência cardíaca crônica;
  • Edema com função renal defeituosa;
  • Acúmulo de fluidos causado por cirrose no fígado.

Sempre informe seu médico se tem algum problema de saúde ou se está em tratamento com algum outro tipo de medicamento ou suplemento, pois podem ocorrer interações medicamentosas com o uso de furosemida.

Como Tomar

A furosemida deve ser usada através de prescrição médica e pode ser encontrada principalmente na forma de comprimidos ou solução oral. Em alguns casos, pode ser disponibilizada na forma injetável, sob cuidados médicos.

Os comprimidos de furosemida 40 mg são facilmente encontrados nas farmácias e é recomendado seguir a posologia descrita na bula do medicamento ou a dose indicada pelo seu médico. A furosemida também pode ser encontrada na forma de solução oral de 10 mg por mL.

Geralmente, ela é ingerida por via oral, acompanhada ou não de refeições de acordo com a orientação médica, cerca de uma a duas vezes por dia. Não existe um horário certo para tomar o medicamento, mas os médicos sugerem evitar a ingestão da substância dentro de 4 horas antes de dormir, já que se trata de um diurético que pode atrapalhar seu sono devido à vontade de fazer xixi.

A dosagem varia de acordo com a condição médica a ser tratada, a idade, o peso e a resposta do indivíduo ao tratamento.

Para o tratamento de edemas, por exemplo:

  • Adultos devem tomar de 20 a 80 miligramas uma vez por dia ou divididas em duas doses por dia.
  • Crianças devem ter a dose determinada pelo peso, em que é indicada a posologia de 2 miligramas de furosemida por kg

Para o tratamento de pressão arterial elevada:

  • Adultos devem tomar 40 miligramas de furosemida duas vezes ao dia.
  • Crianças não costumam apresentar pressão alta. Se isso ocorrer, o caso deve ser avaliado pelo médico para administrar a dose adequada.

É importante atentar se você estiver usando outros medicamentos como sucralfato, colestiramina ou colestipol, que são substâncias que diminuem a absorção de furosemida. Assim, se estiver tomando algum desses medicamentos, a dose de furosemida deverá ser aumentada de acordo com orientação médica ou tomada em uma distância de pelo menos 2 horas desses medicamentos.

Dicas e Precauções

  • Alergias: Antes de tomar furosemida, informe seu médico sobre qualquer tipo de alergia que você apresenta pois o medicamento pode conter ingredientes inativos que podem te causar problemas alérgicos;
  • Histórico médico: Também é importante informar ao profissional da saúde se você já teve histórico de doenças renais, problemas no fígado, dificuldade para urinar ou doenças como gota e lúpus;
  • Níveis de glicose: Se você é diabético, a furosemida pode afetar os níveis de açúcar no sangue e é preciso estar atento e controlar a glicose sanguínea ou adequar a dosagem de furosemida. Também pode ser necessário ajustar os medicamentos para diabetes assim como seu plano de exercícios e sua dieta;
  • Níveis de potássio: A furosemida também pode reduzir o nível de potássio no sangue, o que pode ser facilmente resolvido ao adicionar alimentos ricos em potássio na dieta, como bananas e laranjas, ou usar suplementos de potássio, se necessário;
  • Sensibilidade ao sol: A substância também pode aumentar sua sensibilidade ao sol. Assim, é indicado evitar se bronzear e tomar muito sol durante o uso do medicamento para evitar vermelhidão e queimaduras na pele;
  • Privações: Como é possível ter tontura ou visão embaçada, é indicado que quem está tomando o medicamento não conduza máquinas ou automóveis e nem exerça atividades que exijam vigilância ou visão clara;
  • Risco de desidratação: Também é importante atentar para outros sintomas como transpiração excessiva, diarréia e vômitos, pois estes podem aumentar o risco de desidratação causado pela ingestão em demasia da furosemida.
  • Risco para gestantes, bebês e idosos: A furosemida não é indicada para mulheres grávidas ou lactantes, pois pode afetar a produção de leite e passar para o leite materno, podendo causar desidratação e cálculos renais no bebê. Além disso, bebês e idosos são mais sensíveis aos efeitos colaterais, especialmente a tonturas e desidratação.

É importante ter em mente que a furosemida é um medicamento potente e que o uso sem controle pode causar problemas sérios como desidratação severa e perda de sais e minerais essenciais ao organismo. Por esse motivo, é indispensável consultar um médico antes de tomar a medicação. Além disso, não hesite em procurar o seu médico se surgirem efeitos adversos mais graves listados acima.

Fontes e Referências Adicionais:

O medicamento Furosemida já lhe foi receitado por algum médico? Já sabia para que serve esse remédio e realmente sofre com a retenção de líquidos? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (20 votos, média: 3,90 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário