Preenchimento com PMMA

Preenchimento com PMMA é Seguro? O Que é, Complicações e Riscos

O preenchimento com PMMA é um procedimento estético que tem conquistado muitos adeptos devido à possibilidade de corrigir imperfeições por meio de um método pouco invasivo.

Mas o que é esse procedimento? O preenchimento com PMMA é seguro seguro o bastante para ser internalizado no nosso organismo? Aqui serão esclarecidos todos os riscos e complicações associados a esse procedimento e se ele é ou não seguro para a saúde.

PMMA – O que é

O preenchimento com PMMA é uma técnica conhecida também como bioplastia. Trata-se de um procedimento estético em que microesferas de PMMA são inseridas abaixo da pele através de espécies de microagulhas semiflexíveis chamadas de microcânulas. A grande vantagem desse método é de modelar o corpo sem incisões e sem gerar cicatrizes.

O PMMA é a sigla para polimetilmetacrilato, um polímero com propriedades termoplásticas que começou a ser usado na década de 1990 no Brasil. Esse método de preenchimento foi criado no Brasil pelo Doutor Almir Moojen Nácul e tem sido aprimorado desde então.

A bioplastia é considerada um procedimento estético minimamente invasivo em que microesferas de PMMA são suspensas em um gel composto de carboximetilcelulose, outro polímero biocompatível com as estruturas do corpo humano e biodegradável que serve como meio de transporte do PMMA até o local do implante. Esse composto é muito utilizado devido à sua estabilidade e ao fato de não reagir com outras substâncias presentes no corpo.

Quando o implante é feito, ocorre a expansão das microesferas que vão preencher o local escolhido para o procedimento. Além disso, essas microesferas criam um suporte onde novos tecidos podem crescer. Isso quer dizer que tecidos adiposos que são naturalmente perdidos durante o processo de envelhecimento por uma má nutrição ou por doenças podem ser recuperados, promovendo uma espécie de rejuvenescimento.

Preenchimentos com PMMA podem ser feitos em todas as regiões do rosto como o nariz, as maçãs do rosto e o queixo, nos lábios, nas mãos e nos glúteos. Regiões como peitoral, tríceps, bíceps não são adequadas para o preenchimento.

De acordo com especialistas, o PMMA tem o diâmetro ideal para entrar no corpo humano sem que outras células “ataquem” o composto como um corpo estranho. Assim, os preenchimentos realizados com PMMA no lugar de outros polímeros usados na estética parecem apresentar melhores resultados.

Em geral, o preenchimento com PMMA é buscado por pessoas que querem ficar mais bonitas e joviais. O preenchimento é capaz de mudar os volumes faciais e redesenhar o rosto e algumas partes do corpo. Assim, a bioplastia pode ser usada para corrigir rugas ou marcas de expressão, aprimorar os contornos do rosto, corrigir imperfeições no nariz e aumentar o volume dos lábios ou dos glúteos, por exemplo.

O procedimento

O procedimento é feito com anestesia local. Os microfuros são feitos no local desejado e são menores do que 0,5 milímetros através dos quais as microesferas de PMMA são inseridas. O preenchimento costuma levar cerca de 40 a 60 minutos no rosto e uma média de 1 hora e meia na região das nádegas.

Ao fim do preenchimento, o paciente pode ir para casa com algumas fitas cirúrgicas hipoalérgicas sobre o local em que foi feita a aplicação de PMMA. Essas fitas devem ficar sobre a pele por cerca de 2 dias e depois disso podem ser removidas.

O profissional responsável pelo procedimento pode prescrever medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios para promover uma recuperação mais rápida e indolor. Também pode ser bom aplicar compressas frias para aliviar possíveis hematomas ou inchaço na região que podem surgir nos primeiros 15 dias. Além disso, é essencial usar um protetor solar adequado na pele.

Uma semana após o procedimento, o paciente deve voltar à clínica para que o profissional possa avaliar se o resultado foi satisfatório e é possível retornar às atividades de rotina 1 dia após o preenchimento com PMMA.

Preenchimento com PMMA é Seguro?

Desde que seja realizado por um profissional competente, aparentemente o preenchimento com PMMA é seguro e até mesmo menos invasivo e traumático do que cirurgias plásticas, por exemplo. O fato de não causar hematomas nem cicatrizes no local da aplicação e a rápida recuperação tornam o método bastante convidativo. Além disso, como não é necessário nenhum tipo de corte, a anestesia utilizada pode ser apenas local e o paciente normalmente volta para casa imediatamente após a cirurgia.

No entanto, ainda que pareça só apresentar vantagens, há controvérsias sobre a segurança do procedimento.

Alguns especialistas sugerem que o PMMA não é um composto seguro devido às possíveis complicações relacionadas ao procedimento.

No entanto, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) esclarece que o PMMA é aprovado para usos estéticos desde que respeitadas as quantidades que podem ser aplicadas em cada região por um profissional habilitado.

Isso significa que realizar preenchimentos com PMMA é seguro, mas é importante escolher um bom profissional e não extrapolar as doses recomendadas.

Complicações e riscos

Ainda que o método seja seguro, alguns implantes de PMMA têm sido associados a efeitos colaterais como equimose, inchaço, hematomas, eritema, prurido, cicatrizes hipertróficas, hipersensibilidade, reações alérgicas, necrose tecidual, cegueira, nódulos palpáveis e granuloma de corpo estranho.

Os principais riscos e efeitos adversos para a saúde incluem:

  • Inchaço;
  • Sensibilidade;
  • Dor;
  • Vermelhidão;
  • Morte dos tecidos;
  • Infecções.

Em casos em que o PMMA não é de boa qualidade, podem ocorrer reações alérgicas e processos inflamatórios graves. A inflamação local e suave é normal devido aos microfuros nos tecidos, mas se isso persistir por muito tempo ou se espalhar pelo corpo, todo o organismo pode ser prejudicado.

Além da possibilidade de efeitos colaterais, há o risco de o PMMA entrar nos vasos sanguíneos e causar coágulos que podem ser fatais.

Outro problema é que as complicações podem surgir a qualquer momento, podendo ocorrer momentos após a cirurgia ou até mesmo anos depois.

Esses problemas costumam acontecer quando são usados PMMA de procedência duvidosa, quando quantidades muito grandes de PMMA são usadas ou quando o cirurgião ou dermatologista não sabe aplicar a técnica corretamente. O preenchimento deve ser feito superficialmente e se, por descuido ou falta de habilidade técnica, o profissional inserir as microcânulas muito profundamente, é muito provável que ocorram complicações durante ou após o procedimento como o escape de PMMA para outras regiões do corpo, aumentando o risco de infecções e reações alérgicas.

Além disso, se o PMMA for mal aplicado, pode haver um resultado diferente do que o paciente imaginou, podendo até ocorrer deformações e assimetrias na pele do rosto.

A maioria desses problemas pode ser evitado usando apenas quantidades permitidas pela ANVISA e procurando um profissional sério e familiarizado com a técnica.

Considerações

O preenchimento com PMMA é seguro e muito usado devido ao seu baixo custo, acessibilidade e facilidade de aplicação. Porém, há relatos de problemas com o preenchimento de PMMA, o que indica que o procedimento tem seus riscos como qualquer tipo de técnica cirúrgica, mesmo que seja minimamente invasiva.

O ideal é procurar um profissional sério que use apenas as quantidades permitidas e recomendadas de PMMA e que use um composto de alta qualidade.

Por se tratar de uma região grande em que uma alta concentração de PMMA é requerida para fins de aumento de volume, pode não ser uma boa ideia usar esse método para remodelar e aumentar o bumbum, já que maior será o risco de complicações. Nestes casos, a ANVISA recomenda o uso de PMMA apenas para fins corretivos em que a concentração do composto é mais baixa.

De um modo geral, quando utilizado em doses baixas em pequenas áreas do corpo e aplicado por um profissional qualificado, o procedimento traz bons resultados e pouquíssimos riscos para a saúde. Mas é preciso considerar os prós e os contras antes de realizar o preenchimento e analisar se realmente vale a pena colocar sua saúde em risco por causa de um procedimento estético.

Referências adicionais:

Você conhece alguém que tenha feito e afirme que o preenchimento com PMMA é seguro? Já conhecia o que é esse procedimento e tem vontade de fazer? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*