Remédio para Espinhas – 6 Mais Usados

Especialista:
atualizado em 23/10/2019

Você já precisou usar um remédio para espinhas? Sofre frequentemente com essa condição de pele e pretende aprender como tratar? Separamos as melhores opções para você.

Nossa pele apresenta poros que são pequenos orifícios que podem ficar bloqueados pela presença de sujeira, células mortas, óleo e micro-organismos como bactérias. Esse bloqueio costuma ser o principal responsável pelo surgimento de espinhas.

Apesar de o problema não ser grave, as espinhas podem doer, incomodar e deixar cicatrizes na pele e são muitas as pessoas que buscam soluções para eliminá-las. A pergunta que queremos te fazer é: você sabe tratar as espinhas da forma correta?

Confira aqui algumas dicas gerais de como tirar espinhas e acabar de vez com elas.

Abaixo, vamos falar sobre os remédios para espinhas mais usados e fazer uma breve análise sobre a eficácia de cada um deles. Também daremos dicas de remédio caseiro para espinhas para que você consiga tratá-las de uma forma natural, se assim preferir.

Espinhas

As espinhas são um tipo de acne que podem surgir na pele. As mais comuns podem ter a pontinha branca ou preta, sendo que as pretas são chamadas de cravos e adquirem essa cor devido ao contato do seu conteúdo com o oxigênio do ar.

Inflamações também podem se desenvolver na pele formando pápulas, pústulas, nódulos ou cistos.

  • Pápulas: inchaços avermelhados causados pela presença de folículos pilosos infectados ou inflamados;
  • Pústulas: espinhas vermelhas pequenas que apresenta pus nas pontas;
  • Nódulos: nódulos sólidos que podem doer e que ficam abaixo da superfície da pele;
  • Cistos: nódulos grandes sob a pele que são doloridos e que contêm pus.

Como já mencionado, a principal causa de espinhas é o bloqueio dos poros com células mortas, bactérias, sujeira ou excesso de sebo.

Em cada poro da pele existe um folículo e cada folículo é composto por um fio de cabelo e uma glândula sebácea. Essa glândula produz o sebo (ou óleo) que passa através do pelo e sai pelo poro até alcançar a pele para mantê-la macia e lubrificada. No entanto, quando esse sebo é produzido em excesso ou quando há um bloqueio nos poros e o óleo não consegue alcançar a pele, as espinhas tendem a aparecer.

Muitos são os fatores que podem contribuir para o surgimento da acne. Alguns deles incluem:

  • Uso de medicamentos como corticosteroides ou anticoncepcionais;
  • Herança genética;
  • Dieta rica em carboidratos ou açúcares refinados;
  • Mudanças hormonais durante a puberdade ou gestação.

Apesar de muita gente acreditar que o consumo de chocolate dá espinha, assim como as frituras, não há evidências científicas que comprovem esse fato até o momento.

Remédio para Espinhas

O tratamento das espinhas pode envolver uma série de abordagens desde hábitos de higiene e uso de medicamentos. Um remédio para espinhas e cravos geralmente é indicado quando o caso é grave ou quando há bactérias que precisam ser combatidas.

Quando muitos cremes, loções, sabonetes e outros produtos para a espinha já foram testados na pele sem sucesso, pode ser o momento de procurar um dermatologista para dar mais atenção ao problema. Alguns medicamentos de uso oral ou tópico para tratar as espinhas são indicados abaixo.

1. Antibióticos

Antibióticos tópicos ou de uso oral podem ser eficazes no tratamento das espinhas. Eles atuam reduzindo a inflamação na pele, diminuindo a vermelhidão e combatendo a Propionibacteria acnes – uma das bactérias causadoras de acne.

Os antibióticos de uso tópico são os mais recomendados, enquanto que os de uso oral são deixados para tratar casos mais sérios ou persistentes de espinhas.

Exemplos de antibióticos orais utilizados no tratamento incluem a tetraciclina, a doxiciclina, a eritromicina e a minociclina. De acordo com a American Academy of Dermatology, esses antibióticos devem ser usados por no máximo 6 meses, já que o uso de antibióticos pode tornar a bactéria resistente.

Os antibióticos tópicos ou orais tendem a funcionar melhor quando são combinados com algum produto de uso tópico, que pode ser um retinoide ou o peróxido de benzoíla, por exemplo. A combinação de um antibiótico com o peróxido de benzoíla pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de resistência a antibióticos. Exemplos de combinações incluem o uso de clindamicina ou eritromicina com peróxido de benzoíla.

Geralmente, é indicado usar um retinoide e um antibiótico no início do tratamento, sendo que o antibiótico pode ser usado pela manhã e o retinoide antes de dormir.

Alguns efeitos colaterais podem incluir desconfortos estomacais, tontura e sensibilidade ao sol.

2. Anticoncepcionais

Os contraceptivos combinados – que contêm progesterona e estrogênio em sua composição – de uso oral também podem ser usados como remédio para espinhas em algumas mulheres. Isso porque o medicamento é capaz de diminuir as secreções das glândulas sebáceas através da supressão de hormônios andrógenos.

Dessa forma, mulheres que sofrem de acne devido ao acúmulo de sebo nos poros podem se beneficiar desse tipo de tratamento após alguns meses de uso.

Efeitos adversos que podem surgir são aumento de peso, náusea e sensibilidade nos seios.

3. Isotretinoína

A tretinoína e a isotretinoína são os retinoides mais conhecidos. Outros exemplos desse tipo de remédio para espinhas incluem o tazaroteno e o adapaleno. Tratam-se de compostos derivados da vitamina A que podem ajudar a evitar o entupimento dos poros.

A isotretinoína é um remédio muito potente contra as espinhas e geralmente gera bons resultados em casos de espinhas graves.

A substância funciona reduzindo o tamanho das glândulas sebáceas e, consequentemente, diminuindo a concentração de óleo na pele. Dessa forma, os poros deixam de ficar obstruídos e a quantidade de espinhas pode ser drasticamente reduzida.

Em geral, esse tipo de creme é aplicado na pele 3 vezes por semana no início para que a pele acostume com o produto e, depois, pode ser aplicado diariamente.

Porém, mulheres grávidas não devem usar a isotretinoína pois o medicamento está associado com a ocorrência de defeitos congênitos. Além disso, a substância é forte e pode causar efeitos adversos como colite ulcerativa e aumento do risco de depressão.

4. Ácidos

Alguns ácidos como o ácido salicílico e o ácido azelaico podem ser utilizados no tratamento de espinhas devido aso seus efeitos bactericidas. O uso de um creme de ácido azelaico 20%, por exemplo, parece ser bastante eficaz quando usado 2 vezes por dia durante um período de pelo menos 1 mês. Apesar de apresentar propriedades bactericidas, se usado em conjunto com um antibiótico, os resultados são ainda melhores.

Efeitos colaterais que podem ser observados incluem descoloração da pele e irritação. Apesar de ser um efeito adverso, a descoloração promovida pelo ácido azelaico o torna um ótimo remédio para tirar manchas de espinhas que ficam na pele.

Já o ácido salicílico atua prevenindo a obstrução dos poros e pode ser utilizado para limpar e esfoliar a pele. No entanto, há poucos estudos sobre a eficácia do composto.

Veja aqui um resumo para entender qual é o melhor ácido para espinhas e cravos no seu caso.

5. Aldactona

A aldactona ou espironolactona é um remédio anti-andrógeno recomendado apenas para mulheres adultas e em alguns casos para mulheres adolescentes.

Trata-se de um medicamento comumente utilizado para tratar alterações hormonais e que pode ser útil também para tratar a acne quando outros tipos de tratamentos não surtirem efeito. Ele atua bloqueando o efeito dos hormônios andrógenos sobre as glândulas sebáceas, reduzindo a produção de sebo. Dessa forma, a aldactona é um bom remédio para espinhas e cravos pois previne o surgimento de ambos.

Alguns efeitos adversos como ciclos menstruais dolorosos e sensibilidade nas mamas podem ser notados.

6. Dapsona

A dapsona 5% é um gel que pode ser aplicado na pele 2 vezes por dia para o tratamento de espinhas inflamadas. O remédio é muito bom para o tratamento de acne inflamatória e tende a ser mais eficiente em mulheres adultas.

Porém, ele deve ser usado com cautela, pois pode deixar a pele um pouco avermelhada e ressecada durante o tratamento.

Opções Caseiras de Tratamento

Nem sempre o problema é grave o bastante para usar medicamentos. Dessa forma, é sempre bom ter em mente algum remédio caseiro para espinhas que possa te ajudar em casos mais leves ou ocasionais de acne.

A maioria dos remédios caseiros para espinhas são obtidos de ervas ou outros compostos naturais ou facilmente encontrados no dia a dia. Algumas opções são:

1. Óleo de árvore do chá

O óleo de árvore de chá apresenta propriedades anti-inflamatórias e bactericidas que ajudam a eliminar a P. acnes, uma bactéria que causa acne.

O efeito anti-inflamatório do óleo também ajuda a diminuir o inchaço e a vermelhidão na pele com espinhas. Segundo um estudo de revisão publicado em 2015 no International Journal of Antimicrobial Agents, o óleo de árvore do chá é capaz de tratar a acne leve ou moderada. Ainda de acordo com esse estudo, se o óleo for misturado com uma solução de peróxido de benzoíla 5%, os resultados obtidos podem ser ainda mais satisfatórios.

Para usar o óleo de árvore de chá, é necessário misturá-lo com um óleo transportador ou com um creme antes da aplicação tópica.

2. Aloe vera

Trata-se de uma substância bactericida e anti-inflamatória que pode ajudar no tratamento e na prevenção das espinhas. Por conter muita água em sua composição, o Aloe vera ajuda a hidratar, sendo uma ótima opção para pessoas que ficam com a pele muito ressecada ao usar outros produtos para combater as espinhas.

Em um estudo publicado no Journal of Dermatological Treatment em 2014, foram comparados os efeitos de um gel contendo Aloe vera e tretinoína com os de um creme contendo apenas tretinoína em pessoas com acne leve a moderada. Após 8 semanas de tratamento, os participantes do estudo que usaram a mistura apresentaram uma melhora mais significativa do que aqueles que usaram apenas a tretinoína isolada.

O Aloe Vera pode ser aplicado diretamente sobre a pele. Também existem cremes e géis que contêm Aloe vera em sua composição que podem ser utilizados.

3. Óleo de jojoba

O óleo de jojoba é extraído das sementes do arbusto de jojoba. As substâncias encontradas nesse óleo ajudam a reparar a pele danificada e a acelerar a cicatrização, o que ajuda no tratamento da acne. Algumas dessas substâncias também auxiliam na redução da inflamação, deixando a pele menos inchada e avermelhada.

Um estudo envolvendo 133 pessoas com acne mostrou que, após 6 semanas de uso de uma máscara de argila contendo óleo de jojoba, foi observada uma melhora estimada em 54% em relação à acne.

O óleo de jojoba pode ser aplicado nas espinhas com o auxílio de um chumaço de algodão ou misturado com um creme ou gel.

4. Alho

Adeptos da medicina tradicional usam o alho para tratar infecções e aumentar a capacidade do corpo de combater germes. Isso se deve ao fato de o alho apresentar compostos organossulfurados com propriedades bactericidas e anti-inflamatórias e que também ajudam a estimular o sistema imunológico.

Incluir o alho na dieta é a maneira mais eficaz de combater as espinhas. A aplicação direta de alho na pele pode irritar a pele ainda mais já que ele pode causar queimaduras.

5. Vinagre de maçã

O vinagre de maçã pode combater várias bactérias e vírus, incluindo a bactéria que causa acne. Isso se deve à presença de ácidos orgânicos no vinagre que ajudam a eliminar as bactérias, reduzir a inflamação e evitar a formação de cicatrizes na pele ou ao menos suavizá-las.

Uma sugestão de aplicação consiste em misturar 1 parte de vinagre de maçã para cada 3 partes de água. Se a pele for muito sensível, pode ser preciso adicionar mais água à mistura. A pele deve ser limpa com a solução e, logo em seguida, é recomendado enxaguar bem com água para evitar irritações.

6. Suplementos vitamínicos

Alguns estudos mostram que tomar suplementos vitamínicos de uso oral como o zinco e o óleo de peixe pode tratar e prevenir espinhas.

7. Mel

O mel é usado há milhares de anos para tratar doenças da pele. Além de seus efeitos bactericidas e cicatrizantes, a presença de compostos antioxidantes em sua composição ajuda a eliminar resíduos que entopem os poros da pele.

O mel pode ser aplicado na pele com um pedaço de algodão ou com o dedo mesmo.

8. Equinacea

A Equinacea apresenta propriedades que ajudam a combater vírus e bactérias, incluindo a P. acnes. Essa erva pode impulsionar o sistema imune e diminuir a inflamação.

Algumas pessoas aplicam cremes contendo Equinacea na pele em locais com espinhas ou usam suplementos da erva.

9. Chá verde

O chá verde apresenta antioxidantes polifenóis conhecidos como catequinas. Tais antioxidantes ajudam o corpo a eliminar substâncias e resíduos que podem danificar as células saudáveis da pele.

A bebida também pode ajudar a diminuir a produção de sebo da pele e a inflamação e a reduzir a quantidade de bactérias P. acnes na pele.

Um estudo publicado em 2017 no periódico científico Antioxidants mostra que beber ou aplicar o chá verde sobre a pele pode ajudar com as espinhas. Uma pesquisa publicada anteriormente no Journal of Investigative Dermatology em 2013 indica uma redução de 79 a 89% de cravos e espinhas após o uso de extrato de chá verde por um período de 2 meses.

10. Alecrim

O extrato de alecrim apresenta propriedades bactericidas, anti-inflamatórias e antioxidantes. São poucos os estudos sobre os efeitos do alecrim em relação à acne, mas um estudo de 2013 sugere que o extrato é capaz de reduzir a inflamação associada as espinhas.

11. Óleo de coco

O efeito anti-inflamatório e antibacteriano do óleo de coco também pode ser útil contra as bactérias que causam as espinhas. Dessa forma, o óleo de coco pode diminuir a vermelhidão e o inchaço além de acelerar a cicatrização em feridas abertas.

O óleo de coco, preferencialmente o extravirgem, pode ser aplicado diretamente na pele com acne.

Outras dicas

Alguns tratamentos estéticos podem auxiliar no controle das espinhas. Exemplos incluem:

– Terapia fotodinâmica ou laser

O tratamento com luz e laser é uma alternativa para tratar espinhas, pois além de ajudar a diminuir a concentração de bactérias na pele, também pode ser eficaz para a remoção de manchas e cicatrizes. No entanto, estudos ainda precisam ser conduzidos para determinar a melhor forma de aplicar essas técnicas.

– Injeções de esteroides

A aplicação de esteroides por via intravenosa diretamente no local afetado é uma estratégia para diminuir a dor e a inflamação rapidamente. Porém, a pele pode ficar mais sensível ou fina após o procedimento.

– Peeling químico

O peeling químico é um procedimento estético em que um composto químico como o ácido salicílico, o ácido retinoico ou o ácido glicólico é aplicado sobre a pele. Isso resulta em uma descamação e promove a renovação das células epiteliais, removendo cravos e espinhas.

– Extração de espinhas e cravos por um dermatologista

Um dermatologista ou esteticista capacitado pode usar ferramentas específicas para remover cravos e espinhas com segurança. No entanto, podem surgir cicatrizes na pele.

Há muitas dicas simples que podem ser adotadas para prevenir e tratar as espinhas, tais como:

– Evitar tocar muito no rosto

Tocar nas espinhas pode irritar a pele ou espalhar o problema para as regiões ao redor. Além disso, ficar tocando nas espinhas pode fazer com que mais bactérias entrem nos poros.

– Limpar a pele com sabão neutro e água todos os dias

A limpeza diária é muito importante para controlar a oleosidade e remover as impurezas da pele.

– Escolher maquiagens

Optar por maquiagens à base de água e “não-comedogênicas (o que significa que elas não entopem os poros) é uma boa medida para tratar e evitar as espinhas.

– Não espremer as espinhas

Espremer as espinhas pode espalhar a oleosidade, as bactérias ou outros resíduos ou empurrá-los para dentro da pele.

– Diminuir o estresse

De acordo com a American Association of Dermatology, uma das possíveis causas de surtos de espinhas é o estresse. Isso porque o estresse aumenta os níveis dos hormônios andrógenos que estimulam folículos pilosos e as glândulas sebáceas, o que aumenta o risco de acne.

O estresse pode ser controlado de diversas formas. Algumas delas incluem praticar atividades relaxantes e prazerosas e dormir bem, por exemplo.

– Praticar exercícios físicos

A atividade física estimula a circulação do sangue, o que por sua vez ajuda a nutrir as células epiteliais e ajuda a evitar as espinhas. O exercício também ajuda a reduzir o estresse e a regular alguns hormônios que são fatores que podem desencadear as espinhas.

Manter a pele limpa principalmente depois de se exercitar para remover o suor acumulado também é essencial.

Dicas finais

Mais algumas dicas que podem funcionar para algumas pessoas são:

  1. Proteger a pele do sol;
  2. Manter-se bem hidratado;
  3. Lavar o cabelo com frequência e evitar deixá-lo cair no rosto;
  4. Evitar o uso de chapéus ou lenços apertados sob a cabeça ou a testa.

O tratamento com um remédio para espinhas geralmente é um tratamento temporário para controlar a acne e depois a pele pode continuar sendo tratada com produtos menos agressivos de uso tópico.

É preciso ter paciência, pois os resultados do tratamento não são imediatos. Além disso, você pode ter a sensação de que sua pele está piorando antes que ela comece a melhorar. É essencial que você tire todas suas dúvidas com um dermatologista sobre o que esperar do tratamento para não desistir antes de obter bons resultados.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você encara problemas com a acne frequentemente? Já experimentou algum remédio para espinhas da nossa lista? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário