Sal Amargo para Espinhas Funciona?

Especialista:
atualizado em 11/07/2020

Para entendermos se usar sal amargo para espinhas funciona, é necessário conhecer do que se trata esse produto, não é mesmo?

O sal amargo – que também é conhecido pelo nome de sal de Epsom – trata-se do mineral sulfato de magnésio, que pode ser dissolvido em água e consumido via oral ou utilizado em banhos de imersão.

Será que o sal amargo para espinhas funciona?

Quando secreções oleosas das glândulas sebáceas tampam as pequenas aberturas dos folículos capilares, é que se tem o desenvolvimento da acne.

E é justamente a acne a condição responsável por provocar o aparecimento das indesejáveis espinhas. Além disso, o problema também pode provocar inflamações inchadas e macias, caroços mais profundos ou nódulos.

O problema pode ser causado por uma série de fatores como: excesso de produção de oleosidade da pele, acúmulo de bactérias, tendência à inflamação, desregulação hormonal e propensão ao acúmulo de células e tecidos mortos.

Muitas pessoas utilizam o sal amargo para espinhas por meio de banhos, através de máscaras e com esfoliações preparadas à base do produto.

Existem poucas evidências de que o magnésio do sal de Epsom ou sal amargo possa ser absorvido através da pele, ainda que existam evidências anedóticas, ou seja, provenientes de relatos que carecem de comprovação, que apontam que o produto pode promover alívio para algumas condições de pele.

Mesmo com essa falta de garantias, aparentemente existem algumas pessoas que utilizam o sal de Epsom ou sal amargo como uma estratégia para a diminuição do inchaço e a inflamação provenientes da acne.

Neste mesmo sentido, existem estudos que apontam que o sulfato de magnésio (sal de Epsom/sal amargo) é um mineral utilizado como anti-inflamatório e esfoliante para o rosto e o corpo, porém, não abordam possíveis efeitos específicos para a acne e as espinhas que podem acompanha-la.

Além disso, há informações de que o sal amargo/sal de Epsom também é bom para a inflamação.

Observamos que os possíveis benefícios do sal amargo para espinhas também são considerados anedóticos, ou seja, são decorrentes de depoimentos sem comprovação, e que a utilização do sal de Epsom ou sal amargo para a acne não foi cientificamente provada.

Ainda assim, é possível que o produto amenize a inflamação ou diminua o inchaço e seja mais apropriado para quem tem acne leve ou que não ocorre frequentemente.

Mas como ter garantias em relação à utilização do sal amargo para espinhas?

A melhor forma de saber se o sal de Epsom ou sal amargo para espinhas funciona para o seu caso em particular é consultar um médico dermatologista. O profissional é o mais apto e qualificado para examinar e diagnosticar o seu quadro de acne e espinhas e determinar o tratamento mais apropriado para o problema, especificando se isso inclui o sal de Epsom/sal amargo ou não.

Vale lembrar que cada pessoa pode apresentar o seu próprio quadro de acne e espinhas e, portanto, mesmo que o produto funcione e não faça mal para uma pessoa, isso não significa que a mesma coisa necessariamente aconteça com outras pessoas.

Utilizar o sal de Epsom ou sal amargo no rosto para tratar a acne e as suas espinhas sem consultar o médico dermatologista é arriscado não somente pela possibilidade da estratégia não dar certo, mas também pelo fato de não saber se a tática pode fazer mal.

A utilização de produtos próprios para o tratamento da acne, o uso de métodos naturais para diminuir o problema ou de medicamentos próprios para o tratamento da condição pode fazer com que melhores resultados sejam alcançados no sentido de lidar com o problema. Entretanto, mais uma vez vale a ressalva: consulte um médico dermatologista para encontrar uma estratégia de tratamento que seja segura e eficiente para o seu caso, em particular.

Existem perigos associados ao uso do sal amargo para espinhas?

Conforme informações encontradas, a aplicação tópica do sal amargo ou sal de Epsom é considerada segura para a maioria das pessoas, entretanto, se o produto não for completamente lavado, ele pode deixar um resíduo seco e desconfortável na pele.

Há ainda o perigo da pessoa ser alérgica ao sal amargo ou sal de Epsom e experimentar reações como urticária, erupção cutânea, inchaço nos lábios e na pele ou dificuldade para respirar.

Alertamos que, ao experimentar qualquer um dos sintomas mencionados acima, é necessário procurar imediatamente o auxílio médico. O mesmo vale para o aparecimento de qualquer tipo de efeito colateral em decorrência da aplicação tópica do produto.

Mesmo que a reação não aparente ser grave, é bom buscar a ajuda médica para se certificar de qual é a seriedade do problema e receber o tratamento apropriado, caso seja necessário.

Você já tinha ouvido falar do uso de sal amargo para espinhas? Conhece alguém que faça esse uso e tenha bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (17 votos, média: 4,47 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário