Trombose – Causas, tipos e tratamento

Especialista da área:
atualizado em 29/10/2020

Trombose é o bloqueio nos vasos sanguíneos causados por coágulos de sangue. Aqui, você vai encontrar os principais tipos, causas e tratamento para a trombose.

  Continua Depois da Publicidade  

A formação de coágulos sanguíneos (ou trombos) é um importante mecanismo para evitar a perda excessiva de sangue.

Assim, ao sofrer um corte ou lesão, o sangue forma coágulos sanguíneos para evitar o sangramento excessivo. Na maioria dos casos, eles são temporários e úteis para reduzir ou parar o sangramento.

Aliás, para saber se o seu sangue está coagulando de uma forma saudável, vale a pena fazer um coagulograma completo.

Na trombose, o coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo nas veias e artérias por bastante tempo e, assim, prejudica a saúde. Outro tipo de bloqueio perigoso para a saúde é aquele observado em casos de embolia gordurosa.

A fim de evitar a trombose e suas complicações, veja a seguir quais as causas e o tratamento. disponível.

Tipos

trombose

Existem vários tipos de trombose, mas os principais são:

  Continua Depois da Publicidade  

Trombose venosa

Ocorre o bloqueio de uma veia que transporta o sangue de volta para o coração. Há também a trombose venosa profunda em que o coágulo sanguíneo é formado na veia femoral da perna.

Trombose arterial

O bloqueio acontece na artéria que leva o sangue do coração para o resto do corpo. 

Outros tipos

  • Trombose pulmonar: o coágulo sanguíneo afeta os pulmões;
  • Trombose cerebral: o coágulo viaja até o cérebro.

Há ainda outros exemplos como a trombose que afeta os braços, o abdômen, o coração, etc.

Causas

Existem muitas causas possíveis e fatores de risco para a trombose.

Primeiramente, para a trombose venosa, as causas podem ser:

  • Fratura óssea;
  • Obesidade;
  • Imobilidade física;
  • Doença ou lesão nas veias das pernas;
  • Distúrbios hereditários;
  • Distúrbios autoimunes que aumentam o risco de coagulação;
  • Uso de remédios que aumentam a coagulação, como os anticoncepcionais.

Por outro lado, a principal causa de uma trombose arterial é o endurecimento das artérias (ou arteriosclerose) – que aumenta o risco de um coágulo de sangue se formar no local.

  Continua Depois da Publicidade  

Só para exemplificar, as complicações que podem surgir incluem um ataque cardíaco ou um AVC.

Fatores de risco

Embora a maioria seja igual, alguns fatores de risco variam segundo o tipo de trombose. Na trombose venosa, os fatores de risco podem ser:

  • Histórico pessoal ou familiar de trombose venosa profunda;
  • Gravidez;
  • Ausência de movimento após durante a recuperação de uma lesão, doença, cirurgia ou durante uma viagem longa;
  • Idade;
  • Tabagismo;
  • Lesões na veia causadas por cirurgias, ossos quebrados ou traumas;
  • Uso de cateter;
  • Doenças hereditárias de coagulação do sangue;
  • Obesidade;
  • Doenças como o câncer, doenças pulmonares, doença de Crohn ou doença cardíaca.

Além disso, pessoas com as seguintes condições ou características podem ter um risco maior de desenvolver trombose arterial:

  • Tabagismo;
  • Diabetes;
  • Hipertensão e colesterol alto;
  • Inatividade física e obesidade;
  • Dieta pobre em nutrientes;
  • Idade;
  • Histórico familiar de trombose arterial;
  • Falta de movimento por tempo prolongado.

Tratamento

remédio para trombose

O tratamento da trombose depende de vários fatores. A equipe médica deve considerar:

  • Idade, saúde geral e histórico médico do paciente;
  • Se há alguma doença ou complicação de saúde sendo tratada ao mesmo tempo;
  • Uso de remédios;
  • Se há risco de piora.

Logo após a análise clínica, o médico vai decidir a melhor abordagem terapêutica que pode ser com o uso de:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Anticoagulantes para diluir o sangue como a heparina e a varfarina, por exemplo;
  • Remédios para dissolver os coágulos sanguíneos como a altplase, a estreptoquinase e a tenecteplase;
  • Remédios que afinam o sangue como a aspirina;
  • Cateteres inseridos para ampliar os vasos sanguíneos afetados e garantir o fluxo de sangue adequado;
  • Stent ou estente (tubo expansível) que mantém o vaso sanguíneo aberto e impede seu fechamento.

Aliás, algumas pessoas acreditam que tomar aspirina ajuda a prevenir problemas cardíacos como o infarto. Confira se a aspirina pode prevenir um infarto e se o seu uso durante o incidente traz algum benefício.

Além disso, em casos mais graves, uma cirurgia para remoção de um coágulo sanguíneo pode ser necessária.

Tratamento complementar

Por fim, além de usar os remédios, é provável que o médico te oriente a:

Usar meias de compressão

As meias que comprimem as pernas ajudam a prevenir o inchaço associado à trombose e também ajudam na circulação do sangue.

Evitar longos deslocamentos

Voar de avião ou se deslocar em longas viagens de carro ou de ônibus é contraindicado para quem sofre de trombose, pois isso pode formar novos coágulos ou causar complicações.

  Continua Depois da Publicidade  

Praticar exercícios físicos

Se movimentar e praticar atividades físicas como caminhadas e corridas leves é indispensável para melhorar a circulação sanguínea e evitar a formação de coágulos no sangue.

Elevar as pernas ou os braços

A depender do local em que seu coágulo está localizado, o médico pode sugerir que você dedique alguns momentos do seu dia para manter o membro elevado para o sangue a circular melhor.

Sinais de alerta

Por fim, é essencial estar atento a sintomas de emergência de trombose, como por exemplo:

  • Falta de ar repentina;
  • Tosse com sangue;
  • Pressão no peito;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Dificuldade para respirar;
  • Dificuldade para enxergar ou falar.

Além disso, é importante conhecer os seus fatores de risco, seguir hábitos diários mais saudáveis e realizar exames de rotina.

Fontes e Referências Adicionais

Você já teve algum problema com coágulos sanguíneos? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhum voto ainda)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário