Colesterol alto – Sintomas, causas e tratamento

Especialista da área:
atualizado em 28/11/2020

Sempre que pensamos em colesterol, nos vem a ideia de que ele é algo ruim. Mas ele é uma substância muito importante para o corpo, que precisa dele para produzir hormônios, vitamina D e ácidos biliares.

  Continua Depois da Publicidade  

Vamos entender então para que serve exatamente o colesterol, quais os tipos e o que significa seu alto nível.

O que é?

colesterol HDL vs LDL

O colesterol pode ser encontrado em todas as células de nosso corpo, e possui funções naturais já demonstradas em estudos, que o tornam importante de um modo geral.

Ele é fabricado naturalmente, mas também pode ser obtido através de alimentos, o que induz ao aumento de seus níveis.

Os dois “tipos” principais de colesterol são:

  • LDL, ou lipoproteína de baixa densidade conhecida como “mau” colesterol;
  • HDL, ou lipoproteína de alta densidade conhecida como “bom” colesterol.

Os níveis de LDL e HDL são importantes não só para a saúde do coração, mas para a saúde de vários outros órgãos do corpo.

Para que serve?

O colesterol não traz apenas malefícios para o corpo. Ele possui quatro funções fundamentais:

  • Ele faz parte da estrutura das nossas células;
  • Auxilia na produção de ácidos biliares digestivos no intestino;
  • Contribui para a produção de vitamina D;
  • Ele permite que o organismo produza alguns hormônios.

O que causa o colesterol alto?

O colesterol alto é conhecido por vários nomes, como hipercolesterolemia, hiperlipidemia e dislipidemia, e é um fator de risco para doença coronariana. Algumas causas que podem ocasionar o seu aumento:

  • Dieta com alimentação irregular;
  • Sedentarismo;
  • Excesso de peso.

Alguns problemas de saúde podem levar ao seu aumento, mesmo que a pessoa se alimente de forma adequada. Nesses casos é de extrema importância o acompanhamento médico. São eles:

  • Diabetes;
  • Doença hepática ou renal;
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • Gravidez e outras condições que variam os níveis de hormônios femininos;
  • Irregularidades da tireoide;
  • Medicamentos que aumentam o colesterol LDL e diminuem o HDL, como esteroides, progesterona, anabolizantes e corticosteroides.

Sinais e sintomas de colesterol alto

colesterol alto

Os níveis elevados desta substância por si só não causam sintomas na maioria dos casos. Por isso é importante fazer exames de sangue periodicamente, pois ele pode passar despercebido e representar uma ameaça silenciosa.

  Continua Depois da Publicidade  

Os exames de colesterol e diagnóstico

O colesterol alto só pode ser diagnosticado através de exames de sangue, sempre após um jejum de 8 a 12 horas, para garantir resultados confiáveis.

Os níveis ideais dependem da idade da pessoa, assim como da presença ou não de fatores de risco. Por exemplo, alguém com o risco alto de problemas cardíacos deve manter níveis mais baixos dele no organismo.

Mas, de forma geral, os níveis ideais para adultos são:

Colesterol total

Desejável: abaixo de 190 mg/dl

Cabe ressalta aqui que o nível de colesterol total para crianças é diferente. Para elas, o desejável é abaixo de 170 mg/dl.

Colesterol HDL

Desejável: acima de 40 mg/dl

Colesterol LDL

Depende do grau de risco do paciente, seguindo a tabela abaixo:

Grau de risco do indivíduo  Nível de colesterol LDL ideal
Risco baixo 1abaixo de 130 mg/dl
Risco intermediário 2abaixo de 100 mg/dl
Risco alto 3abaixo de 70 mg/dl  
Risco muito alto 4abaixo de 50 mg/dl  

1 As pessoas com risco baixo são pessoas jovens, sem doenças ou com hipertensão bem controlada, com LDL entre 70 e 189 mg/dl.

  Continua Depois da Publicidade  

2 As pessoas com risco intermediário são pessoas com até 2 fatores de risco, como obesidade, hipertensão, tabagismo, arritmia ou diabetes, dentre outros, e que sejam iniciais, leves e bem controlados.

3 As pessoas com risco alto são pessoas com com múltiplos fatores de risco, como placas de colesterol nos vasos visíveis em exames de imagem, aneurisma de aorta abdominal, com LDL > 190mg/dl, diabetes há mais de 10 anos, doença renal crônica, dentre outros.

4 As pessoas com risco muito alto são aquelas com angina, infarto, AVC ou outro tipo de obstrução arterial por placas de aterosclerose, ou com qualquer obstrução arterial grave observado em exames, dentre outros.

Tratamento e prevenção de colesterol alto

Algumas mudanças no estilo de vida que são recomendadas por médicos para pessoas que tem níveis altos de colesterol possam reverter a situação:

  • Realizar exercícios físicos regularmente;
  • Evitar alimentos ricos em gordura saturada, ou seja, priorizar refeições com legumes, frutas, grãos integrais e ricos em fibras;
  • Não fumar;
  • Manter-se com peso saudável.

Existem ainda medicamentos específicos para reduzir os níveis de colesterol, definidos por diretrizes de tratamento publicadas pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Alguns deles são:

  • Estatinas, como a sinvastatina e a rosuvastatina;
  • Ezetimiba;
  • Resinas, como a colestiramina;
  • Fibratos, como o fenofibrato;
  • Ácidos graxos ômega 3;
  • Inibidores da PCSK-9, como o evolocumabe.

Mas é importante lembrar que todos esses medicamentos podem causar efeitos colaterais graves, e por isso devem sempre ser prescritos por um médico.

Veja abaixo o vídeo da nossa nutricionista falando sobre essa condição de saúde.

Gostou das dicas?

Você já foi diagnosticado com colesterol alto? Como estão seus níveis atualmente? O que já tem feito para melhorar? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (17 votos, média 4,53)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

3 comentários em “Colesterol alto – Sintomas, causas e tratamento”

  1. Bom gostei muito da matéria no meu caso eu acho que meu colesrol e hereditário de meu pai e tios que já faleceram de poblemas cardíacos gostaria muito de fazer um tratamento que não fosse a sinvastatina pois tenho muita fraqueza musculares

    Responder
  2. Obrigada pela informação. Mas li um artigo que fala sobre as estatinas e seus efeitos colaterais. Espero que a senhora possa nos informar mais sobre isso e indicar mais alimentos e dieta para diminuição do colesterol

    Responder
  3. Boa noite Dra Patricia! Foi de grande ajuda essa p/ mim esse artigo, pois logo hoje eu descobri que estou com o colesterol total de alto risco. Obrigado vc me ajudou muito, espero que venha novos artigos (matérias) que possa não só eu como demais pessoas que precisam dessas informações. Um Abraço!

    Responder