Anticoagulantes – Para que servem e como usar

Especialista:
atualizado em 09/02/2021

Você sabe o que são os anticoagulantes? Veja aqui para que servem e como usar esse tipo de medicamento.

  Continua Depois da Publicidade  

Às vezes, precisamos usar remédios para evitar a formação de coágulos sanguíneos. Embora os coágulos de sangue sejam benéficos na hora de estancar um sangramento, em outros momentos eles podem causar complicações de saúde como o entupimento de vasos sanguíneos, por exemplo.

A fim de evitar situações de risco de vida causadas por um coágulo sanguíneo, alguns médicos indicam o uso de anticoagulantes não só em situações de emergência, mas também no dia a dia.

Anticoagulantes – O que são

sangue

Os anticoagulantes são remédios que diluem os coágulos sanguíneos e que também previnem a formação de novos coágulos (ou trombos).

Isto é, eles atuam bloqueando a ação de compostos que permitem a coagulação do sangue – impedindo o desenvolvimento de coágulos.

Remédios com ação anticoagulante afetam as proteínas do sangue que estão ligadas ao processo de coagulação, inibindo esse mecanismo.

Em alguns casos, coágulos muito grandes ou em grupos podem afetar a circulação adequada do sangue e causar consequências sérias, como por exemplo:

  • AVC;
  • Trombose;
  • Embolia pulmonar.

É pois isso que anticoagulantes são tão importantes, já que eles evitam complicações que podem levar à morte.

Para que servem

Em resumo, o anticoagulante serve para evitar que coágulos de sangue se formem. No ponto de vista prático, isso reduz o risco de problemas de saúde graves como o derrame e o ataque cardíaco.

Além disso, o anticoagulante é usado para tratar quadros de trombose, para evitar complicações durante ou após um infarto e para prevenir o bloqueio de vasos sanguíneos.

  Continua Depois da Publicidade  

Muitas pessoas têm a ideia de que os anticoagulantes afinam o sangue, mas isso não é verdade. O sangue não se torna mais fino por causa do anticoagulante. Apenas os coágulos de sangue terão mais dificuldade para surgir.

Como usar um anticoagulante

injeção de anticoagulante

Em geral, o anticoagulante deve ser tomado 1 ou 2 vezes por dia com um pouco de água. No entanto, é essencial checar a dose correta na bula do remédio e, claro, com o seu médico. 

Lembre-se de que a dose é individual e a escolha do uso oral ou injetável deve ser feita por um profissional dependendo da gravidade do quadro clínico.

O tempo de tratamento também varia de acordo com o motivo por trás do uso.

Exemplos de anticoagulantes incluem a varfarina e a heparina, sendo que a varfarina é a mais prescrita pelos médicos por estar disponível como um comprimido. Por outro lado, a heparina é administrada por meio de uma injeção.

Além disso, outros anticoagulantes disponíveis são:

  • Rivaroxabana;
  • Apixabana;
  • Edoxaban;
  • Dabigatrana.

Apesar de a aspirina atuar de forma parecida, ela não é um anticoagulante, mas sim um antiplaquetário.

A saber, os antiplaquetários também previnem os coágulos sanguíneos, mas por meio de outro mecanismo. Nesse caso, o remédio atua na ligação das plaquetas, evitando assim que o coágulo comece a se formar.

  Continua Depois da Publicidade  

Indicações

O anticoagulante é indicado nos seguintes casos:

  • Pacientes com risco de desenvolver coágulos de sangue por qualquer razão;
  • Pessoas que passaram por um quadro de AVC, ataque cardíaco, trombose ou embolia pulmonar;
  • Indivíduos que têm arritmia cardíaca;
  • Pessoas que usam próteses cardíacas;
  • Pacientes que tem problemas cardíacos congênitos.

Efeitos adversos

O uso de um anticoagulante por causar alguns efeitos colaterais como por exemplo:

  • Surgimento de hematomas na pele;
  • Urina rosa ou vermelha;
  • Fezes com sinais de sangue;
  • Fluxo menstrual maior do que o normal;
  • Dedos roxos;
  • Mudança na temperatura nos dedos dos pés ou das mãos.
  • Sangramento excessivo.

Além disso, o uso incorreto pode causar hemorragias graves.

Por isso, é muito importante informar à equipe médica sempre que for fazer um procedimento sobre o uso de anticoagulantes. Isso inclui o seu dentista!

É essencial que ele saiba que você faz uso de um anticoagulante – principalmente se você vai se submeter a uma cirurgia para evitar o risco de sangramento e hemorragia.

Além disso, pessoas com problemas como diabetes, alterações significativas na pressão arterial, mau funcionamento do fígado ou problemas nos rins devem conversar com o médico antes de iniciar o tratamento. 

Por fim, alguns anticoagulantes não devem ser usados por mulheres grávidas. Sendo assim, informe seu médico se suspeitar de uma gravidez para que não ocorram danos à sua saúde nem à saúde do feto.

Cuidados com os anticoagulantes

Outro cuidado se refere ao uso de ervas ou fitoterápicos. Isso porque muitos desses compostos têm propriedades anticoagulantes que podem potencializar a ação do remédio. 

Assim, evite usar os seguintes suplementos ou ervas sem antes consultar um médico:

  • Ginkgo biloba;
  • Ginseng;
  • Boldo;
  • Pó de guaraná;
  • Arnica;
  • Dong quais;
  • Sálvia;
  • Cápsula de alho.

Além disso, é importante fazer alguns ajustes na alimentação para garantir a ação correta do anticoagulante no seu organismo.

Isso porque alguns alimentos que contêm alto teor de vitamina K podem afetar a ação de alguns anticoagulantes. Assim, pergunte ao seu médico se você precisa reduzir o consumo de alimentos ricos em vitamina K – como por exemplo o brócolis e a couve.

Além de tomar o seu anticoagulante, é fundamental fazer escolhas mais saudáveis no seu dia a dia para reduzir ainda mais o risco de doenças cardíacas ou outras complicações.

Sendo assim, alimente-se bem, pratique uma atividade física e tente manter um peso saudável.

Fontes e referências adicionais

Você usa algum anticoagulante como a varfarina no dia a dia? Então, comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário