Ventosaterapia – O que é, como é feita e benefícios

Especialista da área:
atualizado em 13/05/2021

Você conhece a técnica da medicina chinesa usada pelo medalhista olímpico Michael Phelps? Saiba o que é, como é feita e quais os benefícios da ventosaterapia.

  Continua Depois da Publicidade  

Depois que Michael Phelps foi visto cheio de marcas redondas no corpo em 2016, o interesse nessa terapia alternativa aumentou muito.

Algumas pessoas usam a ventosaterapia em combinação com outras técnicas alternativas como a acupuntura, por exemplo. Além disso, outra técnica que tem sido bastante usada por quem faz exercícios físicos regularmente é a liberação miofascial.

A ventosaterapia envolve o uso de ventosas para criar uma espécie de vácuo que melhora a circulação sanguínea – trazendo vários benefícios para atletas ou praticantes de atividades físicas.

O que é

A ventosaterapia – ou terapia com ventosas – é um tratamento natural usado principalmente para melhorar o rendimento em práticas esportivas e aliviar a dor de lesões.

De acordo com um estudo publicado em 2018 na revista The Journal of Alternative and Complementary Medicine, a ventosa é usada como terapia complementar para:

  • Tratar dores musculares no corpo;
  • Melhorar o desempenho físico;
  • Acelerar a recuperação de lesões;
  • Aliviar a dor de cabeça ou a enxaqueca.

Acredita-se que o vácuo criado pelas ventosas no corpo melhora o fluxo sanguíneo e acelera a cura.

  Continua Depois da Publicidade  

Como é feita

ventosas

A ventosa cria um vácuo que suga a pele e aumenta o diâmetro dos vasos sanguíneos. Como resultado, é observado:

  • Melhor circulação sanguínea;
  • Aumento da oxigenação;
  • Remoção de toxinas.

Geralmente, é usado um copo ou xícara de silicone ou de vidro, ou ainda uma ventosa elétrica de autossucção, que cria para criar um vácuo local sobre a pele.

Para gerar o vácuo, a ventosa é previamente aquecida ou então é utilizada uma bomba de borracha para criar um vácuo. Dessa forma, a ventosa é colocada sobre a pele, criando um vácuo.

Conforme o tempo vai passando, a pele fica com hematomas devido à expansão dos vasos sanguíneos.

O tempo de aplicação de cada ventosa varia de 3 a 15 minutos e você pode realizar várias sessões ao longo de algumas semanas.

É importante limitar a ventosaterapia para no máximo 1 vez por semana para dar tempo para o corpo se recuperar.

  Continua Depois da Publicidade  

Os hematomas são comuns depois de uma sessão de ventosaterapia, mas deixar a ventosa por muito tempo pode causar bolhas de sangue.

Em alguns casos, o terapeuta pode fazer pequenos cortes na pele para remover uma pequena quantidade de sangue – técnica essa conhecida como ventosaterapia úmida. Quando não há extração de sangue, a técnica é chamada de ventosaterapia seca.

Benefícios e riscos

terapia com ventosa

Ainda não existem muitas pesquisas para comprovar a eficácia da ventosaterapia. Mas as evidências iniciais sugerem que a terapia com ventosas pode:

  • Reduzir a percepção de dor;
  • Melhorar a amplitude de movimento depois das sessões;
  • Ser eficaz no tratamento de algumas condições da pele como a acne crônica e a herpes zóster, por exemplo;
  • Acelerar a recuperação do corpo depois de práticas esportivas ou exercícios físicos intensos.
  • Gerar uma ação relaxante no corpo e aliviar a tensão muscular.

Por outro lado, a ventosaterapia pode trazer alguns efeitos colaterais indesejados.

De acordo com o National Center for Complementary and Integrative Health, além das marcas roxas na pele, a técnica pode causar:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Queimaduras na pele;
  • Descoloração persistente na pele;
  • Cicatrizes;
  • Infecção.

Além disso, algumas pessoas podem sentir:

  • Dor;
  • Inchaço;
  • Tontura;
  • Sudorese;
  • Náusea.

Por fim, é recomendado que pessoas que estão grávidas ou que sofrem de problemas de saúde como varizes ou trombose evitem a ventosaterapia.

Devido à falta de evidências científicas e ao risco de efeitos adversos, é importante conversar com um profissional de saúde sobre os prós e contras de se submeter à terapia com ventosas.

Além disso, é fundamental procurar um bom profissional para executar a técnica a fim de evitar complicações como lesões ou infecções.

Fontes e Referências Adicionais

Você já conhecia a ventosaterapia? Já experimentou a técnica alguma vez ou gostaria de experimentar? Comente aqui!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é Médico Ortopedista - CRM-SP 113136. Formou-se pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário