Varizes

12 Sintomas de Varizes – Como Tratar e Dicas

As varizes são desconfortáveis não só porque são dolorosas muitas vezes, mas porque esteticamente mudam a aparência da região das pernas, deixando-as com um aspecto desagradável. Elas costumam ser mais comuns em mulheres e aparecem na parte inferior das pernas e até nos pés quando as veias aumentam, dilatam e se enchem de sangue. Elas geralmente têm uma cor vermelho-azulada ou púrpura e a impressão é de que estão inchadas e levantadas.

As varizes costumam se desenvolver quando as válvulas nas veias não funcionam adequadamente e dessa forma o sangue não flui de forma eficaz. Elas são geralmente veias retorcidas e aumentadas, e embora qualquer veia pode se tornar varicosa, as mais afetadas costumam ser aquelas nas pernas e nos pés. Isso ocorre porque ficar de pé e andar aumenta a pressão na parte inferior do corpo.

Para muitas pessoas, as varizes e as veias da aranha, que são uma variação comum e moderada das veias varicosas, são simplesmente uma preocupação estética, mas para outras podem causar dor e outros desconfortos. Os sintomas de varizes também podem sinalizar um risco maior de outros problemas circulatórios e aí é necessário um tratamento que pode envolver medidas de autocuidado ou procedimentos para fechar ou remover veias.

Principais causas

As varizes são causadas pelo funcionamento inadequado das veias. Dentro delas, há pequenas válvulas unidirecionais que se abrem para permitir a passagem do sangue e se fecham para evitar que ele flua para trás. Se as válvulas não funcionarem corretamente, pode haver um vazamento de sangue fluindo para trás. Quando isso acontece, o sangue se acumula e as veias incham e aumentam de tamanho.

Existem algumas causas potenciais para o surgimento das varizes, como:

  • Gênero: Mulheres são mais predispostas do que os homens. Isso pode acontecer devido aos hormônios femininos relaxarem as paredes das veias, tornando as válvulas mais propensas a vazamentos. Os hormônios são substâncias químicas produzidas pelo organismo que podem sofrer alterações durante a gravidez, no período que antecede a menstruação ou a menopausa.
  • Genética: O risco costuma ser maior quando um familiar próximo sofre com varizes. Isso significa que elas podem ser parcialmente desenvolvidas por causa dos genes que você herdou de seus pais.
  • Idade: O envelhecimento contribui com a perda da elasticidade das veias e as válvulas que ficam dentro delas param de funcionar, também tornando-as mais propensas a vazamentos.
  • Excesso de peso: Um peso acima do normal significa que os membros inferiores sofrem com uma pressão extra e as veias também, pois elas precisam trabalhar mais para enviar o sangue de volta ao coração. Esse processo costuma aumentar a pressão sobre as válvulas, deixando-as mais propensas a vazamentos.
  • Profissão: Pesquisas evidenciam que profissões que exigem longos períodos na mesma posição podem aumentar o risco de contrair varizes. O seu sangue pode não fluir com facilidade quando você está de pé por longos períodos de tempo.
  • Gravidez: Ela costuma aumentar a quantidade de sangue para ajudar o desenvolvimento do bebê, o que aumenta o fluxo de sangue nas veias e coloca uma tensão extra. Além disso, o aumento dos níveis hormonais durante a gravidez também faz com que as paredes musculares dos vasos sanguíneos fiquem relaxadas e isso também aumenta o risco de desenvolver varizes. Outro fator a considerar é que elas também podem se desenvolver à medida que o útero se expande, pois ele pressiona as veias da região pélvica, o que às vezes pode levá-las a se tornarem varicosas.
  • Outras condições: Raramente as varizes se desenvolvem por outra condição, mas pode acontecer. Um coágulo de sangue, inchaço ou tumor na pélvis e vasos sanguíneos anormais podem provocar o aparecimento.

Sintomas de varizes

Algumas varizes podem não causar nada, enquanto outras produzem uma série de sintomas que costumam piorar com o calor, no final do dia, ou quando a pessoa está em pé por períodos prolongados.

  1. Aparecimento de veias de cor púrpura escura ou azul com aparência torcida e inchada;
  2. Sensação de desconforto e pernas doloridas;
  3. Pés e tornozelos inchados;
  4. Pernas ardendo ou latejando;
  5. Cãibras musculares, principalmente à noite;
  6. Coceira na pele sobre a área afetada;
  7. Descoloração;
  8. Sensação de peso ou fadiga nas pernas;
  9. Dor

Um dos sintomas de varizes mais desconfortáveis é a dor. Ela pode parecer um peso ou uma dor profunda na região onde estão as varizes, mas a verdade é que existem vários graus de dor associados e algumas pessoas podem sofrer com sintomas mais graves.

Uma consequência que pode causar dor é a flebite. Ela pode ser desencadeada quando as varizes inflamam e formam coágulos sanguíneos. Essa condição tem alguns sinais, que podem ser:

  • Dor;
  • Região quente;
  • Ridigdez;
  • Descoloração da pele.

Se acontecer de uma veia explodir, o sangue irá acumular ao redor e a pressão e as toxinas permanecerão paradas ali. Às vezes uma úlcera pode se desenvolver, ou a pele pode se rasgar, o que pode ser extremamente doloroso.

  1. Linfedema

Os sintomas de varizes também podem causar problemas em outras partes do corpo, principalmente no sistema linfático. Isso pode acontecer porque ele é uma rede de vasos que ajuda a transportar e remover resíduos e toxinas e suporta o sistema imunológico.

Pode acontecer das varizes danificarem o sistema linfático e levarem a uma condição chamada linfedema, que pode provocar inchaço, muitas vezes nos pés e dedos dos pés. Além disso, o linfedema pode desenvolver celulite infecciosa, que é uma infecção grave da pele que causa inflamação no tecido mole da pele.

  1. Dermatite

Um dos sintomas de varizes pode ser também a dermatite. Uma erupção cutânea inflamada com comichão geralmente aparece no local onde as varizes estão e pode causar sangramento, úlceras na pele ou feridas muito dolorosas e infectadas se forem arranhadas ou irritadas.

Algumas pessoas podem desenvolver dermatite de estase venosa. Nessa condição, a pele se torna coriácea e avermelhada e pode acontecer de um líquido amarelo claro passar pela pele.

  1. Tromboflebite superficial

Tromboflebite superficial pode ser um outro problema que acontece pela inflamação provocada pelas varizes e pela formação de um coágulo na veia. Na maioria das vezes, esse coágulo estará próximo à superfície da pele e essa condição é mais conhecida como tromboflebite superficial.

Diagnóstico

Embora as varizes sejam uma condição que requer atenção, muitas vezes elas não precisam de tratamento. Porém, a visita a um médico pode ser necessária se entre os sintomas de varizes estão a dor ou desconforto, se a pele da região está dolorida e irritada e se a dor está causando irritação durante a noite e atrapalhando seu sono.

– Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico geralmente é feito examinando a aparência das varizes. Durante essa análise, ele investigará:

  • Sinais de inchaço quando está em pé.
  • Situações de dor e quando elas pioram.
  • Histórico médico, familiar, gravidez, peso, sinais de trombose venosa profunda ou histórico de fratura na perna.

– Investigação aprofundada

Um encaminhamento para um médico especialista vascular pode ser solicitado caso você apresente:

  • Varizes que causam dor, desconforto, inchaço, sensação de peso nas pernas ou coceira.
  • Mudanças na cor da pele causadas pela má circulação do sangue, eczema, varizes duras e doloridas.
  • Uma ruptura na pele, chamada de úlcera, que não cicatrizou recentemente ou ainda está aberta abaixo do joelho.

– Exames

Geralmente uma ultrassonografia duplex é feita. O aparelho usa ondas sonoras de alta frequência com as quais é possível ter uma imagem das veias. A imagem mostra o fluxo sanguíneo e ajuda o especialista vascular a localizar quaisquer válvulas danificadas que possam estar causando suas varizes.

Como tratar

O tratamento só será recomendado pelo médico quando sintomas como dor e outras complicações mais graves provocam desconforto e interferem na sua qualidade de vida. O objetivo geralmente é tratar o desconforto e cuidar de questões mais sérias como úlceras, inchaço e descoloração da pele.

Embora o tratamento seja recomendado para essa finalidade, existem muitos pacientes assintomáticos que buscam uma forma de tratar as varizes esteticamente.

Quando o tratamento é recomendado, a primeira medida pode ser o autocuidado em casa. Esse tratamento envolve:

  • Usar meias de compressão se for adequado para você.
  • Inserir na rotina atividade física regularmente.
  • Evitar ficar de pé por longos períodos.
  • Elevar a área afetada na hora do descanso.

A realização de outros tratamentos dependerá da sua saúde geral e do tamanho, posição e gravidade dos sintomas de varizes.

Meias de compressão

Embora sejam populares, as meias de compressão não são recomendadas para todas as pessoas. Antes da recomendação, o médico precisará realizar um exame chamado Doppler, e irá verificar sua circulação sanguínea para dizer se você pode ou não usar.

As meias de compressão têm a finalidade de apertar firmemente as pernas para promover uma melhor circulação. Geralmente, são mais apertadas no tornozelo e diminuem a compressão na parte de cima e isso estimula o fluxo de sangue para o coração.

Geralmente o seu uso costuma aliviar a dor, o desconforto e possível inchaço nas pernas, mas não atua na prevenção de novas varizes que possam aparecer. O Instituto Nacional de Excelência em Saúde e Cuidados (NICE) recomenda o uso como um tratamento de longo prazo quando todos os outros tratamentos não forem adequados para você, ou se você por algum motivo não pode realizar outros procedimentos.

As meias também costumam ser recomendadas como parte da recuperação de alguns procedimentos. Em alguns casos como a incompetência venosa profunda, será utilizada para o resto da vida.

– Onde comprar?

As meias de compressão são vendidas comumente em farmácias, loja de produtos especializados e até loja de roupas. Existe uma enorme variedade de tamanhos, pressão, cores, comprimentos e modelos.

– Como vestir?

Geralmente elas são vestidas ao se levantar de manhã e retiradas apenas para dormir. Sim, elas podem ser desconfortáveis, especialmente se estiver quente, mas o uso correto costuma trazer bons resultados.

A meia deve ser puxada para cima de modo que a compressão seja aplicada corretamente. Ainda que a função seja exercer pressão, a meia não deve “enforcar” a pena, pois se isso acontecer ela pode impedir a circulação ao invés de promover.

Fale com o seu médico caso as meias estejam muito desconfortáveis, e além disso fique atento com marcas doloridas nas pernas, além de bolhas e descoloração.

– Cuidados

Elas devem ser substituídas entre 3 a 6 meses de uso, ou se ficarem danificadas, impedindo sua eficácia.

Procure ter pelo menos dois pares, assim você não ficará sem usar quando estiver lavando e secando. Meias de compressão devem ser lavadas à mão em água morna e secas longe do calor direto.

Ablação Endotérmica

É um dos primeiros tratamentos oferecidos e envolve a combinação de dois tratamentos que usam energia de ondas de rádio de alta frequência (ablação por radiofrequência) ou lasers (tratamento com laser endovenoso) para selar as veias afetadas.

Remoção por radiofrequência

Essa técnica aquece a parede da veia varicosa usando energia de radiofrequência. As varizes são acessadas através de um pequeno corte feito logo acima ou abaixo do joelho e um catéter é inserido e guiado para a veia por meio de uma ultrassonografia. Uma sonda é inserida no catéter, que envia energia de radiofrequência.

Essa condição aquece as varizes até suas paredes entrarem em colapso e se fecharem. Uma vez que a veia tenha sido fechada, seu sangue será naturalmente redirecionado a uma de suas veias saudáveis.

Esse procedimento pode ser feito com anestesia local ou geral e pode causar alguns efeitos colaterais como queimação, dormência e coceira. O médico deverá recomendar o uso das meias de compressão por até uma semana após a ablação por radiofrequência.

Tratamento a laser endovenoso

Assim como a ablação por radiofrequência, o tratamento com laser endovenoso envolve a inserção de um catéter na veia e a utilização de uma ultrassonografia para guiá-lo na posição correta. Um minúsculo laser é inserido pelo catéter e posicionado no topo da veia varicosa. O laser emite rajadas de energia que aquecem e fecham todo o comprimento da veia.

O tratamento é feito com anestesia local ou geral e pode provocar um aperto nas pernas e as áreas afetadas podem estar machucadas e doloridas. A lesão do nervo também é possível, mas geralmente é temporária.

Escleroterapia com espuma guiada por ultrassom

A técnica envolve a injeção de espuma especial em suas veias. Ela seca e fecha as veias.

É possível tratar mais de uma veia na mesma sessão e geralmente o procedimento é feito com anestesia local. As varizes costumam começar a desaparecer após algumas semanas, porque outras veias assumirão o papel da veia danificada, que já não é preenchida com sangue.

Pode ser necessário várias sessões para que a veia enfraqueça, e ainda há uma chance de reaparecer. Um estudo evidenciou que as varizes retornaram em mais da metade das pessoas tratadas.

Os efeitos colaterais podem incluir coágulos de sangue em outras veias da perna, dor de cabeça, dor na região lombar, manchas marrons sobre as áreas tratadas, desmaio e problemas de visão temporários.

É possível andar normalmente após a escleroterapia, além do uso da meia de compressão. Este tipo de tratamento pode não ser adequado se você já teve trombose venosa profunda.

Cirurgia

Durante o procedimento, são feitos cortes na pele para remover as varizes pelas incisões. Embora tenham sido desenvolvidas variações atualizadas de cirurgias, elas são menos comumente realizadas porque opções mais recentes e menos invasivas estão disponíveis. Veja abaixo as técnicas comumente usadas nos procedimentos cirúrgicos:

– Ligadura e decapagem

A técnica chamada ligadura e decapagem envolve amarrar a veia na perna afetada e depois removê-la. Duas pequenas incisões são feitas, a primeira na região da virilha no topo da veia varicosa e a segunda abaixo na perna, geralmente ao redor do joelho. O topo da veia é amarrado e selado e um fio fino e flexível é passado através da parte inferior da veia e cuidadosamente ela é removida através do corte inferior em sua perna.

O fluxo sanguíneo será realizado pelas outras veias, que assumirão o papel das veias danificadas.

A cirurgia pode causar dor, hematomas e sangramento. As complicações mais sérias como danos nos nervos ou trombose venosa profunda são raras.

Após o procedimento, um repouso de aproximadamente 3 semanas é recomendado e as meias são obrigatórias, por uma semana após a cirurgia.

– Flebectomia motorizada transiluminada

Estz é uma técnica relativamente nova e existe alguma incerteza sobre sua eficácia e segurança. Durante a flebectomia transiluminada são feitos 1 ou 2 cortes na perna onde é inserido uma luz especial chamada transiluminador endoscópico, para que fique visível quais veias precisam ser removidas. As veias afetadas são cortadas e removidas na sequência através de um dispositivo de sucção.

Hematomas ou sangramento são efeitos colaterais da cirurgia.

Dicas

Existe alguma forma de prevenir a formação e os sintomas de varizes? Infelizmente não, porém é possível evitar que as existentes se agravem. Veja algumas dicas.

  1. Evite longos períodos sentado ou em pé: Essa condição dificulta a circulação do sangue, aumentando a  pressão nas veias. Então, procure fazer algumas pausas na posição e se movimentar frequentemente. Se você estiver sentado, procure movimentar os pés, alongar os tornozelos e dobrar os joelhos. Se possível, tente elevar as pernas pelo menos três vezes por dia, durante 15 minutos. Isso interrompe a pressão da gravidade, promove a circulação sanguínea e ajuda a reduzir inchaço no tornozelo.
  2. Use meias de compressão: Elas ajudam no funcionamento adequado das veias e reduzem o acúmulo de sangue, o inchaço e a dor. Além disso, você pode ter menos cãibras noturnas depois de usar a compressão durante o dia. Antes de usar, converse com seu médico para identificar se você pode usar e qual o nível de compressão adequado.
  3. Mantenha um estilo de vida saudável: Faça escolhas saudáveis ​​para evitar mais danos às suas varizes. Reduzir o peso e manter uma alimentação saudável é muito importante. Evite alimentos ricos em sal e inclua alimentos ricos em fibras e potássio e mantenha-se hidratado, pois isso ajudará a manter uma circulação sanguínea saudável.
  4. Pratique exercícios: O mais benéfico para prevenir varizes é caminhar, mas praticar yoga também pode ser interessante, pois muitas posições elevam os pés. Além disso, pode ajudar a alongar e tonificar os músculos mais profundos de suas panturrilhas. Os músculos profundos podem, até certo ponto, ajudar as válvulas das veias a funcionar adequadamente. Outros exercícios que contribuem muito com a prevenção das varizes são ciclismo e natação.
  5. Posições do sono para mulheres grávidas: Sim, a gravidez é uma das maiores causas do desenvolvimento de varizes. Então, na hora de dormir, procure virar para o lado esquerdo, pois pode ajudar a prevenir a formação e aliviar os sintomas de varizes existentes. Isso pode ajudar porque a posição ajuda a reduzir a pressão que o útero coloca na veia da área pélvica, que está localizada no lado direito do corpo.

As varizes podem se tornar uma condição séria quando começam a causar dores e desconforto. Esses sintomas de varizes mais desconfortáveis indicam que chegou a hora de procurar ajuda médica. Vale reforçar que, como nem sempre elas são visíveis, qualquer pessoa que sentir dor, inchaço ou fadiga deve procurar ajuda.

Se você sofre com elas, um tratamento pode ajudar a eliminar ou aliviar os sintomas, mas procure também manter uma alimentação saudável, praticar atividade física e seguir outras dicas citadas acima.

Referência adicionais:

Você sofre muito com alguns destes sintomas de varizes listados acima? Já tentou que formas de tratamento? Foram bem sucedidas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*