Sentar de pernas cruzadas faz mal à saúde?

Especialista:
atualizado em 24/08/2020

Por si só, passar muito tempo sentado pode acabar com a saúde de uma pessoa. Entretanto, existem dúvidas em relação a uma posição em especial: sentar de pernas cruzadas faz mal à saúde?

Isso porque esse hábito já foi relacionado a problemas nas costas, varizes, problemas de circulação, pressão alta e coágulos sanguíneos.

Sentar de pernas cruzadas faz mal?

Mas será que esse hábito é realmente tão prejudicial assim para a saúde? Vamos conferir em partes!

mulher de pernas cruzadas

Dores nas costas

Para algumas pessoas, sentar-se com as pernas cruzadas é mais confortável do que manter os dois pés retos no chão.

Isso pode ser explicado porque há quem apresente diferenças anatômicas no comprimento das pernas, que podem causar uma inclinação na pélvis ao ficar em pé. Cruzar uma perna na outra ajuda a compensar esse desequilíbrio.

A questão é que embora a posição possa ser confortável no momento, ela pode agravar o problema mais tarde.

O quiroprático Robert Hayden da Associação Americana Quiroprática, explicou que sentar com as pernas cruzadas coloca forças assimétricas entre a pélvis e a lombar (parte inferior das costas) causando um desalinhamento entre elas, o que pode levar ao inchaço das cartilagens dessa região.

Má postura e problemas na coluna

O hábito regular de sobrepor uma perna na outra pode colocar o corpo em uma posição que não é natural.

Um estudo feito em 2016, publicado no Journal of Physical Therapy Science, conduzido em 30 adultos, apontou que sentar com uma perna cruzada pode provocar escoliose, diminuir o tamanho do tronco e causar deformidades na coluna.

Esses danos são imperceptíveis, mas vão se acumulando com o passar dos anos, e no momento em que são notados, já podem haver danos ou desgastes irreversíveis.

Problemas de circulação e risco de coágulos sanguíneos

Quando uma pessoa cruza as pernas mantendo as coxas juntas, parte das veias localizadas nas pernas são obstruídas, tornando mais lento o fluxo de sangue. Então a consequência pode ser um leve aumento no risco de ter coágulos sanguíneos nas pernas.

Você pode dobrar as veias nas pernas, o que restringe o fluxo sanguíneo e pode causar venostase (impedimento do fluxo sanguíneo devido à compressão das veias nas extremidades). Portanto isso vai adicionar ainda mais constrição e aumentar o risco de coagulação.

Os coágulos de sangue podem interromper o fluxo sanguíneo ao coração, aos pulmões ou ao cérebro provocando diversas consequências, dentre as quais ataque no coração, embolia pulmonar, acidente vascular cerebral (AVC) e bloqueios.

Entretanto, é bem improvável que uma pessoa comum desenvolva um coágulo sanguíneo somente por cruzar as pernas. Apesar disso, estudos mostram que se deve evitar ficar nessa posição por mais de 10 a 15 minutos.

Outras situações de risco para a formação de coágulos nas pernas

Uma viagem longa de avião em que o passageiro fica sentado por muito tempo, especialmente no aperto da classe econômica, configura outra situação perigosamente propensa à formação de coágulos nas pernas.

É importante citar ainda que as gestantes precisam resistir ao máximo ao desejo de cruzar as pernas: durante a gravidez, o sangue coagula mais facilmente para diminuir a perda de sangue durante o parto.

Não é à toa que existe a preocupação se uma mulher grávida pode viajar de avião.

Além disso, as gestantes têm uma restrição no fluxo sanguíneo porque o feto senta na veia cava inferior, que fica no abdômen e vai até o coração, e portanto cruzar as pernas vai piorar essa constrição.

Pressão alta

Se uma pessoa medisse sua pressão quando uma perna está cruzada em cima da outra, ela observaria uma pequena elevação na pressão arterial, em comparação a quando os dois pés são mantidos no chão.

Há um problema em sobrepor uma perna na outra, relacionado à constrição do fluxo sanguíneo, mas ele não é grave, a não ser que a pessoa tenha pressão alta ou diabetes. Dessa maneira é improvável que cruzar as pernas vá trazer efeitos perigosos de longo prazo.

Mas é importante destacar que ao aferir a pressão arterial em casa, é fundamental que os pés estejam retos no chão para que os resultados obtidos sejam precisos.

Formigamento e dormência

Ao cruzar as pernas, uma pessoa pode sentir formigamento e dormência, entretanto, os sintomas não costumam ser motivos de preocupação.

Isso acontece devido ao impacto no nervo peroneal (localizado logo abaixo do joelho) e não deve causar nenhum dano. Existe uma ligeira possibilidade de que depois de um período contínuo de tempo você possa desenvolver paralisia ou fraqueza, mas isso é muito improvável.

Varizes

O Instituto Nacional da Coração, Pulmão e Sangue dos Estados Unidos não cita o hábito de cruzar as pernas como algo que contribui com maiores chances de desenvolver varizes.

Em suma

Sentar com as pernas cruzadas traz alguns problemas, mas talvez nem todos ou na mesma intensidade quanto se imaginava. Entretanto, fato é que a posição não é a mais saudável para o corpo.

Se existem maneiras melhores de sentar, por que não aderir a elas em vez de sentar com as pernas cruzadas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já imaginava que sentar de pernas cruzadas faz mal à saúde? Tem o costume de sentar assim e pretende evitar a partir de agora? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é médico ortopedista formado pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

Deixe um comentário