5 Principais Causas da Anemia – Cuidados e Dicas

Especialista:
atualizado em 28/10/2019

Você sabe quais são as principais causas da anemia? Existem muitos tipos de anemia e é importante conhecer suas diferentes causas para saber qual tratamento é o mais adequado.

Além de colocar a saúde em risco devido à insuficiência de glóbulos vermelhos no sangue, a anemia é uma condição que pode deixar o corpo fadigado e fraco.

A condição vem em várias formas, podendo ser leve ou grave e de curta ou longa duração. Em qualquer um dos casos, o tratamento é importante para evitar que o corpo deixe de receber nutrientes importantes através da corrente sanguínea.

As principais causas da anemia serão abordadas abaixo para que você possa entender onde está a fonte do problema e consiga se tratar o mais rápido possível e se prevenir no futuro.

Anemia

A anemia é uma condição de saúde em que os glóbulos vermelhos encontrados no sangue não são suficientes para transportar todo o oxigênio que os tecidos no nosso corpo necessitam.

O transporte do oxigênio pelo corpo só é possível por causa de uma proteína rica em ferro chamada de hemoglobina que está presente na estrutura dos glóbulos vermelhos. Ela que é a verdadeira responsável por transportar o oxigênio dos pulmões para todo o resto do corpo.

Para garantir a produção adequada de hemoglobina e de glóbulos vermelhos, o corpo precisa de nutrientes como ferro, folato e vitamina B12 em abundância e de uma medula óssea (que também produz hemoglobina e glóbulos vermelhos) em bom funcionamento.

Várias coisas podem causar anemia e a principal delas é a deficiência nutricional. Porém, dependendo do tipo de anemia, a causa pode ser diferente.

Sintomas

Alguns sintomas que podem ocorrer quando uma pessoa está anêmica são:

  • Fraqueza;
  • Falta de ar;
  • Palidez ou pele amarelada;
  • Fraqueza;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Dor no peito;
  • Mãos e pés frios;
  • Batimentos cardíacos irregulares.

No início da anemia, os sintomas dificilmente são observados e a condição acaba passando despercebida. Quando os sinais surgem, é mais do que hora de procurar um médico, pois isso provavelmente quer dizer que a anemia se agravou.

Principais causas da anemia

A redução na contagem de glóbulos vermelhos no sangue que caracteriza a anemia pode ocorrer por vários motivos. Os principais são:

1. Autodestruição dos glóbulos vermelhos

Segundo um estudo de 2013 publicado no periódico científico Frontiers in Physiology, os glóbulos vermelhos vivem por até 120 dias na corrente sanguínea, mas há casos em que eles podem ser removidos antecipadamente do sangue.

Na anemia hemolítica (doença autoimune), por exemplo, o próprio organismo destrói os glóbulos vermelhos porque o sistema imunológico identifica essas células como uma ameaça ao organismo. É como se o sistema imune – por algum motivo que não pode ser compreendido pelos cientistas ainda – confundisse os glóbulos vermelhos com agentes nocivos à saúde.

Essa autodestruição dos glóbulos vermelhos é mais rápida do que a produção de novas células pela medula óssea, causando a anemia.

A destruição excessiva de glóbulos vermelhos (hemólise) também pode ser causada por:

  • Hipertensão grave;
  • Distúrbios de coagulação;
  • Toxinas produzidas por doença renal ou hepática avançada;
  • Infecções;
  • Uso de medicamentos como alguns antibióticos;
  • Aumento do baço;
  • Presença de enxertos vasculares.

2. Deficiência de ferro

A falta de ferro no organismo pode causar a anemia ferropriva – ou anemia por deficiência de ferro.

A medula óssea precisa de ferro para produzir a hemoglobina e se o mineral não estiver presente em quantidades adequadas no corpo, a medula não será capaz de produzir a proteína.

Esse tipo de deficiência é bastante comum em mulheres grávidas. Também é comum que a perda de sangue em excesso causada por período menstrual intenso, uso constante de analgésicos que afetam a coagulação do sangue (como a aspirina), úlceras e alguns tipos de câncer possa resultar na deficiência desse nutriente.

3. Sangramento

Qualquer tipo de sangramento pode fazer com que o indivíduo perca mais glóbulos vermelhos do que ele é capaz de repor.

Como mencionado anteriormente, a anemia por deficiência de ferro geralmente se enquadra nessa causa já que muitas vezes o ferro é perdido através de sangramentos anormais.

A perda de sangue aguda pode acontecer por causa da ruptura de um vaso sanguíneo ou devido a um trauma, a uma cirurgia ou ao parto. Já a perda de sangue crônica pode ocorrer por tempo prolongado por causa de condições como úlceras estomacais ou tumores.

Outras possíveis causas da anemia incluem sangramento menstrual intenso, uso de anti-inflamatório não esteroides como a aspirina e o ibuprofeno e condições gastrointestinais como a gastrite e a hemorroidas.

4. Produção insuficiente ou defeituosa de glóbulos vermelhos

O corpo pode não produzir glóbulos vermelhos em quantidades suficientes e adequadas para as funções metabólicas.

Enquadram-se aqui as anemias causadas por doenças da medula óssea (como a leucemia e a mielofibrose), que é a estrutura responsável pela produção de glóbulos vermelhos e outras substâncias.

Outros tipos de anemia causadas pela produção insuficiente ou defeituosa de glóbulos vermelhos incluem:

  • Anemia falciforme: nesse tipo de anemia, o corpo produz uma hemoglobina defeituosa que faz com que os glóbulos vermelhos formados fiquem com um formato irregular. Esse defeito causa a morte prematura dos glóbulos vermelhos;
  • Anemia por deficiência de ferro: devido à ausência de ferro, a medula não é capaz de produzir hemoglobina e, consequentemente, glóbulos vermelhos em quantidades adequadas;
  • Anemia por deficiência de vitaminas: a falta de vitaminas como o folato e a vitamina B12 impedem a produção normal de glóbulos vermelhos;
  • Talassemia: doença genética em que há pouca hemoglobina disponível no organismo e os glóbulos vermelhos não são capazes de se desenvolver da forma esperada;
  • Anemia aplástica: pode ocorrer por causa de infecções, doenças autoimunes, uso de medicamento e exposição a compostos tóxicos.

5. Deficiência de vitaminas

Além do ferro, o organismo também precisa de vitaminas como a vitamina B12 e o folato (ou ácido fólico) para que os glóbulos vermelhos sejam produzidos. Se a alimentação não suprir essa necessidade nutricional, pode ocorrer uma diminuição na produção de glóbulos vermelhos.

A anemia por deficiência de vitaminas e a anemia perniciosa se encaixam nessa descrição. No caso da anemia perniciosa (doença genética), o indivíduo consome a vitamina B12, mas não é capaz de absorver a vitamina.

Cuidados e dicas

Os cuidados e dicas mencionados abaixo podem ajudar a adotar medidas que ajudem a contornar os fatores de risco e as possíveis complicações da anemia.

Fatores de risco

Como em quase toda condição que prejudica a saúde, alguns fatores de risco podem ser causas da anemia e aumentar a chance de alguém desenvolver a condição. Muitos desses fatores podem ser controlados, seja pela mudança de hábitos, acompanhamento médico ou uso de medicamentos. Alguns desses fatores incluem:

– Menstruação

Mulheres no período menstrual têm maior probabilidade de apresentar anemia por deficiência de ferro quando comparado com homens ou mulheres que já passaram pela menopausa. Isso ocorre porque durante a menstruação existe perda de glóbulos vermelhos através do sangue e, se essa perda for significativa, pode haver anemia.

– Gravidez

Grávidas que não ingerem alimentos ricos em ácido fólico – ou que não tomam um suplemento para garantir a ingestão desse nutriente em níveis adequados – apresentam um risco maior de desenvolver anemia.

– Distúrbios intestinais

A existência de distúrbios intestinais que afetam a absorção correta de nutrientes – como a doença celíaca ou a doença de Crohn, por exemplo – aumenta o risco de anemia.

– Dieta pobre em nutrientes

Uma dieta pouco nutritiva é um grande fator de risco para a anemia, principalmente se houver insuficiência ou ausência de nutrientes importantes como o ferro, o folato e a vitamina B12.

– Histórico familiar

Ter uma família com histórico de anemia hereditária como a anemia falciforme pode aumentar o risco de sofrer da mesma condição.

– Doenças não tratadas

Condições crônicas de saúde que não foram diagnosticadas ou tratadas podem aumentar o risco de desenvolver anemia. Condições como insuficiência renal e câncer são exemplos de problemas de saúde que podem diminuir a contagem de glóbulos vermelhos. Perda de sangue por causa de uma úlcera não tratada ou qualquer outro problema também pode resultar em anemia.

– Idade

Não é possível controlar esse fator, mas é fato que pessoas com mais de 65 anos têm maior chance de ter anemia.

– Outros fatores

Infecções, doenças autoimunes, doenças que afetam o sangue, alcoolismo, uso de determinados medicamentos e exposição a produtos químicos tóxicos também podem interferir na produção de glóbulos vermelhos.

Possíveis complicações

Se não for tratada adequadamente, a anemia pode resultar em complicações de saúde que podem incluir:

– Complicações na gestação

Gestantes com anemia causada por deficiência de folato podem ter complicações como parto prematuro além do risco de o bebê nascer com defeitos congênitos como má formação ou deficiências intelectuais.

– Problemas cardíacos

Um dos sintomas da anemia é o batimento cardíaco irregular. Isso acontece porque para tentar suprir a falta de oxigênio – devido à insuficiência de hemoglobina – e manter os níveis adequados de oxigênio no sangue, o coração começa a bombear mais sangue do que o normal, podendo causar problemas como aumento do órgão ou insuficiência cardíaca.

– Fadiga severa

A fadiga extrema a ponto de incapacitar o indivíduo de executar suas tarefas diárias ocorre quando a anemia é bastante grave.

– Morte

A anemia muito grave ou algum tipo de anemia hereditária como a falciforme pode ser muito severa e desencadear complicações que podem ser fatais. A anemia causada por uma hemorragia, por exemplo, também pode ser fatal se o sangue for perdido rapidamente e não puder ser reposto.

Tratamento

O tratamento da anemia varia de caso a caso, mas na maioria das vezes, cuidados básicos com uma alimentação saudável são suficientes para corrigir a insuficiência de glóbulos vermelhos.

A prescrição de suplementos ou medicamentos só deve ser feita por um médico habilitado depois de determinadas as causas da anemia. Em alguns casos, pode ser necessária a transfusão de sangue ou até mesmo um transplante de medula óssea e a avaliação de uma boa equipe médica é essencial para que o diagnóstico seja preciso e para que o tratamento mais adequado seja iniciado o quanto antes.

Dicas de prevenção

1. Tenha a caderneta de vacinação em dia

A anemia também pode ser uma complicação de doenças como a malária, que podem ser prevenidas através da vacinação. Como a malária é transmitida por um mosquito, também é possível se prevenir aplicando produtos repelentes na pele e instalando telas nas entradas de ar se estiver em um local de risco.

2. Faça exames de sangue de rotina

Ir ao médico regularmente é importante para checar a saúde. Em um simples exame de sangue, é possível verificar a contagem de glóbulos vermelhos e saber se você está com anemia. Além disso, se você apresenta um histórico familiar de doenças como a anemia falciforme ou talassemia, é ainda mais importante manter essa regularidade nas consultas médicas.

3. Mantenha uma dieta rica em vitaminas

A última dica é a mais importante: manter uma alimentação saudável, equilibrada e – consequentemente – rica em nutrientes.

Alguns tipos não podem ser evitados devido às causas da anemia, mas aquelas causadas por deficiências vitamínicas podem ser tratadas e evitadas com uma alimentação variada e nutritiva que deve incluir alimentos ricos em ferro, folato, vitamina C e vitamina B12.

Sugestões de alimentos a serem incluídos na alimentação diária incluem alimentos ricos em ferro como carne, lentilha, feijão, cereal, frutas secas e vegetais com folhas verde escuras. Vale a pena incluir alimentos que contêm folato (ou ácido fólico) como frutas, vegetais verde escuros, ervilha, feijão e grãos como pães, cereais, arroz e massas.

Os alimentos abundantes em vitamina C não podem ficar de fora e incluem as frutas cítricas, o brócolis, o tomate, o melão, o morango e o pimentão. E, por fim, alimentos ricos em vitamina B12 como a carne, a soja, os produtos lácteos e os cereais fortificados.

Dificilmente uma pessoa que tem uma dieta saudável precisa fazer uso de suplementos multivitamínicos, mas se achar que está precisando de uma força extra, fale com um médico antes.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já foi diagnosticado com anemia? Qual dessas causas da anemia você acredita que podem ser a sua? Que diagnóstico o médico deu? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário