Especialista da Área:

7 Melhores Exercícios para o Cérebro – Simples e Eficazes

O cérebro é uma das partes mais importantes do nosso organismo, e por isso, assim como todas as outras, precisamos fazer exercícios para o cérebro constantemente para garantir seu bom funcionamento. Veja as melhores opções, simples e eficazes para o seu dia a dia.

Costumeiramente associado à inteligência, ele é responsável por funções como o processamento de informações sensoriais, a regulação da pressão arterial e da respiração, a liberação de hormônios, a coordenação de comportamentos como atividades motoras, resolução de problemas e atenção, controle de impulsos e emoções e a leitura e o reconhecimento de palavras.

Aproveite e veja também alguns alimentos bons para o cérebro que não devem deixar de fazer parte da sua dieta.

Ele também atua na coordenação da memória visual e verbal e da interpretação de reações de outras pessoas, na regulação da temperatura corporal, no controle do apetite, na manutenção dos ciclos fisiológicos diários e se envolve em aspectos como sono, consciência, emoção, comportamento e memória de longo prazo.

Como se não bastasse, o cérebro também trabalha no controle do movimento dos olhos, no processamento de informação visual e auditiva, no controle da função cardíaca e pulmonar, na regulação da respiração, do espirro e deglutição e está envolvido nos movimentos faciais e na transmissão de informações sensoriais.

Ou seja, precisamos do cérebro para muita coisa. Por isso, nada mais relevante do que cuidar da saúde dessa parte do nosso corpo com estes exercícios para o cérebro.

7 opções de exercícios para o cérebro

Uma maneira de beneficiar a nossa saúde mental é arranjar um tempo para se dedicar a exercícios para o cérebro.

Submeter o cérebro a novas experiências que combinam sentidos físicos (visão, olfato, paladar, tato e audição) com sentidos emocionais estimula mais conexões entre diferentes áreas do cérebro, faz com que as células nervosas produzam nutrientes cerebrais que auxiliam a memória, fortalece as células ao redor e faz com que elas fiquem mais resistentes ao envelhecimento.

Embora os pesquisadores ainda debatam se o treinamento cerebral pode ou não melhorar a inteligência de alguém, os especialistas concordam que os exercícios que desafiam o cérebro podem ser utilizados para proteger e fortalecer a mente.

E então, vamos conhecer e testar algumas alternativas de exercícios para o cérebro? Dê uma conferida na lista a seguir:

1. Escovar os dentes com a mão não dominante

A ideia aqui é não apenas escovar os dentes, mas também abrir a pasta de dente e passá-la na escova com a mão não dominante, ou seja, a oposta àquela que você usa para executar as suas atividades diárias.

Então, se você é destro e costuma escovar com a mão direita, deve fazer isso com a esquerda. E se é canhoto e escova com a esquerda, deve tentar executar a atividade com a mão direita.

  Continua Depois da Publicidade  

Mas para quê isso? Bem, uma pesquisa mostrou que usar o lado oposto do cérebro pode provocar uma expansão rápida e substancial nas partes do córtex que controlam e processam informações táteis (associadas ao tato) da mão.

2. Desenhar o mapa da cidade de cabeça

A ideia é a seguinte: pegar um papel e desenhar um mapa da cidade ou da vizinhança (caso a cidade seja muito grande) de cabeça, sem trapacear, tentando incluir as principais ruas e pontos de referência.

Depois que terminar, recomendamos comparar o mapa da sua memória com o mapa real da localidade para descobrir como se saiu. Para quem achar a atividade muito fácil, a dica é tentar desenhar uma área menos familiar de cabeça, como o mapa do país ou continente, marcando cada estado ou país.

“Navegar em seu caminho ao supermercado ou ao médico pode parecer simples e quase automático quando você está atrás do volante do carro. Entretanto, forçar a lembrar a configuração da sua vizinhança assim como desenhá-la e identifica-la ajuda a ativar uma variedade de áreas do seu cérebro. A pesquisa sobre treinamento do cérebro mostrou repetidamente que são exatamente esses tipos de atividades complexas e desafiadores que oferecem o maior benefício ao seu cérebro”, afirmou a bacharela em psicologia Kendra Cherry.

3. Meditação

Ainda segundo a bacharela em psicologia Kendra Cherry, estudos sugerem que a chamada meditação mindfulness pode auxiliar a acionar novas vias neurais, resultando na melhoria de habilidades de auto-observação e no aumento da flexibilidade mental, sendo um dos melhores exercícios para o cérebro.

“Pesquisas também mostraram que a meditação pode ajudar a melhorar a atenção, o foco, a empatia e até a imunidade. Estudos sugeriram ainda que a meditação pode melhorar até a capacidade da memória operacional”, relatou a bacharela em psicologia.

4. Mudar as atividades matinais

Outra dica é sair da rotina e trocar a ordem ou o conteúdo das atividades que você executa pela manhã. Por exemplo, se você troca de roupa antes do café da manhã, faça isso depois da refeição; mude a rota em que leva o cachorro para passear e assista a um programa matinal diferente.

Assistir a um programa infantil pode estimular o cérebro a perceber o quanto o que você subestima é explorado com profundidade pelas crianças.

Além disso, estudos de imagiologia cerebral mostraram que a inovação nas tarefas exercita grandes áreas do córtex, indicando aumento nos níveis de atividade cerebral em diversas áreas distintas. Essa atividade sofre um declínio quando as tarefas se tornam rotineiras e automáticas.

5. Virar objetos familiares de cabeça para baixo

É isso mesmo. A sugestão aqui é virar de ponta cabeça objetos que você está habituado a ver como os seus porta-retratos, o seu relógio de mesa ou o seu calendário, por exemplo.

Quando as coisas estão no lado certo, o lado esquerdo do cérebro rapidamente as identifica e desvia a sua atenção para outra coisa. Já quando as coisas estão de cabeça para baixo, as redes do lado direito do cérebro entram em cena e tentam interpretar os formatos, cores e relações do enigma.

6. Brincar de adivinhar as moedas

A ideia funciona assim: pegue algumas moedas e tente adivinhar quais os valores delas apenas pelo toque, com os olhos fechados.

  Continua Depois da Publicidade  

Como os nossos cérebros geralmente se apoiam em sugestões visuais para distinguir os objetos, usar o toque para fazer isso aumenta a ativação em áreas corticais (do córtex) que processem informações táteis e levam a sinapses (pontos de contato entre células nervosas) mais fortes.

7. Fazer um projeto artístico em grupo

A sétima e última sugestão de exercícios para o cérebro consiste em juntar um grupo de pessoas para produzir um projeto artístico e pedir que cada pessoa desenhe alguma coisa associada a um tema específico como uma estação, emoção ou evento.

Como isso pode ajudar? É que a arte ativa partes emocionais e não-verbais do córtex cerebral. Quando alguém faz arte, essa pessoa utiliza partes do cérebro que são interessadas em formas, cores e texturas, ao mesmo tempo em que usa processos mentais bem diferentes do pensamento lógico e linear que ocupa a maior parte do dia.

O que você achou desses exercícios para o cérebro que separamos acima? Pretende incorporá-los em sua rotina? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Rafael Ferreira de Moraes

Dr. Rafael Moraes formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy em 2013. Pós-graduado em Psiquiatria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde atuou nos atendimentos ambulatoriais da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e Casa de Medicina da PUC-Rio. Atualmente, exerce sua especialidade em três municípios do estado do Rio de Janeiro: Teresópolis, Magé e Rio de Janeiro, capital. Dr. Rafael é a promessa da Psiquiatria atual, jovem, que preza pelo acolhimento ao paciente unido ao que há de mais recente nesta área em constante evolução. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@rafafmoraes)

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário