Astenia – O que é, causas e o que fazer

Especialista da área:
atualizado em 15/09/2021

O termo astenia tem origem Grega (a = privação + esthénos = vigor, força) e é caracterizada por uma sensação de fraqueza e falta de energia, que pode vir acompanhada de outros sintomas, como cansaço físico e mental, espasmos musculares, e lentidão dos movimentos .

  Continua Depois da Publicidade  

Algumas pessoas sentem essa fadiga corporal em apenas certos músculos enquanto que outras percebem a fraqueza nos músculos do corpo inteiro.

Dependendo da causa da astenia, ela pode ser temporária ou crônica, sendo que neste último caso, pode durar seis meses ou mais. A causa mais comum desse tipo de fadiga é a gripe, mas muitas outras causas e fatores podem contribuir para o desenvolvimento dessa condição.

Tipos de astenia

falta de energia

Astenia localizada

Nesse caso, é comum sentir fraqueza em uma área específica do corpo, como por exemplo no braço ou na perna. Uma pessoa com esse tipo de fraqueza pode sentir dificuldade para movimentar uma parte do corpo, ou ainda apresentar sintomas adicionais como tremores, cãibras, espasmos musculares e lentidão dos movimentos.

Entretanto, deve-se ter atenção a tais sintomas quando ocorrem de forma súbita e intensa e afetam apenas um lado do corpo, pois podem ser um indício de AVC.

Astenia generalizada

A fraqueza do corpo inteiro gera uma sensação de falta de energia generalizada similar a uma gripe ou resfriado. Além desse, outros sintomas podem surgir, como febre, dores, mal estar, cansaço físico e mental.

Causas

Muitas condições de saúde podem causar astenia, por isso é importante consultar um médico para realizar um diagnóstico preciso..

Além das gripes e resfriados, as principais causas de astenia são:

1. Anemia

exame de sangue

Existem vários tipos de anemia, mas a mais comum é aquela causada pela deficiência de ferro. Nestes casos, é comum a sensação constante de cansaço e indisposição.

O tratamento é feito com suplementos de ferro e mudanças na alimentação. Nos casos em que a falta de ferro é muito significativa, a pessoa pode precisar receber uma transfusão de sangue.

  Continua Depois da Publicidade  

Problemas na tireoide

Disfunções na glândula tireoide podem causar um grande desequilíbrio hormonal no nosso organismo. Como resultado, pode ocorrer falta de energia, cansaço, sono excessivo e ganho de peso.

Ansiedade e depressão

Doenças como a depressão e ansiedade interferem no humor e nos níveis de energia, podendo causar astenia. Por isso, é comum que pessoas ansiosas ou com sintomas depressivos sintam uma fadiga intensa e não tenham energia até mesmo para as tarefas mais simples do dia a dia.

A depressão é inclusive a principal causa de fadiga, representando aproximadamente metade dos casos registrados.

Desidratação

evitar a desidratação

A desidratação prejudica as funções vitais o que afeta os níveis de energia. Se este for o seu caso, aumentar a sua ingestão de água vai fazer você se sentir melhor. 

Vale lembrar que as consequências da desidratação podem ser sérias requerendo inclusive a hospitalização em casos mais graves.

Falta de vitamina B12

A deficiência de vitaminas como a vitamina B12 pode prejudicar a produção de glóbulos vermelhos. Essas células participam do transporte de nutrientes por todo o corpo. De fato, a falta delas pode comprometer o fornecimento de nutrientes aos tecidos e órgãos do organismo, comprometendo também os níveis de energia.

Infecções e doenças crônicas

A fraqueza é um dos vários sintomas quando se está doente, e é decorrente dos esforços que o organismo faz para combater as infecções. Um exemplo disso é o câncer, que pode causar a astenia como efeito colateral, tanto pela própria doença em si, como pelo seu tratamento, que envolve a utilização de remédios quimioterápicos e radioterapia.

O que fazer

A fraqueza temporária, causada por uma gripe, por exemplo, costuma desaparecer assim que a gripe vai embora. Porém, a necessidade ou não de tratamento vai depender da causa da astenia.

  Continua Depois da Publicidade  

No caso da astenia causada por doenças crônicas, é necessário realizar o tratamento para controlar a doença e, assim, acabar com a sensação de fadiga.

Também há casos em que a astenia é resultado do efeito colateral de um remédio, como por exemplo é o caso dos ansiolíticos. Nessa situação, é fundamental conversar com seu médico para ajustar a dose ou substituir a medicação, se necessário.

Por último, uma boa ideia para reduzir ou prevenir a astenia é adotar um estilo de vida mais saudável, que ajude a manter o organismo fortalecido e traga mais disposição e energia ao seu dia a dia. Dessa forma, seguem algumas dicas que podem funcionar para te dar mais energia no dia a dia:

  • Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Pratique exercícios físicos regularmente;
  • Perca peso se necessário;
  • Mantenha uma alimentação saudável;
  • Durma bem;
  • Reduza os níveis de estresse.

Aliás, o sedentarismo pode enfraquecer os músculos ao longo do tempo, causando inclusive a sensação de fadiga. Por isso, é muito importante se exercitar.

A astenia depois de uma noite mal dormida, de um dia longo de trabalho ou durante a recuperação de um resfriado é uma condição absolutamente normal. Mas se o cansaço está sendo excessivo ou prolongado, a recomendação é que se procure o auxílio médico.

Fontes e referências adicionais

Você sente cansaço com frequência? Acredita que já teve astenia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhum voto ainda)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário