Histamin Engorda? Dá Sono? Para Que Serve e Posologia

Especialista:
atualizado em 25/09/2017

Quando recebemos a indicação do médico para tomar determinado tipo de medicamento, é normal que fiquemos um tanto preocupados a respeito dos efeitos colaterais que o remédio em questão pode trazer.

Por exemplo, você já ouviu falar do medicamento Histamin? Sabe dizer se ele dá sono? E será que o Histamin engorda? Continue lendo para conhecer melhor esse remédio.

O que é Histamin? 

Trata-se de um medicamento de uso oral, adulto e pediátrico, que pode ser encontrado em farmácias e drogarias em embalagens com 100 ml ou 120 ml. O princípio ativo do remédio é conhecido como maletato de dexclorfeniramina.

Sua venda é permitida sem a apresentação da receita com a prescrição médica.

Entretanto, o mais seguro para a saúde é utilizá-lo somente mediante indicação ou autorização do médico, para ter certeza que o medicamento não trará problemas ao organismo e que não existe a chance de que ele interaja com outro remédio que você esteja usando.

Para que serve?

Histamin pode ser utilizado no tratamento de problemas respiratórios como asma brônquica grave e rinite alérgica. Ele também pode ser indicado em casos de problemas alérgicos como dermatite atópica, dermatite de contato, reações medicamentosas e doença do soro.

O medicamento ainda pode ser aplicado em casos de problemas alérgicos inflamatórios associados aos olhos como em casos de conjuntivite, ceratite (inflamação da córnea), uveíte (inflamação da camada média do olho), coriorretinite (inflamação da coroide e da retina do olho), iridocliclite (inflamação da parte anterior do olho) e coroidite (inflamação na coroide, que pode ter origem infecciosa).

O princípio ativo do remédio, o maleato de dexclorfeniramina, também pode ser utilizado em casos de coceira, prurido, urticária e picadas de inseto.

Histamin engorda? 

Não podemos afirmar que Histamin engorda diretamente, tendo em vista que o efeito colateral do aumento de peso não é mencionado na bula do medicamento. Entretanto, existem algumas reações que podem estar indiretamente ligadas a esse tipo de reação.

Por exemplo, a fadiga é um dos efeitos colaterais apresentados na bula. Ao se sentir mais cansado, o usuário do remédio fica menos disposto para se manter ativo e praticar atividades físicas, o que pode resultar na diminuição da eliminação de calorias e, consequentemente, no aumento de peso.

No entanto, não é necessário se descabelar por conta dessa reação – ela é apresentada na categoria das raras na bula do medicamento.

Há ainda a astenia, que aparece no grupo das reações incomuns de Histamin. Em um quadro de astenia, o que acontece é a diminuição da força física, que também pode resultar na redução da quantidade de exercícios físicos realizados e, por consequência, em um gasto mais baixo de calorias.

Por outro lado, a bula do remédio apresenta a anorexia, que significa a perda de apetite, como um de seus possíveis efeitos colaterais, ainda que na categoria dos raros. Um distúrbio alimentar conhecido que pode ser desenvolvido por este efeito colateral, é a anorexia nervosa, que provoca uma diminuição de peso acima do que é considerável saudável, sendo fruto de uma imagem corporal distorcida.

Entretanto, trata-se de uma doença, que se não tratada, pode levar até a morte. Assim, é importante ficar atento a sintomas do distúrbio e buscar ajuda médica e tratamento para se livrar da anorexia.

Alguns exemplos de sintomas da anorexia nervosa são: medo de engordar mesmo quando está abaixo de peso ideal, a falta de menstruação em mulheres por mais de três ciclos, ir ao banheiro logo após as refeições, não comer perto de outras pessoas, usar remédios como diuréticos, laxantes ou redutores de apetite, depressão, boca seca, sensibilidade ao frio, desgaste dos músculos e perda de resistência óssea e

Histamin dá sono?

Sim, é possível que o usuário do medicamento fique sonolento com ele. O Histamin causa uma sonolência de intensidade leve a moderada durante o período em que é utilizado.

O princípio ativo do medicamento, o maleato de dexclorfeniramina, tem a sonolência como uma de suas reações adversas. E ela é classificada na categoria dos efeitos comuns.

Outros efeitos colaterais

Histamin também está associado aos seguintes efeitos colaterais:

  • Pressão baixa;
  • Palpitação;
  • Dor de cabeça;
  • Urticária;
  • Coceira;
  • Erupções na pele;
  • Sensibilidade na pele quando exposta ao sol;
  • Aumento do suor no corpo;
  • Calafrios;
  • Choque anafilático;
  • Azia;
  • Desconforto gástrico;
  • Prisão de ventre;
  • Náusea;
  • Dor ao urinar;
  • Aumento das idas ao banheiro para urinar;
  • Alterações no ciclo menstrual;
  • Anemia hemolítica – em que há a falta de glóbulos vermelhos;
  • Anemia hipoplásica;
  • Trombocitopenia – em que existe uma quantidade baixa de plaquetas no sangue;
  • Agranulocitose – caracterizada pela ausência ou diminuição dos leucócitos;
  • Visão borrada;
  • Nervosismo;
  • Espessamento das secreções brônquicas;
  • Compressão do tórax;
  • Desconforto nasal;
  • Dificuldade respiratória;
  • Secura na boca, na garganta e no nariz;
  • Vertigem;
  • Distúrbios de coordenação motora;
  • Desorientação;
  • Agitação;
  • Euforia;
  • Tontura;
  • Zumbido;
  • Labirintite;
  • Neurite – inflamação dos nervos;
  • Convulsão;
  • Dor epigástrica;
  • Retenção urinária;
  • Dor ao urinar;
  • Vômitos;
  • Palidez;
  • Alucinações;
  • Taquicardia;
  • Tremores;
  • Retardamento do ritmo cardíaco;
  • Ansiedade;
  • Medo;
  • Depressão do sistema nervoso central;
  • Rubor;
  • Contratura muscular;
  • Angina – dor no peito.

Ao experimentar esses sintomas ou qualquer outro tipo de efeito colateral em decorrência do uso do remédio, procure o médico de sua confiança e relate os problemas a ele, principalmente caso você esteja utilizando Histamin por conta própria.

Contraindicações

Crianças com menos de dois anos de idade e mulheres com mais de três meses de gravidez e que estejam em processo de amamentação de seus bebês. As gestantes no primeiro trimestre de gestação podem até usar o remédio, entretanto, somente se for extremamente necessário e obrigatoriamente com acompanhamento médico.

Pessoas com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula e que estejam em tratamento com inibidores de monoaminoxidase (IMAO) ou se encontrem no período de até duas semanas após sua descontinuação também devem manter-se longe de Histamin.

O medicamento também não deve ser consumido por indivíduos que sofram com insuficiência hepática, hipertensão grave, hipertireoidismo, doença isquêmica crônica grave do coração e coronariopatia grave (doença das artérias do coração). 

Posologia de Histamin

De acordo com a bula do medicamento, a posologia do remédio varia conforme a faixa etária em que o paciente se encontra e fica da seguinte maneira:

  • Crianças e adultos com mais de 12 anos de idade: tomar de 5 ml até 10 ml de três (oito em oito horas) a quatro (seis em seis horas) vezes por dia, sem ultrapassar o limite de ingestão de 40 ml por dia;
  • Crianças com idade entre seis e 12 anos: tomar 2,5 ml até 5 ml de três (oito em oito horas) a quatro (seis em seis horas) vezes por dia, sem ultrapassar a dose diária de 20 ml;
  • Crianças entre dois e seis anos de idade: tomar 1,25 ml até 2,5 ml de três (oito em oito horas) a quatro (seis em seis horas) vezes por dia, sem ultrapassar a dosagem de 10 ml a cada dia.

Atenção

Antes de começar a tomar o medicamento, consulte o seu médico e peça que ele te indique qual é a dosagem mais adequada para o seu caso! A automedicação, ainda que com remédios que não exigem a apresentação de prescrição médica para a venda, é uma atitude perigosa que pode causar problemas à saúde! Além disso, é importante saber que a bula de Histamin recomenda que ele seja tomado acompanhado de algum alimento.

Você conhece alguém que tenha tomado e afirme que o uso de Histamin engorda? Já foi receitado este medicamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (78 votos, média: 4,18 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário