Bombinha de Asma – Principais Dúvidas e Dicas

Especialista:
atualizado em 19/05/2020

Tire as suas dúvidas sobre bombinha de asma, seu funcionamento, como utilizá-la, os medicamentos mais usados e veja dicas importantes para a administração desse equipamento.

A asma é uma complicação que atinge o sistema respiratório, mais especificamente as vias aéreas, que ficam estreitas devido ao inchaço causado por processos inflamatórios, que fazem produzir mais muco do que o normal. Trata-se de uma doença considerada muito comum, com mais de 2 milhões de casos reportados anualmente no Brasil.

Aproveite para conhecer o que é asma exatamente em maiores detalhes e veja todos os sintomas de asma para ficar atento.

Quando uma crise de asma se instaura, pode ser necessário o uso da bombinha de asma. Dessa forma, se você possui essa doença ou possui familiares ou pessoas próximas a você que a possua, é imprescindível conhecer mais sobre esse dispositivo e como administrá-lo corretamente.

Como funciona a bombinha de asma?

Os dispositivos conhecidos como bombinhas de asma são equipamentos carregados com medicamentos, que podem ser broncodilatadores, ajudando a diminuir os sintomas, ou corticoides, que ajudarão a reduzir a inflamação nos brônquios, desbloqueando a passagem de ar nas vias aéreas.

No entanto, a prescrição do medicamento a ser utilizado deve ser feita pelo médico responsável pelo acompanhamento do caso, e não de forma autônoma.

Como utilizar a bombinha?

Para administração do remédio e resultados imediatos dos sintomas da asma, como falta de ar e fadiga, o paciente deve estar de pé ou sentado, ou seja, sempre com o tronco na vertical.

O primeiro passo para utilizar a bombinha é esvaziar todo o pulmão, colocar a bombinha na boca e fechar os lábios para que o ar não vaze.

Em seguida, pressione a bombinha ao mesmo tempo em que inspira pela boca, como se estivesse sugando o pó liberado pelo equipamento, até que chegue aos pulmões.

Logo após esse procedimento, você deverá retirar o aparelho da boca e prender a respiração por 10 segundos, para que faça efeito.

Para finalizar, lave a boca para que os resíduos não se acumulem.

Nos casos mais graves de crise, pode ser necessário repetir a operação. Nesses casos, deve-se aguardar 30 segundos entre as aplicações.

Ao fim, verifique no contador de doses se a quantidade de medicamento foi inalada adequadamente.

Como administrar bobinha de asma em crianças?

Crianças acima de 2 anos que possuem asma podem receber prescrições médicas para utilizar as bombinhas acoplando um outro dispositivo para ajudar no procedimento.

Nesses casos, a melhor forma de administrar é utilizando espaçadores, que são dispositivos encontrados em farmácias ou até mesmo na internet, que asseguram que a quantidade correta de medicamento seja inalada pela criança.

Basta agitar a bombinha de cabeça para baixo e encaixá-la no espaçador.

Em seguida, coloque o dispositivo na boca criança e pressione de seis a oito vezes, de maneira lenta, pedindo que ela sugue o pó liberado pelo aparelho.

Tipos de bombinhas de asma

Existem, basicamente, três tipos de bobinha de asma. Elas funcionam basicamente da mesma forma, mas atuam no organismo de maneira distinta, devido ao medicamento adotado.

Algumas oferecem alívio imediato aos sintomas, enquanto outras servem como tratamento preventivo. Conheça-as:

1. Bombinha de prevenção

Normalmente, os inaladores de prevenção são utilizados pelos pacientes com medicamentos anti-inflamatórios para uso diário, como forma de tratamento para prevenir sintomas, a depender do caso.

Os anti-inflamatórios são medicamentos que ajudam a diminuir a inflamação nas vias aéreas, que são responsáveis por bloquear a passagem de ar, dificultando a respiração. Quando a inflamação desaparece, as vias aéreas ficam muito menos propensas a se estreitar e causar sintomas como chiado no peito, pois a secreção acumulada, também conhecida como catarro, tende a diminuir.

As bombinhas com anti-inflamatórios podem ser prescritas para uso diário e, muitas vezes, duas vezes ao dia. Já nos casos pós-crise, pode ser aconselhado utilizar o inalador preventivo com maior frequência.

Para que os anti-inflamatórios promovam efeitos significativos, leva-se de 7 a 14 dias, o que significa que ele não promove o alívio imediato dos sintomas. Após sete dias de tratamento, eles começam a diminuir e até mesmo desaparecer.

Atenção: o uso frequente de bombinhas para asma com anti-inflamatórios pode prejudicar a densidade óssea. Dessa maneira, se você utiliza esse tipo de medicamento frequentemente, suplementações de cálcio podem ser prescritas, bem como adaptações alimentares para obtenção desse nutriente.

2. Bombinha de alívio

Os inaladores de alívio são aqueles que contêm medicamentos broncodilatadores. Eles devem ser utilizados quando há uma crise de asma impossibilitando ou bloqueando a respiração. Esse equipamento também pode ser utilizado quando o paciente se sente sem fôlego, com o peito chiando ou sentindo-o pressionado.

Os broncodilatadores utilizados nas bobinhas de alívio têm como função principal relaxar os músculos das vias aéreas. Isso abre as passagens mais amplamente, permitindo a passagem do ar sem impedimentos, e os sintomas geralmente diminuem rapidamente. Esses medicamentos são chamados broncodilatadores pois são responsáveis por dilatar os brônquios.

Salbutamol e terbutalina estão entre os principais medicamentos utilizados para essa finalidade.

Se você tiver apenas sintomas de vez em quando, o uso ocasional de um inalador de alívio pode ser suficiente para conter os dados, não sendo necessário utilizar diariamente outros tipos de bombinha.

No entanto, se você precisa recorrer a medicamentos para conter os sintomas três vezes por semana, provavelmente seu médico irá prescrever o uso de inaladores de prevenção.

3. Bombinha de ação prolongada

Os medicamentos utilizados nesses inaladores funcionam de maneira semelhante aos analgésicos, mas funcionam por até 12 horas após a administração de cada dose. Os medicamentos dessa categoria mais comumente utilizados são salmeterol e formoterol.

Os broncodilatadores de ação prolongada podem ser prescritos, muitas vezes em conjunto com anti-inflamatórios, quando os sintomas não são totalmente controlados apenas pelo uso de um deles.

Outros métodos

Além das conhecidas bombinhas que podem ser utilizadas com medicamentos próprios para melhorar a respiração de pacientes asmáticos, há outros equipamentos que também podem ser utilizados, caso prescrito pelo médico competente. Dentre eles estão:

  • Bombinhas com máscara facial: Geralmente esses equipamentos são usados em bebês ou crianças pequenas cuja administração do inalador é mais difícil. Esse tipo de bombinha usa uma máscara, como as utilizadas em inaladores, acoplada a um espaçador. A máscara facial, que se prende ao espaçador, ajusta-se ao nariz e à boca para garantir que a dose certa de medicamento chegue aos pulmões do bebê.
  • Nebulizador: A nebulização (veja como funciona em detalhes) transforma a medicação para asma em uma névoa fina inspirada através de um bocal ou máscara usada sobre o nariz e a boca. É aquele tradicional inalador que as crianças costumam utilizar quando estão com resfriados.

Um nebulizador é geralmente usado para pessoas que não podem utilizar as bombinhas, como bebês, crianças pequenas, pessoas que estão muito doentes ou pessoas que precisam de grandes doses de medicação.

Seu médico irá avaliar a sua condição e especificidades para indicar o melhor método. Seja ele qual for, é necessário utilizá-lo corretamente para surtir os efeitos esperados e a dose correta de medicamento. Dessa forma, você poderá manter a asma sob controle.

Não se esqueça de substituir a bombinha de asma quando expirar seu vencimento ou se mostrar que todas as doses já foram utilizadas.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou utilizar uma bombinha de asma? De que tipo e com que medicamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário