Candidíase no Homem – Sintomas, Tratamento, Remédios e Dicas

Especialista:
atualizado em 03/10/2019

A candidíase é causada por um fungo comum que todos nós temos no organismo. Ela geralmente é inofensiva e raramente motivo de preocupação para a maioria dos homens, no entanto, se o seu sistema imunológico está sob estresse, debilitado por alguma doença ou uso de medicamentos, a candidíase pode se tornar um problema sim e trazer uma série de desconfortos que precisam ser tratados.

Geralmente ela afeta áreas como a boca, pele, mas pode aparecer também no órgão genital masculino, e quando não é gerenciada, pode invadir a corrente sanguínea e infectar alguns órgãos importantes, tornando a condição muito mais grave.

Vamos entender melhor o que é a candidíase no homem, assim como os sintomas, tratamentos mais adequados, remédios recomendados e também algumas dicas importantes para potencializar o tratamento e evitar o problema recorrente.

Candidíase – O que é?

A candidíase é considerada uma infecção fúngica causada por leveduras que pertencem ao gênero Cândida. Embora existam mais de 20 espécies de leveduras diferentes que podem causar infecção em humanos, a mais comum é a Candida Albicans.

Seu habitat natural é o intestino, membranas mucosas e pele, e quando está equilibrada não costuma causar infecção. Porém, algumas situações podem favorecer o crescimento excessivo e é justamente essa condição que chamamos de candidíase. Ela costuma provocar sintomas variados, que geralmente estão relacionados com a área do corpo infectada, mas também é comum que algumas aparições sejam assintomáticas.

A candidíase no homem pode afetar a boca, pele, incluindo a superfície externa, e também o órgão genital, como o pênis. Ela também pode infectar a corrente sanguínea ou órgãos internos, como o fígado ou o baço, o que pode ser muito prejudicial.

Principais causas

Conforme citado, a Cândida faz parte do nosso sistema imunológico e vivemos geralmente em harmonia. No entanto, alguns fatores podem estimular o crescimento descontrolado dessa levedura, provocando a candidíase.

A principal causa costuma ser o uso excessivo de antibióticos, pois esse tipo de medicamento é capaz de matar as bactérias nocivas mas também as boas, e isso causa um desequilíbrio que pode permitir o seu crescimento. Como não é afetada pelos antibióticos, a Cândida livre acesso para se mover para os locais vagos, que estavam ocupados pelas bactérias, e a partir daí começa a proliferar.

O uso de esteróides e alguns medicamentos para combater o câncer também enfraquecem o sistema imunológico e podem permitir que a levedura se desenvolva.

Já as infecções como a candidíase oral são mais frequentes em pessoas com câncer, AIDS e diabetes. Outra condição é a obesidade, pois a levedura geralmente infecta áreas em que a pele entra em contato com a própria pele. Pessoas com excesso de peso têm mais “dobras”, costumam transpirar mais e esse é um ambiente maravilhoso para a candidíase.

Além disso, o clima quente, falta de higiene e roupas apertadas também são fatores de risco, pois criam o cenário ideal para o crescimento.

Sintomas mais comuns da candidíase no homem

A candidíase pode apresentar uma série de sintomas desconfortáveis, e eles estão distribuídos conforme a área afetada.

– Manchas na boca, bochecha e garganta

Quem já ouviu falar do “sapinho”? Pois esse é um nome popular da candidíase que se desenvolve na boca ou na garganta. Ainda que seja mais comum em recém-nascidos, os idosos e pessoas com sistema imunológico enfraquecido também podem desenvolver. Além disso, aqueles que não fazem a higienização oral correta ou têm próteses removíveis estão mais propensos a desenvolver candidíase.

Um dos principais sintomas da candidíase oral é a presença de manchas brancas e esburacadas na língua, parte de dentro das bochechas, gengivas, amígdalas ou garganta. Essa condição costuma provocar dor, desconforto e pode até sangrar em alguns momentos. Outro aspecto comum é a vermelhidão ou dor na língua e boca.

Quando não é tratada, a candidíase oral pode se agravar e afetar o esôfago, o que provoca dor e dificuldade para engolir.

– Infecções no órgão genital ou urinário

Embora as infecções genitais aconteçam mais nas mulheres, os homens também podem experimentar.

A candidíase no homem afeta a cabeça do pênis e prepúcio, podendo provocar uma erupção cutânea, e ao redor da cabeça do pênis a pele pode ficar vermelha, apresentar inchaço, irritação e dor, coceira, inflamação e manchas brancas. Já o prepúcio pode ter uma espécie de depressão grossa e irregular que tem um cheiro bem desagradável. A presença de dor durante as relações sexuais ou ao urinar também pode acontecer.

Já as infecções no trato urinário são mais comuns em indivíduos idosos, hospitalizados ou imunocomprometidos. Essa condição traz uma vontade frequente de urinar, ardor quando está urinando e a urina pode ser turva, escura ou com cheiro diferente. Outro sintoma pode ser uma dor ou pressão na parte inferior do abdômen.

– Sensação de cansaço e fadiga

Acredite, esse é um dos sintomas mais comuns da candidíase no homem. Ainda que a candidíase não cause diretamente, ela contribui muito para que aconteça.

Isso acontece porque a candidíase se desenvolve quando o nosso sistema imunológico está debilitado, e isso por si só já causa essas sensações. Ela também é acompanhada de deficiências nutricionais, como de vitamina B6, ácidos graxos essenciais e magnésio, bem conhecidas por causar fadiga.

Essa condição é tão significativa que um estudo indicou que a candidíase prolongada no intestino pode até ser uma causa potencial da síndrome da fadiga crônica.

– Problemas digestivos

O nosso sistema digestivo é dependente das bactérias saudáveis e quando existe um desequilíbrio é comum que problemas como a constipação, diarreia, náusea, gases, cólicas e inchaço aconteçam. Alguns estudos associam o supercrescimento da Cândida a várias doenças do trato gastrintestinal, incluindo colite ulcerativa e doença de Crohn.

– Sinusite

Ela costuma apresentar sintomas como corrimento nasal, congestão, perda de olfato e dores de cabeça e na face. Geralmente é causada por bactérias, mas uma sinusite prolongada pode ter uma origem fúngica.

Um estudo realizado com 210 pessoas com sinusite analisou que 96% dos investigados tinham fungos no muco. A questão é que a sinusite é comumente tratada com antibióticos e eles por sua vez acabam dando espaço para o crescimento da candidíase. Então, se você sofre com episódios de sinusite que duram mais de um mês, ela pode ser a culpada.

– Infecções fúngicas

As bactérias da nossa pele são as responsáveis por impedir o crescimento da cândida, mas algumas mudanças na temperatura, o uso de cosméticos, sabonetes e hidratantes especialmente as versões antibacterianas, podem abrir espaço para que ela cresça descontroladamente. As axilas e a virilha são particularmente mais propensas às infecções e os sintomas mais comuns são a presença de coceira e erupção da pele.

A candidíase também pode provocar o conhecido pé de atleta, além de micose e fungo nas unhas.

– Dor nas articulações

Quando a candidíase permanece sem tratamento por um longo período de tempo, a infecção pode entrar na corrente sanguínea e circular pelo corpo. Ela pode infectar as articulações e causar, por exemplo, a artrite, que é uma condição que traz dor, rigidez e inchaço nas articulações, principalmente nos quadris e joelhos, que comumente são os mais afetados.

Ela também pode causar infecções ósseas, ou osteomielite, que são bem doloridas e deixam a área infectada sensível. Esse é o tipo de problema raro de acontecer e também difícil de curar.

Tratamento

O tratamento para a candidíase no homem costuma ser feito de acordo com a gravidade. Casos mais simples são tratados com mudanças na alimentação e hábitos de higiene, já para os mais sérios é preciso fazer o uso de alguns medicamentos. Veja cada um deles:

1. Alimentação

Se a candidíase é leve e até recorrente, uma das melhores maneiras de tratar é cuidar da alimentação. Isso é importante porque o alimento certo ajuda a equilibrar as bactérias boas do nosso intestino e elas são as responsáveis de impedir o desenvolvimento da candidíase.

Alguns alimentos são famosos por inibir o seu crescimento, e você pode inseri-los na sua dieta.

  • Probióticos: Alguns probióticos como o Lactobacillus são indicados para reduzir o crescimento da Cândida, evitando o aparecimento da candidíase e outras infecções. Eles geralmente são encontrados em alguns alimentos, mas também vendidos como cápsulas e são uma boa escolha para incluir na alimentação, principalmente se tiver passado recentemente por um tratamento com antibióticos.
  • Xilitol: Ele é um adoçante natural encontrado nas fibras de muitos vegetais, incluindo milho, framboesa, ameixa, entre outros. Em um estudo, foi possível analisar que o xilitol ajudou a combater a candidíase e que foi eficaz em diminuir a sua capacidade de aderir a uma superfície e causar infecção.
  • Alho: Ele é fácil de encontrar e extremamente versátil, então não há motivos para deixá-lo de fora da dieta. O alho contém uma substância antifúngica chamada alicina, que foi investigada através de estudos e demonstrou uma atuação relevante contra leveduras como a Cândida.
  • Kombucha: O kombucha é uma bebida rica em polifenóis que agem como antioxidantes no corpo. Ele também contém ácido acético, e esses dois componentes são capazes de ajudar a combater uma infecção como a candidíase.
  • Óleo de coco: Ele é popular e repleto de competentes importantes para o corpo, como por exemplo, o ácido láurico. Através de alguns estudos realizados com tubos de ensaio foi possível evidenciar que ele ajuda a combater infecções causadas por candidíase.
  • Curcumina: A curcumina é o principal componente do açafrão e estudos realizados em tubos de ensaio evidenciaram que ela pode matar as leveduras e impedir a sua proliferação, o que evita a candidíase.
  • Aloe vera: Usar um gel de aloe vera na boca ajuda a inibir o crescimento da levedura, e isso evita que ela se torne uma infecção.
  • Romã: É uma fruta muito apreciada, nutritiva e saborosa e pode ser eficaz para combater leveduras como a candidíase. Esse foi o resultado presenciado em um estudo, que foi realizado para entender os efeitos da fruta contra a levedura.

Além de inserir alguns alimentos na dieta capazes de combater a candidíase, também é necessário eliminar aqueles que vão estimular a superprodução. Então, evite consumir os açúcares refinados, carboidratos e produtos lácteos com alto teor de lactose, pois eles costumam potencializar o crescimento da Cândida e também de outros micro-organismos “ruins” e prejudiciais.

2. Remédio

Quando as mudanças na alimentação não são suficientes para combater a candidíase no homem, assim como na mulher, o uso de um remédio se faz necessário, pois se não for tratada, ela pode afetar órgãos vitais e causar complicações mais sérias, incluindo nos casos mais extremos a morte.

Geralmente são receitados cremes tópicos antifúngicos ou uma medicação oral para ajudar a aliviar os sintomas, e vale reforçar que não é recomendada a automedicação: sempre procure primeiro um médico.

  • O Diflucan é um dos medicamentos receitados. Ele costuma conter uma cápsula com 150 miligramas de um medicamento antifúngico, chamado fluconazol. Apenas uma dose é suficiente e esse é um medicamento isento de prescrição e facilmente encontrado em qualquer farmácia ou drogaria.
  • Imidazol é outro tipo de antifúngico conhecido. Ele relaciona uma série de drogas como o clotrimazole, econazol, cetoconazol e miconazol. Essa medicação é mais comum em cremes que geralmente são aplicados topicamente na área afetada. A frequência é de uma vez por dia e o período recomendado costuma ser de 3 a 7 dias.
  • A nistatina é outro antifúngico tópico. É vendido por vários fabricantes diferentes, porém é menos eficaz que os imidazóis tópicos.

Dicas para potencializar o tratamento e evitar novas infecções

Adotar alguns hábitos pode ajudar no tratamento da candidíase no homem e na mulher, e também evitar que novos episódios aconteçam. Tenha em mente que a prevenção sempre será a melhor alternativa.

  • Evite manter relações sexuais sem o uso de preservativo se estiver utilizando algum creme antifúngico.
  • Na hora de higienizar o pênis, certifique-se de puxar o prepúcio e lavar bem, fazendo isso todos os dias. Também não se esqueça de secar corretamente, pois manter as regiões úmidas impulsiona a proliferação.
  • Evite usar desodorantes, talcos, sabonetes perfumados ou líquidos nas partes íntimas, pois esse tipo de produto pode causar irritação.
  • Evite banhos quentes e banheiras de hidromassagem, principalmente se tiver infecção por fungos existente. O calor e a umidade estimulam a superprodução da Cândida.
  • Use roupas íntimas de algodão e folgadas para não criar um ambiente quente e úmido.
  • Evite usar roupas apertadas, principalmente se estiver com uma infecção ativa. Opte sempre pelas mais folgadas e de preferência feitas com fibras naturais, como algodão.
  • Evite sempre que possível o uso de antibióticos para tratar qualquer tipo de doença. Caso não seja possível, procure associar com a ingestão de probióticos – isso irá ajudar a recuperar a flora intestinal.
  • Mantenha os pelos pubianos aparados e de preferência curtos ao redor da região genital, porque pelos longos costumam aumentar a temperatura na região e isso provoca transpiração e umidade.
  • Se estiver fazendo o tratamento, vá até o fim e siga as orientações, conforme o recomendado, pois se isso não acontecer a infecção por levedura pode voltar.
  • Sempre que possível, tome banho de água salgada e tome sol, pois essas são condições não toleradas pela candidíase.
  • Invista em uma alimentação adequada sempre e não somente durante o tratamento. Cuidar da saúde intestinal evitará problemas com a candidíase.

A candidíase é uma infecção fácil de gerenciar, especialmente se estiver leve, tanto que às vezes nem precisa de remédios e sim de adequações na alimentação. Então, se você está sofrendo com ela, procure a ajuda de um profissional de saúde e entenda qual será a melhor abordagem para o seu caso. Ele sem dúvida será capaz de guiá-lo para que você obtenha sucesso e elimine definitivamente qualquer infecção fúngica.

Fontes e Referências Adicionais:

Você sabia que também existe candidíase no homem? Conhece alguém que já tenha adquirido essa condição? você mesmo já teve? como tratou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, média: 4,36 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário