Cirurgia de Varizes – Como Funciona e Dicas

Especialista:
atualizado em 12/09/2019

Muitas vezes, a presença de varizes não é um problema muito preocupante. Na maioria dos casos, trata-se apenas de um problema estético que não faz nenhum tipo de mal à saúde. Porém, algumas pessoas sentem dor e coceira na região, o que além do desconforto pode causar reações alérgicas na pele.

Existem diversos métodos disponíveis para o tratamento de varizes atualmente. Quando nenhum deles funciona e os sintomas não desaparecem, um médico pode sugerir a remoção cirúrgica das varizes.

Vamos falar sobre os métodos de cirurgia de varizes disponíveis e como eles funcionam, além de dar dicas sobre o pós-operatório e sobre tratamentos recentes para a condição.

Varizes

As varizes ocorrem quando as veias se dilatam devido a uma falha nas válvulas das artérias. Elas são observadas principalmente nas pernas e nos pés. Além do desconforto e dor sentidos em alguns casos, as varizes podem prejudicar o fluxo sanguíneo. Nesses casos, é importante intervir com algum tipo de tratamento.

Porém, se o uso de medicamentos para varizes ou as mudanças de hábitos não resultarem em melhorias, uma opção é remover as varizes cirurgicamente.

Cirurgia de varizes

A cirurgia de varizes é uma dar formas de tratar as varizes. Existem várias técnicas cirúrgicas seguras que não prejudicam o fluxo sanguíneo para outras regiões do corpo, já que o sangue presente na veia defeituosa é redirecionado para veias saudáveis.

A cirurgia pode ser realizada em veias superficiais e também em veias mais profundas. Em qualquer uma delas, as varizes são totalmente removidas.

Para quem a cirurgia de varizes é indicada?

A cirurgia de varizes é útil para quem sofre muito com dores e desconfortos no local da veia, já que após a remoção cirúrgica, dificilmente novas varizes vão surgir no local, resolvendo o problema para sempre.

Como funciona

Como é feita a cirurgia depende do método adotado. Normalmente, quando a remoção é mais simples, ela é feita no ambulatório e dura no máximo 90 minutos. Nesse caso, você pode voltar para casa no mesmo dia. Se for feita em um hospital, pode ser que você fique uma noite em observação por precaução. O médico deve decidir se você vai usar uma anestesia geral ou raquidiana (apenas na parte inferior do corpo) antes do procedimento.

Dentre as técnicas cirúrgicas mais usadas, temos a decapagem da veia e a flebectomia.

– Decapagem da veia

Neste método de cirurgia de varizes, conhecido também como safenectomia, são feitos dois cortes – ou incisões. Um deles é feito na parte superior da perna logo abaixo da virilha e o segunda é realizado atrás da articulação do joelho ou do tornozelo, dependendo de onde as varizes estão localizadas.

Em seguida, a veia é amarrada ou presa na incisão superior usando uma técnica conhecida como ligadura de veias. Nessa técnica, um fio longo e flexível é enviado através dessa incisão superior até a incisão inferior, passando por toda a extensão da veia. Através da extremidade inferior, toda a extensão da veia danificada é puxada e removida. Esse método não prejudica o fluxo sanguíneo na perna, já que as veias situadas próximas à veia removida assumem o papel da veia danificada.

Apesar de ser o método mais tradicional para a remoção de varizes, a recuperação é mais demorada.

– Flebectomia

Na flebectomia ambulatorial, pequenas incisões de poucos milímetros de comprimento são feitas ao longo da veia afetada. Depois disso, um pequeno gancho é usado para puxar a veia o máximo possível através das incisões por meio das quais a veia danificada é cortada em várias pequenas partes e removida.

Essa técnica é útil em veias menores que se ramificam das veias principais. Além disso, essa técnica pode ajudar a evitar cicatrizes, já que os cortes feitos são muito pequenos e o tempo de recuperação é menor.

Efeitos colaterais

Toda cirurgia tem seus riscos. A cirurgia de varizes não é diferente nesse ponto e podem ocorrer alguns efeitos colaterais. Os principais incluem:

  • Dor;
  • Sangramento;
  • Hematomas;
  • Inchaço;
  • Cicatrizes;
  • Descoloração da pele.

Também podem ocorrer complicações como infecções, trombose ou danos nos nervos. Porém, esses efeitos adversos são bem menos comuns do que os citados acima.

Recuperação

A cirurgia de varizes é tão simples que, na maioria dos casos, o paciente pode voltar para casa no mesmo dia ou no dia seguinte. O inchaço na região demora algumas semanas para diminuir e é preciso repouso, uso de medicamentos prescritos como analgésicos e interrupção de algumas atividades rotineiras para uma boa recuperação.

Pesquisas e observações clínicas indicam que uma pessoa costuma levar de uma a três semanas para retornar ao trabalho após uma cirurgia de varizes.

No caso da decapagem, a recuperação é mais lenta, mas você é capaz de andar a partir do dia seguinte ao da operação. Além disso, é indicado manter as pernas elevadas quando estiver em repouso para ajudar a melhorar o fluxo sanguíneo.

Cerca de 2 dias após a operação, você já poderá remover os curativos e tomar banho normalmente. Se não houver desconforto e seu médico permitir, você também já poderá dirigir e fazer caminhadas e atividades físicas leves.

Quanto ao retorno ao trabalho, se ele não envolve atividades físicas ou esforço físico intenso, você pode retornar em uma semana. Porém, se envolver algum tipo de esforço, pode ser mais prudente esperar 2 ou 3 semanas para voltar à ativa.

Dicas

Se você não quer passar por um procedimento muito invasivo como uma cirurgia de varizes, existem outros tratamentos recentes disponíveis para remover as varizes. Vamos falar um pouco de alguns deles a seguir.

– Ablação por radiofrequência

Na ablação por radiofrequência, é gerado calor através de ondas eletromagnéticas que é capaz de fechar as veias danificadas. Nesse método, é feita a inserção de uma sonda fina de ablação por radiofrequência por meio de uma pequena incisão logo acima ou abaixo do joelho. Essa sonda apresenta um catéter que aquece a veia até que a mesma seja fechada e o sangue remanescente é direcionado para veias saudáveis.

Uma variação dessa mesma técnica é a ablação por laser endovenoso, que também envolve o fechamento da veia a partir do seu interior usando o calor. Porém, ao invés das ondas eletromagnéticas, o próprio laser é responsável por gerar calor.

– Flebectomia transiluminada

Uma pequena lâmina rotativa é inseria na veia para cortar a mesma. Depois disso, o tecido da veia é removido por uma técnica de sucção. A denominação transiluminada tem a ver com o processo de iluminação da veia que é feito pelo lado exterior através da pele para que o cirurgião consiga ver a veia danificada e a remova.

Estudos sugerem que esses tratamentos são tão eficazes quanto uma cirurgia invasiva, mas que também incluem o risco de alguns efeitos colaterais, tais como:

  • Dor;
  • Hematomas;
  • Cicatrizes.

Nessas técnicas menos invasivas, o risco de complicações ou danos nos nervos e ocorrência de infecções é muito menor do que em cirurgias convencionais. Porém, é uma técnica mais recente e não se sabe ao certo se ela é realmente segura e eficaz.

– Escleroterapia

Essa abordagem envolve a injeção de um líquido ou espuma na veia afetada. A substância que é injetada danifica as paredes da veia e promove o seu fechamento.

Esse tratamento é adequado para varizes pequenas e médias ou para tratar varizes mais superficiais. Alguns efeitos adversos relacionados a esse método incluem:

  • Descoloração da pele na região da injeção;
  • Desenvolvimento de flebite, uma inflamação na veia que atinge cerca de 10 a cada 100 pessoas que passam pelo procedimento;

Porém, assim como a ablação por radiofrequência e a flebectomia transiluminada, a escleroterapia também reduz o risco de danos aos nervos e diminui também a incidência de hematomas.

Além disso, essas técnicas, por serem menos invasivas, promovem uma recuperação muito mais rápida do que as cirurgias convencionais.

Segurança do procedimento cirúrgico

Mesmo sendo um procedimento cirúrgico, a cirurgia de varizes costuma ser muito tranquila e com poucos riscos de complicações e efeitos colaterais. Respeitando as orientações médicas no pós-operatório, os hematomas tendem a desaparecer e sua recuperação pode ser bem rápida.

Prevenção de novas varizes

O método cirúrgico não garante que o paciente nunca mais tenha problemas com varizes. Novas varizes podem surgir se você tiver pré-disposição à condição. Por isso, é importante alterar alguns hábitos diários para evitar o retorno do mesmo problema.

Assim, evite os fatores de risco de ocorrência de varizes e faça atividades físicas, evite fumar, use roupas confortáveis que não apertem ou impeçam a circulação do sangue adequada e mantenha uma dieta saudável e equilibrada para evitar o excesso de peso.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou passar por uma cirurgia de varizes? De que tipo foi feita? Teve um bom resultado e boa recuperação? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 3,17 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário