Diabético Pode Comer Frutas?

Especialista:
atualizado em 26/12/2019

Quando você era criança, os seus pais insistiam para que você comesse frutas no lugar de guloseimas como biscoitos e salgadinhos? Pois então, agradeça a eles!

Isso porque esse grupo de alimentos é bastante importante tanto para a dieta da criança quanto para a dieta do adulto, tendo em vista que as frutas são nutritivas e fornecem fibras, vitaminas e minerais que o organismo necessita para funcionar bem.

Entretanto, devido ao fato das frutas possuírem seu açúcar natural, há quem diga que não podemos dizer que o diabético pode comer frutas. Mas será que isso é verdade mesmo? Ou não passa de um exagero?

A diabetes

Antes de começarmos a analisar se o diabético pode comer frutas ou não, vamos procurar entender do que se trata a doença?

Pois bem, a condição é definida como crônica e caracterizada pela não produção ou pela utilização inadequada do hormônio insulina por parte do organismo. Esse hormônio é responsável pelo controle da quantidade de glicose no sangue e é necessário ao corpo para que ele possa utilizar a glicose obtida por meio da alimentação como fonte de energia.

Em um quadro de diabetes, a glicose não é usada apropriadamente e o seu nível fica alto, provocando a chamada hiperglicemia. Entre os sintomas da doença, encontram-se: muitas idas ao banheiro, principalmente no período noturno, sensação de muita sede, maior cansaço do que o habitual, perda de peso sem tentar, coceira ou candidíase genital, cortes e feridas que demoram mais tempo para serem curados e visão borrada.

Ao apresentar esses sintomas, é fundamental procurar o médico para descobrir se tem ou não a condição e dar início ao tratamento adequado. Até porque a doença pode provocar uma série de complicações quando não é tratada.

Por exemplo, a permanência do quadro de hiperglicemia por longos períodos pode causar danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos do organismo. Além disso, a diabetes pode trazer outras complicações como doença renal, danos nos nervos, má circulação, formigamento, dor, fraqueza e perda de sensibilidade nos pés e membros inferiores, pele seca, aparecimento de calos e problemas nos olhos.

Mas a lista não termina por aí: a doença também pode causar a pressão arterial alta, o aumento das chances de ter um acidente vascular cerebral (AVC), a síndrome hiperosmolar não cetótica (SHNC, caracterizada por hiperglicemia, extrema desidratação e alteração no nível de consciência) e gastroparesia (demora no esvaziamento do estômago).

Tendo em vista todos esses riscos, é fundamental seguir corretamente o tratamento prescrito pelo médico, não é mesmo? As informações são da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), da Associação Americana de Diabetes e da Diabetes UK, instituição beneficente do Reino Unido voltada para pessoas afetadas pela diabetes.

E então, será que o diabético pode comer frutas?

Segundo o nutricionista Douglas Twenefour, as frutas não devem ser excluídas da alimentação das pessoas que sofrem com a diabetes porque, ao lado dos vegetais, elas diminuem os riscos de desenvolvimento de doenças como pressão arterial alta, doenças no coração, acidente vascular cerebral (AVC), obesidade e alguns tipos de câncer.

De acordo Twenefour, “é ainda mais importante para as pessoas com diabetes comer mais frutas e vegetais, já que essas condições têm mais tendência de afetá-los”. Ele ainda afirmou que as frutas não aumentam as taxas de glicose no sangue de uma maneira tão acentuada quanto outras comidas com carboidratos como pão branco e pão integral.

Apesar de algumas frutas conterem mais açúcar do que as outras, isso não significa que o diabético não possa consumi-las. A quantidade total de carboidratos encontrada em um alimento afeta os níveis de glicose no sangue mais do que o tipo de carboidrato, seja esse carboidrato açúcar ou amido (um tipo de carboidrato, assim como o açúcar).

Conforme a Associação Americana de Diabetes, os melhores tipos de frutas para quem tem a doença são as frescas, congeladas e enlatadas sem a adição de açúcar.

A contagem de carboidratos

De acordo com a Associação Americana de Diabetes, a contagem de carboidratos é uma das diversas alternativas de dieta para controlar os níveis de glicose (açúcar) no sangue dos diabéticos, utilizada com mais frequência por pessoas que tomam insulina duas vezes ou mais a cada dia.

O método envolve contar a quantidade em gramas de carboidratos de cada refeição, combinando com a dose de insulina, explicou a organização. Segundo a instituição, com o equilíbrio correto da prática de atividades físicas e do uso de insulina, a contagem de carboidratos pode auxiliar a controlar as taxas de glicose no sangue.

Entretanto, a Associação Americana de Diabetes ressaltou que a quantidade de carboidratos que cada diabético pode consumir em cada refeição deve ser definida em conjunto com o médico responsável pelo tratamento.

Ao receber a orientação do médico a respeito de quanto de carboidrato pode consumir em cada refeição, o paciente deve levar essa quantidade em consideração na hora de escolher qual porção de qual fruta vai incluir em sua refeição, tomando cuidado para que a quantia de fruta escolhida não ultrapasse esse limite ou comprometa boa parte dele.

De qualquer forma não custa nada lembrar que incluir uma fruta como fonte de carboidrato em uma refeição é algo muito mais saudável e nutritivo do que escolher itens como refrigerantes, doces, bolos e outras guloseimas para ocupar o teor de carboidratos reservado para cada refeição.

Para quem procura diminuir a ingestão de carboidratos para controlar os níveis de glicose no sangue, o nutricionista e consultor Douglas Twenefour recomenda diminuir o consumo de itens como bolos, biscoitos e chocolate, que contêm açúcar adicionado.

Uma vez que isso tiver sido feito, ele indica começar a procurar diminuir o consumo de alimentos ricos em amido. “Eu aconselho que você comece reduzindo aqueles que são altamente processados e contêm a adição de gorduras, açúcares e sal”, afirmou o consultor.

A quantidade de carboidratos das frutas

Uma porção de fruta deve carregar 15 g de carboidratos. O tamanho da porção de cada tipo de fruta vai depender do teor de carboidratos que o alimento em questão contém.

A vantagem para o diabético em consumir uma fruta pobre em carboidratos é que ele pode ingerir uma porção maior. Entretanto, independentemente de ser uma fruta rica ou pobre no nutriente, o efeito em relação às taxas de glicose no sangue será o mesmo, desde que a porção contenha 15 g de carboidratos.

Todos os tamanhos de porções de frutas descritas a seguir carregam 15 g de carboidratos:

  • ½ maçã média;
  • 1 xícara de amora;
  • 1 xícara de framboesa;
  • 1 ¼ xícaras de morango;
  • 1 xícara de melão honeydew em cubos.

Cuidado com os sucos de frutas

O nutricionista Twenefour também alertou que os sucos de frutas não são tão benéficos quanto as frutas em si porque podem ser ricos em açúcares naturais (isso sem contar quando há o acréscimo do açúcar de mesa na preparação da bebida) e contêm menos fibras do que a fruta integral.

Segundo ele, como uma pessoa dá conta de tomar muito suco em um curto período de tempo – enquanto não é tão provável que alguém consiga comer muito da fruta em si em pouco tempo -, o resultado poder ser um fornecimento elevado de carboidratos durante o período em questão.

“Dependendo de como a diabetes é controlada, isso pode resultar na subida dos níveis de glicose no sangue e também pode afetar o peso em longo prazo”, completou o nutricionista.

Para quem tem diabetes e quer tomar suco de frutas, o conselho é limitar a ingestão da bebida a no máximo um copo pequeno por dia. Já para aqueles que têm o costume de tomar suco junto com as refeições, o nutricionista aconselha a também diminuir o teor de carboidratos do prato.

“Por exemplo, se você geralmente come duas fatias de pão no café da manhã, no dia em que você decidir tomar um copo pequeno de suco, considere sacrificar uma fatia de pão para dar espaço ao suco. Não estou dizendo para fazer isso todo dia, mas é uma opção para assegurar que você não fique com muitos carboidratos e aumente os seus níveis de glicose no sangue em decorrência do suco”, recomendou Twenefour.

Atenção

Este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as recomendações médicas para o tratamento e a dieta da diabetes. Portanto, antes de tomar qualquer decisão a respeito do consumo de frutas ou qualquer outro alimento dentro de sua dieta, o diabético precisa consultar seu médico ou nutricionista.

Melhor do que saber se diabético pode comer frutas é, ao ser diagnosticado com a doença, que o paciente já questione o médico a respeito de como a sua dieta deve funcionar a partir de então, pedindo que o profissional explique detalhadamente como deve funcionar a sua ingestão de frutas, tendo em vista as características do seu quadro e as necessidades do seu tratamento.

Lembrando que diferentes pessoas têm diferentes quadros da doença, o que faz com que seu tratamento e dieta tenham as suas próprias particularidades e exijam cuidados individualizados.

Vídeo:

O vídeo a seguir contém a orientação da nutricionista Patricia Leite com a análise se diabético pode comer frutas e quais são as melhores:


Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que o diabético pode comer frutas que contenham menor teor de carboidratos? Possui essa condição e tem dificuldades com a dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário