Controle da glicemia

Sintomas da Glicose Alta (Hiperglicemia)

A hiperglicemia, ou glicose alta, é um termo que se refere aos níveis elevados de glicose ou açúcar no sangue – a condição que muitas vezes, mas nem sempre, leva ao diagnóstico de diabetes.

A glicose vem dos alimentos que ingerimos. A insulina é um hormônio que transporta a glicose em suas células para fornecer energia. A hiperglicemia acontece quando seu corpo não produz insulina suficiente ou não consegue usá-la da maneira correta. Pessoas com diabetes podem sofrer de hiperglicemia por não comer os alimentos certos ou não tomar os medicamentos corretamente.

O alto nível de açúcar no sangue é mais frequentemente observado em pessoas que já foram diagnosticadas com diabetes e que não controlam a doença do modo adequado. Vários fatores podem contribuir para a hiperglicemia em pessoas com diabetes, incluindo escolhas de alimentos e atividade física, doenças, medicamentos não-diabéticos, ou ignorando ou não tomando medicação adequada para diminuir a glicose. Os sintomas da glicose alta podem ser leves, moderados ou graves.

A hiperglicemia é definida por certos níveis elevados de glicemia de acordo com a hora do dia:

  • Níveis de jejum superiores a 7,0 mmol / L ou 126 mg / dL
  • Duas horas pós-prandial (após uma refeição) com níveis superiores a 11,0 mmol / L ou 200 mg / dL

É importante tratar a hiperglicemia, pois se não for tratada, ela pode se tornar grave e levar a complicações que requerem atendimento de emergência, como um coma diabético. A longo prazo, a hiperglicemia crônica, mesmo que não grave, pode levar a complicações diabéticas que afetam a saúde dos olhos, rins, nervos e coração.

Quão grave é a hiperglicemia?

Os episódios leves ocasionais geralmente não são motivo de preocupação e podem ser tratados com bastante facilidade ou podem retornar ao normal por conta própria. No entanto, a hiperglicemia pode ser potencialmente perigosa se o nível de açúcar no sangue se tornar muito alto ou ficar alto por longos períodos.

Níveis muito elevados de açúcar no sangue podem causar complicações potencialmente fatais, tais como:

– Cetoacidose diabética (DKA)

Uma condição causada pelo corpo quando ele é obrigado a quebrar gordura como fonte de energia, podendo levar ao coma diabético. Isso tende a afetar pessoas com diabetes tipo 1.

Níveis elevados de glicose no sangue significam que níveis insuficientes de glicose estão disponíveis para as células para suas necessidades energéticas. Como resultado, o corpo recorre a gorduras degradadas para que a energia seja derivada de ácidos graxos.

Esta degradação produz cetonas, levando à maior acidez do sangue. A cetoacidose diabética requer atenção médica urgente e, juntamente com os sintomas da glicose alta, é sinalizada por: náusea ou vômito, dor abdominal, cheiro ácido ou de frutas na boca, sonolência, confusão mental, hiperventilação, desidratação e perda de consciências.

Em casos graves, a pessoa pode entrar em coma. O tratamento hospitalar da cetoacidose inclui a administração de fluidos intravenosos e insulina.

– Estado hiperglicêmico hiperosmolar (HHS)

É uma desidratação grave causada pelo corpo ao tentar se livrar do excesso de açúcar através da urina. Isso tende a afetar pessoas com diabetes tipo 2.

Se você tiver glicose alta por longos períodos de tempo (meses ou anos), fale com seu médico ou equipe de cuidados com diabetes. Você pode precisar mudar seu tratamento ou estilo de vida para manter seus níveis de açúcar no sangue dentro de um intervalo saudável.

Sintomas da glicose alta

A hiperglicemia não causa sintomas até que os valores de glicose sejam significativamente elevados – acima de 200 mg/dL.

Os sintomas da glicose alta desenvolvem-se lentamente ao longo de vários dias ou semanas. Quanto mais tempo os níveis de açúcar no sangue permanecem elevados, mais graves os sintomas se tornam. No entanto, algumas pessoas que tiveram diabetes tipo 2 por um longo tempo podem não mostrar nenhum dos sintomas, apesar de níveis de açúcar elevados no sangue.

Os principais sintomas da glicose alta precoces são:

  • Micção frequente;
  • Aumento da sede;
  • Visão embaçada;
  • Fadiga;
  • Dor de cabeça.

Os sinais posteriores ocorrem quando a hiperglicemia não é tratada ao aparecerem estes sintomas precoces. Nestes casos, há a formação de compostos tóxicos no sangue e na urina, e os sintomas são:

  • Hálito com mau cheiro de fruta;
  • Náusea e vômito;
  • Falta de ar;
  • Boca seca;
  • Fraqueza;
  • Confusão mental;
  • Dor abdominal.

Se chegar ao extremo de você não conseguir manter nenhum alimento ou fluido no organismo, ou se seus níveis de glicose no sangue ficarem persistentemente acima de 240 mg/dL e for detectada a presença de compostos tóxicos ao organismo como cetonas na urina, é necessário procurar um médico urgente.

Os sintomas da glicose alta mais graves são:

  • Diarréia ou vômito;
  • Febre que dura mais de 24 horas;
  • Glicose no sangue superior a 240 mg/dL mesmo tomando a medicação adequada para diabetes;
  • Dificuldade em manter sua glicemia dentro do intervalo desejado;
  • Coma ou inconsciência;
  • Letargia.

Causas da hiperglicemia

A hiperglicemia geralmente leva ao diagnóstico de diabetes. Para pessoas já diagnosticadas e tratadas para diabetes, no entanto, um controle fraco sobre os níveis de açúcar no sangue leva à condição.

Diversos fatores podem desencadear um aumento no nível de açúcar no sangue em diabéticos, incluindo:

  • Estresse;
  • Doenças como resfriado;
  • Comer além do necessário ao organismo;
  • Falta de exercício físico;
  • Desidratação;
  • Insuficiente quantidade de tratamento com insulina (mais comumente em casos de diabetes tipo 1);
  • Resistência à insulina na diabetes tipo 2.

Para um diabético, a ausência de tratamento adequado ou até mesmo uma dosagem incorreta pode aumentar ainda mais os níveis de glicose no sangue. Episódios ocasionais de hiperglicemia também podem ocorrer em crianças e jovens.

Tratamento da Hiperglicemia

O tratamento da glicose alta para pessoas com diagnóstico de diabetes é uma questão de automonitoramento e gerenciamento dos níveis de glicose no sangue, incluindo a adesão aos regimes de insulina, se necessário.

Para alguém que não tenha sido diagnosticado com a condição, os sintomas da glicose alta precisam ser comunicados a um médico para que possam testar a diabetes.

O controle do alto nível de açúcar no sangue é importante para prevenir complicações causadas por hiperglicemia crônica. Um médico pode precisar rever o plano de tratamento para um paciente com diabetes que se torna hiperglicêmico e eles podem decidir tomar uma das seguintes ações:

  • Aumentar a dose de insulina;
  • Alterar a dieta e mudar hábitos alimentares;
  • Realizar mais atividades físicas;
  • Monitorar o nível de glicose com aparelhos digitais em casa;

Também é importante beber mais água, já que ela ajuda a remover o excesso de açúcar no sangue através da urina.

Se você tem diabetes tipo 1 ou 2 e seu açúcar no sangue está alto, você precisa verificar sua urina para cetonas. Quando você tem cetonas detectadas na urina, não é recomendada a prática de exercícios físicos intensos pois alguns medicamentos podem causar hipoglicemia se você estiver se exercendo muito.

Em alguns casos, o médico pode alterar a quantidade, o tempo ou o tipo de medicamentos para diabetes que você toma.

Prevenção da hiperglicemia

Para prevenir o desenvolvimento da hiperglicemia, é preciso manter hábitos diários que ajudem no controle dos níveis de açúcar no sangue. É indicado que você tenha uma alimentação balanceada e saudável, além de se exercitar regularmente.

Assim, para prevenir a hiperglicemia, é recomendado:

– Conhecer sua dieta

Contar as quantidades de carboidratos totais consumidas em cada refeição é um bom método para controlar o quanto de açúcar você está ingerindo diariamente. Sempre que possível, diminua essa quantidade.

– Testar o açúcar no sangue regularmente

Hoje em dia, temos aparelhos digitais que nos permitem medir a glicose presente no sangue em casa. Notando alguma alteração constante, informe o seu médico sobre as leituras anormais de açúcar no sangue.

– Praticar exercícios físicos

Exercitar-se regularmente pode ajudar a aumentar o nível de açúcar no sangue. Se você já for diabético, é necessário consultar o médico para saber qual tipo de atividade é mais adequada para você.

– Ter muito cuidado quando estiver doente

Durante uma doença como uma gripe ou resfriado, devemos ter atenção com a nossa dieta para manter os níveis de açúcar no sangue adequados ao que seu corpo necessita.

Caso você seja diagnosticado com diabetes, use uma identificação médica para que as pessoas saibam que você tem diabetes em casos de emergência.

Fique sempre atento ao seu plano de tratamento – lembre-se de tomar sua insulina ou outros medicamentos para diabetes, conforme recomendado por seu médico.

Vídeo:

E aí, gostou das dicas?

Referencias adicionais:

Você já percebeu alguns destes sintomas da glicose alta? Já foi diagnosticado com diabetes e necessita destes tratamentos citados acima? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 4,67 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Um comentário

  1. Sim, a dois senti estes sintomas fiz exame, resultado 325 tomei medicamento e baixou para niveis normais ate a uma semana atrais. hoje fiz exame deu 379 estou sem entender o porque por favor me diga o que devo tomar ate que possa ir ao médico não lembro o nome do remédio

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*