Especialista da Área:

Diabético Pode Tomar Vinho?

🕐 26/12/2019

No ano de 2015, os brasileiros importaram 77,3 milhões de litros de vinho, segundo informações de uma publicação de 2016 Innovare Pesquisa.

Ainda segundo o instituto, pesquisas apontaram que a maioria dos brasileiros prefere o vinho tinto e que a faixa etária da população que mais compra a bebida vai dos 35 aos 44 anos de idade.

Mas será que todo brasileiro que pode consumir a bebida? Ou será que quem sofre com algum tipo de doença precisa restringir a ingestão do vinho? Por exemplo, o diabético pode tomar vinho?

A diabetes

Antes analisarmos propriamente se o diabético pode tomar vinho ou não, precisamos ficar familiarizados com a doença.

Pois bem, a diabetes é uma doença crônica, em que não ocorre a produção do hormônio insulina no organismo ou a utilização do hormônio é inadequada.

A insulina é quem tem a tarefa de controlar a quantidade de glicose no sangue e é necessária ao organismo para que ele possa utilizar a glicose obtida por meio da alimentação como fonte de energia.

Em um quadro de diabetes, o que acontece é que a glicose não é usada apropriadamente e o seu nível fica alto, causando uma hiperglicemia.

A lista de sintomas da doença abrange: muitas idas ao banheiro – principalmente no período noturno, sentir muita sede, ficar mais cansado do que o habitual, perder peso sem tentar, coceira ou candidíase genital, cortes e feridas que demoram mais tempo para serem curados e visão borrada.

Ao apresentar esses sintomas, é vital procurar o médico para descobrir se tem ou não a condição e dar início ao tratamento adequado – a doença pode provocar uma série de complicações quando não é tratada.

A permanência de níveis altos de açúcar no sangue por longos períodos pode causar danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos do organismo. Além disso, a diabetes pode trazer outras complicações como doença renal, má circulação, formigamento, dor, fraqueza e perda de sensibilidade nos pés e membros inferiores, pele seca, aparecimento de calos e problemas nos olhos.

A doença também pode gerar a pressão arterial alta, o aumento das chances de ter um acidente vascular cerebral (AVC), a síndrome hiperosmolar não cetótica (SHNC, caracterizada por hiperglicemia, extrema desidratação e alteração no nível de consciência) e gastroparesia (demora no esvaziamento do estômago).

As informações são da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), da Associação Americana de Diabetes e do Diabetes UK.

E então, o diabético pode tomar vinho?

O consumo de bebidas alcoólicas, como é o caso do vinho, deve ser cuidadoso e moderado para todas as pessoas, quer elas tenham a diabetes, quer elas não sofram com a doença.

Uma mostra disso é que Associação Americana de Diabetes informa que as pessoas com diabetes precisam seguir as mesmas diretrizes que as pessoas que não possuem a doença em relação ao consumo de bebidas alcoólicas.

Segundo a organização, essas diretrizes determinam que as mulheres não podem ingerir mais do que um drinque por dia e que os homens não podem tomar mais do que dois drinques diariamente.

A associação detalhou que um drinque é equivalente a uma taça com aproximadamente 150 ml de vinho.

Sempre consulte o seu médico

Outro conselho dado pela Associação Americana de Diabetes é que os diabéticos com dúvidas em relação à segurança do consumo de bebidas alcoólicas como o vinho devem conversar com o médico e seguir todas as instruções passadas por ele a respeito de como deve ser a sua ingestão de álcool.

É fundamental conversar com o médico sobre esse aspecto da vida após o diagnóstico da diabetes porque cada paciente tem o seu próprio quadro de diabetes, além de particularidades em seu organismo, saúde e rotina.

Portanto, o médico que acompanha o caso é quem poderá dar as recomendações específicas adequadas para a saúde do seu paciente em questão.

Lembre-se de que este artigo serve somente para informar, porém, jamais pode substituir as orientações passadas pelo médico, que é quem deve definir se o diabético pode tomar vinho ou não em sua dieta.

Hipoglicemia (baixa nos níveis de glicose no sangue)

A Associação Americana de Diabetes alertou que o consumo de bebidas alcoólicas como o vinho pode provocar uma diminuição nos níveis de glicose no sangue porque o álcool bloqueia a produção de glicose no fígado.

A organização explicou que o fígado contém estoques emergenciais de glicose para aumentar os níveis de glicose no sangue quando eles estiverem muito baixos.

Uma vez que os estoques de glicose no fígado foram utilizados, uma pessoa que bebeu vinho demais, por exemplo, não consegue produzir mais de imediato, o que pode gerar uma hipoglicemia perigosa e até mesmo a morte, completou a instituição.

Isso é preocupante se pensarmos que um diabético já segue um tratamento focado no controle das taxas de glicose no sangue.

A Associação Americana de Diabetes afirma que os diabéticos não podem consumir bebidas alcoólicas como o vinho de estômago vazio ou quando os níveis de glicose no sangue estão baixos, justamente devido ao fato de que os riscos de hipoglicemia são mais elevadas depois da ingestão de bebidas alcoólicas.

A organização também enfatizou que o diabético deve sempre comer algo quando for beber álcool, principalmente se ele usar insulina ou medicamentos para a diabetes que podem diminuir o nível de glicose no sangue por meio da produção de mais insulina.

Como o álcool pode provocar a hipoglicemia logo depois do seu consumo e até 24 horas após a ingestão, o diabético que for tomar bebidas alcoólicas deve checar os níveis de glicose no sangue antes de beber, enquanto bebe, antes de dormir e através da noite e com mais frequência do que o normal por até 24 horas, determinou a Associação Americana de Diabetes.

“Se a sua glicose sanguínea estiver baixa, coma alguma coisa para aumentar e certifique-se de checar novamente antes de ir dormir e outra vez ao longo da noite para ter certeza de que ela não está caindo muito”, recomendou a instituição.

A interação entre medicamentos e bebidas alcoólicas

Outro perigo do consumo de bebidas alcoólicas por parte dos diabéticos ocorre quando esses pacientes fazem uso de medicamentos.

De acordo com a Associação Americana de Diabetes, o álcool é processado pelo fígado, que também é responsável por processar os remédios e remover toxinas como o próprio álcool e drogas. Para quem faz uso de medicamentos, a ingestão de muita bebida alcoólica pode danificar o fígado.

Assim, ao receber a prescrição do uso de qualquer medicamento por parte do médico, é fundamental checar com ele se é permitido ou não consumir bebidas alcoólicas enquanto estiver fazendo uso do remédio em questão.

Os efeitos do álcool podem ser imprevisíveis

Para quem se questiona se uma taça de vinho pode diminuir os níveis de glicose no sangue quando eles encontram-se muito elevados, a Associação Americana de Diabetes responde que “os efeitos do álcool podem ser imprevisíveis e isso não é recomendado como um tratamento para a alta glicose no sangue. Os riscos são provavelmente ultrapassam qualquer benefício”.

Recomendações para o consumo de bebidas alcoólicas por diabéticos

A Associação Americana de Diabetes trouxe ainda as seguintes orientações que o diabético deve seguir, além das que forem dadas por seu médico, é claro, quando for consumir bebidas alcoólicas como o vinho:

  1. Não pular uma refeição quando for ingerir álcool;
  2. Conversar com o médico a respeito de como as bebidas podem afetar os níveis de glicose no sangue e verificar com o profissional se e como a dose de insulina deve ser alterada quando houver a ingestão de álcool;
  3. Levar um aviso que informe que é diabético quando for beber – uma pessoa com hipoglicemia pode ser confundida com um bêbado (ambos podem ter sintomas similares como sonolência, confusão e tontura) – e avisar os amigos e a família a respeito dos sintomas da hipoglicemia e sobre o que devem fazer caso ela ocorra;
  4. Não dirigir ou não planejar dirigir por diversas horas depois de consumir bebidas alcoólicas.

Por sua vez, as bebidas alcoólicas misturadas com sucos de frutas e ingredientes cheios de açúcar (como o leite condensado das batidas de vinho, por exemplo) podem aumentar os níveis de glicose no sangue.

Esse mais um motivo para ficar consciente em relação às taxas de glicose enquanto bebe, ressaltou a publicação.

A contagem de carboidratos

A contagem de carboidratos é uma das diversas alternativas de programa alimentar para controlar os níveis de glicose no sangue dos diabéticos, utilizada com mais frequência por pessoas que tomam insulina duas vezes ou mais a cada dia, explicou a Associação Americana de Diabetes.

O método envolve contar a quantidade em gramas de carboidratos de cada refeição, combinando com a dose de insulina, explicou a organização. Segundo a Associação Americana de Diabetes, com o equilíbrio correto da prática de atividades físicas e do uso de insulina, a contagem de carboidratos pode auxiliar a controlar as taxas de glicose no sangue.

A instituição ressaltou que a quantidade de carboidratos que cada diabético pode consumir em cada refeição deve ser definida em conjunto com o médico responsável pelo tratamento.

Como o vinho contém carboidratos (ainda que seja em uma quantidade baixa: 150 ml de vinho tinto de mesa contêm 3,84 g de carboidratos), a bebida precisa entrar no cálculo de carboidratos consumidos em cada refeição para garantir que o limite estabelecido pelo médico não seja ultrapassado.

Os benefícios do vinho para pessoas com diabetes

A Associação Americana do Coração afirma que os adultos com diabetes são até duas a quatro vezes mais propensos a ter doença no coração do que as pessoas que sofrem com a doença.

Segundo um estudo divulgado, feito por pesquisadores de Israel, Alemanha, Suécia e Estados Unidos,  apontou que o consumo moderado de vinho tinto (uma taça por dia) pode diminuir os riscos de doença no coração em pessoas com diabetes do tipo 2 bem controlada.

Durante o experimento, mais de 200 participantes foram monitorados por dois anos, sendo que um grupo tomava uma taça de vinho tinto todo dia na hora do jantar, outro bebia vinho branco e o terceiro grupo tomava água mineral, informou a publicação.

Conforme o site, todos os participantes seguiam uma dieta do estilo mediterrâneo sem restrição de calorias.

O resultado? Os pesquisadores concluíram que o consumo de quantidades moderadas de vinho tinto em conjunto com uma alimentação saudável pode diminuir de maneira modesta os riscos de doença no coração.

Entretanto, nada disso exclui todos os cuidados que o consumo do vinho, como uma bebida alcoólica que é, exige, como a Associação Americana de Diabetes alerta e reproduzimos aqui.

Veja ainda que os resultados foram observados em diabéticos que seguiam uma determinada dieta e tinham a doença bem controlada.

Enfatizamos que se você possui diabetes gosta de beber vinho e deseja incluir a bebida nas suas refeições, deve consultar o médico que cuida do seu tratamento para saber como o seu consumo da bebida deve acontecer.

Lembre-se de que este artigo serve exclusivamente para informar, jamais pode substituir a orientação e prescrição de um médico. Tomar decisões em relação à doença sem consultar o médico pode ser extremamente perigoso.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que o diabético pode tomar vinho em quantidades moderadas? Possui essa condição e costuma tomar uma taça de vinho vez ou outra? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

2 comentários em “Diabético Pode Tomar Vinho?”

  1. Sou diabético do tipo 2. Necessito de medir diariamente a minha glicose? Tenho feito isso, mas não sei se é mesmo necessário medir diariamente. Os níveis mais comuns da minha glicose em jejum são entre os 100 e os 120. Por vezes também acontece ficar abaixo dos 100, como por exemplo 97, 99. Também são muito poucas as vezes que os níveis ficam acima dos 120.
    Durante alguns meses tomei 1 comp.
    de Glucophage por dia, mas a endroconologista disse que eu podia interromper a medicação.

  2. Não encontrei o percentual ou um “numero” para poder controlar a minha diabete, quando tiro de meu “FreeStyle Libre”, para comparações com a anterior.(seria uma Tabela?)

Deixe um comentário