Dor no canal da urina – O que pode ser? O que fazer?

Especialista:
atualizado em 15/09/2020

A dor no canal da urina é uma complicação que pode causar muito desconforto e ser sintoma de uma complicação subjacente, normalmente associada a infecções. Descubra o que pode ser, o que fazer e como fazer um diagnóstico assertivo.

A dor sentida ao urinar pode ser originada na bexiga, no rim, na uretra, ureteres, ou no canal vaginal. A causa, no entanto, pode ser diversa e na maioria das vezes requer exames laboratoriais para averiguar sua real origem.

O que causa dor no canal da urina?

Existem diversos fenômenos associados à dor ao urinar. Abaixo, você irá conferir as principais causas e saber mais sobre elas. Confira:

1. Infecção urinária

A causa mais comum associada à dor no canal da urina é a infecção do trato urinário, que pode se instalar no canal vaginal, na uretra ou até mesmo nos rins. A infecção urinária é comumente um resultado de infecção bacteriana.

No entanto, embora deva-se às bactérias os principais casos de infecção do trato urinário, o quadro também pode, mais raramente, ser desencadeado por vírus.

Infecções do trato urinário são muito comuns nos humanos. Segundo o Hospital Israelita Albert Einstein, somente no Brasil, mais de 2 milhões de casos são reportados anualmente.

A maioria das infecções urinárias é uma infecção na bexiga ou uretra, órgãos localizados no trato inferior. No entanto, também pode se instalar nos ureteres e rins, localizados no trato superior.

Embora as infecções do trato superior sejam mais raras, elas podem ocorrer e geralmente são mais graves.

2. Inflamação do trato urinário

Além da infecção, a dor ou ardência ao urinar também pode ser um sintoma de inflamação de algum órgão do trato urinário. A uretra, bexiga, ureteres e rins compõem o sistema urinário. A inflamação em qualquer um desses órgãos pode causar dor ao urinar.

A cistite é um exemplo que faz com que o paciente sinta dor ao urinar. Esse quadro promove a inflamação da bexiga, normalmente causado pela bactéria Escherichia coli.

Essa bactéria está presente no intestino e é essencial no processo digestivo. No entanto, ela pode chegar à bexiga, fazendo com que o órgão inflame e promovendo sensação de dor ao urinar.

Além da bexiga, essa bactéria pode se alojar na uretra, desencadeando uretrite – fazendo com que o órgão também se inflame –, e nos rins – desencadeando o mesmo sintoma. Esses casos de inflamação podem evoluir e virar infecções.

3. Anatomia feminina

É um consenso na medicina que as mulheres são mais propensas a desenvolver problemas no trato urinário do que os homens. Isso se deve à anatomia do corpo feminino, já que a uretra é mais curta nas mulheres do que nos homens.

Dessa forma, é mais fácil que as bactérias viajem até a bexiga. Em contrapartida, as bactérias encontram mais dificuldade em viajar até os rins masculinos, uma vez que o caminho a ser percorrido é maior.

Além disso, mulheres grávidas ou na menopausa também apresentam mais riscos de desenvolver infecções urinárias.

4. Prostatite

Por outro lado, os homens podem sentir dor ao urinar devido à prostatite. Essa é uma condição que consiste na inflamação da próstata – situada abaixo da bexiga – e que pode ser desencadeada principalmente pelas bactérias E. coli, Klebsiella e Proteus.

Se esse for o caso, o tratamento mais comum se dá com antibióticos, que vão atuar no organismo matando as bactérias que causam o problema.

A próstata é responsável por produzir o sêmen, que, por sua vez, nutre e transporta esperma. Quando há a inflamação da próstata, além da dor no canal da urina, outros sintomas podem se manifestar, tais como dor na virilha, na área pélvica ou até mesmo nas genitais, por exemplo.

Dependendo da causa, a prostatite pode surgir gradualmente ou de repente. Do mesmo modo, ela também pode melhorar rapidamente, por conta própria ou com tratamento específico.

Alguns tipos duram meses ou sempre voltam a se instalar. Esse último quadro é conhecido como prostatite crônica e irá requerer um tratamento contínuo.

5. Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

A dor no canal da urina também pode ocorrer quando a pessoa possui certas doenças sexualmente transmissíveis, incluindo herpes genital, gonorreia, candidíase e clamídia.

Se esse for o caso, é importante averiguar, pois nem sempre esses tipos de doenças apresentam sintomas. Há alguns hábitos que tornam uma pessoa mais suscetível à aquisição de DSTs, tais como a prática sexual sem preservativo ou fazer sexo com vários parceiros.

Recomenda-se que todas as pessoas que possuam vida sexual ativa façam exames de DST regularmente.

6. Outras causas

Além dos motivos mais comuns que desencadeiam dor no canal da urina, há algumas situações que podem ser responsáveis por esse fenômeno, tais como radioterapia e próstata aumentada. Nesses casos, você também poderá sentir dor ou desconforto na região da bexiga.

A presença de pedras nos rins também pode prejudicar o conforto ao urinar.

Ademais, outras possíveis causas para a dor são o uso de produtos nas regiões genitais, tais como sabonetes, cremes, óleos e espumas, que podem irritar os tecidos vaginais. Isso ocorre, sobretudo, devido à presença de corantes, aromatizadores e outras substâncias químicas.

Para quem possui mais sensibilidade na região genital, o uso de detergentes, sabões e amaciantes com cheiro forte também pode ser um fator desencadeante.

Como diagnosticar a causa?

Exame de urina

Ao ser atendido por um urologista ou clínico geral, o paciente será submetido, a princípio, a um exame físico, tendo que responder certas perguntas, como o cheiro e a coloração da urina e a manifestação de sintomas subjacentes.

O médico também poderá perguntar sobre o uso de remédios ou até mesmo quanto à sua dieta.

Essas perguntas ajudarão o profissional a encontrar um diagnóstico. No entanto, para afirmar com precisão a causa do sintoma, quase sempre exames são requeridos, tais como:

Urinálise

Popularmente conhecido como exame de urina, a urinálise consiste na análise de uma amostra de urina fornecida pelo paciente. Utiliza-se o método chamado coleta asséptica, que garantirá a confiabilidade do resultado apresentado.

Urocultura

Urocultura, ou cultura de urina, é um exame que busca identificar a presença de bactérias. Ao contrário do intestino, a bexiga e os rins são locais onde não há a presença de bactérias. Ou seja, são, portanto, órgãos estéreis.

Sendo assim, quando há a presença de bactérias na urina, provavelmente será indicativo de infecção.

Para pacientes com suspeita de uretrite, pode-se indicar um teste de amplificação de ácido nucleico uretral, vaginal, endocervical ou na urina, visando encontrar Neisseria gonorrhoeae e Chlamydia trachomatis.

Exames de imagem

Os exames de imagem não são requeridos na maioria dos casos em que o paciente relata apenas dor ao urinar.

No entanto, para aqueles que possuem um quadro mais severo ou suspeita de alguma anomalia anatômica, manifestação de abcesso ou hematúria, pode-se requerir esses exames.

Se esse for o caso, o primeiro exame, normalmente, é a ultrassonografia. No entanto, para precisar um resultado mais específico, o médico poderá solicitar uma urografia por tomografia computadorizada helicoidal.

Como prevenir dor no canal da urina?

Embora nem sempre seja possível evitar a dor ao urinar, existem certas alterações que você pode fazer no seu dia a dia, que ajudarão a diminuir a incidência do sintoma. Um dos hábitos mais recomendados é evitar sabonetes e demais produtos de higiene íntima que sejam perfumados.

Além disso, usar preservativos durante a relação sexual é imprescindível, pois, além de evitar possíveis gestações indesejadas, o paciente protege-se de doenças sexualmente transmissíveis.

Além disso, alguns estudos sustentam que certos alimentos têm maior probabilidade de irritar a bexiga, tais como cafeína, álcool, alimentos muito condimentados, frutas e sucos cítricos, bem como produtos à base de tomate e adoçantes artificiais.

Se você possui sintomas de desconforto ao urinar, ou a dor no canal da urina é um problema recorrente, pode ser benéfico eliminar ou restringir o consumo desses alimentos.

Por fim, recomenda-se evitar alimentos altamente ácidos para ajudar a curar a bexiga. Portanto, se você estiver passando por tratamentos no trato urinário, manter uma dieta saudável e leve pode ser prescrito para aliviar a dor e potencializar os resultados.

Fontes e Referências Adicionais:

Você costuma sentir dor no canal da urina com frequência? Pretende, portanto, fazer mudanças na rotina para aliviar a dor? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário