Infecção Urinária Recorrente – Causas e O Que Fazer

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Uma infecção urinária recorrente pode se manifestar em homens e mulheres, mas é o sexo feminino o principal alvo. Os fatores desencadeantes podem ser diversos. Neste compilado, você poderá tirar suas dúvidas, conhecer as causas e saber o que fazer quando esse quadro se instaura.

De maneira geral, a infecção urinária se manifesta quando há patogênicos em alguma região do aparelho urinário.

No entanto, é comum que as pessoas apresentem bactérias nessa região, sem necessariamente desenvolver infecções. Esse fenômeno é chamado de bacteriúria assintomática.

Já a infecção urinária recorrente é identificada por médicos como cistite de repetição, e requer tratamento adequado individual, normalmente com o uso de antibióticos.

Veja também os remédios para cistite mais usados e confira os sintomas de infecção urinária e os cuidados a tomar.

Principais causas da infecção urinária recorrente

Alguns fatores são considerados desencadeantes de uma infecção urinária, tanto a versão aguda quanto a crônica.

Embora a maior parte das infecções urinárias recorrentes sejam iniciadas por meio da manifestação de bactérias na uretra, ela pode ser originada em qualquer parte do sistema urinário.

Enquanto algumas das causas podem ser contornadas, alterando hábitos, por exemplo, outras são mais difíceis, pois envolvem fatores fisiológicos do corpo humano. Conheça-as:

1. Fator anatômico feminino

As mulheres estão entre os principais alvos de manifestação da cistite de repetição. Isso ocorre pois, dentre outros fatores, as mulheres têm a uretra mais curta em relação aos homens, e mais próxima ao ânus.

Essa é uma condição que torna o sistema urinário mais propenso a infecções, pois favorece a migração de bactérias.

O fator anatômico é um dos principais motivos de essa condição acometer principalmente as mulheres, mas homens também podem apresentar essa doença.

2. Falta de higiene íntima adequada

Outra causa bastante corriqueira que pode levar ao surgimento da infecção urinária recorrente – tanto em homens quanto em mulheres – é a falta de higiene adequada após evacuação, micção e relação sexual.

No entanto, é preciso ter cuidado. Limpar a região demasiadamente, com produtos fortes, pode prejudicar o local e favorecer a proliferação de bactérias e, consequentemente, a infecção de urina.

3. Roupa íntima apertada ou de fibras sintéticas

Utilizar roupas íntimas feitas com tecidos de fibra sintética, como poliéster, prejudica a respiração dos órgãos genitais e pode irritá-los, sendo, portanto, um fator a mais para o desenvolvimento desse tipo de infecção.

Tecidos sintéticos também retêm a umidade, tornando o ambiente propício à proliferação de bactérias e infecções.

O mesmo ocorre quando as roupas íntimas, ou até mesmo calças e bermudas, estão muito apertadas. A fricção que o uso dessas peças causa sobre os órgãos genitais torna-o mais propenso a reter umidade e desenvolver uma infecção urinária recorrente.

4. Infecção de bexiga

A bactéria Escherichia coli está entre as principais causadores de infecções de bexiga e infecções urinárias.

Quando uma pessoa possui infecção de bexiga ocasionada por essa bactéria, pode não causar problemas, estando em seu estado normal. A E. Coli tem como ambiente hospedeiro o intestino de humanos e animais. No entanto, pode ocorrer de ela migrar do intestino, rumo ao aparelho urinário, ocasionando a infecção.

5. Infecção de uretra

A uretrite, nome dado à infecção da uretra, também tem como um dos principais elementos desencadeantes a bactéria E. Coli, que poderá ocasionar quadros infecciosos no trato urinário.

6. Próstata aumentada

Nos homens, uma das principais causas para se desenvolver infecção urinária recorrente é a próstata aumentada.

Homens que são enquadrados nesse caso têm mais dificuldade para esvaziar a bexiga completamente. O resquício de urina que é mantido na região torna-a mais propensa à proliferação de bactérias, o que pode levar às infecções recorrentes.

Além dessas possíveis causas, é preciso considerar que há outros fatores de risco que tornam uma pessoa mais suscetível a desenvolver infecções urinárias recorrentes, que você verá abaixo.

Fatores de Risco

Estudos clínicos de pesquisadores que se debruçaram sobre a infecção urinária recorrente identificaram como fatores de risco:

  • Prolapso genital (bexiga caída);
  • Aumento de frequência de relações sexuais;
  • Diabetes;
  • Menopausa;
  • Incontinência urinária;
  • Retenção urinária;
  • Administração de agentes espermicidas.

Sintomas de Infecção Urinária Recorrente

Quando a cistite de repetição se manifesta nas pessoas, exibe sintomas como:

  • Necessidade de urinar com frequência ou urgência;
  • Manifestação de sangue na urina;
  • Desconforto lombar;
  • Desconforto abdominal;
  • Dor, pressão ou ardor ao urinar;
  • Vontade contínua de urinar mesmo após a micção;
  • Cheiro forte na urina.

Quando o caso não é tratado adequadamente, a infecção pode se espalhar para os rins. Quando isso ocorre, sintomas como vômito, mal-estar, fadiga, febre e calafrios podem se manifestar.

Quando a doença se inicia na uretra e bexiga, o tratamento pode ser rápido e descomplicado. No entanto, quando atinge os rins, o quadro se torna mais crítico, exigindo, muitas vezes, internamento.

Como evitar a doença

Adotar hábitos de higiene é algo que diminui as chances de se adquirir infecções urinárias e melhora a qualidade de vida, de maneira geral. A higiene adequada é algo primordial para evitar que uma série de doenças ocasionadas por certos tipos de bactérias e vírus se instaurem em uma pessoa.

Além disso, outras formas de evitar que a infecção urinária recorrente se manifeste incluem:

– Beber mais água

O consumo frequente de água potável é algo recomendado por todos os profissionais de saúde. O líquido é responsável por promover melhoras em todos os organismos – órgãos, tecidos, células. Todas as pessoas podem experienciar a melhora na qualidade de vida quando a ingestão de água é adequada.

Além disso, tomar água frequentemente pode evitar infecções urinárias recorrentes, pois ajuda a evitar que bactérias que vivem dentro do organismo se acumulem.

Na prática, isso quer dizer que quanto mais água o indivíduo consome, mais vezes ele vai ao banheiro. Dessa maneira, aumentando a frequência de micção, as bactérias são eliminadas.

Além disso, a água ajuda a diluir a urina e dificultar o crescimento das bactérias.

Pessoas que sofrem com infecção urinária recorrente também podem adotar hábitos alimentares que visem aumentar o consumo de fibras e vegetais.

– Não utilizar duchas dentro da vagina

Muitas pessoas, na intenção de limpar o órgão genital para mantê-lo saudável, acabam utilizando duchas, fazendo com que a água seja introduzida no canal vaginal.

No entanto, a vagina é um órgão autolimpante. Quando esse procedimento é realizado, as bactérias boas que habitam na flora vaginal também são eliminadas, prejudicando a saúde do canal vaginal e tirando a lubrificação natural.

– Evitar produtos de higiene íntima potencialmente irritáveis

O uso de desodorantes íntimos e produtos com propriedades cáusticas é comum entre pessoas que buscam manter a higiene íntima adequada. No entanto, esses produtos são prejudiciais, pois alteram a flora vaginal.

Sabonetes adstringentes possuem soda cáustica em sua composição, prejudicando a saúde dos órgãos íntimos e podendo deixá-los irritados.

Os produtos perfumados também podem irritar a pele dos órgãos genitais, que é mais fina.

Sendo assim, evitar produtos com cheiro forte e com substâncias em sua composição que podem irritar a região genital é uma medida que deve ser adotada para evitar que infecções urinárias sejam desencadeadas.

– Utilizar roupas íntimas de fibras naturais

Recomenda-se que as roupas íntimas sejam de fibras naturais, como o algodão, pois permitem a transpiração dos órgãos genitais, evitando o acúmulo de calor, a retenção de umidade e, consequentemente, a proliferação de bactérias.

Além disso, é preferível que as peças sejam em cores brancas ou beges, pois, durante o tingimento artificial, é comum haver produtos que podem alterar a flora vaginal e causar doenças.

– Limpe-se de frente para trás

Como mencionado, a migração de bactérias do ânus em direção ao aparelho urinário é um dos principais motivos de infecção urinária recorrente em mulheres.

Para evitar que isso ocorra, a limpeza deve ser feita sempre levando o papel higiênico no sentido da vagina em direção ao ânus, e não vice-versa.

Tratamentos possíveis

Por se tratar de um quadro infeccioso, o tratamento ministrado pelos médicos é, normalmente, à base de antibióticos, que serão responsáveis por agir no organismo eliminando e evitando a proliferação de bactérias no aparelho urinário.

Normalmente, antibióticos são prescritos para serem administrados por 5 a 7 dias. No entanto, pessoas que apresentam quadros de infecção de urina frequentemente podem receber como tratamento a ingestão de antibióticos por um período de tempo maior, em doses menores.

No entanto, nenhum tratamento deve ser iniciado sem o diagnóstico de um médico habilitado, após a verificação de exames.

Quando se trata de gestantes, o tratamento deve ser feito sob rigoroso acompanhamento médico, pois certos medicamentos são proibidos durante a gestação.

As infecções urinárias comuns são, em sua maioria, fáceis de tratar e podem ser evitadas ao se adotar hábitos simples. No entanto, quando o quadro se repete seguidamente, a matriz do problema deve ser averiguada. Somente médicos são aptos a identificarem uma possível doença. Não deixe de ir até um consultório médico para iniciar o tratamento adequado para o seu caso.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar da infecção urinária recorrente? Já foi diagnosticado mais de uma vez com uma infecção dessa? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário