Infecção urinária recorrente – Causas e o que fazer

Especialista da área:
atualizado em 10/03/2022

A infecção urinária é um problema que atinge boa parte das mulheres durante a vida, e em alguns casos, pode se tornar recorrente.

Muitas vezes esse tipo de infecção pode estar ligada à higiene, hidratação e relações sexuais, mas existem outras causas, que veremos no decorrer do artigo.

  Continua Depois da Publicidade  

Então, a seguir vamos entender o que é a infecção urinária recorrente, quais as suas causas e as formas de prevenção e tratamento.

Veja também: Remédios para cistite mais usados 

O que é infecção urinária recorrente?

Como o próprio nome diz, a infecção urinária recorrente, ou de repetição, é um tipo de infecção que atinge com frequência as diversas partes do trato urinário, como:

  • Uretra
  • Bexiga
  • Ureter
  • Rins.

Por isso, os seus sintomas podem variar, dependendo da parte afetada e de fatores pessoais. Mas geralmente os sintomas incluem:

  • Dor ao urinar
  • Urgência para urinar
  • Presença de sangue na urina
  • Dor lombar
  • Dor na parte baixa do abdômen
  • Cheiro forte na urina
  • Febre
  • Incontinência urinária.

Além disso, quando não é tratada corretamente, as infecções urinárias recorrentes e agudas podem se agravar, atingindo os rins e a corrente sanguínea. Nesses casos, muitas vezes é preciso um tratamento hospitalar, com o uso de antibióticos mais fortes.

  Continua Depois da Publicidade  

Veja também: 3 causas de dor na bexiga e como tratar

Principais causas da infecção urinária recorrente

Infecção urinária
A infecção urinária é muito mais comum em mulheres

A bactéria Escherichia coli está entre as principais causadoras de infecções urinárias.

Além disso, existem alguns fatores que são considerados desencadeantes da infecção urinária, tanto a versão aguda quanto a crônica. A seguir vamos conhecer os mais comuns:

1. Fator anatômico feminino

As mulheres sofrem mais com infecção urinária de repetição do que homens, devido às diferenças anatômicas. Por exemplo, a uretra feminina é mais curta que a dos homens, e mais próxima ao ânus.

Essa é uma condição que torna o sistema urinário mais propenso a infecções, pois favorece a migração de bactérias.

2. Falta de higiene íntima adequada

Outra causa bastante corriqueira que pode levar ao surgimento da infecção urinária recorrente, tanto em homens quanto em mulheres, é a falta de higiene adequada após evacuação, micção e relação sexual.

  Continua Depois da Publicidade  

No entanto, é preciso ter cuidado. Limpar a região de forma exagerada, com produtos químicos fortes, pode prejudicar o local e facilitar a proliferação de bactérias e, consequentemente, aumentar o risco de infecção urinaria.

3. Roupa íntima apertada ou de fibras sintéticas

Utilizar roupas íntimas feitas com tecidos de fibra sintética, como poliéster, prejudica a respiração dos órgãos genitais, deixando o local mais úmido e irritado.

Por isso, o tipo de roupa íntima usada no dia a dia pode ser um fator de risco para infecções urinárias, e sempre que possível deve-se dar preferência àquelas feitas de algodão.

4. Desidratação

Beber pouca água, além de causar outros problemas de saúde, pode também ser um fator de risco para desenvolver infecções do trato urinário (ITU) recorrente.

Isso acontece porque a urina ajuda a remover as bactérias da uretra. Assim, quando estamos desidratados, produzimos pouca urina, e as bactérias conseguem se multiplicar mais rapidamente.

5. Uso de cateter

Para algumas pessoas que têm dificuldades para urinar naturalmente, como no caso de pessoas com alguns tipos de problemas de saúde ou deficiências, pode ser preciso o uso de cateteres urinários.

  Continua Depois da Publicidade  

Mas, apesar de necessários, esses cateteres podem causar infecções urinárias, quando não são manuseados de forma correta.

Por isso, é extremamente importante lavar bem as mãos e utilizar luvas para utilizar esses materiais, para assim evitar a contaminação por bactérias.

6. Próstata aumentada

Nos homens, uma das principais causas para se desenvolver infecção urinária recorrente é a próstata aumentada.

Isso acontece porque homens com esse problema têm mais dificuldade para esvaziar a bexiga completamente, e o resquício de urina estimula a proliferação de bactérias, o que pode levar às infecções recorrentes.

Veja também: Infecção urinária no homem – Sintomas, causas e tratamento

Outros fatores de risco

Alguns especialistas que pesquisam sobre a infecção urinária recorrente identificaram alguns outros fatores de risco, como:

  • Prolapso genital (bexiga caída)
  • Aumento de frequência de relações sexuais
  • Diabetes
  • Menopausa
  • Incontinência urinária
  • Retenção urinária
  • Uso de produtos espermicidas.

Como evitar a doença?

Beber água
Beber água constantemente é uma das principais medidas para evitar a infecção urinária

Apesar de ser um problema comum, existem formas de evitar o aparecimento do problema, ou de ao menos de amenizar os sintomas, como:

1. Beber mais água

O consumo de cerca de dois litros de água é algo recomendado por todos os profissionais de saúde, para manter o corpo hidratado e evitar problemas de saúde.

Além disso, a água ajuda a diluir a urina e facilitar a eliminação das bactérias, diminuindo assim a chance de desenvolver infecções urinárias.

2. Não utilizar duchas dentro da vagina

Muitas pessoas, na intenção de limpar o órgão genital para mantê-lo saudável, acabam utilizando duchas, fazendo com que a água seja introduzida no canal vaginal.

No entanto, a vagina é um órgão autolimpante, e quando esse procedimento é realizado, as bactérias boas que habitam na flora vaginal também são eliminadas, prejudicando a saúde do canal vaginal e tirando a lubrificação natural.

3. Evitar produtos de higiene íntima irritantes

O uso de desodorantes, sabonetes e outros produtos de uso íntimo pode ser prejudicial, pois eles alteram a flora vaginal. Além disso, os produtos perfumados também podem irritar a pele dos órgãos genitais, que é mais fina.

Sendo assim, evitar produtos com cheiro forte e com substâncias em sua composição que podem irritar a região genital é uma medida que deve ser adotada para evitar que infecções urinárias sejam desencadeadas.

4. Use roupas íntimas de fibras naturais

Recomenda-se que as roupas íntimas sejam de fibras naturais, como o algodão, pois permitem a transpiração dos órgãos genitais, evitando o acúmulo de calor, a retenção de umidade e, consequentemente, a proliferação de bactérias.

Além disso, é preferível que as peças sejam em cores brancas ou beges, pois, durante o tingimento artificial, é comum haver produtos que podem alterar a flora vaginal e causar doenças.

5. Limpe-se de frente para trás

Como mencionado, a migração de bactérias do ânus em direção ao aparelho urinário é um dos principais motivos de infecção urinária recorrente em mulheres.

Para evitar que isso ocorra, a limpeza deve ser feita sempre levando o papel higiênico no sentido da vagina em direção ao ânus, e não vice-versa.

Tratamentos possíveis

Por se tratar de um quadro infeccioso, o tratamento normalmente envolve o uso de antibióticos, que serão responsáveis por eliminar e evitar a proliferação de bactérias no trato urinário.

Normalmente, antibióticos são prescritos para serem administrados por 3 a 7 dias. No entanto, pessoas que apresentam quadros de infecção de urina frequentemente podem precisar usar antibióticos por um período de tempo maior, em doses diferentes.

Mas é importante lembrar que nenhum tratamento deve ser iniciado sem o diagnóstico de um médico habilitado, após a realização de exames físicos e laboratoriais. E isso é ainda mais importante quando se trata de gestantes, uma vez que existem alguns medicamentos que não podem ser usados nessa fase da vida.

Vídeo

Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar da infecção urinária recorrente? Já foi diagnosticado mais de uma vez com uma infecção dessa? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média 4,67)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

Deixe um comentário