Estrogênio Engorda?

Não é folclore, muito menos lenda, que as mulheres têm muito mais dificuldade para perder peso do que os homens.

O corpo feminino é mais cheio de complexidades hormonais, devido ao fato desse organismo, tão detalhadamente elaborado, ter sido desenvolvido para receber uma outra vida, ou seja, um feto.

Por esse motivo, há um conjunto de mecanismos voltados a alimentar esse feto, e isso inclui uma distribuição diferente de gordura, visando a acomodação, sustento e proteção do novo ser que poderá coabitar esse corpo por nove meses.

Entre os mecanismos agregadores de gordura, um deles, responsável pela deposição adiposa, é o estrogênio. Em excesso ou escassez, o estrogênio produz resultados desagradáveis: retenção de água, estresse, inchaço, e ganho de peso. Então quer dizer que estrogênio engorda? Vejamos abaixo.

Perinha e Maçãzinha

O corpo feminino, em seu período normal de produção de estrogênio, apresenta o formato “perinha”, onde as formas arredondadas predominam nos quadris e a cintura é mais fina.

Na menopausa, quando os hormônios começam a apresentar alterações, o corpo feminino passa a ter o formato “maçãzinha”, com acúmulo de gordura na região abdominal. Gordura essa altamente perigosa, e considerada fator de risco para problemas vasculares e coronarianos.

Uma vez que não se pode fugir da realidade, e tendo que encarar o fato que estrogênio engorda, é hora de começar a pensar em uma dieta específica, deixar o sedentarismo de lado e procurar acompanhamento médico.

Estrogênio Ambiental

A produção do estrogênio no corpo feminino oscila drasticamente. Mulheres em idade reprodutiva apresentam picos de estrogênio que podem atingir índices entre 4 a 6 vezes maiores do que no primeiro dia da menstruação.

Há duas maneiras de acumular estrogênio em excesso: a primeira delas é através dos fatores orgânicos. A segunda, está diretamente vinculada ao nosso dia-a-dia.

Sem que tomemos conhecimento, estamos constantemente expostos ao estrogênio em alimentos, cosméticos, produtos químicos, produtos de limpeza, adubos e anticoncepcionais. É o estrogênio ambiental. As consequências a essa hiperexposição ao estrogênio é o ganho de peso.

Como o Estrogênio Engorda?

Não há como desvinculá-lo do ganho de peso, e a pergunta é: a gordura vem do estrogênio ou o estrogênio vem da gordura?

Vamos tentar explicar de maneira bastante simplificada:

  1. As células de gordura provocam a produção de estrogênio;
  2. Em consequência, os níveis desse hormônio se elevarão;
  3. A partir daí, o metabolismo desacelera;
  4. Quando isso acontece, o corpo começa a armazenar gordura, reiniciando o processo.

Resumindo: o estrogênio engorda através de um ciclo vicioso!

Estrogênio e Tireóide

O estrogênio engorda também quando está ligado às disfunções da tireóide. Isso pode acontecer quando ele inibe a função dessa glândula.

Quando isso ocorre, a pessoa sente-se lenta, fatigada e desanimada. Essa apatia faz com que ocorra menor gasto de energia, falta de vontade para atividades físicas e consequente queda do metabolismo. Isso gera aumento de peso.

Corrigindo a Predominância de Estrogênio

Há algumas maneiras de atenuar a predominância de estrogênio agindo no organismo.

1. Esteja atenta a seu fígado

Disfunções hepáticas, consumo excessivo de álcool, uso de drogas, ingestão de alimentos extremamente gordurosos, ou qualquer outro fator que prejudique as funções do fígado podem estimular a elevação na produção de estrogênio.

2. Inclua probióticos à sua alimentação

O desequilíbrio bacteriano no intestino poderá interferir na eliminação de estrogênio. Os alimentos probióticos poderão garantir que as funções do trato digestivo se normalizem.

3. Aumente a ingestão diária de fibras

As fibras ajudam o organismo a expelir o excesso de estrogênio. Além disso, as fibras também reduzem o acúmulo e evitam a reabsorção de estrogênio.

Fontes saudáveis de fibras estão presentes nos farelos de milho, de arroz e de trigo, nas cascas de frutas e legumes (cenoura, abobrinha, berinjela, tomate, pera, maçã, pepino, caqui, etc), nas oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas), nas sementes, na soja, nos feijões e nos grãos integrais.

4. Produtos orgânicos

Muito mais saudáveis e livres de insumos, adubos e outros aditivos hormonais. Sempre que possível, procure consumi-los em substituição aos hortifruti cultivados de maneira tradicional.

5. Inclusão de multivitamínicos

A ingestão de zinco, magnésio e vitamina B auxilia na eliminação de estrogênio em nosso organismo. Seria interessante a adição de algum suplemento multivitamínico para reforçar essa função.

6. O estresse

O estresse funciona mais ou menos assim: quando estamos muito estressados, nosso corpo começa a produzir cortisol (o hormônio do estresse). Para isso, ele “rouba” progesterona, e há então um desequilíbrio hormonal, porque um excesso de estrogênio passa a circular no organismo.

7. Detox

Qualquer dieta detox ajudará a eliminar boa parte do estrogênio excedente no organismo.

8. Dormir bem

Quando dormimos pouco, ocorre uma redução de melatonina (o hormônio do sono). Esse hormônio nos protege da dominância de estrogênio.

Procure dormir no mínimo oito horas, num ambiente tranquilo e escuro (a produção de melatonina só acontece quando o cérebro sente que está escurecendo).

Concluindo…

O estrogênio, por estar presente no corpo feminino desde sempre, confere às mulheres suas peculiaridades.

Graças a esse hormônio, mulheres têm mais gordura corporal que os homens, e além disso, o local onde essa gordura se armazena no corpo feminino é também diferente em relação ao corpo masculino.

Mulheres têm mais gordura subcutânea, que aparece sob a pele, e se espalha pelo corpo mais uniformemente. Essa é uma das razões que provocam menor definição muscular em relação aos homens.

O estrogênio, pelo que já explicamos anteriormente, dificulta a perda de peso, e as mulheres na menopausa encontrarão ainda mais dificuldade nesse quesito.

Tendo em mente que o estrogênio engorda, e em algum momento da vida feminina isso vai se acentuar, não se deve esperar que o problema apareça. É possível mitigar tudo isso, procurando com antecedência iniciar uma dieta natural, desintoxicante, com redução de gorduras, e também manter-se em atividade física regular. É a única forma de driblar os possíveis danos causados pelo estrogênio.

Você já tinha ouvido falar que o estrogênio engorda? Já chegou à menopausa e tem percebido alterações que te fizeram ganhar peso? O que tem feito para contornar isso? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (26 votos, média: 3,69 de 5)
Loading...

6 comentários em “Estrogênio Engorda?”

  1. Eu era magra, já estou na menopausa há dez anos. Mas comecei a fazer reposição hormonal há dois anos. De um ano pra cá engordei nove quilos, sem mudar dieta, sem mudar meu modo de viver. Estou desconfiando do ovestrion… será possível que um creme vaginal engorde?

  2. Entrei na menopausa emagreci 23 kilosja tomei varias vitaminas mas nada consigo pegar peso quero engordar uns 15 kilos pois tenho 1.67 e atualmente estou magra feia cheia de flacidez apavorada presiso engordar minha estima está pra baixo porque emagreci desta forma me ajudem como aveia linhaca soja frutas verduras nada adianta para eu pegar peso.

    • Entrei na menopausa precose tenho 42 anos estou fazendo reposição hormonal estou engordando o que fazer para perde kilos por favor me ajude

  3. Eu sou magra, nao engordo facilmente, mas tenho cisto nas mamas.
    Se o estrogenio tem grande influencia para ocosionar esses cistos, e tambem no processo de aumento de peso, o meu caso esta estranho nao?

  4. Aos 41 anos fiz um isterectomia parcial de um ovário e o útero e baixou para 30 o Max. De estrogênio desde então fiz reposicao com estrevia e ganhei nesses 3 anos 8 kilos!
    Caminhos 3 vezes na semana e não perco peso!
    O que devo fazer? Que médico procuro? Meu ginecologista não está dando conta de me ajudar!

Deixe um comentário