Grávida Pode Dormir de Barriga para Cima?

Especialista:
atualizado em 06/12/2019

Quando a maioria das mulheres descobre que está grávida, é normal que passe a ser cuidadosa com a sua saúde e hábitos para não prejudicar o bebê. Isso inclui até a posição com que elas dormem, principalmente quando a barriga começou a crescer. Por exemplo, confira se grávida pode dormir de barriga para cima ou se há alguma posição mais indicada para não trazer problemas na gravidez.

Aproveite também para conhecer alimentos essenciais para grávidas e, por outro lado, aqueles alimentos que grávidas devem evitar. Vale a pena ainda conferir se grávida pode malhar e fazer academia.

Grávida pode dormir de barriga para cima?

Especialistas recomendam que as mulheres evitem dormir de barriga para cima durante o segundo e o terceiro trimestre. Segundo eles, ao dormir nesta posição, você repousa todo o peso do útero que está em crescimento e o peso do bebê em seu intestino, suas costas e veias cavas.

Essa veia (cava) é a responsavel por retornar o sangue da parte inferior do corpo para o átrio direito do coração. Essa pressão pode agravar as dores nas costas, hemorroidas, fazer com que a digestão seja menos eficiente, interferir na circulação e, possivelmente, causar hipotensão (pressão baixa), o que pode fazer com que a mulher se sinta tonta.

Uma circulação abaixo do ideal também pode reduzir o fluxo sanguíneo para o feto, fazendo com que o bebê receba menos nutrientes e oxigênio.

A Dra. Gyn Salena Zanotti, especializada em Obstetrícia e Ginecologia, disse: “Este grande vaso sanguíneo (veia cava inferior) é o que traz o fluxo de sangue de volta para o seu coração. Então, o pensamento é que se você tem algo grande que está empurrando o retorno do fluxo sanguíneo, terá menos fluxo de sangue para o seu coração, o que significa que você terá menos fluxo sanguíneo para você e o seu bebê.” 

De fato, dormir de barriga para cima de vez em quando não é algo inseguro. Porém, se manter assim por períodos prolongados durante semanas e meses pode ser algo problemático. Pesquisas sugeriram que dormir com a barriga para cima pode aumentar o risco de morte fetal devido a essa compressão da veia cava, já que comprime os principais vasos sanguíneos da mãe e altera a frequência cardíaca do bebê.

Por isso, os autores das pesquisas sugerem que as mulheres evitem dormir nesta posição principalmente no último trimestre da gravidez.

Mulheres grávidas devem evitar dormir de barriga para cima no último trimestre

Um estudo observacional foi realizado por pesquisadores da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, e teve como objetivo investigar os efeitos das posições em que as mulheres grávidas dormem em relação ao comportamento fetal no final do terceiro trimestre, que começa a partir de 29 semanas e continua até o final da gravidez.

Os pesquisadores queriam avaliar os efeitos em um ambiente o mais natural possível, e as mulheres usaram monitores fetais enquanto dormiam em casa e não sabiam qual posição deveriam dormir. Estudos observacionais são úteis para testar a ligação entre uma possível exposição e desfecho, como neste caso a relação entre a posição de dormir da mãe e o comportamento fetal, porém não podem confirmar causa e feito.

Esse estudo recrutou 29 mulheres grávidas saudáveis, portadoras de um único feto que estavam no final do seu terceiro trimestre de gravidez – de 36 a 38 semanas.

Todas as mulheres foram orientadas a dormir da maneira que fariam normalmente, e os pesquisadores montaram equipamentos de gravação para estudar as participantes em suas próprias casas coletando imagens de vídeos para determinar a posição que a mulher estava dormindo.

O início do sono foi definido como os primeiros três minutos durante os quais não houve movimentos, e as mudanças de posição foram contadas como as posições em que a mulher ficava por mais de três minutos. As posições foram categorizadas como:

  • Lateral direita (lado direito);
  • Lateral esquerda (lado esquerdo);
  • Supino (de barriga para cima).

Um ecocardiograma fetal contínuo foi utilizado para registrar a frequência cardíaca tanto materna como fetal, e a frequência cardíaca média foi avaliada a cada minuto, desde que a mãe adormecia até acordar, e estados consistentes foram definidos com duração de três minutos.

Os estados comportamentais fetais foram determinados usando os seguintes dados:

  • 1F – sono tranquilo
  • 2F – sono ativo
  • 3F – quieto e acordado (raramente visto em fetos)
  • 4F – ativo acordado

Os pesquisadores analisaram a relação entre a posição materna e o estado fetal.

Resultados

A duração média do sono materno foi de aproximadamente oito horas, e a posição dominante para a maioria das mulheres foi a de dormir do lado esquerdo. Em todas as posições de sono das mulheres, os fetos estavam em um estado de sono ativo (2F) mais de 80% do tempo, dormiam tranquilamente (1F) 13% do tempo e passavam pouco tempo ativamente acordados.

As frequências cardíacas fetais foram menores no estado de sono tranquilo (1F) do que quando ativamente adormecidas (2F) e maiores quando ativamente acordadas (4F).

De acordo com a pesquisa, em comparação com o estado 1F, que era mais provável mais tarde na noite, o estado 4F aconteceu mais provavelmente durante o início da noite.

Os pesquisadores disseram: “Nossos resultados mostraram que a hora da noite influenciou significativamente a probabilidade de o feto estar em um estado particular, sendo 4F mais provável no início da noite e 1F menos provável neste momento e mais provável depois do início do sono.”

De acordo com eles, isso pode acontecer em partes devido aos efeitos da posição em que a mãe está dormindo, mais frequentemente de uma posição em que ela está deitada de lado para a posição supino – de barriga para cima – que ocorreu após um período de sono mais estável.

“Também foi descoberto que os efeitos do estado fetal nas medidas da variabilidade da frequência cardíaca fetal foram modificados pela posição materna, provavelmente medida pela atividade do sistema nervoso autônomo”.

Esses resultados apoiam ainda mais o conceito de que a posição em que a mulher grávida dorme é um modulador importante dos efeitos circadianos na frequência cardíaca fetal.

Escute o seu corpo

As gestantes não devem se preocupar se acidentalmente se encontrarem dormindo de barriga para cima por um curto período de tempo.

“Nós sabemos que curtos períodos de tempo – mesmo se você estiver de barriga pra cima por uma ou duas horas – provavelmente não fará mal para o seu filho”, disse a especialista. “A parte difícil é que não podemos quantificar exatamente quanto tempo é ‘seguro’ e o que realmente acontece”.

Quando as mulheres estão já no final da gravidez, elas ficam tontas ou não se sentem bem se permanecem deitadas com a barriga para cima por longos períodos, observou a Dra. Zanotti.

“Muitas vezes o seu corpo irá lhe dizer que algo não está certo e que você precisará se movimentar”, disse ela. “Então, se você está de barriga pra cima e tendo dificuldade para respirar ou talvez o seu coração esteja batendo mais rápido, essa é a maneira que o seu corpo está te dizendo que você precisa vira de lado. Escute o seu corpo.”

Grávida pode dormir de barriga para cima? O melhor conselho para as futuras mamães

Os especialistas aconselham que após 20 semanas de gravidez a mulher grávida deve evitar dormir a noite inteira de barriga para cima. Ela sugere colocar um travesseiro entre as costas e o colchão como segurança, pois dessa forma, mesmo se você virar de barriga para cima, estará um pouco inclinada.

“Contanto que você não fique de barriga para cima em uma posição plana, irá ficar bem” disse a especialista, que continuou: “mesmo que você possa estar em um ângulo de 20 a 30 graus, isso irá aliviar qualquer potencial pressão na veia cava inferior. Eu acho que a maioria das mulheres, mesmo se forem as que dormem sempre de barriga para cima, podem ficar confortáveis dormindo com essa pequena angulação”.

Embora seja sensato ser cautelosa, a Dra. Zanotti diz que também é importante confortar as mulheres que já têm muitas preocupações durante a gravidez.

“Eu já tive pacientes que acordaram nesta posição e ficaram muito preocupadas se causaram danos cerebrais em seus bebês, mas isso nunca foi comprovado” disse ela. “Nós não vemos um risco maior de autismo ou distúrbios do desenvolvimento em mulheres que dormem um pouco de barriga para cima”.

Como visto, a grávida pode dormir de barriga para cima no começo da gestação e por um curto período de tempo após o terceiro trimestre. Algumas organizações, como por exemplo a American Pregnancy Association (Associação Americana de Gravidez), dos Estados Unidos, recomendam que as mulheres grávidas durmam do lado esquerdo, pois isso aumenta a quantidade de sangue e nutrientes que chegam à placenta.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que grávida pode dormir de barriga para cima? Tem ou teve o costume de dormir de que lado na sua gravidez? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário