Leite de Magnésia é um Bom Laxante? Como Funciona?

Especialista:
atualizado em 22/10/2019

O Leite de Magnésia de Phillips (Hidróxido de Magnésio) é um remédio encontrado na forma de frascos de 120 ml e 350 ml que é indicado como um laxante, para o tratamento da prisão de ventre ocasional.

Ele pode ser utilizado ainda como um antiácido e para amenizar a azia, a má digestão e o excesso de acidez no estômago.

Alguns relatos dizem que o leite de magnésia emagrece, e além disso, alguns usuários usam leite de magnésia para axilas e para cuidados com a pele.

O Leite de Magnésia é um bom laxante?

Como acabamos de comentar, uma das funções do leite de magnésia é atuar como um laxante. Mas como será que ele funciona?

De acordo com a bula do Leite de Magnésia de Phillips, como um laxante, o produto “age aumentando a retenção de água no interior do intestino, ajudando assim a amolecer as fezes e a promover movimentação intestinal”.

O produto é utilizado apenas por um curto tempo para tratar a prisão de ventre ocasional. Tanto que a bula alerta que ele não deve ser usado como laxante por mais do que três dias consecutivos.

Sobre o tempo para efeito do medicamento, o Leite de Magnésia é classificado dentro do grupo dos laxantes salinos, que se destinam a ter uma ação rápida. Conforme o documento, espera-se que ocorra um movimento intestinal dentro de seis horas da ingestão do remédio.

Entretanto, para quem sofre com ataques recorrentes de prisão de ventre, o Leite de Magnésia não é uma alternativa apropriada de tratamento. Para o seu lugar, existem alguns remédios para prisão de ventre mais comuns.

Quem já tem um problema de saúde que pode estar causando a prisão de ventre precisa conversar com o seu médico sobre o uso de laxantes, já que existe a necessidade de se estabelecer um tratamento eficaz e seguro ao lado dos remédios utilizados para a doença em questão.

Para quem já tentou usar o produto para a prisão de ventre e não teve resultados satisfatórios, especialmente sem o aparecimento de um movimento intestinal um ou dois dias depois de usar o produto aconselhamos procurar um médico pois pode haver uma outra condição ou doença por trás da dificuldade para evacuar, que exige um tratamento mais completo e adequado.

A efetividade de cada tipo de laxante varia de pessoa para pessoa.

Ou seja, para ter certeza de que o Leite de Magnésia de Phillips pode ser bom para o seu quadro de prisão de ventre em particular, o mais seguro mesmo é consultar o médico antes de usar o produto.

Não exagere na dosagem

Nem do Leite de Magnésia, nem de qualquer outro tipo de laxante, inclusive os que são de venda livre, ou seja, em que não há a necessidade de apresentar a receita médica. O uso excessivo de laxantes pode provocar efeitos colaterais graves.

Quando uma pessoa usa muitos laxantes, o corpo fica dependente deles, o que causa uma diminuição da habilidade do cólon para se contrair e de ter a sua movimentação normal.

Pode haver ainda uma lesão da inervação intestinal, dos músculos e de outros tecidos próximos. Veja em detalhes por que laxante pode fazer mal.

No caso de Leite de Magnésia de Phillips, em particular, a bula informa que a ingestão de quantidades excessivas pode provocar irritação do estômago e do intestino e sinais de intoxicação por magnésio – náuseas, sede, vômito, rubor, pressão baixa, sonolência, confusão mental, perda de reflexos, fraqueza muscular, depressão respiratória, arritmia cardíaca, coma e parada cardíaca.

Outros sintomas de níveis elevados de magnésio no organismo podem incluir: respiração superficial (curta) ou lenta e mudanças mentais ou de humor como a confusão.

A bula indica que a dose do medicamento deve ser entre 5 ml a 15 ml uma vez ao dia para crianças de dois a cinco anos; de 15 ml a 30 ml uma vez por dia para crianças entre seis aos 11 anos e de 30 ml a 60 ml uma vez a cada dia para crianças a partir dos 12 anos e os adultos.

Entretanto, o ideal é que você consulte o médico para saber qual a dosagem eficaz e segura de Leite de Magnésia para o seu quadro em particular.

Cuidados com o Leite de Magnésia

Não é somente porque não precisa apresentar a receita médica para comprar o medicamento, que não é necessário ter cuidado ao utilizá-lo.

Até porque o produto é contraindicado para as pessoas que têm histórico de alergia a qualquer dos seus componentes. Também não é indicado que os pacientes com problemas nos rins ou no coração utilizem o hidróxido de magnésio (principal componente do Leite de Magnésia).

Já para as seguintes pessoas, é mandatório consultar o médico antes de começar a usar o remédio:

  • Gestantes – neste caso, o remédio só deve ser utilizado quando estritamente necessário, o que deve ser definido pelo médico;
  • Mulheres que estejam amamentando;
  • Pessoas com histórico de problemas nos rins;
  • Pessoas com histórico de apendicite ou sintomas da condição, como náusea, vômito e dor abdominal ou estomacal;
  • Pessoas com histórico de dieta com restrição de magnésio;
  • Pessoas com histórico de alterações repentinas nos hábitos intestinais que duram por mais de duas semanas;
  • Crianças com menos de dois anos de idade;
  • Pessoas que fazem uso de outros medicamentos de prescrição ou não como poliestireno sulfonato de sódio, ibuprofeno, penicilamina, bifosfonatos, cetoconazol ou tetraciclina – também consulte o médico caso use qualquer outro remédio, suplemento ou planta para ter certeza que não faz mal utilizar produto ou substância em questão e o Leite de Magnésia ao mesmo tempo.

Durante o tratamento com o remédio, é necessário manter uma ingestão adequada de líquidos. Ou seja, fique de olho na quantidade de água que consome, certificando-se de que está bebendo uma quantia suficiente.

O medicamento pode provocar a diarreia – nos casos em que isso acontecer, principalmente em idosos e crianças, a recomendação é interromper imediatamente o uso do produto. Também é possível ter reações como inchaço, cólica, náusea, gases e aumento da sede por conta do uso do Leite de Magnésia.

O hidróxido de magnésio pode interagir com o ácido fólico (vitamina B9), ferro e potássio. Por inibir a absorção do ácido fólico, a substância pode atrapalhar a síntese da vitamina B12.

Pode haver ainda necessidade de repor o potássio no organismo depois que utilizar o Leite de Magnésia como um laxante. Converse com o seu médico a respeito da melhor e mais segura forma de fazer isso.

O usuário que sofrer com dor abdominal persistente depois de usar o produto deve consultar o médico. Também deve-se recorrer ao médico imediatamente quando o uso do medicamento gerar reações, que apesar de improváveis ou raras são sérias, como:

  • Sintomas de níveis elevados de magnésio no organismo;
  • Sintomas de desidratação – aumento da urina, tontura, sede extrema, boca muito seca, dor abdominal ou estomacal, fezes com sangue, sangramento retal;
  • Sintomas de uma reação alérgica séria – erupção cutânea (na pele), coceira ou inchaço (principalmente na face, língua ou garganta), tontura severa e dificuldade para respirar.

Fique atento ainda a problemas como mudanças inexplicáveis nos padrões do seu intestino e prisão de ventre que dura mais do que sete dias mesmo com o uso de laxantes, que também devem ser informados ao médico assim que forem percebidos.

Falando nisso, ao experimentar qualquer tipo de efeito colateral ao tomar o remédio, vale a pena procurar a ajuda médica, mesmo que o sintoma em questão não aparente ser grave.

Além disso, leia corretamente as instruções do produto para não correr o risco de utilizar o medicamento de maneira equivocada. Isso serve para verificar a real seriedade do sintoma, receber o tratamento apropriado caso seja necessário e saber se pode continuar a usar o medicamento ou não.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já experimentou o uso do Leite de Magnésia como laxante? Obteve bons resultados no combate à prisão de ventre? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 4,33 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário