Nebulização para Tosse – Tipos, Como Fazer e Dicas

Especialista:
atualizado em 06/07/2020

Fazer uma nebulização para tosse é uma boa forma de aliviar todo o desconforto que ela causa para pessoas que estão lidando com problemas respiratórios.

Essas doenças respiratórias como a asma, por exemplo, são comumente tratadas com o uso de medicamentos inalatórios que são aplicados por meio de um inalador ou nebulizador, que é uma opção melhor devido à facilidade de uso e, assim, crianças e idosos tendem a se adaptar mais rapidamente ao aparelho.

Quer saber como se beneficiar da nebulização no tratamento da sua tosse? Seja ela uma tosse seca, uma tosse com catarro ou até mesmo uma tosse alérgica, sempre há uma forma de o nebulizador ajudar.

Continue lendo para entender como a nebulização para tosse pode ser útil no seu tratamento e como fazer o procedimento da maneira correta.

Nebulização

Um nebulizador é um equipamento que transforma alguns tipos de medicamentos líquidos em uma névoa que pode ser inalada por meio de um bocal ou máscara facial adaptada ao nebulizador.

A grande vantagem da nebulização é que a névoa gerada entra direto nos pulmões e no sistema respiratório, melhorando muito rápido a condição respiratória do paciente.

Os nebulizadores geralmente são indicados para pessoas que sofrem de doenças como:

  • Asma: condição na qual as vias aéreas ficam inflamadas e estreitas, dificultando a respiração.
  • Pneumonia: doença grave em que os pulmões ficam inflamados. Sintomas incluem falta de ar e febre;
  • Fibrose cística: a fibrose cística é uma doença genética que pode resultar na formação de muco espesso nas vias aéreas que podem prejudicar a respiração;
  • Bronquiectasia: na bronquiectasia as vias aéreas dos pulmões se dilatam, fazendo com que muco em excesso seja produzido.
  • Epiglotite: condição rara causada pela bactéria Haemophilus influenzae tipo B que causa um grande inchaço nas vias aéreas e altera o som da respiração – que se torna mais agudo – e que pode causar a pneumonia;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica: trata-se de um grupo de doenças respiratórias que causa a obstrução da passagem de ar através dos pulmões;
  • Vírus sincicial respiratório: condição que causa sintomas leves e similares aos de um resfriado;
  • Crupe: trata-se de uma infecção viral que causa inchaço das vias aéreas, além de sintomas como febre, corrimento nasal e tosse irritante.

Mas também há outros casos em que um nebulizador pode ser usado como em alergias graves, infecções respiratórias e tosses frequentes, por exemplo.

Nebulização para tosse

A tosse pode ser isolada ou surgir como um sintoma de alguma das condições respiratórias mencionadas acima. Em qualquer caso, é importante tratá-la.

Quando uma pessoa está com tosse, o nariz tende a ficar seco e o muco naturalmente depositado nas membranas do nariz fica acumulado. Isso faz com que o nariz fique entupido e que as pessoas tenham dificuldade para respirar pelo nariz e precisem respirar pela boca.

Um nebulizador pode ajudar a hidratar as membranas internas do nariz, facilitando a saída de muco. Além do alívio na congestão nasal, a tosse também pode ser aliviada desta maneira.

Tipos de nebulizadores

A maioria dos nebulizadores são equipamentos que ocupam certo volume e que precisam ser ligados na tomada, o que limita um pouco o seu uso. Existem versões portáteis que funcionam com bateria, mas que são provavelmente mais caras.

Um nebulizador geralmente só pode ser comprado se prescrito por um médico, pois ele é um equipamento um pouco mais complexo do que um inalador, por exemplo. Existem basicamente 2 tipos de nebulizadores mais utilizados:

1. Nebulizadores a jato

Os nebulizadores a jato são aqueles em que um forte jato de oxigênio ou de ar comprimido é usado para transformar o líquido em partículas minúsculas suspensas em uma névoa. O nebulizador a jato é a opção mais em conta no mercado, mas ele é um pouco mais barulhento do que o nebulizador ultrassônico, por exemplo.

2. Nebulizadores ultrassônicos

Os nebulizadores ultrassônicos são mais complexos e modernos. Nesse tipo de nebulizador, um cristal transforma o pulso elétrico em vibrações ultrassônicas de alta frequência que transformam o medicamento em um gás. O preço pode ser mais salgado, mas o nebulizador ultrassônico permite a entrega mais rápida do medicamento e é mais silencioso.

Remédio para nebulização para tosse

Em geral, um remédio para nebulização para tosse é um antibiótico, um anti-inflamatório ou um broncodilatador. Os medicamentos usados no nebulizador podem variar de acordo com a gravidade e a causa da tosse, podendo ser de alívio rápido ou de uso a longo prazo. Exemplos de remédios que podem ser usados em um nebulizador são:

– Broncodilatadores

O albuterol (AccuNeb) e o levalbuterol (Xonepex) são remédios da classe dos beta-agonistas que aliviam sintomas da asma e que podem ser utilizados em um nebulizador. Ambos agem como broncodilatadores, ou seja, eles abrem as vias aéreas que tendem a ficar contraídas durante uma crise de asma, facilitando a respiração. Eles também podem ser prescritos em caso de tosse causada por doença pulmonar obstrutiva crônica ou por outros distúrbios respiratórios.

Um dos sintomas de uma crise de asma é a tosse seca e, dessa forma, o albuterol e o levalbuterol podem ser ótimos para uso em uma nebulização para tosse seca causada pela asma.

Tais medicamentos são indicados para uso a curto prazo para controlar as crises e não devem ser usados por longos períodos de tempo já que alguns efeitos adversos como nervosismo e batimento cardíaco acelerado podem ser observados.

Um outro broncodilatador que pode ser usado como remédio para nebulização para tosse é o brometo de ipratrópio, que pode ser usado em combinação com o albuterol ou o levalbuterol em uma crise de asma, desde que prescritos por um médico. Alguns efeitos colaterais do brometo de ipratrópio podem incluir a tontura, a dor de estômago e a boca seca.

– Budesonida

A budesonida é um esteroide inalável que ajuda a diminuir a inflamação nas vias aéreas e a auxiliar no controle das crises de asma. Segundo um estudo de 2002 publicado no periódico científico Annals of Internal Medicine, esteroides inalatórios como a budesonida podem diminuir o número de células indutoras de inflamação nos pulmões além de suprimir a inflamação em curso.

Esse corticosteroide é muito indicado para a nebulização para tosse alérgica, já que os esteroides são tão efetivos quanto alguns anti-histamínicos no tratamento de alergias.

O único esteroide inalável que pode ser usado em um nebulizador é a budesonida. Apesar de ser bastante eficaz, os efeitos adversos possíveis são a rouquidão e a candidíase oral – uma infecção na boca causada por fungos.

– Dornase alfa

Trata-se de um medicamento muito prescrito para tratar a fibrose cística. Ele atua ajudando a eliminar o catarro espesso localizado nas vias aéreas.

– Cromoglicato de sódio

O cromoglicato de sódio é um anti-inflamatório que pode ser usado em nebulizadores. Uma pesquisa publicada em 2005 no Journal of Asthma indica que o remédio atua impedindo a ativação e a liberação de células inflamatórias nas vias aéreas, aliviando os sintomas da asma a longo prazo. Alguns efeitos adversos que podem surgir incluem a irritação na garganta e a própria tosse.

Os esteroides inaláveis ainda são considerados uma melhor opção para tratar sintomas a curto prazo.

– Antibióticos

Alguns tipos de antibióticos podem ser utilizados em nebulizadores quando uma infecção respiratória grave causada por bactérias é identificada. Um exemplo de antibiótico que pode ser usado em um nebulizador é a tobramicina.

– Solução salina estéril

A nebulização com soro fisiológico para tosse é o único caso em que uma receita médica não é necessária. Uma solução salina estéril (como o famoso soro fisiológico) pode ser encontrada em qualquer farmácia e trata-se de uma ótima opção para nebulização para tosse com catarro.

Inalar essa solução salina pode ajudar a abrir as vias aéreas e a deixar as secreções menos espessas, o que ajuda a liberar o muco preso nos pulmões através da tosse.

Lembrete:

Vale lembrar que não é todo medicamento líquido que pode ser usado em um nebulizador e é preciso obter uma prescrição médica independentemente do seu tipo de tosse.

Como fazer a nebulização

Para fazer a nebulização da maneira correta, é importante conhecer o equipamento e ler o manual de instruções. Também vale a pena pedir dicas de uso para o seu médico. Mas, de uma forma geral, é muito simples usar um nebulizador.

O passo a passo para garantir a higiene do processo e a eficácia da nebulização é o seguinte:

  • Lavar as mãos;
  • Verificar se o equipamento está limpo e seco;
  • Adicionar a dosagem prescrita do medicamento ao copo do nebulizador e verificar atentamente se é necessário adicionar água estéril ou solução salina esterilizada junto com o remédio;
  • Encaixar todas as partes do aparelho incluindo o recipiente para o medicamento, os tubos e a máscara ou o bocal;
  • Conectar os tubos à fonte de energia;
  • Ligar o nebulizador na tomada ou colocar outra fonte de energia como pilhas ou bateria;
  • Manter o bocal e o copo com o remédio sempre na posição vertical para garantir que todo o conteúdo será aproveitado;
  • Segurar a máscara ou o bocal sobre o rosto até que toda a névoa termine;
  • Respirar de forma lenta e profunda para inspirar toda a medicação.

Dicas úteis

As dicas abaixo servem tanto para preservar a vida útil do aparelho como para preservar a sua saúde.

1. Esteja sempre pronto para uma emergência

Os nebulizadores são grandes aliados de pessoas que sofrem de asma, já que ele é de fácil manuseio durante uma crise. Porém, os surtos de asma podem ocorrer sem aviso prévio e uma ótima dica para estar sempre preparado é manter o nebulizador sempre higienizado e pronto para uso quando você precisar.

Além disso, manter a higiene do aparelho prolonga a vida útil do mesmo e evita a proliferação de germes.

2. Higienizar bem o nebulizador

A limpeza do nebulizador deve ser sempre feita em uma superfície limpa e com as mãos limpas e secas. Todas as partes do aparelho devem ser desconectadas e o copo de remédio, a máscara, o bocal e os tubos devem ser lavados com água morna e sabão. Por fim, todas as peças devem secar naturalmente.

Se precisar acelerar o processo de secagem para uso imediato, conecte todas as partes do aparelho e ligue o nebulizador para que eles sequem, mas em hipótese alguma guarde o aparelho molhado ou úmido, pois isso pode promover a proliferação de germes que podem causar uma infecção na próxima vez que alguém for usar o nebulizador.

3. Desinfetar o aparelho regularmente

Outras instruções específicas de higiene podem ser encontradas no manual de instruções de acordo com cada fabricante. Mesmo guardando o aparelho limpo e seco, é importante realizar uma desinfecção preventiva com frequência.

É possível desinfetar o nebulizador com uma solução de água sanitária ou de vinagre. Prepare uma solução com 1 poção de vinagre branco para cada 3 partes de água morna e deixe todas as peças do nebulizador que podem ser lavadas de molho por cerca de 1 hora. Outra forma de desinfetar é usando 2 colheres de chá de água sanitária para cada 2 xícaras de água morna e deixar de molho da mesma forma.

Independentemente do método de desinfecção escolhido, lave todas as peças novamente com água morna e deixe secar bem.

– Procure orientação médica sempre que necessário

Se a tosse for muito forte e não melhorar com o nebulizador ou se outros sintomas como dificuldade para respirar, falta de ar, aperto no peito ou respiração ofegante surgirem, é essencial procurar atendimento médico.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou fazer nebulização para tosse por conta de alguma condição respiratória? Costuma funcionar para você? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário