Notebook no Colo Faz Mal?

Especialista:
atualizado em 23/03/2020

Atualmente os notebooks são uma das ferramentas de trabalho mais comuns, são convenientes e portáteis, porém manter notebook no colo faz mal. Saiba o porquê.

Hoje em dia, muitas pessoas possuem e usam regularmente os notebooks, no entanto, existem alguns aspectos negativos do seu uso que você pode não perceber.

Esse tipo de computador foi inventado para fornecer mobilidade ao seu usuário, para que ele não tenha que ficar preso ao seu computador de mesa, porém, permanecer horas com ele em seu colo pode resultar em consequências desagradáveis para sua saúde.

O notebook pode atrapalhar o seu sono, causar dor na nuca, fazer com que você desenvolva a Síndrome da Pele Tostada, problemas de fertilidade, entre várias outras coisas.

Veja agora porque notebook no colo faz mal.

Pode causar dor nas costas, no pescoço, cabeça e punho

Curvar-se sobre o notebook quando ele está no colo pode causar dor nas costas e no pescoço, além do que, a maneira como ele é projetado pode aumentar o risco de tensão na cabeça, pescoço, pulsos e mãos.

Isso tudo é resultado da má postura ou posicionamento inadequado do corpo para acomodar o design do computador.

Para evitar esses problemas, o ideal é utilizá-lo sobre uma mesa em vez de lugares como cama por exemplo, e com uma cadeira que te mantenha na posição vertical de maneira confortável.

Dar uns intervalos enquanto permanece no notebook também irá te ajudar a relaxar o corpo e evitar a rigidez que pode ocorrer depois de passar muito tempo olhando para a tela.

Caso você mantenha uma postura ruim, você também pode optar por usar um corretor de postura para te ajudar a corrigir esse problema.

É prejudicial aos órgãos reprodutivos masculinos

Embora usar notebook seja algo amplamente popular e bem aceito, os sinais sem fio que ele emite e recebe são potencialmente prejudiciais.

Manter esse computador portátil no colo por longos períodos de tempo pode realmente arriscar a capacidade reprodutiva e pode representar riscos na contagem de espermatozoides.

Uma pesquisa realizada na Argentina mostrou que um notebook posicionado perto dos testículos danifica potencialmente o DNA das células espermáticas além de fazer com que os testículos fiquem suados.

Em um outro estudo realizado pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva eles chegaram à conclusão de que notebook no colo pode afetar a fertilidade:

“Para nosso conhecimento, este é o primeiro estudo a avaliar o impacto direto do uso do notebook nos espermatozoides humanos. A exposição de espermatozoides humanos a um notebook sem fio conectado à internet diminuiu a motilidade e induziu a fragmentação do DNA por efeito não térmico”.

Os pesquisadores continuaram: “Especulamos que manter um laptop conectado sem fio à internet no colo próximo aos testículos pode resultar na diminuição da fertilidade masculina.”

Pode causar problemas de fertilidade feminina

O uso prolongado deste aparelho também pode afetar a fertilidade e capacidade de reprodução das mulheres, podendo atrasar a produção de óvulos e dificultar ainda mais a concepção deles.

E se elas engravidarem, o uso contínuo de um notebook no colo faz mal, pois apresenta riscos potenciais, pois a radiação EMF (eletromagnética) pode causar problemas de saúde no feto que a mulher está carregando.

Quando esses bebês nascem, eles podem mostrar sinais de problemas congênitos e de desenvolvimento.

Pesquisadores italianos descobriram que a mãe e o feto estão expostos a quantidades maiores de radiação por notebooks do que aquelas encontradas nas proximidades de linhas de alta tensão ou telas de vídeo.

Mulheres que usam esses computadores em contato corporal próximo correm o risco de prejudicar a saúde dos seus filhos.

Pode causar câncer

Os Drs. Andreas Arnold e Peter Itin, pesquisadores suíços do Hospital Universitário Basel, descobriram que esses aparelhos quentes causam danos à pele e pode alterar informações genéticas e causar câncer de pele.

O dermatologista Anthony J. Mancini, acredita que essa inflamação da pele pode aumentar potencialmente as chances de câncer de pele de células escamosas, que é mais agressivo do que as formas mais comuns de câncer de pele.

Pode atrapalhar os seus padrões de sono

Você provavelmente deve se lembrar de algum momento em que se deitou na cama e decidiu pegar o seu laptop para uma rápida pesquisa online ou apenas para assistir a um episódio da sua série favorita antes de dormir e acabou passando horas na frente da tela.

Sabe-se que a luz artificial fria que flui de uma tela típica de computador suprime a liberação de melatonina, que é um hormônio que regula os padrões de sono.

Se você sofre de insônia há mais tempo, talvez a melhor opção seja trocar um laptop por um livro ou revista antes de se deitar para dormir.

Campos eletromagnéticos

No passado muito já se falou sobre a exposição eletromagnética durante o uso de telefones celulares, o que levantou algumas preocupações. Essas mesmas teorias são verdadeiras com o uso de WiFi em notebooks.

Em estudos realizados com animais, pesquisas descobriram que 143 proteínas cerebrais são negativamente afetadas quando expostas a essa radiação durante um período de oito meses.

Os telefones celulares foram utilizados nesses estudos, no entanto, acredita-se que os mesmos resultados possam ocorrer com os campos eletromagnéticos emitidos por esses computadores portáteis.

É muito provável que, quando as pessoas usam esses aparelhos diretamente no colo, elas estejam expondo o corpo a altos níveis de campos eletromagnéticos que certamente não é algo bom.

Uma boa maneira de diminuir a exposição é usar o notebook sobre uma mesa ou outra superfície.

Se quiser diminuir ainda mais a exposição, considere trocar o notebook por um modelo desktop, além do que, usar um teclado externo também minimiza a exposição à radiação já que não estará digitando diretamente no teclado do laptop.

Pode causar coceiras e queimaduras na pele

Se você passa um bom tempo com o seu notebook no colo está exposto a um alto risco de desenvolver a “síndrome da pele tostada”.

Um relatório médico descobriu que a colocação de dispositivos como notebooks ao lado da pele por períodos prolongados de tempo pode levar a uma condição de pele com aparência manchada incomum ou erupção cutânea causada pela exposição ao calor a longo prazo.

Essa condição também é conhecida como “eritema ab igne” se desenvolve ao longo do tempo, dependendo de quanto o notebook é usado no colo e de quão quente a superfície inferior fica.

Geralmente é inofensivo e se resolve depois que você reduz o tempo com o dispositivo em seu colo, porém ele pode deixar pigmentações na pele mais escuras do que a pele ao redor.

Notebook no colo faz mal

Você pode ver como o notebook no colo faz mal, principalmente se estiver conectado ao WiFi. Por isso, tente colocá-lo em uma mesa para manter uma distância segura do dispositivo.

Embora a melhore opção seja colocá-lo sobre uma superfície como uma mesa, também estão disponíveis refrigeradores (coolers) para notebook, o que evita que ele esquente e queime a pele

Um bloqueador de radiação também é uma ótima solução para permitir que você use seu laptop de maneira confortável e reduza sua exposição à radiação enquanto minimiza o calor que ele produz.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já se perguntou se notebook no colo faz mal? Costuma fazer isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é médico ortopedista formado pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

Deixe um comentário