O Que Grávida Não Pode Beber? Cuidados e Dicas

Especialista:
atualizado em 24/06/2020

Veja o que grávida não pode beber durante a gestação, quais são os principais cuidados a tomar e mais dicas para não correr riscos.

A gravidez é um dos períodos mais sensíveis e vitais na vida de uma mulher, e por isso é muito importante que ela mantenha uma dieta saudável para proporcionar os nutrientes necessários tanto para a sua saúde como para a saúde do seu bebê.

Por isso, é comum que as mulheres grávidas sejam extremamente cuidadosas com a sua dieta, mas além de manter uma dieta bastante equilibrada, ela também deve tomar cuidado com as bebidas que são prejudiciais.

Enquanto alguns alimentos podem ser consumidos apenas raramente, existem alimento perigosos para grávidas que devem ser evitados por completo. Mas afinal, o que grávida não pode beber?

O que grávida não pode beber?

– Sucos frescos fora de casa

Se você gosta de tomar suco de frutas, quando for consumi-los fora de casa opte pelas opções pasteurizadas em vez daqueles feitos com frutas ou vegetais frescos, pois quando esses alimentos não são bem higienizados, eles podem conter bactérias e parasitas que são nocivas para a sua saúde e gravidez, como Toxoplasma, Salmonela, E. coli e Listeria, que podem ser provenientes do solo ou através da manipulação desses alimentos.

A contaminação pode ocorrer a qualquer momento durante a colheita, produção, processamento, varejo, armazenamento ou transporte.

A maioria das crianças infectadas ainda no útero com o Toxoplasma não apresentam sintomas durante o nascimento, porém, sintomas como deficiência intelectual ou cegueira podem se desenvolver mais tarde.

Embora apenas uma pequena porcentagem de recém-nascidos infectados sofre com graves lesões oculares ou cerebrais ao nascer, é importante minimizar o risco de infecção durante a gravidez com uma boa higienização das frutas ou legumes e quando possível, descascando ou cozinhando esses alimentos antes de consumi-los.

– Leite não pasteurizado

Assim como os sucos, o leite cru pode conter uma variedade de bactérias nocivas à saúde, como a Salmonela, Listeria, Campylobacter e E.coli, e essas infecções podem ter consequências para saúde e apresentar risco de vida para o bebê.

Da mesma maneira que pode ocorrer com as frutas, essa contaminação por ocorrer naturalmente ou ser causada devido à contaminação durante a coleta ou armazenamento do alimento. A pasteurização é a maneira mais eficaz de matar qualquer bactéria que seja prejudicial sem alterar o valor nutricional dessa bebida.

É por isso que a dica para minimizar o risco de infecções em mulheres grávidas causadas por essas bebidas é consumir apenas as versões pasteurizadas.

– Cafeína

A cafeína está entre o que grávida não pode beber pois trata-se de uma substância psicoativa que é a mais comumente consumida em todo o planeta e é encontrada principalmente no café, refrigerantes, chá e cacau.

Geralmente, é aconselhado que uma mulher grávida limite o seu consumo de cafeína a menos de 200 mg por dia, ou seja, cerca de 2 a 3 xícaras de café.

Por ser absorvida muito rapidamente pelo organismo, ela passa facilmente para a placenta e para o feto, que não possuem a enzima necessária para metabolizar a cafeína, fazendo com que altos níveis dessa substância possam se acumular.

Foi demonstrado que ingerir muita cafeína durante a gravidez restringe o crescimento fetal e aumenta o risco de o bebê nascer com pouco peso, associado a um risco maior de morte infantil e de doenças crônicas como doenças cardíacas e diabetes tipo 2 durante a vida adulta.

– Bebidas alcoólicas

Quando uma mulher grávida consome bebidas alcoólicas, o álcool passa do sangue da mulher para o bebê através da placenta, e como o fígado é um dos últimos órgãos a se desenvolver e não está totalmente pronto até os últimos estágios da gravidez, o bebê não pode processar o álcool tão bem quanto a mãe, podendo afetar seriamente o seu desenvolvimento.

Consumir bebidas alcoólicas, especialmente durante os primeiros três meses da gestação, aumenta o risco de aborto espontâneo, parto prematuro e a criança pode nascer com pouco peso, enquanto que beber depois dos primeiros três meses de gravidez pode afetar o bebê após o seu nascimento.

Quanto mais a mulher grávida consome essas bebidas, maiores são os riscos para o bebê. Alguns dos efeitos incluem problemas comportamentais e dificuldades de aprendizagem e o risco de desenvolver uma doença grave chamada de Síndrome Alcoólica Fetal – SAF.

Crianças com SAF apresentam anormalidades faciais, crescimento deficiente, problemas comportamentais e de aprendizagem.

– Chá de rooibos e cardo de leite

Ainda não há evidências científicas suficientes para garantir que produtos fitoterápicos, como o chá de rooibos e o cardo de leite, sejam seguros durante a gravidez.

O cardo de leite tem sido usado para melhorar o fluxo do leite materno, e dois breves estudos sobre o seu consumo durante a gravidez não relataram efeitos colaterais; porém, em teoria, ele pode reduzir os níveis de açúcar no sangue, por isso é recomendado consumi-lo com cautela, principalmente se você tiver hipoglicemia ou diabetes gestacional.

O extrato dessa planta também pode ter efeitos estrogênicos, por isso, se você tem condições sensíveis a hormônios, como miomas uterinos ou endometriose, também deve evitá-lo.

Se quiser melhorar seu suprimento de leite materno, pode tomar feno-grego ou cominho preto durante a amamentação, que são listadas como geralmente seguros pela FDA – Food and Drug Administration dos Estados Unidos. Isso

A preparação e higiene adequada dos alimentos são ideais para todas as pessoas em todos os momentos da vida, mas durante a gravidez é importante prestar ainda mais atenção nesses aspectos.

Embora isso nem sempre seja fácil, já que alguns alimentos podem já estarem contaminados quando você os compra, a melhor coisa a se fazer é conhecer o que grávida não pode beber e evitar esses itens. Assim irá garantir uma boa saúde para você e para o seu bebê.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia o que grávida não pode beber durante a gestação? Precisa mudar sua rotina enquanto espera um bebê? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário