Ômega-3

Ômega 3 para Câncer – Benefícios, Estudos e Dicas

São inúmeros os benefícios de consumir ácidos graxos como o ômega 3. Essa gordura saudável é o tipo de alimento que precisa estar presente na nossa dieta para garantir a boa saúde do cérebro, combater inflamações e evitar danos causados pela ação de radicais livres, por exemplo.

Vários estudos têm demonstrado que o ômega 3 pode ser benéfico para quem luta contra alguns tipos de câncer. Algumas dessas pesquisas afirmam que o suplemento é capaz também de reduzir a incidência da doença.

Abaixo, vamos mostrar alguns dos principais estudos sobre o assunto e discutir os benefícios do ômega 3 para câncer.

Ômega 3

O ômega 3 é classificado como um ácido graxo poli-insaturado, classe de substâncias conhecida também como PUFA (da sigla em inglês polyunsaturated fatty acids). O ômega 3 contém em sua composição substâncias como o ácido alfalinolênico (ALA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido docosahexaenoico (DHA).

O ALA é encontrado principalmente em alimentos de origem vegetal como nozes, linhaça e outras sementes comestíveis. Já o EPA e o DHA são os ácidos graxos do tipo ômega 3 facilmente encontrados em alimentos de origem animal como peixes gordurosos como o salmão, a truta e o atum, além de algas e fitoplâncton.

Estudos sobre o ômega 3 para câncer

Diversos estudos indicam que o ômega 3 tem potencial para combater o câncer. Selecionamos alguns estudos para mostrar o que a ciência tem a dizer sobre esse suplemento tão benéfico para nossa saúde em geral.

– Ômega 3 e a redução do tamanho de diversos tumores

O DHA encontrado em óleos de peixe parece reduzir o tamanho de tumores e melhorar a eficácia de medicamentos quimioterápicos como a cisplatina, além de reduzir os seus efeitos colaterais. Isso é o que afirma um estudo realizado com animais por pesquisadores da Universidade de Mansoura, no Egito.

O líder do estudo afirma que o DHA foi capaz de auxiliar no combate à doença. A presença de DHA parece estar relacionada com a diminuição no organismo de inflamações sistêmicas, de células brancas e do estresse oxidativo. Todos esses são processos envolvidos com o crescimento de tumores.

O ômega 3 também parece restringir o crescimento das células tumorais e até causar a autodestruição de células cancerígenas.

Especialistas acreditam que o ômega 3 pode reduzir inflamações no corpo e, assim, proteger o organismo contra o câncer, já que vários tipos da doença estão associados a inflamações crônicas como o câncer colorretal, o câncer de fígado, o câncer de pulmão e o câncer de próstata.

– Ômega 3 para câncer de mama

Em estudo recente publicado em 2017 no Journal of Nutritional Biochemistry conduzido por pesquisadores canadenses da Universidade de Guelph, foi verificado que uma dieta rica em ácidos graxos do tipo ômega 3 causa um efeito inibitório sobre o câncer de mama.

Além dessa descoberta, os cientistas foram capazes de determinar que os ácidos graxos provenientes de animais marinhos como os peixes são mais eficazes quanto à inibição do desenvolvimento tumoral do que os ácidos graxos encontrados em plantas. O ômega 3 obtido de fontes vegetais também é benéfico, mas, nesse caso, doses maiores seriam necessárias para inibir o câncer.

– Ômega 3 e o câncer de próstata

De acordo com alguns pesquisadores americanos, há uma relação entre o ômega 3 e o maior risco de câncer de próstata. Um estudo publicado no Journal of National Cancer Institute com mais de 35 mil homens mostrou que aqueles que apresentavam níveis mais altos de ômega 3 no sangue tinham um risco 43% maior de desenvolver câncer de próstata e até 71% de chance de desenvolver câncer de próstata grave.

No entanto, os próprios pesquisadores ficaram surpresos com o resultado, já que o ômega 3 tem propriedades anti-inflamatórias que deveriam inibir o desenvolvimento de alguns tipos de câncer.

Assim, não foi possível estabelecer a causa desse resultado e os autores do estudo afirmaram que mais estudos sobre o assunto são necessários antes de afirmar que há uma relação entre o ômega 3 e o desenvolvimento de câncer de próstata. Segundo os especialistas, o importante é manter uma alimentação saudável e equilibrada que contenha outras fontes de proteína além do peixe, como frango e alguns vegetais e leguminosas. Além disso, é preferível obter os nutrientes que você precisa através da ingestão de alimentos saudáveis e só usar suplementos quando for indicado por um nutricionista.

Vários outros estudos mostram que pessoas que consomem mais ômega 3 têm um risco até 55% menor de desenvolver câncer de cólon. E também há estudos que contradizem o anterior e sugerem que a ingestão de ômega 3 tem relação com um risco reduzido de homens desenvolverem câncer de próstata e de mulheres desenvolverem câncer de mama.

Como a causa do estudo citado anteriormente não foi estabelecida pelos cientistas envolvidos no estudo, a maioria dos pesquisadores continua acreditando nos benefícios do ômega 3 para câncer até que se prove o contrário.

Benefícios do ômega 3 para a saúde em geral

Os benefícios do ômega 3 comprovados pela ciência são inúmeros. Abaixo, você pode conferir alguns deles, que são benéficos não só para prevenir alguns tipos de câncer, como para beneficiar outras funções no nosso organismo.

1. Combate à depressão e à ansiedade

Transtornos depressivos e de ansiedade atingem milhões de pessoas em todo o mundo. Diversos estudos mostram que o consumo regular de ômega 3 ajuda a reduzir a incidência dessas doenças e até a aliviar os sintomas de quem já sofre com elas. O EPA parece ser o principal responsável pela redução dos sintomas dessas doenças.

O ômega 3 nunca deve substituir um medicamento prescrito para depressão ou ansiedade, mas seu uso pode ser um complemento ao tratamento, já que grande parte do nosso cérebro é composto por gorduras boas como o ômega 3. Assim, esse ácido graxo atua como um nutriente essencial que fortalece as estruturas cerebrais, melhorando as conexões neurais e reduzindo os sintomas depressivos.

2. Saúde ocular

O DHA é um ácido graxo do tipo ômega 3 que é um componente importante de estruturas do cérebro e da retina do olho. Quando há uma deficiência desse nutriente, problemas de visão podem ser observados.

Assim, ao consumir ômega 3 em quantidades ideais, é possível prevenir problemas de saúde ocular como a degeneração macular, que é uma das principais causas de danos permanentes nos olhos e cegueira.

3. Saúde do cérebro

Além de ajudar a tratar a depressão, o ômega 3 é essencial para o desenvolvimento do cérebro e da saúde ocular de bebês. Por isso, as gestantes precisam garantir a ingestão adequada desse nutriente.

De acordo com vários estudos, mulheres que ingerem ômega 3 durante a gravidez têm crianças mais inteligentes, mais comunicativas e com menos problemas comportamentais, de desenvolvimento ou doenças como transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, autismo e paralisia cerebral.

4. Saúde cardiovascular

O consumo de gorduras saudáveis como o ômega 3 também ajuda a reduzir o risco de desenvolver doenças cardíacas.

Um estudo publicado em 2013 no Indian Journal of Endocrinology and Metabolism mostrou que o ômega 3 é responsável por diversos benefícios para a saúde do coração, que incluem:

  • Diminuição nos níveis de triglicerídeos;
  • Redução da pressão arterial elevada;
  • Aumento nos níveis de colesterol do tipo HDL (colesterol bom);
  • Prevenção de coágulos sanguíneos;
  • Redução do acúmulo de placas gordurosas nas artérias;
  • Diminuição de processos inflamatórios no organismo.

5. Redução de sintomas de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)

Assim como mães que consomem ômega 3 durante a gestação podem ajudar a reduzir o risco de o filho desenvolver algumas doenças que afetam o cérebro, o consumo desse nutriente por crianças com TDAH pode aliviar alguns sintomas dessa condição.

O ômega 3 parece melhorar a desatenção e a capacidade das crianças de completar tarefas além de reduzir sintomas como a hiperatividade, a inquietação, a impulsividade e comportamentos agressivos.

6. Alívio de sintomas da síndrome metabólica

A síndrome metabólica é uma doença é caracterizada por várias condições que afetam o metabolismo e que aumentam o risco de desenvolver outras doenças como a diabetes e doenças cardíacas.

Pesquisas têm demonstrado que o ômega 3 é capaz de reduzir a resistência à insulina e a inflamação no organismo, além de diminuir o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

7. Combate à inflamação

Processo inflamatórios ocorrem o tempo todo no nosso corpo para reparar danos e combater infecções que eventualmente afetam nosso organismo. No entanto, inflamações em excesso podem resultar no desenvolvimento de doenças crônicas como as doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.

Estudos mostram que ácidos graxos do tipo ômega 3 ajudam a reduzir a produção de compostos associados à inflamação, reduzindo a incidência de processos inflamatórios no corpo.

8. Combate a doenças autoimunes

O ômega 3 ajuda a combater algumas doenças autoimunes como a diabetes do tipo 1 e a esclerose múltipla, em que o sistema imunológico confunde células saudáveis com células nocivas e ataca o próprio organismo.

Também há pesquisas que indicam que o ômega 3 pode ser usado para o tratamento de doenças como o lúpus, a artrite reumatoide, a colite ulcerativa, a psoríase e a doença de Crohn.

9. Combate a doenças neurodegenerativas

O ômega 3 ajuda a reduzir o declínio da função cerebral com o avanço da idade, além de diminuir o risco de desenvolver doenças neurodegenerativas como o mal de Alzheimer e a demência.

Segundo estudo de 2014 publicado no periódico científico American Journal of Preventive Medicine, pessoas que comem peixes gordurosos tendem a apresentar mais massa cinzenta no cérebro. Essa massa compõe o tecido cerebral responsável por processar informações, memórias e emoções, reduzindo o declínio dessas funções tão importantes na nossa vida.

10. Saúde dos ossos e das articulações

Pesquisas sugerem que o consumo de ômega 3 pode ajudar a aumentar a força óssea e melhorar a absorção de cálcio, o que reduz o risco de desenvolver osteoporose, por exemplo.

O ácido graxo ômega 3 também pode auxiliar pessoas com artrite, já que a ingestão desse nutriente ajuda a combater a inflamação, reduzindo a dor e a rigidez nas articulações.

11. Sono de qualidade

A privação de sono pode desencadear diversas doenças como a obesidade, a depressão e a diabetes. Estudos mostram que baixos níveis de ômega 3 estão associados a distúrbios do sono.

Segundo estudo de 2012 publicado na revista científica Food & Nutrition Research, baixos níveis de DHA estão relacionados com níveis mais baixos de melatonina, hormônio responsável pela indução ao sono. Outros estudos têm mostrado que o consumo regular de ômega 3 ajuda a aumentar a duração e melhorar a qualidade do sono.

12. Pele saudável

O teor antioxidante e anti-inflamatório do ômega 3 ajuda a proteger a pele contra danos causados por radicais livres devido ao estresse oxidativo ou à exposição sem proteção à poluição ou à radiação ultravioleta do sol. A proteção anti-inflamatória também ajuda a combater inflamações na pele como a acne.

Além disso, o ômega 3 é responsável pela saúde de membranas celulares presentes na pele que ajudam a deixar a pele macia, hidratada, flexível e livre de rugas e marcas associadas ao envelhecimento.

Considerações finais 

Alguns estudos sobre a dieta rica em ômega 3 para câncer mostram resultados conflitantes. Alguns mostram que não há correlação entre o consumo do nutriente e a proteção contra o câncer, outro sugere que o nutriente pode aumentar o risco de câncer de próstata, enquanto a grande maioria dos estudos afirma que as propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias do ômega 3 podem reduzir os riscos de desenvolver a doença e até auxiliar no combate ao problema.

Ainda não existem provas suficientes de que o ômega 3 pode reduzir a incidência ou a progressão da doença. No entanto, vários estudos indicam que uma alimentação rica em ômega 3 ajuda a proteger o corpo contra doenças como o câncer através da redução de processos inflamatórios e a tolerar melhorar o tratamento contra a doença que normalmente envolve a quimioterapia.

De acordo com a American Heart Association, é saudável ingerir ao menos 2 porções de peixes gordurosos por semana ou obter o ômega 3 através de óleos vegetais e castanhas. Assim, continue ingerindo alimentos ricos em ômega 3 como peixes, frutas, legumes e nozes. Ainda que não seja uma cura milagrosa tomar o ômega 3 para câncer, em conjunto com uma dieta saudável e equilibrada ele pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico para que você tenha forças para lutar contra a doença. 

Referências adicionais:

Você já tinha ouvido falar dos benefícios do ômega 3 para câncer? Conhece alguém que tenha a doença e aposte em consumir alimentos e suplementos de ômega 3? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*