Síndrome metabólica – O que é, sintomas e tratamento

Especialista:
atualizado em 17/11/2020

A síndrome metabólica não é uma condição específica, mas sim um conjunto de fatores relacionados a uma maior chance de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

É necessária presença de cinco fatores específicos para o diagnóstico, incluindo o aumento da pressão arterial, níveis elevados de açúcar no sangue, excesso de gordura ao redor da cintura, altos níveis de triglicérides e baixos níveis de colesterol bom (HDL).

Mas, apesar dos riscos que o problema traz, ele é tratável, e de forma relativamente simples.

Vamos então conhecer um pouco mais sobre a síndrome metabólica, quais são os principais sinais e formas de tratamento.

O que é a síndrome metabólica?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a síndrome metabólica é um conjunto de problemas de saúde, todos ligados à resistência à insulina, e que aumenta o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Quem está mais predisposto a desenvolver a síndrome metabólica?

O desenvolvimento de síndrome metabólica está relacionado principalmente à obesidade e a resistência à insulina. Mas outros fatores também devem ser considerados, como:

  • Idade;
  • Pessoas na família diagnosticadas com a síndrome;
  • Sedentarismo;
  • Mulheres diagnosticadas com síndrome do ovário policístico.

Como é feito o diagnóstico?

Apesar de os critérios para o diagnóstico serem diferentes, a depender do país, no Brasil considera-se que a pessoa tem síndrome metabólica quando ela apresenta três desses cinco sinais:

  • Hipertensão;
  • Obesidade central, com circunferência da cintura acima de 88 cm para mulheres e de 102 cm para homens;
  • Alteração na glicose sanguínea ou diagnóstico de diabetes;
  • Níveis altos de triglicérides, acima de 150 mg/dl;
  • HDL, o colesterol bom, abaixo de 40 mg/dl para homens e abaixo de 50 mg/dl para mulheres.

Alguns outros sinais podem auxiliar no diagnóstico e na definição de gravidade do risco cardiovascular, como os exames de marcadores inflamatórios. O principal é o PCR, que se altera quando há alguma inflamação no organismo.

Quais são as complicações da síndrome metabólica?

Alguns estudos mostram que a síndrome metabólica aumenta a chance de desenvolvimento de alguns problemas de saúde potencialmente sérios, como:

  • Acúmulo de gordura nas artérias;
  • Diabetes;
  • Ataque cardíaco;
  • Doença renal;
  • Acidente vascular cerebral;
  • Esteatose hepática, que é o acúmulo de gordura no fígado;
  • Doença cardiovascular.

Tratamento

Antes de iniciar um tratamento com medicamentos, algumas mudanças no estilo de vida podem ser sugeridas para tratar a síndrome metabólica. Veja abaixo algumas dessas medidas:

  • Perder peso;
  • Incluir exercícios na rotina;
  • Diminuir o consumo de álcool.

Alimentação saudável

Apesar de não existir uma dieta específica para o tratamento da síndrome metabólica, manter uma alimentação saudável e equilibrada pode facilitar o controle do problema.

Alimentos que devem ser evitados

  • Alimentos industrializados e processados;
  • Adoçantes artificiais;
  • Refrigerante, independentemente de sua quantidade de açúcar;
  • Gorduras trans;
  • Carboidratos refinados, como o açúcar.

Alimentos que devem ser incluídos na dieta

  • Peixes e alimentos que contenham ômega-3;
  • Frutas;
  • Leguminosas;
  • Grãos integrais.

Medicamentos

O tratamento medicamentoso vai depender de quais fatores ligados à síndrome metabólica estão mais alterados.

  • Caso a pessoa apresente diabetes, alguns medicamentos podem ser usados tanto para melhorar o quadro de resistência à insulina quanto para diminuir os níveis de açúcar no sangue;
  • Medicamentos anti-hipertensivos podem ser usados para controlar a pressão arterial e evitar as complicações decorrentes do problema;
  • Alguns suplementos podem ser usados para auxiliar no tratamento, como o ômega 3. Entretanto é sempre preferível o consumo de alimentos ricos no nutriente, ao invés de suplementos.

Dicas

  • Como a síndrome metabólica é uma doença silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas, é importante fazer check-ups de saúde anuais, mesmo que você não se encaixe em alguns dos fatores de risco;
  • Tente incluir a prática de exercícios em sua rotina diária, mesmo que sejam sessões curtas;
  • Durma bem: estudos mostram que noites mal dormidas, quando se tornam rotina, podem estar associadas ao desenvolvimento da síndrome metabólica.
Fontes e Referências Adicionais

Você já tinha ouvido falar da síndrome metabólica? Já foi diagnosticado com essa condição? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

2 comentários em “Síndrome metabólica – O que é, sintomas e tratamento”

  1. Gostei muito desta aula sobre síndrome metabólica. Tenho 70 anos e estou para realizar uma cirurgia de ernia ignal e estou passando por problemas em que tenho que fazer uma ressonância magnética,tentei por duas vezes e entrei em síndrome de pânico. Em uma consulta que fiz com uma Doutora aqui na cidade onde moro,ela declarou que eu poderia ter feito a cirurgia com a anestesia geral. O que vejo nos dias de hoje é que realmente faltam Médicos que procurem entender seus pacientes e não ficarem aborrecidos com o sistema de pagamentos do SUS. A condição financeira de nosso povo é muito baixa e osistema de saúde do nosso país é muito precário. Muito agradeço a todos vocês que sepreocupam e ensinam como podemos nos defender destes ataques químicos que complica nossa saúde,muito obrigado. Deus abençoe a todos vocês.