Home » Exercícios » Pode Fazer Musculação em Jejum? O que Acontece?

Pode Fazer Musculação em Jejum? O que Acontece?

Cansado na academia

Uma nova moda tem surgido entre os praticantes de academia: fazer musculação em jejum. Será esta a chave para a aceleração de resultados? Muitos adeptos a essa prática acreditam que se o estômago estiver vazio, mais rápido se queima gordura. Será verdade essa afirmação? Baseada em que fundamentos?

  Continua Depois da Publicidade  

Acredita-se que logo de manhã, ao acordar, se a pessoa não se alimentar e for realizar um treino, o corpo será “obrigado”, uma vez que não terá escolha, a usar a gordura como energia ao invés da glicose, mas isso pode variar de acordo com a atividade, intensidade e tempo de execução das atividades; portanto, nada é conclusivo.

Estudos

Uma pesquisa publicada no Strenght and Conditioning Journal traz resultados que revelam que o hábito de praticar musculação em jejum queima mais músculos do que gordura, sendo assim, o esforço vai todo em vão, uma vez que o objetivo de quem treina musculação é ganhar massa magra, definição e tonificação muscular e reduzir a gordura corporal.

O resultado analisado foi que os indivíduos que faziam musculação em jejum perdiam cerca de 10% de calorias que eram advindas da proteína, ou seja, da massa muscular. A explicação que os especialistas deram para o fato é a de que, quando em jejum, o corpo aumenta a quantidade de hormônio cortisol, que costuma inibir a queima de gordura. Dessa maneira, o corpo acaba usando a massa muscular como energia.

A medição de queima de gordura, segundo o especialista, deve ser por dias e não por horas de treino, pois isso pode variar. Ele também explica que em exercícios de intensidade moderada e alta ocorre uma queima maior de gorduras, mas isso não significa que elas foram oxidadas, ou seja, elas voltam a ser depositadas pelo corpo. Entretanto, um outro estudo publicado por uma equipe de pesquisadores da Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, fala que o exercício em jejum não só queima mais gordura como também promove adaptações metabólicas que melhoram o desempenho em esportes de resistência.

  Continua Depois da Publicidade  

O que acontece?

Algumas pesquisas já revelaram que comer antes do treino ajudar a queimar bem mais calorias do que fazer musculação em jejum. Além disso, é possível que uma pessoa passe mal ao treinar de estômago vazio, desmaie, dependendo da fraqueza da pessoa e da intensidade do treino, gerando hipoglicemia. A falta de alimentação também pode acarretar a diminuição do rendimento, ao invés de melhorar os resultados.

Os nutricionistas indicam o consumo de carboidratos de baixo índice glicêmico antes do treino, como a batata doce, e alimentos integrais que são digeridos de forma mais lenta e fornecem energia (glicose) de forma gradual. Para atividades aeróbicas existem algumas teorias que defendem essa prática em jejum, mas isso pode variar de pessoa para pessoa e não se aplica a treinos em academia.

Tipos de exercícios

Para atividades aeróbicas é permitida a prática de atividades de baixa intensidade em jejum (segundo uma corrente de profissionais da área), pois alguns estudos mostraram que tanto em jejum quando após o café da manhã, a queima de gordura é a mesma.

Agora, para exercícios de intensidade moderada e alta, recomenda-se a alimentação antes. Para a musculação recomenda-se sempre se alimentar antes, pois muitos nutricionistas afirmam que musculação em jejum não aumenta a musculatura, podendo degradar e estocar mais gordura localizada em algumas partes do corpo.

O que comer?

A dica é alimentar-se de 1 a 2 horas antes da musculação, sempre optando por carboidratos de baixo ou médio índice glicêmico como aveia ou batata doce, e uma proteína isolada ou concentrada, como o whey protein, pode ser bem interessante para melhorar os resultados. A dica geral é ter uma alimentação diária bem equilibrada que inclua vegetais, legumes e frutas, bem como carboidratos e proteínas.

Opte sempre por cortes magros, métodos de cocção mais saudáveis como grelhado e no vapor e evite doces em excesso, bem como bebidas gaseificadas e alimentos com conservantes. Procure consumir o máximo de alimentos orgânicos possível, pratique atividades físicas no mínimo 3 vezes na semana, durma bem e obtenha os benefícios da queima de gordura naturalmente. Uma dica é também alterar a dieta alimentar a cada 45 dias, assim o corpo não se acostuma e pode se manter sempre em movimento.

  Continua Depois da Publicidade  

Você já tinha ouvido alguém recomendar a prática da musculação em jejum? E o exercício aeróbico? Já passou pela sua cabeça tentar algo assim? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (22 votos, média: 4,09 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

2 comentários

  1. Link para o estudo do Strenght and Conditioning Journal e da Universidade Católica de Leuven ?

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*