Qual a diferença entre remédio fitoterápico e homeopático?

Especialista da área:
atualizado em 28/04/2021

Se você já usou um remédio de origem natural, provavelmente já teve essa dúvida: é fitoterápico ou homeopático? Saiba então qual a diferença entre remédio fitoterápico e homeopático. 

  Continua Depois da Publicidade  

Antes de mais nada, saiba que existem três tipos de remédios. Os baseados na alopatia, na homeopatia e na fitoterapia.

A saber, os remédios alopáticos são os mais usados e prescritos pelos médicos. São aqueles que contêm princípios ativos potentes que geralmente são sintéticos, mas que também podem ser de origem mineral, vegetal ou animal.

Além disso, os alopáticos são os remédios mais encontrados nas farmácias e os que mais causam efeitos colaterais.

Por outro lado, os remédios fitoterápicos e homeopáticos são aqueles feitos com matéria prima natural. Mas qual é a diferença entre eles?

Atualmente, é possível encontrar remédios fitoterápicos para emagrecer e remédios homeopáticos para aliviar a ansiedade e a insônia. De fato, para toda doença existe um fitoterápico ou homeopático prometendo a cura dos sintomas.

Confira abaixo o que são os fitoterápicos e os homeopáticos e entenda a diferença entre eles.

Diferença entre remédios fitoterápicos e homeopáticos

medicina alternativa

Para entender a diferença entre a fitoterapia e a homeopatia, é preciso saber o que é cada um deles.

1. Fitoterápicos

Os remédios fitoterápicos são obtidos de plantas medicinais. A matéria prima pode ser a própria planta ou um extrato dela. Apesar da origem natural, eles contêm fitocomplexos (ou substâncias químicas) que dão origem ao efeito terapêutico dos medicamentos.

Sendo assim, mesmo obtido de origem vegetal, existe um princípio ativo que gera um efeito químico no corpo. Tal efeito é o responsável pelo sucesso do remédio, mas também por alguns efeitos colaterais.

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, embora menos tóxicos que os alopáticos, os medicamentos fitoterápicos também podem causar efeitos indesejados.

Vale ressaltar esse ponto, já que muita gente acha que os fitoterápicos não causam efeitos adversos. Mas isso pode acontecer – principalmente efeitos como irritações e alergias.

Neste ponto, os fitoterápicos se parecem com os alopáticos, pois existe um princípio ativo – neste caso, de origem vegetal – por trás do efeito do remédio.

De fato, as substâncias ativas em remédios fitoterápicos têm seu efeito comprovado por meio de estudos científicos – desenvolvidos principalmente na área da botânica e da farmacologia.

2. Homeopáticos 

Os remédios homeopáticos são feitos a partir de elementos de origem animal, vegetal ou mineral.

Mas, ao contrário dos fitoterápicos, os medicamentos homeopáticos não têm um princípio ativo e não causam efeitos colaterais.

A homeopatia se baseia no princípio da cura pelo semelhante.

Ou seja, os homeopatas defendem que o corpo precisa de um estímulo para buscar o equilíbrio. Com isso, eles alegam que os remédios homeopáticos devem produzir um efeito igual ao sintoma. No entanto, a dose é muito baixa e diluída.

  Continua Depois da Publicidade  

É mais ou menos o mesmo princípio das vacinas. Em uma vacina, por exemplo, o corpo recebe uma dose baixa de um vírus inativado para que o corpo desenvolva uma resposta imune. Nada mais é do que a cura pelo semelhante.

Aproveite e confira como funciona a vacina da gripe e porque ela deve ser tomada todos os anos.

Desta forma, o intuito da homeopatia é auxiliar o organismo a atingir um ponto de equilíbrio e se curar. No entanto, isso é feito sem interferir na fisiologia. Ou seja, não existe um composto ativo que melhora o sintoma.

Assim, a principal diferença entre fitoterápico e homeopático é que o fitoterápico tem um princípio ativo bem estabelecido. Por outro lado, o homeopático é muito diluído e não tem um composto ativo responsável pela melhora.

Qual é melhor: homeopático ou fitoterápico?

medicina natural

Não existe uma só verdade na medicina e é por isso que você deve avaliar bem os benefícios e riscos de cada tratamento.

Tratam-se de duas formas diferentes de tratar uma doença de modo natural. Além disso, o risco de efeitos colaterais é muito baixo – ou zero, no caso dos homeopáticos.

Embora existam essas opções, é importante saber que para ter um resultado mais satisfatório no tratamento de certas doenças, é preciso usar os remédios alopáticos, como por exemplo:

  • Anti-inflamatórios;
  • Antibióticos;
  • Antigripais;
  • Antialérgicos;
  • Antiácido. 

Apesar de existir o risco de efeitos colaterais, toxicidade, resistência e prejuízo ao sistema imunológico, às vezes os alopáticos são a única solução viável no momento.

Além disso, não há estudos suficientes para comprovar a eficácia de todos os remédios fitoterápicos ou homeopáticos. Por isso, eles são chamados muitas vezes de terapias alternativas ou complementares.

Mas, se você prefere um remédio natural, veja quais são as suas opções. E claro, sempre converse bastante com o seu médico para entender qual remédio funciona melhor para o seu caso.

De fato, é muito difícil (ou impossível) tratar uma doença como o câncer, por exemplo, apenas com fitoterapia e homeopatia. Mas sempre é possível combinar os benefícios da alopatia com remédios naturais para completar o tratamento.

Fontes e Referências Adicionais

Você já usou remédios homeopáticos ou fitoterápicos para tratar algum problema de saúde? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Alexandre Seraphim

Dr. Alexandre Seraphim é Nutrologista - CRM 52.978779. Formou-se médico pela Universidade do Grande Rio e é pós-graduado em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia. Possui diversos cursos na área de emagrecimento, hipertrofia e medicina ortomolecular que o qualificam ainda mais como um grande especialista da área. Atualmente, exerce sua especialidade em uma clínica localizada na Barra da Tijuca e também em Bangu, ambas no Rio de Janeiro. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@dr.alexandre.seraphim).

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário