Tendinite ou bursite: qual é a diferença?

Especialista da área:
atualizado em 06/07/2022

Afinal, você sabe qual é a diferença entre a tendinite e a bursite? Essa distinção pode não ser tão fácil à primeira vista, tendo em vista que ambos são inflamações. A diferença é basicamente o local em que essa inflamação ocorre.

No caso da bursite, a inflamação acontece em uma região chamada bursa, que consiste em uma bolsa cheia de líquido que fica entre os ossos e outras partes móveis do corpo, como tendões e músculos. A bursa atua na lubrificação e no amortecimento dos tendões e serve para facilitar os movimentos.

  Continua Depois da Publicidade  

Já a tendinite é a inflamação do tendão, um tecido resistente responsável por conectar os músculos aos ossos, que é, também, responsável por ajudar nos movimentos.

Em ambos os casos, os sintomas geralmente são dores, inchaço, vermelhidão e uma sensação de calor no local. Eles podem ser temporários ou progressivos. Os locais mais comuns de ocorrerem são: tornozelo, joelho, quadril, punho, polegar, cotovelo e ombro.

O que pode causar?

Dor no ombro
Não é preciso ser atleta para desenvolver tendinite ou bursite

A causa dessas inflamações pode estar associada à lesão do esforço repetitivo (LER). Alguns exemplos de esforços repetitivos que resultam em tendinite e bursite incluem pintar, digitar, cortar, martelar, arremessar e serrar por muitas horas seguidas. Atletas também podem apresentar essa condição após aumentar a intensidade dos treinos repentinamente.

No entanto, algumas infecções e outras condições, como artrite reumatoide, artrite psoriásica, gota, doença da tireoide e diabete, podem também provocar essa inflamação.

A bursite é capaz de se tornar crônica, gerando dor persistente. A tendinite, em casos graves, consegue romper o tendão e o separar do osso. O diagnóstico precoce é indispensável para evitar essas complicações.

  Continua Depois da Publicidade  

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico envolve uma série de exames para descobrir a causa da inflamação. É necessário descartar problemas ósseos e artrite. Dependendo da suspeita médica, o profissional pode recomendar uma punção do tecido inflamado, ou seja, é retirada uma parte do líquido da bursa inflamada para verificar se a inflamação está sendo causada por bactérias.

No exame físico, o médico consegue distinguir entre bursite e tendinite segundo a localização da dor em relação à anatomia da área afetada.

Exames de imagem, como raio-x e ressonância magnética são solicitados para descartar suspeitas de artrite e fraturas. 

Obter um diagnóstico precoce e preciso de sua condição é decisivo para atingir uma cura rápida e evitar maiores lesões, impedindo que vire um problema crônico.

Tratamento e prevenção

Bolsa de gelo
Diferentes estratégias ajudam, mas o tratamento pode variar conforme cada caso

O tratamento dependerá da causa da tendinite ou bursite, por isso, é importante consultar o médico se a inflamação for recorrente. As primeiras medidas que você pode tomar para aliviar a dor são:

  • Descansar a parte do corpo dolorida.
  • Aplicar compressa com gelo por 10 a 15 minutos, duas vezes no dia.
  • Tomar remédios anti-inflamatórios não esteroides, como ibuprofeno e ácido acetilsalicílico (aspirina).

Quando a tendinite estiver relacionada ao trabalho, um fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional deve fazer um planejamento ergonômico apropriado para que você trabalhe de forma confortável. A fisioterapia também será útil para aliviar a tensão e fortalecer a musculatura ao redor do local inflamado.

  Continua Depois da Publicidade  

O uso de bengalas, muletas e andadores para apoio pode ser útil quando a tendinite ou bursite estiver no quadril, ou em alguma articulação da parte inferior do corpo.

Se você estiver com a inflamação já em curso, o ideal é que procure um profissional ortopedista, para que ele providencie os exames necessários para iniciar o tratamento o quanto antes. 

O uso de adesivos anti-inflamatórios e outros medicamentos com essa mesma finalidade pode ser a primeira opção de tratamento. 

Entretanto, quando a causa for uma infecção, o profissional irá indicar o antibiótico mais adequado para combater a infecção. Na bursite infecciosa, também é realizada uma drenagem para remover todo o líquido infeccionado da bursa.

A cirurgia é considerada em casos graves de rompimento do tendão. Em última opção, a bursa inflamada precisará ser removida.

Como prevenir?

Criar consciência sobre a posição correta ao realizar atividades repetitivas no cotidiano ou no trabalho é muito importante para evitar essas inflamações. Mesmo em atividades do dia a dia, é preciso alongar com frequência as partes do corpo envolvidas no trabalho a fim de prevenir o aparecimento de dores.

  Continua Depois da Publicidade  

As dicas a seguir serão úteis para qualquer parte do corpo:

  • Aqueça e alongue o corpo antes de qualquer atividade repetitiva e rotineira.
  • Se estiver iniciando a prática de um novo esporte, treine de forma adequada aumentando a intensidade gradualmente.
  • Procure por uma cadeira de trabalho que dê suporte à sua região lombar e permita o apoio dos pés no chão ou em um descanso elevado para os pés.
  • Mantenha seus cotovelos na mesma linha do teclado ou outro material de trabalho manual para prevenir tensão nos ombros. 
  • Posicione o monitor do computador em uma distância mínima de um braço da sua vista e na mesma altura dos seus olhos para evitar tensões no pescoço.
  • Pratique exercícios físicos diariamente.
  • Reeduque-se para manter a postura ereta durante a atividade diária.
  • Evite ficar em uma mesma posição por muitas horas. Faça pequenos intervalos de 20 minutos para caminhar e alongar pernas, ombros, mãos e pulsos.
Fontes e referências adicionais

Você já teve tendinite ou bursite? Descobriu o que causou o problema? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é Médico Ortopedista - CRM-SP 113136. Formou-se pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

Deixe um comentário